Home Noticiário Nacional Coréia oferece navios ao Brasil

Coréia oferece navios ao Brasil

2077
61

kdx-iia.jpg

O presidente da República da Coréia, Lee Myung-bak, chega ao Brasil trazendo na bagagem uma oferta para a Marinha. A Hyundai, que além de montar carros é um dos cinco maiores construtores mundiais de navios, quer construir no Rio de Janeiro quatro destróieres da classe KDX2 — embarcações extremamente bem armadas e equipadas, que deslocam 5.200t — ao custo unitário de US$ 420 milhões. Como atrativo extra, ofereceram a doação de 10 pequenas corvetas da classe Pohang, de 1.200t. São barcos empregados em missões de vigilância, que permitiriam ampliar imediatamente a capacidade nacional de fiscalização das águas territoriais. Os sul-coreanos também querem dar apoio tecnológico para a fabricação dos futuros navios-patrulha oceânicos (NaPaOc), que terão entre 1.200t e 2.000t. Há necessidade de 16 unidades com essas especificações.

A Marinha do Brasil pretende, em 2011, começar os trabalhos de construção de três unidades de até 6 mil toneladas para substituir as seis fragatas da classe Niterói, construídas, com apoio dos estaleiros britânicos Vosper, entre o fim da década de 1970 e o início dos anos 1980. Em junho, uma comitiva da Hyundai visitou o Arsenal de Marinha e manteve conversas preliminares com a Empresa de Projetos Navais (Engepron), estatal encarregada do projeto e desenvolvimento dos navios de guerra brasileiros. Nas reuniões, o fabricante coreano mostrou interesse em assumir as instalações da Marinha para modernizá-las, ampliá-las e empregá-las na construção de petroleiros e plataformas de produção de petróleo em alto-mar.

O Ministério da Defesa defende um projeto similar com a DCNS francesa, para fabricar três fragatas Fremm, de 6.500t, com custo unitário de US$ 600 milhões na configuração antiaérea. O projeto faz parte de um programa de intercâmbio tecnológico entre as autoridades militares de Brasília e Paris.

O trabalho envolveria a recuperação e a modernização do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, que acaba de entregar a corveta Barroso, depois de 17 anos de trabalho — prazo extremamente longo para os padrões internacionais. A primeira unidade seria entregue em 2014, depois de três anos do início da montagem. A Espanha também jogou sua cartada, a fragata F-100, que, além de equipar a esquadra nacional, foi exportada para a Austrália e a Dinamarca. (PPR)

FONTE: Correio Braziliense

61
Deixe um comentário

avatar
61 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
41 Comment authors
Iväny JuniorCoreia oferece corveta classe Pohang para a Colômbia | Poder Naval - Marinha de Guerra, Tecnologia Militar Naval e Marinha Mercantegeovando gutierri da silvaJorge.D.G-santosZorann Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Excel
Visitante
Excel

Ja havia houvido falar que a vinda do presidente da Coréia ao Brasil se daria para fins comerciais, como a tentativa de venda de trem de alta velocidade (KTX) para o projeto brasileiro de trem de alta velocidade e outros projetos na área de infra-estrutura (banco coreano estuda possibilidade de emprestar 1 bilhão de dólares para a Vale do Rio Doce).
Estou torcendo para que a proposta coreana seduza as autoridades brasileiras e seja aceita. Não é uma proposta que favorece apenas uma das partes, mas a ambos. É uma boa oportunidade para a Coréia também.

paulo costa
Visitante
paulo costa

Acredito que seja um bom negocio pelos navios em si,os menores
como emergencia,e os maiores para o nosso sistema de defesa
naval mais moderno.Estou lembrando aqui,não foi a Asia motors,
que vendeu carros aqui,com desconto do governo anterior,e
nos deve ainda?A Hyundai,adquiriu a Asia e por tanto nos deve,
o negocio deve envolver a divida,talvez seja um bom negocio
para a MB,se houver a reforma do arsenal e etc,quem sabe?

Roberto RC
Visitante
Roberto RC

Parece que a carniça é boa porque tá cheio de urubú… rsrsrsrs.

Falando sério, não entendo nada de navios, mas qual seria o mais vantajoso para o país? Construir novos navios com concepção e tecnologia nacionais; ou adquirir produto de concepção estrangeira, apesar de construídos localmente?

Pessoalmente prefiro que se continue no caminho que foi iniciado com as Niterói.

Alguém ai com tempo poderia criar um quadro comparativo entre os modelos, se é que dá pra fazer isso entre essas opções, para melhorar a análise.

Fábio Max
Visitante

Não sabia que coreanos acreditam em Papai Noel!

Se for nesses termos, e com esse preço, o governo brasileiro deveria agarrar com unhas e dentes… o problema é que coreanos não aceitam jabá, e certamente terá algum deputadinho de m… querendo ganhar comissão.

João-Curitiba
Visitante

A doação das 10 corvetas me faz lembrar da Conferência de Yalta (Yalta, a Partilha do Mundo – Bibliex), realizada mais ou menos um ano antes do fim da II GG, naquela cidade do Mar Negro, que reuniu Stalin, Roosevelt e Churchil. Roosevelt chegou num navio da USNavy e enquanto as conversas transcorriam, os marinheiros de folga passeavam pela cidade. Um deles deu chocolate para umas crianças, que fizeram a tradicional festa quando se trata de guloseima, principalmente porque os russos ainda estavam engajados em empurrar os nazistas para fora do seu país. Mal o marujo se afastou, uma camarada… Read more »

Vassily Zaitsev
Visitante
Vassily Zaitsev

Que venham Pohang;

Que venham KDX-II, por esse preço, são muito menos caros que os novos Tipe-45.

João Curitiba,

Humilhação suprema é o atual estado de penúria que a MB passa.

Jorge
Visitante
Jorge

Seria essa a corveta a ser presenteada? http://www.hazegray.org/worldnav/asiapac/s_korea.htm#1 Po Hang class large patrol corvettes Displacement: 1,300 tons full load Dimensions: 88 x 10 x 2.9 meters (289 x 33 x 9.5 feet) Propulsion: 2 shafts; 2 cruise diesels, 6,260 bhp; 1 LM2500 boost gas turbine, 27,200 shp, 31 knots Crew: 95 Radar: ST-1802 air/surf search (not in 756-766) Sonar: PHS-32 hull (756-759: SQS-58 hull) Fire Control: S-1810 (756-766: WM-28) EW: Thorn EMI or NobelTech intercept/jammer, SRBOC or MEL Proteus Armament: 2 76 mm OTO DP, 2 dual 40 mm AA, 2 triple 12.75 inch torpedo tubes, 2 DC racks (756-759:… Read more »

Nimitz
Visitante
Nimitz

Jorge, clique no segundo link em azul na matéria para conhecer as Pohang.

Baschera
Visitante
Baschera

Engraçado, porque não ofereçem as KDX-III em vez das II ???
Sds.

Beto
Visitante
Beto

Realmente Fábio!!
Papai Noel chegou e trazendo novidades p MB!!como eu tinha falado anteriormente!! MB está c/ a faca e queijo na mão!! eu creio q essa proposta vamos levar!! e acredito q esses 10 NaPaOc venham somar, ajuda muito e espero q em 2009 tenhamos MUITAS novidades MB..

Christian Villada
Visitante

F-100 a Dinamarca? No sera F-85 a Noruega?
Slds!

Democracia
Visitante
Democracia

My God I’am confused

Viva a República!!!

Joao
Visitante
Joao

Uma oferta INCRIVEL para o Brasil. So a doacao das 10 corvetas Pohang praticamente dobraria a capacidade de combate da MB quase imediatamente.Algo inedito no Brasil,que leva 14 anos construindo uma corveta. Espero que os ineptos porta-medalhas brasileiros possam tomar vantagem desta proposta da Coreia.

Jorge
Visitante
Jorge

Sr. Nimitz, grato pelo alerta. Nem me dei conta de ver o link.

Mas prefiro mais exemplares da corveta “Barroso”.

Aliás, alguém sabe se a corveta Barroso:
http://www.naval.com.br/blog/?p=773
tem se saído bem nos testes de navegação? E nos testes de armamento?

Quem sabe com a metodologia Coreana não se construam mais corvetas dessa classe em um tempo muito mais curto.

Acrescentando, óbvio, um sistema de defesa com mísseis (SAM).

paulo costa
Visitante
paulo costa

Ok,João Curitiba,me desculpe mas tenho este livro que vc citou
e na pagina 101 tem os dizeres,o açucar em Moscou,acontece as vezes o açucar ser substituido por chocolate,made in America.
receber ajuda em uma guerra significa que pode vence-la,
assim como nos se recebermos estes navios,vamos patrulhar
melhor a nossa costa.Existe ate um as da Russia ,que seu
equipamento era um P-38 Airacobra,segundo a revista ASAS.

Joao
Visitante
Joao

O Correio Braziliense batizou esta noticia assim : ‘Coréia Oferece Navios e Abre F-X Naval’. Quando li a noticia la,dei tres toques na madeira. Espero que nao convertam isso no FX Naval,pois no Brasil existe uma tendencia incrivel de complicar tudo ao maximo. Caso isso aconteca,so quando sair o sub nuclear chegara qualquer coisa ao Brasil.

João-Curitiba
Visitante

Prezado Paulo Costa

A Rússia recebia milhares de toneladas diárias de equipamentos e suprimentos vindas dos EUA e da Inglaterra. Isso ninguém nega. Mas foi cedido através de uma tal de Cláusula de Empréstimo e Arrendamento. Depois seria pago.
O que o governo russo não aceitava era esmola. Uma questão de princípio.
O mesmo princípio que faz com que muitas pessoas venham à minha casa pedir comida ou outra ajuda, mas em troca de trabalho. Também não querem esmola.
O governo brasileiro deve oferecer algo em troca. Também uma questão de princípio. Esmola não.

Pinchas Landisbergis
Visitante
Pinchas Landisbergis

Me parece que são mais armadas que a Barroso se estiverem em boas condições e se isto realmente for procedente, é uma grande chance de darmos a volta por cima , e novamente dispormos de disuassão convincente.
A Coreia do Sul vem se destacando na industria bélica convencional, me parece um parceiro menos exigente e que realmente seria uma parceria de igual para igual.
Temos muito em comum com a Coreia, os coreanos são bem recebidos aqui e nós somos bem recebidos lá tem até coreano torcedor do Corinthians e do Palmeiras…

paulo s
Visitante
paulo s

ninguem da nada de graca,principalmente na area de defesa o que eles vao querer em troca,so ficar com amrj e muito pouco temos que tentar tecnologia nacional,fazendo e aperfeicoando assim nunca vamos ser realmente independentes alguem ja visitou um sub classe tupi,praticamente nada e nacional ja as corvetas classe inhauma tinham ou teem ccm nacioal(vilares, se nao estou enganado),temos que insistir,tentativa e erro,investir nao ter medo de errar.hoje estamos na mao de americanos,alemaes,ingleses,agora vamos passar para dos coreanos que por sua vez usam equipamemtos multinacionais em seus projetos.e ainda tem os franceses .pergunto de novo qual o indice de nacionalizacao… Read more »

Leonardo
Visitante
Leonardo

Com todo o respeito, convenhamos, um grupo de crianças aceitar chocolate não pode ser considerado como o mesmo que um governo aceitar esmola.

Fábio Max
Visitante

Pelo que soube, os coreanos estão oferecendo construir aqui essas fragatas, transferindo tecnologia e ao mesmo tempo, abrindo mercado na área da industria naval, em que eles são fortíssimos e eficientes. Eu penso que o que eles querem é construir estaleiros aqui para vender seus navios comerciais por estas plagas, e o farão a partir de projetos militares, coisa que países desenvolvidos cansam de fazer. Não é esmola eles oferecerem as tais 10 escoltas, é um aspecto negocial puro e simples. Eles têm navios que não lhes servem, porque talvez já não estejam no patamar tecnológico de quem tem que… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Aí rasga esse “acordinho” c/ a França e faz um “acordão” c/ a Coréia do Sul, rapidinho.

Excel
Visitante
Excel

Não sei como a proposta coreana pode ser visto como esmola. Trata-se puramente de uma proposta comercial, que repito, é bom para ambas as partes: o Brasil precisa urgentemente modernizar e aumentar a sua frota e a Coréia precisa urgentemente encontrar novos mercados para a sua crescente indústria bélica. Este blog e outros do grupo frequentemente mostram o desenvolvimento de armas da Coréia. Este desenvolvimento não visa apenas armar o país, mas também criar um novo nicho de mercado para o país que não pode depender para sempre de navios, chips de memória, carros e eletrônicos para sustentar as exportações.… Read more »

CorsarioDF
Visitante
CorsarioDF

Hoje presenciei a recepção do molusco com o presidente sul coreano, ainda bem que ele veio tratar de um assunto de interesse nacional. Concordo que as KDX-III são navios muito mais capazes, mas do jeito que a MB está, as KDX-II já estão de muito bom tamanho, ainda mais pelo preço, dá para comprar quase 5 (US$ 2,1 Bi) destas ao invés de 3 FREEM (US$ 1,8 Bi). E depois é só amarrar um acordo para transferir umas 2 KDX-III pra nós com mais 2 Dokdo e pronto, já tá de ótimo tamanho… M, bati a cabeça de novo, pois… Read more »

Luciano Baqueiro
Visitante
Luciano Baqueiro

João-Curitiba, pelo que eu sei o camarada Stalin nunca pagou um centavo aos EUA por este material e ainda descaradamente copiou o mais avançado bombardeiro do mundo – B-29 – quando alguns destes pousaram em território russo por estarem em emergência vindo de bombardeios ao Japão. Para aqueles que não conhecem a história :

http://aeroweb.lucia.it/rap/RAFAQ/Tu-4.html

http://en.wikipedia.org/wiki/Tupolev_Tu-4

Pedro
Visitante
Pedro

Meu Deus!
Lula, aceita essa proposta já!
Fremm? F100? tudo muito caro! tudo muito distante! (e os franceses já vão cooperar com os subs!)
Fecha a proposta, recebe as patrulhas e traz os KDX II, depois adquire uns KDXIII e beleza!
De pensar morreu um burro.
Desculpem me os colegas, mas mendigo não pode “contar” esmola, não somos a marinha real britanica, nem a francesa e muito menos a americana! Somos pobres latino americanos sem dinheiro no bolso…

Tiago Jeronimo
Visitante
Tiago Jeronimo

Cavalo dado não se olha os dentes 😛

Alexandre F.
Visitante
Alexandre F.

Cavalo dado não se olha os dentes! (2) Pelo amor de Deus, no atual estagio da MB, e ainda tem gente com esta cabeça, de esmola e indigencia, na com a penuria que estamos. Sinceramnete, a unica coisa que acho que pode atrapalhar as futuras negociaçoes com os Koreanos, é o famoso “jabar” dos deputados, pois os Koreanos sao secos, é aquilo e pronto, pegar e ficar. Como o amigo citou, as KDX III seria melhor, claro com sistema aegis é melhor, mas as KDX II nao devem nada, incluso se nao mi engano, poucas coisas foram modificdas no casco,… Read more »

Invincible
Visitante
Invincible

Olha! Pelo que vi dessa proposta os coreanos foram bem transparentes e parecem querer fazer um negócio justo para os dois lados. A coreia precisa ter o Brasil como um parceiro para negócios. Por que eles tem um população muito grande para seu território e precisam de um país como o Brasil que possa abastecer com comida e insumos para sua indústria. Logo eles estão fazedo essa oferta para iniciar um processo de cooperação e desenvolvimento. Eu tenho vergonha de ver a Bolívia, Equador e Paraguai tratando o Brasil como escória, Tenho vergonha de saber que não existe verba para… Read more »

Marcio
Visitante
Marcio

Do forma que nossa MB está, logo logo estaremos patrulando nossas fronteiras, plataformas, etc com canoas de madeira produzida pelos indios… rs rs rs rs…abraço a todos….

Invincible
Visitante
Invincible

Qual a configuração desses 10 navios de Patrulha?

Qual a config da KDX II?

AJS
Visitante
AJS

Beleza pura, 10 cv pra sair patrulhando de imediato, é só colocar a tripulação e pronto, já que virão com plena capacidade operacional, já que estão operacionais na Coréia. Por certo, tem um bom tempo operacional pela frente sem docagem para manutenção e os custos daí decorrentes. Bem, o governo pode ou não encaminhar para análise pelos setores competentes, os quais certamente providenciarão uma checagem nas belonaves, para evitar “ganhar” a custo zero o que terá um custo alto para operação, o que devido à situação de contingenciamento, atrasaria mais ainda a renovação com meios novos e não novos meios.… Read more »

Corsario-DF
Visitante
Corsario-DF

Excelentes comentários Fábio Maxx, Excel, Invincible e Marcio. Também vejo por esse lado. Se algum de vocês acham que é esmola, então TUDO, digo exatamente TUDO que a MB têm vem de ESMOLA!!! O caso mais recente é o OPALÃO!!! Vamos acordar desse pesadelo profundo que passa o povo brasileiro, mundo está totalmente interligado, a Córeia planeja expandir seus horizontes comerciais e “percebeu” que o Brasil é um parceiro ideal para isso. Possui um grande mercado consumidor, além de ser um dos maiores fornecedores do mundo de matéria prima e insumos. Logicamente nada é de graça, eles vão ganhar muito… Read more »

marujo
Visitante
marujo

Quatro KDX II construídos no Arsenal da Marinha com empréstimos sul-coreanos pode ser.Não são navios tão furtivos assim, existem projetos mais modernos. Pohang quebraria um galho enorme, neste momento em que o patrulhamento de nossas águas atinge um novo patamar de importância. Agora, a privatização do Arsenal para a Hyundai já não dá. O KDX II substituiria as Niteróis como afirma a matéria? Elas seriam construídas em pagamento à transferência das instalações do Arsenal?

Henrique
Visitante
Henrique

A proposta da Coréia parece excelente. Se eles realmente assumirem a modernização do Arsenal de Marinha daremos um salto em termos de infra-estrutura jamais visto na AL. Já tive oportunidade de embarcar em vários tipos de unidades ligadas à área offshore e posso dizer que as fabricadas na Coréia, especialmente pelos estaleiros da Hyundai e Samsung Heavy Industries são as melhores. A MB precisa fazer parcerias reais, honestas e eficientes para que possamos desnvolver projetos (e CONCLUÍ-LOS) em nosso país. Esse negócio de levar mais de 15 anos na construção de uma corveta (pelada) não é mais viável nos dias… Read more »

marujo
Visitante
marujo

Pelo que entendi, os coreanos se propõem a reformar o Arsenal para assumirem o controle e produzir, entre outras coisas, petroleiros e plataformas petrolíferas. Pelo que eles querem a esmola das Pohang é até pequena demais.

AJS
Visitante
AJS

Calma lá pessoal, ou não entendi nada ou pirei. A Coréia vai doar tudo ao Brasil? Sim, porque o impedimento para o término da Barroso antes, não foi de natureza tecnológica, mas sim de contingenciamento de verbas, como é corriqueioro acontecer em nosso pais, independente do tipo de construção/montagem e de produtor. O fato de a construção ocorrer no AMRJ ou qualquer outro estaleiro, faria desaparecer o contingenciamento? Não creio nisso, a reforma do estaleiro pelo que entendi, iria até 2011 (início da construção). Até lá, o Brasil nada pagaria(forma de não haver contingenciamento)? Feito isso, ocorreria o início da… Read more »

AJS
Visitante
AJS

E se o Brasil não completar a encomenda, o AMRJ terá ido pro beleléu, aí, a MB pagará o que quizerem prá cuidar da frota.

Portaló
Visitante
Portaló

” Oficiais, sei que temos de sobra coçando o saco, em Distritos Navais e Capitanias Navais”… Alexandre F.
Este seu pensamento de quinca não condiz com a realidade. Primeiro pq a maior parte dos oficiais estão dando baixa e segundo pq são os quincas como vc que vão pra casa às 1540 e entram no rancho às 11h…

marujo
Visitante
marujo

O interessante que a fonte que noticia sobre essa transação é única, o Correio Brasiliense. Gostaria de ouvir sobre o assunto o Srs. Nunão, LM e direto do fundo do mar.

molleri
Visitante

Tecnologia americana, inglesa, alemã, francesa, russa e agora (!!!) koreana? E a logística para isso tudo? Nossos inimigos vão rir à toa!

Invincible
Visitante
Invincible

O Maior inimigo do Brasil é ele mesmo. Nos outros países quando uma decisão é tomada todos trabalham para construir aquilo, mesmo que não concordem. Se algo é definido trabalhe para contruir o que foi definido, independente e opinião. Já no Brasil quando uma decisão é tomada as outras correntes de pensamento não se contentam e trabalham contra. E não existe inimigo maior do que aquele que está do seu lado junto com você. Logo, independente do que se adote e se faça nas FAs após a decisão TODOS devem convergir para alcançar o objetivo definido, independente da opinião. A… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

Gostaria de entender em que bases se afirma nos comentários lá de cima que as Pohang são melhor armadas que as Inhaúma e Barroso, além de algumas outras barbaridades… Os links para mais informações sobre os navios citados na reportagem do Correio Braziliense estão facinhos, no corpo do texto, é só clicar. Para saber mais sobre Inhaúma e Barroso, é só pesquisar onde esse blog está hospedado (lá em cima, onde a gente digita os endereços, é só deletar tudo que vem depois do .com.br e se divertir com os dossiês, artigos e com o excelente site do NGB). Um… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

Sobre a oportunidade, acho muito boa nas linhas gerais, precisa ver os detalhes dessa parceria no AMRJ, como fazer funcionar para ambos os lados. As 10 Pohang, colocadas na balança desse negócio como “plus”, ajudariam a ampliar rapidamente a capacidade de patrulha marítima (operariam como Navios-Patrulha Oceânicos) enquanto se projeta e começa a construir unidades modernas do tipo. É de se esperar que se leve uns dois anos de projeto, preparação etc e uns três de construção par que uma primeira unidade entre em operação, então é bom ter algo antes, operando. Conforme entrassem em operação novos NaPaOc, as Pohang… Read more »

Azevedo
Visitante
Azevedo

“Não existe almoço grátis.” 20/11/2008 – 11h32 Vale vai tomar US$ 1 bi com banco de fomento da Coréia do Sul SÃO PAULO – O Korea Eximbank, banco de fomento ao comércio exterior da Coréia do Sul, irá liberar uma linha de US$ 1 bilhão para a Vale do Rio Doce. Os recursos darão suporte financeiro aos projetos da empresa brasileira, possibilitando a manutenção estável dos embarques de produtos minerais para o país asiático. “O acordo irá nos permitir trocar informações sobre projetos de mineração com uma grande companhia global e ainda reforçar a participação das empresas coreanas em projetos… Read more »

valmor
Visitante
valmor

Boa, Nunão! essa historia de que so produtos Yankes e Europeus são o supra sumo da “goiaba” merece ser reconsiderada…quem sabe não podemos quebrar um paradigma obtendo equipamentos e tecnologia de outras fontes.
Sds

Callia
Visitante
Callia

senhores . Infelizmente nossas compras são guiadas muito mais por interesses politicos do que por interesses estrategicos…o lobby da frem virá junto o lobby da embraer…e seus deputados e senadores , muito armamento coreano é de fora..foi o que foi falado anteriormente..o AEGIs não virá , alguem tem alguma duvida?essas dez corvetas seriam muito mais um off set…eles vão ganhar milhoes em outros contratos ..não é humilhação nenhuma…contratos são assim , a gente deu a corveta pra namibia e construiu o patrulhas para eles, pronto..ninguem é bonzinho , a vale do rio doce faz uzina em moçambique e paga 3… Read more »

Antonio
Visitante
Antonio

Okay …

Suponhamos que o Brasil feche negócio com a Coréia quanto à compra das KDX2 (ou as improváveis KDX3).

Alguém avisou o Tio Sam a esse respeito ? Afinal de contas, o grosso do armamento e sensores é Made in USA. Todos sabemos das rígidas restrições que os EUA impõem à proliferação desses ítens mundo afora.

ARCANJO
Visitante
ARCANJO

Respeito todas as opiniões dadas e entendo até um certo “pudor” em aceitar a “doação” dos navios patrulhas. Mas convenhamos, vamos lembrar que estamos construindo nos Ceará, “navios” patrulha de 500 toneladas com plantas francesas!!! Ora, “navios” só no apelido … com 500 toneladas não são mais que barcos de polícia e olhe lá. Construção sem tecnologia militar (pouco mais que um pesqueiro com uma metralhadora) práticamente desarmado e, se pegar mar grosso, vai emitir um MAY DAY. Navio patrulha com menos de 1500 toneladas – vá lá até um pouquinho menos – não pode ser qualificado como tal –… Read more »

McNamara
Visitante

Ok, nós temos uma Marinha pé de chinelo. Só não podemos ser orgulhosos a ponto de negar doações como esta. Só os vinte OTO-76mm que vem embarcados, mais o poder de fogo antiaéreo, ASW e antinavio, geram um novo alento à MB. O problema é que não vamos ter dinheiro nem para o combustível…nem para a manutenção… e muito menos para a munição… Que dureza !!!!! Vamos azeitando o Parnaíba, que o véinho aguenta mais um bocado.