Encouraçado será rebocado até o estaleiro da base naval de Pearl Harbor

uss_missouri

O encouraçado USS Missouri singrará os mares novamente. Mas não exatamente da forma como muitos esperavam. O“Mighty Mo” deixará o seu atual pier, ao lado do memorial do USS Arizona, e seguirá para um dique seco localizado na base naval de Pearl Harbor.

O evento deve ocorrer em outubro próximo, logo depois da cerimônia do aniversário de 64 anos da rendição do Japão. O documento de rendição foi assinado a bordo do USS Missouri no dia 2 de setembro de 1945, exatamente 64 anos atrás. Dentre diversas autoridades, estiveram presentes o representante das forças aliadas, general Douglas MacArthur e o almirante Chester Nimitz em nome dos Estados Unidos da América.

O encouraçado está em bom estado para um navio de 65 anos, mas necessita de uma reforma de 15 milhões de dólares. Os custos serão cobertos por um fundo e pelo Departamento de Defesa.

Visitantes e agências de turismo estão sendo notificados sobre os trabalhos que durarão três meses. Em janeiro do ano que vem o encouraçado voltará para o seu local atual. Por ano, mais de 400.000 pessoas visitam o Missouri.

A mais recente docagem do Missouri foi em 1992, logo após ser descomissionado pela segunda e última vez.

PARA SABER MAIS: http://www.ussmissouri.com

Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

No Responses to “USS ‘Missouri’ desatracará em outubro” Subscribe

  1. Norberto Pontes 3 de setembro de 2009 at 11:18 #

    de fato um grande encouraçado com uma grande história.
    Ainda bem que os americanos o conservam, mesmo sendo alto o custo de tudo isso, em meio a crises mundiais financeiras, mesmo assim o estão conservando.Pena que não teve esse fim o Minas Gerais……

  2. Joaocuritiba 3 de setembro de 2009 at 11:21 #

    Foi meu primeiro modelo que eu montei. Pena que teve um fim trágico, não resistindo ao “ataque” das diaristas.

  3. Claudio/Itajaí 3 de setembro de 2009 at 11:58 #

    João, o meu sofreu um ataque da minha Mãe.
    Foi direto para o fundo do mar, digo para o chão.

    Era um kit da revell

    kkkkkkkkkkkkkk

  4. Norberto Pontes 3 de setembro de 2009 at 14:58 #

    aos colegas nautimodelistas que assim quiserem podem ver a montagem de um Bismarck de minha autoria em scratch na escala 1:100 no site abaixo:

    http://forum.modelismo-na.net/viewtopic.php?t=8612&sid=d7cf91c0bf20138b3460e72b1b1ce7ba

    prometo que é a última vez que posto esse link.
    obrigado

  5. Marcelo Tadeu 3 de setembro de 2009 at 17:46 #

    É Norberto, uma pena mesmo!!!! Poderia ser um grande museu flutuante no Pier da Praça Mauá, aqui no Rio.

    Joaocuritiba, as diaristas são piores ques os pilotos Kamicases. rsrsrs!!!

  6. Marcelo Tadeu 3 de setembro de 2009 at 17:48 #

    Aliás, quem já viu uma foto destes canhões disparando? É uma coisa impressionante. Houve até um acidente no New Jersey na década de 70 ou 80 , onde uma torre explodiu e matou muita gente, me corrijam se eu estiver errado.

    Sds,

  7. Vassili 3 de setembro de 2009 at 18:42 #

    Isso sim é que é navio com “N” maiúsculo…… e não estes CVN cheios de penduricalhos……..

    “Navio bom é navio eriçado de canhões”, de preferência que seja uma belonave de linha, com mais de 60 canhões………….

    Momento nostalgia do Vassili………….

    Abraços…..

  8. Vassili 3 de setembro de 2009 at 18:45 #

    Marcelo, e vídeo do Missouri disparando lateralmente, ja viu algum?????

    É simplesmente fantástico, a água fica iluminada de laranja…….

    No YouTube tem muitos vídeos deste gênero……….

    Abraços.

  9. Getulio - São Paulo 4 de setembro de 2009 at 9:47 #

    Gostei da foto desta fortaleza naval.
    O Brasil já teve navios muito importantes mas foram descartados para o desmanche e com isso foi-se nosso história. Precisamos preservá-la para os brasileiros que vem depois de nós. Talves seja preciso uma mobilização da sociedade, ou de uma lei de preservação de navios e aeronaves de nossas forças armadas.
    Por exemplo, o cruzador Tamandaré que serviu no Brasil, era relíquia dos sobreviventes de Pearl Harbor como o General Belgrano da Argentina e poderia ou deveria ter sido preservado.
    Os aviões militares poderiam e podem ser preservados. Mais vale um Mirage III para troca com museus nacionais ou internacionais do que o seu preço como sucata ou simples doação sem nenhum avião como ocorre na atual política de descarte destas aeronaves.
    Os aviões deveriam ser alocados e sob responsabilidade da FAB trocados com exemplares que não possuimos, por exemplo um Mirage III por um Phantom F-4, ou um F-14 Tomcat, por acordo entre países, forças aereas ou museus.

  10. Marcelo Tadeu 4 de setembro de 2009 at 10:01 #

    Vassili,

    Vi sim, inclusive, as águas logo abaixo do canhão se espalham com o deslocamento de ar. Acho que são os maiores canhões em uso depois da 2ª Guerra, 406 mm.

    Sds,

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]

Rússia diz que submarino ‘misterioso’ na Suécia é da Holanda, mas holandeses negam

A Rússia foi acusada de ter enviado o submarino ao local, mas negou. Porém, segundo jornal sueco, a Holanda também […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

Suecos investigam presença de submarino estrangeiro perto de sua capital

Submarino estrangeiro estaria operando no Arquipélago de Estocolmo, do qual faz parte a capital da Suécia, o que levou ao […]

Mora em Brasília ou está na cidade? Então experimente um simulador da Marinha

Simulador de Aviso de Instrução, utilizado pelos aspirantes da Escola Naval no Rio de Janeiro (RJ), além de maquete da […]