Concurso para Prático

A Marinha do Brasil realizará um concurso público para selecionar 117 novos práticos em todo país. As inscrições serão aceitas a partir da próximo dia 21/4 pelo endereço da Diretoria de Portos e Costa www.dpc.mar.mil.br.

Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

52 Responses to “Concurso para Prático” Subscribe

  1. AJS 18 de abril de 2008 at 18:48 #

    É uma profissão de alta remuneração e não menor responsabilidade, porém acompanhando os últimos 35 anos, naqueles em que foram abertas inscrições, pouquíssimos obtiveram êxito na seleção, diversos ex-comandantes da Marinha Mercante, bem como da MB, não a conseguiram , reputo como das profissões de mais difícil acesso.

  2. RBO 27 de outubro de 2008 at 15:23 #

    Alguem sabe de uma nova previsao, para o concurso de pratico….

  3. EFCG 16 de dezembro de 2008 at 13:06 #

    Quem é que aplica aprova para o concurso de prático? A marinha mesmo?

  4. EFCG 16 de dezembro de 2008 at 13:07 #

    OLha amigo a poucos dias ouvi falar que haverá um novo concurso daqui a dois anos… Mas se alguem tiver a resposta mais precisamente fala aí…. Mas de qualquer form, é melhor demorar assim pra estudar bastante…

  5. rob 18 de fevereiro de 2009 at 8:43 #

    êê, já vi que se tiver prova de português, tem gente q nem adianta fazer a prova! Pô, o AJS falou “não menor responsabilidade” e não que o prático não tinha responsabilidade. Vamos ler direito, né? E vamos nos inteirar do assunto também, pois o prático tem uma carga de responsabilidade muito grande, muito maior do q vc imagina.

  6. LC 18 de fevereiro de 2009 at 16:32 #

    Concordo com vc rob, o cara leu completamente errado, dizer que o prático não tem a menor responsabilidade é mentira. O prático deve ter uma tremenda responsabilidade quando conduz aquelas coisas, mas vc deveria dizer “e não que o prático não tem responsabilidade”, de qualquer forma, vamos deixar de nos corrigirmos aqui e vamos sim ficarmos atentos à abertura do concurso.

  7. e ai galera!!! pow eu tenho 17 anos e queria muito presta esse concurso mais não tenho ah idade certa ,mais gostaria 18 de fevereiro de 2009 at 19:18 #

    e ai galera!!! pow eu tenho 17 anos e queria muito presta esse concurso mais não tenho ah idade certa ,mais gostaria de começar a estudar sobre o assunto. como eu faço para ter uma idéia basica de como virar um (Prático) se alguem tiver um tempinho deixa um e-mail pra min… agradeço a compreenção de todos.
    [email protected]
    [email protected]
    [email protected]

  8. paulo henrique dos santos pereira 18 de fevereiro de 2009 at 22:35 #

    gostaria tambem de saber qual o conteudo para estudar para
    pratico muito obrigado para quem me dar essa informaçao
    e espero qui no proximo concurso de pratico da marinha
    so os bons consiguem passar nao alguma pessoa qui seja favorecida obrigado pelo espaço

  9. Marcelo Ostra 19 de fevereiro de 2009 at 1:22 #

    Rob e LC

    Pratico tem responsabilidade MORAL da manobra, responsabilidade CRIMINAL E CIVEL é do Comandante do navio

    A primeira coisa que acontece quando ocorre um incidente é o navio SER DETIDO para inquerito e o pratico apresentar um relatorio sobre o incidente

    Se tiverem oportunidade, procurem uma entidade seguradora (uma categoria, nao uma empresa) chamada P&I (Protection and Indenisation), que representa os armadores quanto a questões de seguro, incidentes, acidentes e responsabilidades

    Vcs terão surpresas …

    Pouco conhecem como funcionam realmente as coisas navais, até pouco tempo atras para pouquissimos a profissão era conhecida, para mais uns tantos era apenas um dos três porquinhos (Isto não é sarro, é uma verdade)

    Quanto a prova, aplicada pela Marinha (DPC) engloba conhecimentos de Marinharia, Ciencias Nauticas, Metorologia e Inglês

    Tem que ter nivel superior (requisito moderno, antigamente não precisava)

    Apesar do inglês ser importantissimo é inacreditavel o nivel de ingles de muitos praticos, que se limitam a Good Morning (quando descem do pedestal …) steady, X Degrees to port, X degress to starboard, half speed ahead, stop e mais uma meia duzia de palavras, a geração nova é melhorzinha, mas já vi pratiico chegando a bordo sem a mmenor ideia do calado do pier que o navio se encontra

    Obviamente há excelentes profissionais, cada manobra é um Show, mas no geral nem sempre é assim, vemos tambem cada uma

    Em tempo, antes de acharem que sou ixperto e palpiteiro demais, trabalho em Empresa de Navegação como encarregado de operações, acompanhamos todas as manobras e fainas, seja por operacionalidade, seja por requisição e pagamento dos servicços prestados, incluindo suas faturas, tarifas, preços e afins, icluindo todas as despesas portuárias (Se vcs acham os praticos caros, vcs não imaginam o preço dos rebocadores …)

    Ja acompanhei por amisade e serviço umas 15 manobras, entre entradas, saidas e mudanças de berço de atracação

    Uma vez eu e uns amigos (não pretendo ser praticoo, pois já a um certo tempo sei de minhas restrições medicas) que estão treinando para tentarem ser praticos, alguns já com cerca de 20 manobras de “sombra”, de 20 questões, acertamos 6

    A prova é phoda ! Se desejarem, para se ter uma ideia, conheço praticos que estudaram 8 horas por dia por quase dois anos e meio ….

    Bom, boa sorte e sugiro uma especial atenção no conhecimento maritimo e naval

    ( )´s
    MO

  10. Maxwell 23 de fevereiro de 2009 at 13:07 #

    Meus amigos eu me interecei pela profissão!!! Mas é preciso ter nível superior? E em qual área tem ser formado?? Muito obrigado pela atenção e abraço a tds!!!!!!!!

  11. Maxwell 23 de fevereiro de 2009 at 13:08 #

    Se possível, quais as matérias para se estudar??? Abração!!!!!!

  12. Marcos 25 de fevereiro de 2009 at 14:40 #

    Marcelo Ostra, vc sabe como é que são feitos os pagamentos? É por manobra, não? Tem um valor por manobra? E aposentadoria. Alguém tem idéia de como é?

  13. herman 28 de fevereiro de 2009 at 11:04 #

    eu gostaria de saber se pra fazer esse concurso pra prático é preciso ter passado por alguns cargos na área marítima…?

  14. Tadeu 4 de março de 2009 at 15:42 #

    Pessoal eu estou começando a me especializar mais em estudos para concursos publicos diversos. Enfim é muito interessante este concurso para Pratico. A pergunta é? Para concorrer a está vaga de pratico você tem que ter ou não alguma ligação com a marinha?
    Obrigado

  15. Tadeu 4 de março de 2009 at 15:44 #

    Me desculpa Herman…não li a sua pergunta e acabei perguntando a mesma coisa.

  16. Caio Douglas 9 de março de 2009 at 10:38 #

    Gostaria de saber onde, e quando posso me increver para ingressar na carreira de pratico, levando em consideração que completarei 18 anos agora dia 30/03/09.
    Obrigado a todos!

  17. Marcelo Ostra 12 de março de 2009 at 13:54 #

    Dar uma lidinha nas msg que tem tudos isso ….

    MO

  18. Zito 22 de março de 2009 at 0:54 #

    Pessoal!

    Achei isso na net! Repasso para o pessoal que estava perguntando sobre um BOM Curso para Prático.
    Espero ter ajudado.

    http://www.mapadosconcursos.com.br/index.php?idPagina=23

  19. Rod 25 de março de 2009 at 13:56 #

    Parece bacana esse curso…alguém conhece? Eu liguei pra lá e disseram que vai começar em junho.

  20. Rodrigo 28 de março de 2009 at 0:04 #

    Alguém mais vai fazer o curso no mapa dos concursos?

  21. gisele bastos 30 de março de 2009 at 4:39 #

    Oi alguém pode informar se mulher pode entra nesta profissão!
    Obrigada.

  22. Marcelo Ostra 30 de março de 2009 at 14:48 #

    Sim, tanto o é que uma praticante de pratico, aprovada neste último concurso, já esta praticando em Santos

    Abs
    MO

  23. Marcelo Ostra 1 de abril de 2009 at 23:01 #

    Suaoe quase nada, pois lá quem controla são os nossos sub agente, apenas o Be a ba muito basico

    Creio que bem menos praticos lotados e em escala por dia, e conseqüentemente, bem menos mabobras diárias

    Espero ter sido util

    Abs
    MO

  24. Matheus Frias 7 de abril de 2009 at 21:29 #

    Olá senhor Marcelo Ostra,

    Tenho 14 anos, pretendo ser prático,
    como não foi especificado pelo senhor qual a area de atuação de uma pessoa(em curso superior), gostaria de lhe perguntar novamente.
    Minha irmã está se formando em engenharia naval,
    o senhor acha que esse curso seria o melhor para um prático ?

    Por Antecedencia, Muito Obrigado.

  25. Marcelo Ostra 7 de abril de 2009 at 22:10 #

    o melhor curso Matheus seria a de Ciencias Nauticas do CIABA/CIAGA – EFOMM

    De uuma olhada nesta reportagem:

    http://tvtribuna.globo.com/videos/default.asp?video=22672&dt=6/4/2009&key=&urlv=&idCat=3

    Abs
    MO

  26. Marcelo Ostra 7 de abril de 2009 at 22:27 #

    Matheus, na pressa esqueci de te avisar, todo mundo que conheço que eh pratico estudava pelo menos 12 hrs por dia anos antes , principalmente Ciencias Nauticas, Meteorologia, marinharia

    MO

  27. cristiano moraes 14 de abril de 2009 at 12:10 #

    Olá Ilmo senhor MO, sou físico cursado pela UFPA, soldado do corpo de bombeiro militar do PA, tenho 31 anos (Belém-Pa).
    Até o mês passado nunca tinha ouvido falar sobre esta profissão.
    O salário é no mínimo surreal para um trabalhador brasileiro!
    Fico imaginando o por quê não se tem divulgação sobre esta profissâo?
    O conhecimento fica restrito aos aquaviários (militares (MB) e civis)?
    Nem se eu estudasse a minha vida toda, Física. E somo a isto todos os estágios acadêmicos, Passando pelo mestrado até o pos-doutorado, ganharia nem sequer 1/14 da média salarial de um prático [(60+130)/2=95mil reais].
    Um Phd em Física aqui na Ufpa (3º pf adjunto) ganha uma média de R$6000,00. E posso te garantir que é muito estudo pra chegar até lá, no mínimo 6 a 8 anos, sem contar a graduação de 4 anos!
    Senhor MO, partilhe um pouco seu conhecimento e me dê um auxilio de quais sâo os passos que devem ser seguidos Para ser formar e poder trabalhar em tão estimada profissão. Já vi que há alguns pré-requisitos, tais como a condição mínima que o canditato deve ter:
    “formação universitária e que fossem aquaviários da seção de convés ou máquinas, de nível igual ou superior a 4, práticos ou praticantes práticos ou pertencentes ao grupo de amadores, no mínimo na categoria de Mestre-Amador” (jc.concurso.com.br). Não tenho intimidade com estas profissões em questão.Como deveria fazer pra poder atender esses requisitos e onde me profissionalizar nestes. É pago? Onde estudar a parte teórica do concurso de prático?
    Sou um a pessoa que faço planos a médio prazo. Se tiver todas essas informações em mãos, posso me programar pra quem sabe num plano 5 anos pretar esse concurso e dar a tão sonhada vida que todo chefe de família pode oferecer ao seu bem mais precioso que é a mãe a esposa e os filhos.
    Desde já agradeço.
    Desde jà agradeço.

  28. andre 19 de abril de 2009 at 10:00 #

    Antes ninguém se interessava. Até o pessoal da MM deixava a carreira para ficar em terra e agora que foi amplamente divulgado a Categ. de Pratico, sendo que alguns portos possuem o salario acima dos 180.000 reais, a corrida ficou bastante disputada. Mas o ingresso não é tão facil assim, e está cada vez mais dificil, mesmo que haja uma enxurrada de inscrições, competir ali nãoé para qualquer um. É mais facil vc passar num concurso de Juiz Federal do que de Praticante de Pratico.

  29. Roneyson 22 de maio de 2009 at 23:48 #

    Alguem conhece algum Prático que não era da Marinha Mercante? Já que não é um requisito obrigatório é possível passar na prova na raça mesmo. Sei de gente de várias profissões diferentes que passaram no concurso de 2008. Tinha médico, dentista, advogado, juiz, etc que passaram na primeira fase. Uma mulher que era auditora-fiscal passou na primeira fase e foi pros EUA treinar a parte prática. Não sei o resultado dela.

  30. Matheus 2 de junho de 2009 at 19:55 #

    Como posso me tornar prático sem meio de concurso ?, por exemplo com o a ingressão no Ciaba.
    Teria que ter nível superior ?
    ou poderia simplesmente fazer a prova do Ciaba, ingressar e por meio deste me tornar prático ?

  31. Danielle Lemos 5 de junho de 2009 at 13:14 #

    Gostaria de saber se para ser um prático é necessário ter cursado uma faculdade por completo e se o concurso abre todos os anos?
    Obrigada.

  32. Realista 7 de junho de 2009 at 23:35 #

    Escuto muita coisa sobre passar de pai para filho, neste ultimo concurso saiu uma materia sobre armaçao, tipo prova rasgada dentro do banheiro antes de começar os exames…
    Nao sei, envolve muito dinheiro.
    Abraços

  33. Raquel 25 de junho de 2009 at 22:43 #

    Marcelo, você disse que a melhor formação para se tornar um Prático, é se formar em Ciências Náuticas..por que? e aonde há cursos? tem alguma parte do curso que é direcionada ao Praticante de Prático ou não? Gostaria muito de tentar entrar nesse meio, mas estou muito perdida..sei algumas coisas, mas somente o básico..o que você poderia me dizer, que pode me ajudar, além do que você já disse aqui?

    Grata desde já.

  34. Fernando 29 de junho de 2009 at 20:47 #

    estou muito interessado em fazer o curso para me tornar um Pratico, alguem pode me passa informacoes? por onde comecar, o que estudar, qual a idade necessaria, quais sao as oprtunidades hoje. Quem puder pode passar pro meu e-mail [email protected]

    obrigado.

  35. Thales 25 de julho de 2009 at 11:35 #

    Olá, sou estudante de Engenharia Mecatronica da USP São Carlos e minha irmã me falou sobre esse concurso para prático, que nem sabia que exestia, estou muito interessado e pensando em realmente comecar a estudar. Estou procurando na internet e apenas encontrei cursos online, alguem conhece algum curso presencial ? Em São Paulo, Campinas ou interior de SP ? Agradeco a atenção… [email protected]

  36. Thales 25 de julho de 2009 at 11:41 #

    Estou pesquisando algumas coisas sobre o concurso na internet, mas não estou encontrando muito sobre o assunto, se alguem souber, eu agradeceria muito se pudesse me ajudar:
    Com que frequencia tem concurso para prático ?
    Em média tem quantos candidatos ?
    Em média abrem quantas vagas ?
    Eu li acima sobre uma pessoa que estudou durante 2 aos e meio para passar, isso seria a média de tempo de estudo para passar ?
    Agradeco a atenção…..
    [email protected]

  37. Marcos Antonio Rossi 31 de julho de 2009 at 20:02 #

    Caros Amigos., Realmente esta é uma profissão fascinante., Infelizmente não está disponível para todos aqueles que pretendem alcançá-la.,Comparo esta atividade com o futebol., É preciso ser no mínimo um Ronaldo., Os ganhos não serão iguais aos dele, mass..sei que poderão chegar acima dos CR$ 200.000,00/mes., Bons e muitos estudos, muita responsabilidade e controle psiquico, isto é só o começo, e apesar de não acreditar muito na sorte e sim na capacidade de cada um, acho que aqui ela seria bem vinda.

    Um abraço a todos,
    Marcos

  38. Lula 14 de agosto de 2009 at 16:52 #

    Aos que estao interessados em fazer este concurso, deêm uma olhada antes neste arquivo para se preparem melhor… http://www.prrj.mpf.gov.br/atuacao/2008/Acao%20Civil%20Publica%20-%20Concurso%20-%20Pratico%20-%20versao%20final.pdf

    boa sorte aos merecedores…

  39. sandro luis monteiro da silva 24 de fevereiro de 2010 at 22:19 #

    Alguem sabe de uma nova previsao, para o concurso de pratico, o que estudar, gostaria tambem de saber qual o conteudo para estudar para
    pratico muito obrigado. como eu faço para ter uma idéia basica de como virar um (Prático) se alguem tiver um tempinho deixa um e-mail pra min… agradeço a compreenção de todos.

  40. sandro luis monteiro da silva 24 de fevereiro de 2010 at 22:23 #

    Alguem sabe de uma nova previsao, para o concurso de pratico, o que estudar, gostaria tambem de saber qual o conteudo para estudar para
    pratico muito obrigado. como eu faço para ter uma idéia basica de como virar um (Prático) se alguem tiver um tempinho deixa um e-mail pra min… agradeço a compreenção de todos.
    [email protected]

  41. Mercante 12 de março de 2010 at 11:25 #

    Colegas , notícia quente…. Próximo concurso para Prático em 2013 !!!!

  42. Mercante 15 de março de 2010 at 16:08 #

    Caros colega (Thales) e outros que perguntam sobre o Concurso….

    Não existe uma receita padrão como por exemplo perguntaram quantas horas de estudo são necessárias para passar num concurso deste tipo. Conheço pessoas que esturam 2,5 anos e passaram e outras com menos tempo de estudo. Isto é relativo, meu nobre.

    O que posso dizer é que não vão te dar de bandeja as dicas sobre o Concurso, pois vc seria mais um concorrente. Eu, desconhecia este universo antes de ingressar na Escola de Oficiais da Marinha Mercante. Entrei, me formei e fui garimpando aos poucos os materiais, bizús e conhecimento para o Concurso. Ninguém vai dar munição para o inimigo (no bom sentido) !

    É isso… faz parte do show !!!!

  43. Guilherme Mancal 27 de abril de 2010 at 15:53 #

    Olá a todos!

    Me formei na EFOMM a alguns anos, tenho muitos colegas que estao praticando e muitos realmente me confirmam que o próximo concurso está longe de acontecer, pode ser em 2013 ou até em 2014… Infelizmente esse concurso é atipico e já ficou por muitos anos sem reabrir.

  44. Bartírio 6 de maio de 2010 at 16:05 #

    Belo blog, obrigabo MO pelas explicações, deixo aqui meu email para add no msn ou enviar msg, se possível gostaria de tirar algumas dúvidas, tenho apenas o nível médio, após esclarecimentos posto aqui para todos, caso alguém esteja em situação igual a minha. Abraços e muito obrigado.

    [email protected]

  45. tomaz 3 de junho de 2010 at 21:02 #

    Marcelo.

    Realmente, deve ter “amiSade”, como mencionou com algum prático, pois se já foi em manobras, aproximadamente, 15. Ele deve ser um amigão. Em serviços? Pelo que sei, o navio aguarda somente o prático para saída. Claro, após das vistorias competentes. Depois das devidas vistorias, SOMENTE, o prático, poderá subir no navio, NINGUÉM MAIS.
    Quanto ao conhecimento do inglês, é essencial. Estas palavras mencionadas, são técnicas, conhecimento dos práticos e comandantes. Não sendo necessária, nenhum conversa paralela, com oficiais/comandantes. Apenas da manobra em questão. Quando se chega ao navio (você têm pleno conhecimento, pois já foi em 15), quem recebe é o oficial, que acompanha o prático, até a cabine. Sendo assim, o conhecimento do inglês, realmente é importante, não apenas “pesquisas no google”.

    Quanto ao estudo, claro, que deverá estudar muito (como todos os concursos). Mas, caro, Marcelo, esqueceu de mencionar os cursos, antes de pensar em fazer o concurso. Depende da capacidade intelectual de cada pessoa e seu nível de interesse. Idade, etc…

    Os valores cobrados, faturados, são várias empresas, não uma! Você como “encarregado”, já acompanhou manobras, coisa e tal. Inclusive a serviço. Será a Praticagem, têm conhecimento? Pelo que saiba, compete, apenas ao prático. Como as questões burocráticas, competem somente as empresas. Os práticos, não têm conhecimento de serviços, nem as empresas dos práticos. O quê se sabe, é, apenas, o quê os “palpiteiros”, julgam saber.

    E para ser prático, é necessário ter qualquer tipo de diploma de nível superior, reconhecido pelo Ministério da Educação, ter inglês avançado (pois só falamos em inglês), ter cursos (informações no site da Capitania) e muita força de vontade.

    As pessoas que querem ser práticos, estudem, estudem, estudem. Não fiquem atrás de informações pela internet. Procure Praticagem, Capitania, orgãos competentes que podem ajudá-los nas vossas dúvidas. Mas lembre-se, que toda profissão existe seu risco. Quando se faz uma manobra, vamos até o navio de lancha. Existem escadas que temos que alcançar (com o navio em movimento), da lancha para o navio. E a descida também. Fora que: muitas vezes, é em plena madrugada, onde não se enxerga quase nada, com neblina, chuva, frio. Ainda corremos o risco, que chegando em alto mar, não ter condições para descida e ter que descer em outro porto. E o pior, caso você caia da escada, claro que não afundará, pois estará com colete. Porém, existe, hélice do navio, que o puxa e têm o perigo de ser cortado aos pedaços. Fora que se pode cair na lancha de costa, machucar-se. Nada disso foi mencionado. Pois não têm informações técnicas, nem experiência para tanto.

    A parte boa, claro, é o salário e as folgas.

    Pessoal, na dúvida, vá pessoalmente, e procure os orgões competentes.

  46. MO 3 de junho de 2010 at 21:51 #

    Tomas

    Desculpe, mas não entendi

    vc se pegou no “amiSade” e pelo que entendi, repetiu mais ou menos o que falei.

    Outra coisa aqui soa meio estranho este ser “um amigão’ para embarcar em manobra, mas qualquer duvida sobre estes fatos é facil tirar suas duvidas

    Quanto ao navio aguarda “apenas o prático” (esta não entendi mesmo), pois aqui nãio é bem assim não, claro que em casos excepcionais, mas não é “apenas o pratico”

    Quanto a comunicação, tentei explicar como é a comm a bordo e que ingles de sheakspeare não ajuda muito se não tiver conhecimento de ingles técnico

    Quanto a infos que vc visse que não comentei, tambem não entendi o pq vc citou isso, pois aonde estava escrito que em algum momento quis divulgar as manobras passo a passo

    Entendo que a intanção foi desqualificar meus comentarios, ok, sem problemas, mas convenhamos mais uma vez uma situação estranha que não sei de onde tirou, sobre calores faturados, pois a intenção era dar uma ideia e não revelar cada acordo de cada armador, coisa que tenho conhecimento apenas na minha empresa e mesmo que soubesse, coisa que seria impossivel, obviamente não divulgaria

    quanto a orgãos competentes, não ha problema, aqui em SSZ, procur os orgão e não se surprteenda com as respostas (ou não respostas)

    Mais uma vez, minha inbtenção foi tentar dar um briefing como são as coisas, achei desnecessario descrever pq o embartque é por BB e a escada fica de 1 a 2 m acima dágua, que borda livre com mais de 9m é escada combinada, qdo vcs embarcam hasteam a bandeira Hotel e afins

    Amigo, na sua ZP pode ser assim, mas aqui é meio diferente, mas claro, não escrevi para lhe desafiar, apenas para te falar como são as coisas por aqui e dar uma ideia como funciona aqui

    no mais, como vc deve saber há praticos e praticos

    ndependente, foi otimo vc ter comentado e acrescentado mais informaçoes sobre as manobras, mas quanto particulariedades de cada ZP ai so nas ZP´s mesmo

    Um abraço
    Marcelo

  47. tomaz 3 de junho de 2010 at 22:48 #

    Marcelo.

    Para ir à uma manobra é apenas prático ou praticante. Nenhuma empresa, de nenhum lugar pode acompanhar. Quando o prático chega ao navio, já foi fiscalizado e está tudo na perfeita ordem. O prático, chega apenas para manobrar.

    Para você ter o conhecimento do técnico, deve-se saber o básico. Não são apenas palavras. Não temos nenhum tipo de contato com a tripulação. Apenas o que deve ser feito. Vale lembrar, que quando chegamos em alto mar, caso o prático, julgue que exista problema mecânico, o navio, não poderá atracar no porto. Deverá esperar a Capitania averiguar, para depois atracar.

    Quanto aos 9 metros, se você acompanhou manobras como relatou, teria prestado atenção que têm informações aos práticos que o máximo permitido é 9 metros, não mais que isso.

    A minha ZP, é a de Santos, que abrange até Ilha Bela-São Sebastião.
    A Praticagem fica na orla da praia, precisamente na ponta da praia. Em frente ao nosso pier. Não estou aqui, relatando o quê acho, ou quê já li, ou trabalho em uma empresa. Eu sou prático.

    Mas, por favor, peço que explique o quê acontece quando se chega um prático. Quais são os procedimentos? Já que participou de 15 manobras, e é encarregado de uma empresa, que participa, fiscaliza, entrada dos navios.

    Apenas ressalto, que a autorização da entrada dos navios, é inteiramente, responsabilidade do PRÁTICO. Não de agência. Essa não pode interferir em absolutamente, nada. Aproveito para dizer à todos, que ninguém têm conhecimento de quem é prático. Pois os práticos, não têm nenhum contato com empresa, polícia federal, receita federal, vigilância sanitária e outros.

    Nosso trabalho é, observar as condições climáticas, condições mecânicas(embora, não sejamos mecânicos, mas estudamos isso e temos tecnologia), para atracar com os navios. Apenas isso. Nem sabemos quem é o quê.

    Satisfeito?

  48. tomaz 3 de junho de 2010 at 22:58 #

    Um adendo

    Quanto a valores é inútil mencionar. Pois esqueceu-se que existe impostos, taxas e por vai.

    Ademais, é encarregado operacional, não GERENTE/DIRETOR financeiro. Desconhece informações, descontos e etc.

    Não quero menosprezar seus comentários. Ademais, as pessoas em um modo geral (que conhecem a profissão), alegam que ganhamos muito dinheiro. Se ganhamos, fizemos por onde. Pagamos nossos impostos. E vale lembrar, claro, se tiver, algum tempo de “encarregado”, da greve que foi feita pelos práticos. O quê aconteceu.

    Somos em trinta. Caso tenha alguma dúvida a sanar, por favor, peça ao seu superior que procure a Praticagem para sanar, assim, evita-se de escrever e mencionar, informações que pessoas que não têm conhecimento, possam se iludir.

  49. MO 4 de junho de 2010 at 0:11 #

    Tomas

    Então vc é da turma nova, pois foi exatamente nesta ZP que embarquei todas as vezes, seja saida, entrada ou mudança

    Ala x Barra – Ilha x Dow – Barra x 29 – Barra x Alemoa 39 x 12 P e por ai vai

    Como falei, me expanta vc não ter nunca visto isso ou ouvido falar (não me refiro a mim, mas a possibilidade de ) e olha conheço muitos pessoalmente nesta ZP

    Quanto a ser e participar de negociações e ou informações, estar ciente ou não, depende da organização de cada Agencia, mas não é o caso, mas em caso de duvidas, o então gerente SF que o diga, por exemplo .. sem contar outros como MO, FMF, JA, PE, CL, HU, AL, QU, OR, RO, ED, HE e por ai vai …

    Costado com mais de 9m é utilizado combi lader, até 9 m qp
    QP é muito mais facil e seguro embarcar/desembarcar que portaló

    Emb/Desemb barra por BB, para evitar em caso de acidente ser sugado pelo Helice (Sentido rotacional do Helice)

    Vc falou que o pratico, qdo embarca, o navio ja foi fiscalizado (???) Minha instrução básica como agente diz que somos os últimos a desembarcar, antes do embarque do pratico (fiz isso inumeras vezes, não vi ninguem fiscalizar, salvo vc estar se referindo a guarnição do navio)
    Procedimento:
    - Agencia confirma o pratico (1, 1,5 ou 2 h de antecedencia, dependendo do ponto)
    - Prático chega a bordo
    - Se dirige ao passadiço acompanhado
    - Se apresenta ao Comte ou ao Oficial de serviço no passadiço, em caso do Comte não estar ainda no passadiço)
    - Preenche ou nao os dados ISPS com o SSO (depende do navio)
    - Preenche ou não o Talão (ou inicia, eventualmente mais tarde)
    - informa ou não para o CO dados como Destino e ETA
    - teste de máquinas – uma “palhetada” AV outra AR
    - se “Tudo Maravilhoso” tudo ok, inicia-se o single up
    - começa aliviar os cabos
    - Tugs made fast (ou não dependendo do navio, bow/stern truster ou fatores favoráveis)
    - Coordenação navio – tugs – amarradores no gerenciamento da manobra
    - inicia a saida ou o giro dependendo do bordo (comandos verbais)
    – da segmento
    - 8 nós em segmento
    - dispença os tugs quando for conveniente
    - lancha “Passando o 39, escada ta boa ?”´- “Lancha, to descendo”
    - Ou um pouco antes de descer ou na lancha, eventualmente: “CO, to de que agora, 6o, 7o … ”

    Tem mais, claro que é um resumo …

    E ai, tenho alguma noção ?

    Além do que mais uma vez, creio estarmos paenas enriquecendo o dia a dia em operações de um pratico

    Quanto a greve, não foi em SSZ, tenho 19 anos de agencia, mas se fosse aqui ou em qualquer lugar seria terrivel, simplesmente o porto para, pois é norma mundial, no caso local a DPC em sequencia os orgãos correlatos CP´s, c Docas e afins aplicariam penalidades imensas se alguem se atrevesse a manobrar (coisa que Comte nenhum o faria)

    Outra coisa, parabens, pois os testes e provas exigidos, a pessoa atualmente apta realmente é de um alto nivel academico !

    Um abraço
    MO

    Qualquer dia batemos um papo pessoalmente sobre isto, será um prazer

  50. tomaz 4 de junho de 2010 at 17:59 #

    Bem, então, vocês (empresa), são os últimos a desembarcar, ANTES, do prático.

    Sou da turma nova, tenho 27 anos de Praticagem. Realmente faço parte da nova turma. Esta que se apresentará.

    Você (encarregado de uma empresa), deve realmente ter embarcado, porém, sem prático a bordo, e o navio parado. Os lugares que mencionou os navios estão atracados. Não em alto mar. Apenas para fazer seu trabalho. Não entendo a parte burocrática em questão. Não estudei para isso. Apenas para manobrar navios.

    Não existe a possibilidade, em termos quaisquer pessoas a bordo, exceto, prático e praticante. E claro, tripulantes do navio.

    Acredito que deva realmente, a bordo de um navio, mas para realizar seu trabalho da empresa na qual trabalha. Não acompanhar uma manobra, e ter acesso a cabine do comandante. Desculpe. Isso é impossível. Sou prático há 27 anos, meus antepassados, foram práicos, e posso AFIRMAR, não há nenhuma possibilidade. Exceto, se conhecer algum prático, e este, convidá-lo para participar. No qual, somos responsáveis, por quaisquer, acidente que possa ocorrer com nosso convidado. Sendo assim, não muito comum. Prefirimos, convidar a ir jantar, que “passear” de navio. Com certeza, será mais proveitoso. Para ambas as partes.

    Entenda, não discuto seu trabalho. Pois nada sei, de questões burocráticas. Mas, sei do meu trabalho. As lanchas, vermelha e branca, são nossas. Quando chegamos a um navio, os oficiais e tripulantes, já estão à nossa espera. Subimos, verificamos, o quê temos que verificar, e comçamos a manobra. NUNCA, encontrei ninguém, seja de empresa ou orgão público. Apenas tripulantes. Mas, como sou da turma nova, não posso afirmar. Posso afirmar, 27 anos, fazendo o mesmo trabalho.

    Daqui a pouco, você vai postar, que todas, digo todas as manobras, são feitas apenas com UM prático a bordo, encarregado de agências, e todas das áreas competentes. E navio de passageiro, como é o procedimento?

    Li seu email. Apenas quero deixar para pessoas que estiverem interessadas, em procurar pessoalmente, cursos, tirar dúvidas. Tudo o quê diz em sites, nem tudo é verdade. Procure bibliotecas municipais a procura de livros para enteder um pouco melhor, o quê é a profissão de prático. Nem tudo que reluz é ouro…

    Todo concurso público, exige alto nível acadêmico. Não é apenas para prático. Receita federal, polícia federal e por ai vai. Qualquer serviço, seja público ou privado a requerente, têm de estar apta, para o serviço ficar perfeito. Caso contrário, melhor, partir para outra profissão/segmento.

  51. MO 5 de junho de 2010 at 0:29 #

    Ola Tomas (J ou L ?)

    Vamos lá

    “Bem, então, vocês (empresa), são os últimos a desembarcar, ANTES, do prático. “

    Em momento algum mencionei isso ou quis dizer isso, apesar de já ter acontecido – explico: navio talhado no 37 pta, durante carregamento tocou o fundo na baixamar e foi solicitado uma inspeção subaquática para verificar as condições do mesmo, o navio fundeou ancoradouro 3, e como tinha que levar o report para a classificadora imediatamente após a inspeção clausulas de P & I e seguro) sai com o navio para assim que terminado levar para as mesmas, mas obviamente situação esopecífica.

    “Sou da turma nova, tenho 27 anos de Praticagem. Realmente faço parte da nova turma. Esta que se apresentará.”

    Isso foi baseado na expressão “Não h[a a menor possibilidade de embarcar”

    “Você (encarregado de uma empresa), deve realmente ter embarcado, porém, sem prático a bordo, e o navio parado. Os lugares que mencionou os navios estão atracados. Não em alto mar. Apenas para fazer seu trabalho. Não entendo a parte burocrática em questão. Não estudei para isso. Apenas para manobrar navios. ”

    Boia 1 não é alto mar, e mencionei embarques barra x atracações ou atracação x barra, alem de mudanças, claro, sim, a maioria disparada a serviço.

    “Não existe a possibilidade, em termos quaisquer pessoas a bordo, exceto, prático e praticante. E claro, tripulantes do navio. “

    Isto não está tecnicamente correto (ao pé da letra) um exemplo básico é a imprensa que embarca até com relativa freqüência (proporcinal, claro), sem contar outras situações (não se pegar na imprensa, foi apenas um exemplo e eles tecnicamente não tem autorização para subir a bordo, salvo obtida na DRF/ALF)

    “Acredito que deva realmente, a bordo de um navio, mas para realizar seu trabalho da empresa na qual trabalha. Não acompanhar uma manobra, e ter acesso a cabine do comandante. Desculpe. Isso é impossível. Sou prático há 27 anos, meus antepassados, foram práticos, e posso AFIRMAR, não há nenhuma possibilidade. Exceto, se conhecer algum prático, e este, convidá-lo para participar. No qual, somos responsáveis, por quaisquer, acidente que possa ocorrer com nosso convidado. Sendo assim, não muito comum. Prefirimos, convidar a ir jantar, que “passear” de navio. Com certeza, será mais proveitoso. Para ambas as partes.”

    Sim, realmente, como falei varias vezes em nosso debate, mais uma vez a maioria a serviço, mas afirmo que já embarquei para acompanhar a manobra, claro que no passadiço
    (Atentar que não estou afirmando que é previsto, mas é bem diferente de “não haver nenhuma possibilidade para isso). Claro que todos anteriores a sua turma conhecia pessoalmente (não quero dizer amizade com todos, mas conhecia todos por nome e cor contato visual e verbal, pois no inicio tinha o costume de esperar o prático no passadiço para me despedir do Comandante e guarnição, descendo imediatamente após pelo portaló ou prancha (NT´s)

    Ou seja conforme embarquei fica bem diferente de “não haver nenhuma possibilidade de embarcar e jamais no passadiço”

    “Exceto, se conhecer algum prático, e este, convidá-lo para participar. No qual, somos responsáveis, por quaisquer, acidente que possa ocorrer com nosso convidado. Sendo assim, não muito comum. Prefirimos, convidar a ir jantar, que “passear” de navio. Com certeza, será mais proveitoso”

    Correto, os embarques que acompanhei a manobra foi com amizade do prático, a convite, pois sou entusiasta naval e marítimo, gosto muito mesmo (creio que já deva presumir que eu sou), sempre ciente da responsabilidade de quem convida quanto o risco de ir e me acidentar. Não é muito comum, concordo, mas há de reconhecer dois fatorees que levam pessoas convidadas a embarcar: a curiosidade por algo diferente, bacana e o gosto específico, a realização de sonhos (apesar de soar infantil, creio ser compreensível para alguém que goosta de verdade o que me refiro) baseado nestes fatores, não que não possa ir jantar ou algo do gewnero tbm, mas claro que EU prefiriria o embarque e penso que práticos que me conhecem talves reconhecendo meu real gosto possam eventualmente me convidado justamente por isso

    “Entenda, não discuto seu trabalho. Pois nada sei, de questões burocráticas. Mas, sei do meu trabalho. As lanchas, vermelha e branca, são nossas. Quando chegamos a um navio, os oficiais e tripulantes, já estão à nossa espera. Subimos, verificamos, o quê temos que verificar, e comçamos a manobra. NUNCA, encontrei ninguém, seja de empresa ou orgão público. Apenas tripulantes. Mas, como sou da turma nova, não posso afirmar. Posso afirmar, 27 anos, fazendo o mesmo trabalho. “

    Certo, também não me pareceu alguma contestação do nosso trabalho, órgão público também nunca vi , e se o Sr for quem estou pensando, afirmo que desconheça que tenha embarcado com alguém. Sobre a turma nova, a explicação está lá em cima do porque.
    “Daqui a pouco, você vai postar, que todas, digo todas as manobras, são feitas apenas com UM prático a bordo, encarregado de agências, e todas das áreas competentes. E navio de passageiro, como é o procedimento? “

    Meus coments estão todos disponíveis, jamais afirmei isso e justifiquei o motivo dos (Des)embarques a serviço e ambas as manobras acompanhadas, mesmo que se fosse a serviço seria o visitador, Em navios de passageiros nunca foram meu atrativo, apenas fui uma vez e por coincidência foi justamente minha última, mas quanto as manobras, se assim o desejar posso descrever, principalmente a parte do lapso entre o prático embarcar e o navio não estar pronto, o que trava completamente o porto para entradas, dada a confirmação e a não possibilidade de crusamento destes navios (O qual a praticagem NÃO tem responsabilidade alguma sobre isso, devido a normatização da CPSP) (Claro que tbm o motivo de ser confirmado e o navio não estar pronto não é falha do agente, na maioria das vezes, faz parte de um infeliz modus operandi de navios de passageiros)

    “Li seu email. Apenas quero deixar para pessoas que estiverem interessadas, em procurar pessoalmente, cursos, tirar dúvidas. Tudo o quê diz em sites, nem tudo é verdade. Procure bibliotecas municipais a procura de livros para enteder um pouco melhor, o quê é a profissão de prático. Nem tudo que reluz é ouro…”

    Achei sua participação excelente (risos, apenas descontando a parte do “palpiteiro”), claro que não sou e não fiz curso para prático, manobrar qualquer navio não é simples, sua participação enriqueceu o post, pois foi o primeiro profissional da área a debater, foi muito bom !
    Quanto as situações não glamurosas, concordo plenamente, não nada mais perigoso que embarcar/desembarcar na barra com vento, chuva, mar bravo, frio, quebra peitos com defeitos ou até mesmo quebrados, a lancha batendo, trabalhar 24 h (na verdade 48 h) por turno, corridas, sim é uma tremenda profissão e NÃO sou contra os valores de remuneração, é uma profisão tão importante como todas que fazem o cais girar, desde o armador até o estivador, vtodos trabalham para movimentar o porto, aumentar sua produção e desenvolvimento e aperfeiçoamento de técnicas e manobras.

    “Todo concurso público, exige alto nível acadêmico. Não é apenas para prático. Receita federal, polícia federal e por ai vai. Qualquer serviço, seja público ou privado a requerente, têm de estar apta, para o serviço ficar perfeito. Caso contrário, melhor, partir para outra profissão/segmento.”

    Verdade, mas o vosso concurso é um dos concursos mais difíceis e disputados do país (proporcional, claro aio numero de pessoas que conhecem a profisão). O aprimoramento é regra máxima em qualquer profissão ou segmento.
    Agora, concluindo, baseado em “Sou prático há 27 anos, meus antepassados, foram práticos”

    Poxa, então, baseado na sua turma, e esta afirmação, vc me conhece, já conversamos varias vezes, inclusive admiro muito a carreira de seu Tio, o qual já contribuiu varias vezes com minhas pesquisdas parao nosso site NMB navios mercantes brasileiros no http://WWW.naval.com.br/nmb claro, salvo ter me equivocado em minha suposição

    Eu, por motivos de saúde, não tenho mais condições de embarcar/desembarcar (se eventualmente fosse possível/convite ou algo assim), infelizmente, por motivos mil não consegui ser oficial mercante e agora jamais poderei embarcar em navios. Talves nem atracados e isso… é uma dor que carregarei pelo resto da vida
    Por educação, apesar de acreditar que ja tenha me identificado, estarei me identificando em seu mail, apenas para o Sr, se for quem penso, confirmar ao menos, meu gosto e paixão pelos navios

    Um abraço
    Marcelo

    Ola Tomas (J ou L ?)

    Vamos lá

    “Bem, então, vocês (empresa), são os últimos a desembarcar, ANTES, do prático. “

    Em momento algum mencionei isso ou quis dizer isso, apesar de já ter acontecido – explico: navio talhado no 37 pta, durante carregamento tocou o fundo na baixamar e foi solicitado uma inspeção subaquática para verificar as condições do mesmo, o navio fundeou ancoradouro 3, e como tinha que levar o report para a classificadora imediatamente após a inspeção clausulas de P & I e seguro) sai com o navio para assim que terminado levar para as mesmas, mas obviamente situação esopecífica.

    “Sou da turma nova, tenho 27 anos de Praticagem. Realmente faço parte da nova turma. Esta que se apresentará.”

    Isso foi baseado na expressão “Não h[a a menor possibilidade de embarcar”

    “Você (encarregado de uma empresa), deve realmente ter embarcado, porém, sem prático a bordo, e o navio parado. Os lugares que mencionou os navios estão atracados. Não em alto mar. Apenas para fazer seu trabalho. Não entendo a parte burocrática em questão. Não estudei para isso. Apenas para manobrar navios. ”

    Boia 1 não é alto mar, e mencionei embarques barra x atracações ou atracação x barra, alem de mudanças, claro, sim, a maioria disparada a serviço.

    “Não existe a possibilidade, em termos quaisquer pessoas a bordo, exceto, prático e praticante. E claro, tripulantes do navio. “

    Isto não está tecnicamente correto (ao pé da letra) um exemplo básico é a imprensa que embarca até com relativa freqüência (proporcinal, claro), sem contar outras situações (não se pegar na imprensa, foi apenas um exemplo e eles tecnicamente não tem autorização para subir a bordo, salvo obtida na DRF/ALF)

    “Acredito que deva realmente, a bordo de um navio, mas para realizar seu trabalho da empresa na qual trabalha. Não acompanhar uma manobra, e ter acesso a cabine do comandante. Desculpe. Isso é impossível. Sou prático há 27 anos, meus antepassados, foram práticos, e posso AFIRMAR, não há nenhuma possibilidade. Exceto, se conhecer algum prático, e este, convidá-lo para participar. No qual, somos responsáveis, por quaisquer, acidente que possa ocorrer com nosso convidado. Sendo assim, não muito comum. Prefirimos, convidar a ir jantar, que “passear” de navio. Com certeza, será mais proveitoso. Para ambas as partes.”

    Sim, realmente, como falei varias vezes em nosso debate, mais uma vez a maioria a serviço, mas afirmo que já embarquei para acompanhar a manobra, claro que no passadiço
    (Atentar que não estou afirmando que é previsto, mas é bem diferente de “não haver nenhuma possibilidade para isso). Claro que todos anteriores a sua turma conhecia pessoalmente (não quero dizer amizade com todos, mas conhecia todos por nome e cor contato visual e verbal, pois no inicio tinha o costume de esperar o prático no passadiço para me despedir do Comandante e guarnição, descendo imediatamente após pelo portaló ou prancha (NT´s)

    Ou seja conforme embarquei fica bem diferente de “não haver nenhuma possibilidade de embarcar e jamais no passadiço”

    “Exceto, se conhecer algum prático, e este, convidá-lo para participar. No qual, somos responsáveis, por quaisquer, acidente que possa ocorrer com nosso convidado. Sendo assim, não muito comum. Prefirimos, convidar a ir jantar, que “passear” de navio. Com certeza, será mais proveitoso”

    Correto, os embarques que acompanhei a manobra foi com amizade do prático, a convite, pois sou entusiasta naval e marítimo, gosto muito mesmo (creio que já deva presumir que eu sou), sempre ciente da responsabilidade de quem convida quanto o risco de ir e me acidentar. Não é muito comum, concordo, mas há de reconhecer dois fatorees que levam pessoas convidadas a embarcar: a curiosidade por algo diferente, bacana e o gosto específico, a realização de sonhos (apesar de soar infantil, creio ser compreensível para alguém que goosta de verdade o que me refiro) baseado nestes fatores, não que não possa ir jantar ou algo do gewnero tbm, mas claro que EU prefiriria o embarque e penso que práticos que me conhecem talves reconhecendo meu real gosto possam eventualmente me convidado justamente por isso

    “Entenda, não discuto seu trabalho. Pois nada sei, de questões burocráticas. Mas, sei do meu trabalho. As lanchas, vermelha e branca, são nossas. Quando chegamos a um navio, os oficiais e tripulantes, já estão à nossa espera. Subimos, verificamos, o quê temos que verificar, e comçamos a manobra. NUNCA, encontrei ninguém, seja de empresa ou orgão público. Apenas tripulantes. Mas, como sou da turma nova, não posso afirmar. Posso afirmar, 27 anos, fazendo o mesmo trabalho. “

    Certo, também não me pareceu alguma contestação do nosso trabalho, órgão público também nunca vi , e se o Sr for quem estou pensando, afirmo que desconheça que tenha embarcado com alguém. Sobre a turma nova, a explicação está lá em cima do porque.
    “Daqui a pouco, você vai postar, que todas, digo todas as manobras, são feitas apenas com UM prático a bordo, encarregado de agências, e todas das áreas competentes. E navio de passageiro, como é o procedimento? “

    Meus coments estão todos disponíveis, jamais afirmei isso e justifiquei o motivo dos (Des)embarques a serviço e ambas as manobras acompanhadas, mesmo que se fosse a serviço seria o visitador, Em navios de passageiros nunca foram meu atrativo, apenas fui uma vez e por coincidência foi justamente minha última, mas quanto as manobras, se assim o desejar posso descrever, principalmente a parte do lapso entre o prático embarcar e o navio não estar pronto, o que trava completamente o porto para entradas, dada a confirmação e a não possibilidade de crusamento destes navios (O qual a praticagem NÃO tem responsabilidade alguma sobre isso, devido a normatização da CPSP) (Claro que tbm o motivo de ser confirmado e o navio não estar pronto não é falha do agente, na maioria das vezes, faz parte de um infeliz modus operandi de navios de passageiros)

    “Li seu email. Apenas quero deixar para pessoas que estiverem interessadas, em procurar pessoalmente, cursos, tirar dúvidas. Tudo o quê diz em sites, nem tudo é verdade. Procure bibliotecas municipais a procura de livros para enteder um pouco melhor, o quê é a profissão de prático. Nem tudo que reluz é ouro…”

    Achei sua participação excelente (risos, apenas descontando a parte do “palpiteiro”), claro que não sou e não fiz curso para prático, manobrar qualquer navio não é simples, sua participação enriqueceu o post, pois foi o primeiro profissional da área a debater, foi muito bom !
    Quanto as situações não glamurosas, concordo plenamente, não nada mais perigoso que embarcar/desembarcar na barra com vento, chuva, mar bravo, frio, quebra peitos com defeitos ou até mesmo quebrados, a lancha batendo, trabalhar 24 h (na verdade 48 h) por turno, corridas, sim é uma tremenda profissão e NÃO sou contra os valores de remuneração, é uma profisão tão importante como todas que fazem o cais girar, desde o armador até o estivador, vtodos trabalham para movimentar o porto, aumentar sua produção e desenvolvimento e aperfeiçoamento de técnicas e manobras.

    “Todo concurso público, exige alto nível acadêmico. Não é apenas para prático. Receita federal, polícia federal e por ai vai. Qualquer serviço, seja público ou privado a requerente, têm de estar apta, para o serviço ficar perfeito. Caso contrário, melhor, partir para outra profissão/segmento.”

    Verdade, mas o vosso concurso é um dos concursos mais difíceis e disputados do país (proporcional, claro aio numero de pessoas que conhecem a profisão). O aprimoramento é regra máxima em qualquer profissão ou segmento.
    Agora, concluindo, baseado em “Sou prático há 27 anos, meus antepassados, foram práticos”

    Poxa, então, baseado na sua turma, e esta afirmação, vc me conhece, já conversamos varias vezes, inclusive admiro muito a carreira de seus Tios, sendo que um deles já contribuiu varias vezes com minhas pesquisas para o nosso site NMB navios mercantes brasileiros no http://WWW.naval.com.br/nmb claro, salvo ter me equivocado em minha suposição

    Eu, por motivos de saúde, não tenho mais condições de embarcar/desembarcar (se eventualmente fosse possível/convite ou algo assim), infelizmente, por motivos mil não consegui ser oficial mercante e agora jamais poderei embarcar em navios. Talves nem atracados e isso… é uma dor que carregarei pelo resto da vida
    Por educação, apesar de acreditar que ja tenha me identificado, estarei me identificando em seu mail, apenas para o Sr, se for quem penso, confirmar ao menos, meu gosto e paixão pelos navios

    Um abraço
    Marcelo

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Corveta Frontin irá para a reserva

Abaixo, portaria de 28 de agosto que foi publicada em 1º de setembro no Diário Oficial da União, com entrada […]

Mais um passo rumo às novas corvetas: contrato com Emgepron

Abaixo, extrato de dispensa de licitação contratando a Emgepron para serviços no projeto de obtenção da nova classe de corvetas […]

Outra notícia de corveta: Ares fará reparos gerais nos lançadores de torpedos da Barroso

Abaixo, extrato de contrato publicado na edição de hoje (3 de setembro de 2014) no Diário Oficial da União, sobre […]

França suspende entrega de navio de guerra para a Rússia

Governo de Hollande afirma que ações recentes na Ucrânia inviabilizam fornecimento de porta-helicópteros – Sob pressão de aliados devido à […]

Marinha do Brasil fará Desfile Naval no 7 de setembro

  Em comemoração ao Dia da Independência do Brasil – 7 de setembro – a Marinha do Brasil realizará o […]

Governo Federal deve R$ 820 milhões à armação

Sergio Barreto Motta Muito eficiente ao cobrar de devedores, o Governo Federal age de modo diferente quando é ele quem […]