segunda-feira, maio 17, 2021

Saab Naval

22 anos do ataque à fragata ‘Stark’

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.naval.com.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

stark

No dia 17 de maio de 1987 a fragata norte-americana USS Stark (FFG 31), que patrulhava na águas do Golfo Pérsico, foi atingida por dois mísseis AM.39 Exocet disparados de um Mirage F.1 iraquiano. O ataque resultou na morte de 37 tripulantes e o navio quase foi perdido. Não existia um estado de beligerância entre o Iraque e os EUA, a aeronave era conhecida e estava sendo monitorada, mas mesmo assim a fragata não revidou ou trabalhou para evitar o pior. Por que isso foi acontecer? De quem é a culpa?

Leia tudo sobre esta história no sítio do Poder Naval OnLine.

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Bosco

Pra mim houveram uma série de falhas de procedimentos, mas eu considero uma de suma importância, que era a falha do projeto das OHP. Não consigo conceber uma fragata apta a operar em situações de alta intensidade contra forças tecnologicamente avançadas sem que tenha um sistema de defesa de ponto cobrindo todo o perímetro. Mesmo que os procedimentos corretos tivessem sido colocados em prática , ainda assim poderia ter acontecido o impacto do Exocet devido a falta de um Ciws também cobrindo o arco frontal. Não se pode confiar apenas nos sistemas de defesa passiva e na capacidade de manobra… Read more »

Bosco

Correção:
…pra mim “houveram”….putz.rssrs..
Pra mim “houve”……

Caius

Aconteceu porque faltou profissionalismo à fragata. A culpa foi
totalmente americana.

Paulo Silva

Como foi dito acima.O navio estava somemte monitorando o Mirage.Como não havia alerta ou estado de guerra, eles não poderiam derrubar o caça antes de ter um disparo do mesmo contra ele.Posso estar falando alguma besteira, mas se não houver estado de guerra, não se pode disparar contra o caça sem ter uma autorização previa.

Estou certo??

Abraços

Paulo

Azevedo

O dossiê está ótimo e dá o merecido destaque ao incidente da corveta israelense HANIT.
Algumas fotos em
http://www.ynetnews.com/articles/0,7340,L-3458845,00.html

Wolfpack

Li o texto tempos atrás e me parece que não houve a detonação de um dos mísseis exocet no impact, certo? Houve negligência por parte dos americanos. Os Phalanx não funcionaram a contento.

Mauricio R.

Regras de engajameto inadequadas e microcomando á distância, eis os culpados pelo fato.

- Publicidade -

Reportagens especiais

Relembre a entrevista com o comandante do submarino Tapajó, em 2014

No dia 16 de julho de 2014, na véspera da data comemorativa do Centenário da Força de Submarinos (1914-2014),...
- Advertisement -