Menos um engenheiro naval no Brasil

vitor-muanisRIO – Morreu na manhã desta terça-feira, por volta das 7h, o estudante de Engenharia Naval da UFRJ que foi atingido por uma bala perdida na noite da última quinta-feira, na Lapa. O corpo de Victor Emanuel Muanis foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), e a família ainda não divulgou o local do enterro. Até a tarde da segunda-feira, a namorada do rapaz estava sedada, em estado de choque.

De acordo com a Coluna Gente Boa, do jornal O GLOBO, o jovem, de 23 anos, estava bebendo com os amigos em frente ao Bar da Ladeira, na Lapa, quando de repente caiu no chão. Os amigos do rapaz acharam que ele havia desmaiado, mas logo depois perceberam que ele tinha sido atingido por uma bala perdida na cabeça.

Victor estava internado no Hospital São Lucas, em Copacabana, com a bala alojada atrás dos olhos. Segundo a assessoria do hospital, ele sofreu traumatismo craniano. Amigo de faculdade da vítima, Fabrício Feijó contou que Vitinho, como ele era conhecido pelos colegas, tinha ido à Lapa para comemorar a aprovação na última matéria para o projeto final.

- O Vitinho ia se formar este ano e estava cheio de planos e feliz. Por mais que a gente conviva com a violência no Rio, nunca espera que algo possa acontecer com alguém tão próximo. Foi à Lapa para uma comemoração e morreu. Estamos (os amigos) todos revoltados – contou Fabrício, que deve se reunir com um grupo para se despedir de Victor no cemitério.

Ainda de acordo com Fabrício, os amigos tinham fé de que Vitinho ia se recuperar:

- A gente estava achando que ele ia sair dessa. O edema estava diminuindo e ele respondia bem mas, infelizmente, não deu.

Victor, que também era velejador, organizava regatas da classe Dingue para o Grêmio de Vela da universidade, e estava sempre à frente dos torneios de futebol interno da faculdade. O rapaz morava no Jardim Botânico e era ex-aluno do colégio Santo Inácio.

FONTE: O Globo

NOTA DO BLOG: Não costumamos publicar esse tipo de post, porque o assunto “Segurança Interna” foge ao escopo deste Blog. Quase todos os dias pessoas morrem no Rio de Janeiro, por causa de balas perdidas, mas esse caso em especial nos chamou a atenção, porque Victor Emanuel Muanis iria se tornar engenheiro naval e também era velejador. A equipe do Poder Naval Online aproveita para expressar nossas sinceras condolências aos familiares e amigos neste trágico momento e nossa revolta com o descaso dos governantes do Rio de Janeiro.
Há décadas os governos do Rio demonstram uma incompetência atroz na área da segurança pública e o atual segue na mesma direção, “enxugando gelo”. O Governo Federal, por sua vez, pouco tem feito para reduzir a chegada de armas aos morros cariocas.
Na verdade, o Rio já passou faz tempo da situação em que é necessária a intervenção federal, na forma de Estado de Defesa ou de Sítio. Mas nenhum governador vai admitir sua incapacidade em lidar com o problema e pedir ajuda. Por isso, o cidadão carioca vai continuar à mercê da próxima bala perdida. Quem será o próximo alvo?

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

No Responses to “Menos um engenheiro naval no Brasil” Subscribe

  1. Iuri Korolev 20 de janeiro de 2009 at 12:14 #

    Putz !
    Sempre que vou ao Rio dou uma chegada nos bares da Lapa !
    Acho que vou mudar de programa …

    Condolências à familia

    Sds
    Iuri

  2. AMX 20 de janeiro de 2009 at 12:31 #

    Se me for permitido ainda complementar o comentário do blog no post, gostaria de dizer que “basta” aplicar a lei. Criar novas tropas e/ou forças e, ainda por cima, novas leis; é, no meu entender, “enxugar gelo” também.
    Já temos uma legislação avançada em muitos aspectos. Arcaica em alguns, é certo, mas, mesmo assim, avançada no geral. No entanto, corrupção e falta de fiscalização colaboram pra situações como essa.

    Abraços!

  3. Farragut 20 de janeiro de 2009 at 12:50 #

    Infelizmente esta vítima da inépcia e da omissão do Estado será esquecida em poucos dias no país do Carnaval e do BBB.

  4. KURITA 20 de janeiro de 2009 at 12:53 #

    Concordo com vc amigo Farragaut

  5. gaspar 20 de janeiro de 2009 at 13:04 #

    lamentavel…

  6. Walderson 20 de janeiro de 2009 at 13:49 #

    Minhas condolências à família da vítima.

    Só tenho uma coisa a dizer: concordo com muito do que se disse acima, mas lamento ao perceber que nós brasileiros só reclamamos mas não fazemos nada para mudar esse país. O Brasil é o país do carnaval e do BBB porque nós brasileiros participamos disso. Ou seja, só faz sucesso o que nós deixamos. É cultural. Preferimos ter uma semana em que temos dois dias em que não trabalhamos. Não participamos da vida política do país, pois política é chato, pois só há roubalheira. Mas quem elege os corruptos? Quem deixa que o roubo se perpetue? Quem não se manifesta cada vez que os políticos fazem o que querem? Quem não leva esse país mais para frente? Quem não quer torná-lo desenvolvido? Quem deixa o país seguir na inércia sendo o país do futuro que nunca chega?
    A resposta: NÓS BRASILEIROS.

    Então, galera, não temos o direito de reclamar. Não fazemos nada diferente do que eu disse acima. Então, como queremos ter um país diferente do que temos? O nosso futuro melhor está constantemente sendo adiado porque não nos movemos para construir um país melhor. O mundo anda e continuamos patinando na lama que NÓS MESMO FAZEMOS.

    Um abraço a todos e UM ACORDA GERAL!!!!!!!!

  7. Edilson 20 de janeiro de 2009 at 14:19 #

    Já nem classifico a inoperância e a falta de vontade da polícia, enquanto a justiça soltar para rua traficantes e bandidos capturados cujas fichas criminais preenchem mais folhas de papel qeuo o cuurículo acadêmico dos nossos doutos Juízes, nem polícia, nem exército nem ninguém vai dar solução para o problema.
    na minha opinião este tipo de crime tem que ser sufocado pela base, quem os financiam…
    mas claro nem todos concordam

  8. Corsario-DF 20 de janeiro de 2009 at 14:28 #

    Mais um episódio triste na cidade Maravilhosa…
    Minhas codolências a família desse jovem.

    Sds.

  9. Fábio Max 20 de janeiro de 2009 at 14:34 #

    Que coisa triste este país sem Lei!

    Aqui onde eu moro, se você precisar fazer um BO na polícia, não conseguirá. O Delegado não o atende porque só aparece uma vez por semana, o escrivão não o atende porque nçao quer e nenhum agente o atende, porque não é da sua alçada. E os homicídios, roubos, furtos, estelionatos, etc… sucedem-se sem que autoridade nenhuma faça algo, e nos bigodes de um Ministério Público inepto.

    E isso existe no Brasil inteiro, sem exceção.

  10. MarceloRJ 20 de janeiro de 2009 at 14:58 #

    Moro nesta cidade, mas como já foi citado não da mais sair e se divertir pois não existem lugares que possa se dizer “seguros”. Tenho amigos que tem medo, não saiem de casa, pois está difícil. As esferas governamentais não se entendem, se acha que por ser um local bonito, o resto se esconde!!! Os moradores se acostumam e se conformam com certas atitudes, que chocariam pessoas de outros lugares. Quando irão se tocar que se continuar assim F……?

  11. Paulo Taubaté 20 de janeiro de 2009 at 15:10 #

    Meus sentimentos aos familiares….

  12. Wilson Johann 20 de janeiro de 2009 at 15:18 #

    O Rio de Janeiro virou TO de guerra a muito tempo. Somente uma ocupação permanente de todos os locais dominados pelos traficantes e milícias colocará termo em fatos como este. Mas quando o exército assume posições em uma favela a gritaria é geral, e até mesmo a “justiça” é contra. Sinal de que há muitos interesses por trás da manutenção desta situação. Mais um jovem morto, mais uma família enlutada, o futuro de centanas de pessoas sendo jogado na lata do lixo, por pura inépcia, inaptidão, irresponsabilidade, má vontade e uma grande dose de corrupção por parte dos nossos dirigentes, em todos os níveis de governo. Esta a verdadeira causa de tantas mortes no Rio de Janeiro.
    Mas quem vai se preocupar com isso, com tanta coisa importante para se resolver. O carnaval está logo aí, e temos a “Copa” em 2014. Diante disso, o que significa a morte cruel e brutal de mais uma pessoa? Isto acontece todo dia, não é mesmo? É só mais um caso como tantos outros, como mães tendo o carro metralhado com o filho dentro, ou crianças sendo arrastadas por diversos quarteirões, e por aí vai.

    Para a família desse jovem agora só resta Deus. Que ele traga paz para o pai e a mãe desse jovem. Só ele pode fazê-lo.

    Abraços!!!

  13. Roberto 20 de janeiro de 2009 at 15:45 #

    Meus pezares à família desse jovem.
    O Brasil é o país que menos forma engenheiros entre os países emergentes e ainda perde os que tem de uma forma insana.O Rio de Janeiro tem um problema grave,é uma guerra urbana,tem que ser combatida com serviços de inteligência,quando assisto aquelas noticias vindas do Rio,pessoal correndo,as paredes das casas cravadas de bala,tiros traçantes de fuzil e metralhadoras,parece uma guerra.Mas não da para as Forças Armadas ir la e acabar com tudo,se fosse assim era fácil,era só bombardear tudo e pronto,mas mora muita gente do bem lá,famílias honestas,trabalhadores que procuram ganhar o pão para seus filhos.O Estado precisa montar um aparato eficiente de inteligência e policial ,fazer patrulhas permanentementes,procurar desmantelar e enfraquecer esses fora da lei que procuram montar um “Estado Paralelo”,estudar por onde entram essas armas pesadas,os caras conseguem até armas anti-aéreas,é brincadeira…é lamentável.

  14. Mahan 20 de janeiro de 2009 at 17:47 #

    Que o SENHOR tenha piedade de sua alma.
    Nossa solidariedade para com a família neste momento de dor.
    Para pensar, “sem sair do escopo”: Para o mau prevalescer,basta que os bons fiquem calados.

  15. Noel 20 de janeiro de 2009 at 18:48 #

    Pezares a família.
    Creio que como todo carioca fico triste pelas condições em que se encontra minha cidade, seu povo perdeu a muito a liberdade, e a culpa é nossa.
    Os companheiros do Blog já falaram quase tudo, portanto vou opinar apenas sobre a questão salarial das polícias cariocas, que é lastimavel, o que facilita a proliferação da corrupção nos seus quadros. Comparando-se os índices de corrupção, policial, entre Rio x Brasília, onde o salário é digno, isso se torna evidente. Não estou afirmando que baixos salários sejam sinônimo de corrupção, porém no mundo real é o reconhecimento material do profissional, e para as intituições é a certeza de que terá melhores quadros quando precisar recrutar novos policiais. Isso acontece aqui em Brasília, onde moro e portanto sou testemunha.
    Obs: salário de um Soldado PM-DF em recrutamento = R$ 3.700,00
    salário após término do curso de formação = R$ 4.056,00
    Os problemas de violência vão acabar, não; os problemas sociais acabarão, não; mais melhoraria muito, pelo menos a confiança na instituição policial.

  16. Bosco 20 de janeiro de 2009 at 18:53 #

    Vergonhoso e revoltante o povo brasileiro ter que passar por isso todos os dias sem que os criminosos sejam apontados e punidos para que não voltem a cometer essas barbaridades e sirvam de exemplo para que outros não as cometam.
    Que país é este que fizemos onde temos medo de crianças de 10 anos?
    Como diria Shakespeare: Há algo de podre no “Reino da Dinamarca”…

    Meus sentimentos aos familiares.

  17. Ulisses 20 de janeiro de 2009 at 19:36 #

    Olha meus sentimentos a família.Porem…

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_de_Janeiro_(cidade)#Viol.C3.AAncia

    Há um trecho que diz:

    “Entretanto, pesquisas recentes demonstram que a violência vem caindo na cidade, sobretudo nos últimos anos. O “Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros 2008″, estudo realizado conjuntamente pela Rede de Informação Tecnológica Latino Americana (RITLA) e pelo Instituto Sangari, com o aval dos Ministérios da Saúde e da Justiça, divulgado em janeiro deste ano, revela que no Rio de Janeiro a taxa geral de homicídios por 100 mil habitantes retrocedeu 40% entre 2002 e 2006, levando-o da 4ª para a 14ª posição no ranking das capitais mais violentas do país.[117] Em 2002, a capital fluminense registrava 62,8 casos de homicídio para cada 100 mil pessoas. Em 2006, após quedas anuais sucessivas, esta taxa chegou a 37,7 – abaixo da aferida para cidades menores como Recife (90,9), Vitória (88,6), Curitiba (49,3), Belo Horizonte (49,2), Salvador (41,8) e Florianópolis (40,7).[117] No entanto, apesar da salutar redução dos índices de criminalidade, o Rio ainda ocupa o segundo lugar com relação ao total de homicídios ocorridos em 2006, atrás apenas de São Paulo.[117] Um relatório anterior, divulgado em outubro de 2007, também com a chancela dos Ministérios da Saúde e da Justiça,[118] apontava uma redução inferior (17,5%) nos índices de homicídio entre 2003 e 2006, período no qual a capital respectivamente teria oscilado da 3ª a 5ª colocação entre as mais violentas do Brasil.
    Segundo o Mapa da Violência de 2008, a taxa de óbitos por armas de fogo também apresentou retração considerável (da ordem de 30%) no período analisado.[117] Em 2002, foram computadas 52,7 mortes para cada grupo de 100 mil, ao passo que em 2006, o número caiu para 37,1.[117] Em decorrência, o Rio deixou de ostentar a terceira colocação na lista das capitais com maior número de mortes desta categoria, caindo para o 8º lugar.[117]”

    Galera,o Rio pode ser muito violento,mas já foi ainda pior.

  18. Ricardo 20 de janeiro de 2009 at 19:45 #

    Desculpe os Cariocas… Mas

    Rio de Janeior = Beirute , so que a midia não comenta tudo que rola nas proximidades das favelas…

    Meus pesames aos familiares…

    Antes que me esculhambem aqui, administro contas de seguro saúde para grandes empresas que tem escritórios ai no Rio, e vira e mexe tenho que resolver algum “sinistro” vindo do Rio… Por isto eu digo e afirmo, não é tudo que ocorre que vai parar nos jornais…

  19. Wolfpack 20 de janeiro de 2009 at 20:31 #

    Discordo inteiramente que o tema Segurança Interna não deveria ser postado no Blog. O tema está intimamente ligado a segurança de nossos rios de fronteira e fronteira terreste. Nossas Forças Armadas não têm a mínima condição de garantir o fluxo em nossos limites. A arma que matou o rapaz provavelmente veio de fora. Nós não fabricamos AK47, SigSauer, Colt M4, HK, etc. e nossa produção de armas se concentra em grande parte em armas leves. Portanto sim é responsabilidade da Marinha controlar os conteiners que vão para o Paraguai e entram sem vistoria por Paranaguá. É responsabilidade do Exercito se utilizar de vigilância moderna de fronteira para impedir que drogas e armas entrem por Corumbá e toda esta nossa fronteira terrestre. É responsabilidade da Aeronáutica garantir que aviões de pequeno porte não cruzem a Amazônia carregados de contrbando, drogas e armas e alimentem o que sobra em nossas cidades, jovens sem rumo e sem esperança de melhorar suas vidas. Existe somente retórica e muito discurso idiota em nossa sociedade sobre estes temas. São rasos e quando criticam os elementos que realmente alimentam toda esta carnificina como foi feito no Filme Tropas de Elite, o que faz a sociedade muda o foco, e se concentra na brutalidade do Capitão do BOPE, e não nos playboys que têm dinheiro e cheiram até não querer mais. As festas raives estão repletas de ectases e ninguém toca no filho do desembargador. O Sr Fábio Assunção foi afastado da última novela da Globo para se tratar (estava saíndo de seus limites, cheirando demais). Ninguém fala nada. O programa do Caceta e Planeta é louco para fazer piadas com o Maradona, mas pergunto, alguém viu alguma piada sobre o Fábio Assunção? Não é anti-ético, equanto isso perdemos nossos engenheiros, médicos, químicos, matemáticos, empresários empregadores, e quem não morre, e não têm este status necessário para sair em nota de jornal vira um número em Hospital do SUS, paraplégico, que precisará de três para cuidar de sua vida.
    Esta é a nossa sociedade e grande parte da culpa está sim com as Forças Armadas. Não devemos deixar de criticar sua atuação. Pergunto, para que serve este contingente enorme de militares de pijama nos Quartéis. Números? Jogos de Guerras? Red Flag? Passeios Turísticos de Treinamento com o Cisne Branco? Para que serve em um país como o nosso sem Grandes conflitos, exceção aos conflitos internos? Quais são as estatísticas de mortes por armas de fogo em países como Israel, Iraque, Pasquistão, Afeganistão comparados com o nosso? Alguém pode pesquisar isso, aposto que estamos perto…

  20. Wolfpack 20 de janeiro de 2009 at 20:34 #

    Digo para vocês que se mostra muita coisa no Rio e deixam de mostrar em outras cidades, Em Curitiba, morre muita gente. Lembro de um final de semana que morreram 40 por armas de fogo em um único final de semana. No ano passado um eng. que trabalha na Itália a anos estava sacando um dinheiro em um banco, foi assaltado, correu para pegar um ônibus, mas não deu tempo foi morto a tiros. Não dá IBOPE crimes em Curitiba, Florianopolis, P0oto Alegre, Belo Horizonte. É compreensivo pois as sedes da Rede Globo são no Rio e em São Paulo.

  21. callia 20 de janeiro de 2009 at 21:24 #

    Wolfpack.

    No primeiro ano de faculdade perdi um amigo por bala “encontrada” , no segundo ano de faculdade o pai do meu melhor amigo tomou um tiro no rosto…tenho um outro que está tetraplégico como você citou. No entanto tenho de discordar do que você afirmou sobre os militares de pijama.

    Vou falar por mim , não conheço o resto do pais.Voltei ontem da Amazônia , estou na minha casa em São Paulo , servi durante um ano como Médico de Bordo do Nash Oswaldo Cruz.Na região do nono distrito naval o navio que tem menos dias de mar é o roraima com 102.O meu por exemplo fez 220.Mas somos apenas 8 navios para cobrir a amazonia inteira e ainda por cima impedidos por dezenas de leis…fazemos patrulhas mas não temos liberdade de fazer apreenções,temos que recorrer à PF,na amazonia imensa, quem entender de leis pode explicar…as reservas indigenas nas fronteiras são verdadeiras nações de desrespeitos as leis com contrabando e massacre de arvores…não se esqueça que indio pode te matar e nada vai acontecer com ele…eu já vi muito indio andando armado…se é vc , vc vai pra cadeia.A gente fez muita apreenção de muita coisa junto à PF e ao IBAMA mas com as verbas que a gente tem e com os meios não dá pra fazer nada que reflita num impacto real na nossa realidade.

    è necessário rever leis e funções.Mas não diga que estamos de pijama…isso não corresponde a realidade e é um desrespeito à todos que morreram no ano de 2008 servindo na fronteira.Eu propio quase perdi minha perna e não estava de pijama .a equipe do exercito que caiu no Javari também não estava de pijama.
    Eu lembro de um dado da Folha ano passado dizendo que o numero de mortes no Rio era maior do que o de Bagda.

    Minhas condolencias à familia.

  22. peixoto 20 de janeiro de 2009 at 21:28 #

    “O vitinho” era meu calouro direto, amigo de turma, companheiro de velejadas, parceiro de futebol, e um dos alunos mais brilhantes que passaram pela POLI-UFRJ, não apenas por ser muito inteligente e sempre solícito aos amigos, mas pelo caráter que possuía e pela personalidade que era, nós estamos realmente chocados com o que aconteceu, algo lastimável e inaceitável, perdem os amigos, a família e principalmente nosso país…Agradeço as palavras dos colegas do site, são confortáveis para mim e tenho certeza para os amigos e familiares nesse momento. Desejo ao nosso amigo vitinho bons ventos onde quer que esteja e sempre.

  23. Wolfpack 20 de janeiro de 2009 at 22:13 #

    Nós temos que deslocar as tropas do Sudeste e Litoral para as Fronteiras Oeste, Norte e Noroeste. Tem muita gente na vida boa Servindo em Curitiba, São Paulo, Rio. E este contingente nos Grandes Centros é diretamente proporcional aos furos em nossas fronteiras. Se faz de tudo nessas fronteiras, se entra com o que quiser. A noite de barco então se fazem várias viagens sem incômodo, já foi até filmado. Volto a afirmar que nossas forças não tem a mínima capacidade de assegurar a segurança nas fronteiras (Marítimas (piratas), Fluviais, Terrestres e Espaço Aéreo). Não estou falando de cargueiro vindo das Malvinas para a Ilha de Ascenção ou de um bombadeiro Vulcan que com pane em vôo e falta de reabastecimento se dirigiu ao Rio e foi tido como uma vitória de nosso sistema de alerta aéreo. Falo dos monomotores que chegam e saem das pistas clandestinas e fazendas carregados de mercadoria proibida. É pecado criticar as FFAA, assim como é pecado criticar os filhos da sociedade que cheiram, fumam, e com egoísmo destroem tudo e todos… Porque não se caça os direitos civis do Fábio Assunção. Tirá-lhe o direito a ter um carro, dirigir, votar, tira-lhe a identidade. Este tipo teve opção na vida e rejeitou, mas a sociedade prefere passar a mão na cabeça.

  24. rodrigo rauta 20 de janeiro de 2009 at 22:17 #

    Ricardo, so pra completar o que vc disse…
    Na verdade nem 1/3 do que acontece vai pra midia. Sou carioca e sempre morei aqui no rio. Oq vcs (de fora do rio) veem pela midia não ta nem de longe perto da real situação.Roubos em onibus, pedrestes, assaltos em sinais, de moto…enfim..todo o tipo de violencia. Antes, era policia contra bandido..agora é policia contra bandido, contra policia( a famosa “banda podre”), policia contra milicia( ex-policiais que agora fazem a “segurança” de locais antes dominados pelo trafico, e que agora estão na mão destas milicias, que controlam vans, comercio, e até onibus, cobrando uma singela “ajuda de custo”..so que quem não paga..vc s ja sabem…).Fora as balas perdidas, tiroteios no meio da população, corrupção, etc, etc..Não sei qual o futuro da minha amada cidade, mas estou muito incredulo qnt a um futuro melhor…a coisa aqui ta feia.

    abraços a todos.

  25. Jairo 21 de janeiro de 2009 at 8:24 #

    WolfPack, sua revolta é coompreensível, e correta, exceto em apontar os militares das Forças Armada como se fossem os atores príncipais da Segurança Pública, NÃO SÃO e NÃO PODEM SER, compete as nossas o apoio total as forças de segurança, tanto federais, quanto estaduais, isso em parte já é feito, pode melhorar muito, desde que os entraves juridicos e políticos sejam superados.
    A grande reformulação que precisa ser realizada, é no nosso modelo de Polícias estaduais, elas é que tem a responsabilidade constitucional de combater a criminalidade.
    A maioria das PM estaduais não conseguem corresponder às necessidades da população, e sendo rivais das Polícias Civis nunca serão eficientes. Temos as questões salarias em quase todos os estados (no RJ é ridículo), doutrinas de emprego diferentes, incapacitação dos policiais civis para investigação, sobreposição de funções entre as policiais, etc…entre tantos problemas temos ainda o principal, A FALTA DE CAPACIDADE, E VONTADE POLÍTICA, temos apenas a retórica dos discursos.
    Por fim, lembro que nossas Forças Armadas tem sim seus defeitos, suas deficiências, até suas culpas; porém, esta culpa não lhes pertence, isso deve ser cobrado de outras instituições, que existem para isso. Nem vou falar da Justiça, passo.
    Obs: Atenção, os Soldados das Forças são temporários e não profissionais, como na PM, isso faz diferença quando se combate criminalidade.
    Quanto à familia do jovem, minhas condolências.

  26. Nunão 21 de janeiro de 2009 at 11:16 #

    Wolfpack em 20 Jan, 2009 às 20:31

    “Discordo inteiramente que o tema Segurança Interna não deveria ser postado no Blog.”

    Na verdade, o que o Galante quis dizer é que o tema foge às pautas mais diretamente relacionadas ao Blog Naval, mas não de outro dos nossos Blogs: colocamos frequentemente artigos relacionados ao tema segurança interna no Blog das Forças Terrestres.

    Saudações

  27. Zero Uno 21 de janeiro de 2009 at 15:07 #

    Na minha opnião, segurança interna é = a segurança nacional. Tranficantes são = a terroristas por que portam armas de grosso calibre e de uso restrito das forças armadas. Eles sequestram, torturam, matam e ameaçam a paz não só do povo carioca más do Brasil. Se associam a narcotraficantes/FARC da Colômbia portanto, são uma força beligerante e merecem ser tratados como INSURGENTES contra a Democracia Brasileira. Cometem crimes de traição e lesa-pátria por estarem corrompendo a polícia do RJ, lançando e elegendo candidatos a cargos políticos e cometendo atos terroristas.

    E PONTO!

  28. Zero Uno 21 de janeiro de 2009 at 15:09 #

    Meus sentimentos à família desse rapaz… Más um BRASILEIRO que poderia contribuir e muito para a GRANDEZA DESTE PAÍS.

  29. Wolfpack 21 de janeiro de 2009 at 18:08 #

    Desculpem o desabafo de ontem. É que é revoltante e ocorre todos os dias e está chegando cada vez mais perto de nossos parentes, filhos, esposas, pais e mães. O assunto pode arrefecer em breve como tantos outros e assim levamos a vida até ela ser interrompida por uma bala “perdida” mas que têm direção certa de destruir a sociedade. Todos andam com carros que no mínimo tem alguma película de filme preto, ou colocam alarme nas casa, vivem em condomínios fechados. Isso é estrutural, e não vejo solução rápida, mas alguma atitude deveria existir. As Polícias são de dar medo. Alguém ja teve a oportunidade de registrar alguma ocorrência em uma delegacia. Você têm que ter muita coragem e vontade para ouvir, coisas como: Não está dentro do meu Distrito, ou o Escrivão deu uma saída e volta logo, ou aguarde ali ao lado do cara que te assaltou… Não em nossa sociedade exemplo maior de degradação de uma Instituição Pública, mau preparo e amadorismo. Mesmo nos casos mais chamativos a opinião, vc vê que falta preparo de polícia científica e forças especiais. O Judiciário por sua vez fecha mesmo os olhos a realidade e não fica nem vermelho em soltar traficante que torrou o Tim Lopez no Morro, e olhe que a Globo fica em cima, imagine o resto? Meu irmão disse uma verdade, estamos vivendo a lei do mais forte, sem regras. Eu tenho curso superior, nunca tive problemas com a Polícia e sempre paguei meus impostos. Em tese poderia conseguir a posse de uma arma, e me defender como no Velho Oeste, certo que poderia matar alguém se precisasse, pois a lei vai estar ao meu lado, vai me julgar e se condenado, e por bom comportamento, isso se for pego, posso sair com um sexto do tempo preso. Posso alegar algum trauma mental e ir cumprir pena em um hospital. Tenho ainda as opções de ficar recorrendo a instâncias superiores, seguidas vezes. Mas eu for bom mesmo e conseguir ficar foragido, eu posso dentro de um tempo ter a pena prescrita. Estamos em uma Terra sem lei, sem Justiça. Salve-se quem puder.

  30. Jairo 21 de janeiro de 2009 at 19:25 #

    Wolfpack, agora concordo 100% contigo.
    Abç

  31. Almeida 21 de janeiro de 2009 at 21:00 #

    Como carioca que sou, venho aqui pedir desculpas por mais este fato lastimável que ocorre com frequência em minha cidade. As vezes penso se não teria sido melhor ter entrado pra PM ao invés da MB/CFN.

  32. LUIZ BRAZIL DT 21 de janeiro de 2009 at 23:12 #

    Antes de tudo, o meu pesar à família do Victor.

    Sobre a pergunta que não quer calar: “Quem será o próximo alvo?”

    Espero que não seja um governante com os miolos estourados pelas balas assassinas, fruto da covardia de quem tem a obrigação e o dever moral de garantir a segurança aos seus concidadãos e não o faz, seja por incompetência ou por frouxidão mesmo. Quem sabe se só assim, alguma coisa mude no panorama da violência que assola o Brasil de Norte a Sul, de Leste a Oeste. Vamos dar um basta! Façamos uma pressão no sentido de que os “fazedores das leis” modifiquem o tal do ECA – “ESTAMOS CRIANDO ASSASSINOS” -, que só tem servido para beneficiar os delinquentes juvenis, cada vez mais ousados e recrutados pelas organizações criminosas.

  33. Jose Muanis 23 de janeiro de 2009 at 9:16 #

    Olá, sou o irmão do Victor. Só gostaria de agradecer a todos.

    Algo que vocês talvez gostariam de saber.

    No domingo, quando ele estava em coma no hospital, estaria fazendo prova de um concurso para engenheiro naval da marinha. Ele já havia feito um curso na marinha por ocasião de uma parceria com um laboratorio da ufrj.

    Não preciso dizer que eu tinha certeza absoluta que ele passaria nesse concurso.

    O Brasil e a Marinha perderam alguém que poderia ter feito a diferença com suas idéias e sua capacidade técnica.

    abraços,
    jose muanis

  34. Cláudio Melo 29 de janeiro de 2009 at 16:53 #

    O que comumente se chama “bala perdida”. nada mais é do que o resultado de algum idiota atirando para cima.
    Após esgotar toda a energia cinética na subida o projétil para e inicia a descida ganhando velocidade graças à aceleração da gravidade. Chegará ao nível do solo com quase a mesma velocidade de subida. descontando a resistência do ar.
    Como o tiro foi disparado para cima e de razoável distância, o atingido e quem estiver próximo nem sequer ouvirá o barulho do disparo, mas o resultado será funesto.
    É preciso dizer que tiro para cima é um ato criminoso e irá, muito provavelmente, atingir alguém.

    Minhas condolências à família do Jovem Victor Emanuel.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Doolittle Raid

No dia 18 de abril de 1942, 16 B-25 americanos foram lançados do porta-aviões USS Hornet (CV 8) para atacar […]

Novo EC725 da Marinha recebe primeira integração de míssil AM39 Exocet

Helibras e MBDA realizaram primeiros testes do sistema de armamentos de combate antinavio Exocet AM39; contrato da Avibras para produção […]

NPaOc ‘Araguari’ apoia a 400ª Expedição Científica ao Arquipélago de São Pedro e São Paulo

No período de 25 de março a 1°de abril, o Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) “Araguari” realizou a 400ª Comissão de apoio […]

Pentágono protesta contra ação provocativa de jato russo sobre navio dos EUA

Enquanto as tensões entre o Ocidente e a Rússia aumentam, um avião de ataque russo realizou um ato “provocativo” no […]

Nota da Marinha sobre matéria publicada no jornal O Dia

Senhor Editor-Chefe, Em relação à matéria intitulada “Luxo e viagem dão indício de improbidade”, que acompanhou a matéria de capa […]

Lancha Patrulha de Rio começa a operar na Tríplice Fronteira

No dia 31 de março, após uma travessia de seis dias navegando na calha do Rio Solimões, de Manaus a […]

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE