vinheta-clipping-navalA presidente da Argentina, Cristina Kirchner, afirmou nesta terça-feira que a postura britânica de manter “o último enclave colonial” no continente deveria “envergonhar” o Reino Unido. A afirmação foi feita durante o segundo e último dia de uma visita de Estado ao Peru.

“O último enclave colonial que ainda subsiste em nosso continente deveria envergonhar o Reino Unido porque vivemos no século XXI, enquanto cegamente ainda temos que suportar situações como essa”, disse, em um discurso diante do Congresso do Peru.

A presidente tocou no tema do litígio de seu país com a Grã Bretanha ao se referir ao apoio que o Peru deu à Argentina durante a guerra entre os dois países em 1982.

O tema das Malvinas esteve presente durante os dois dias da visita de Cristina Kirchner ao Peru, a primeira de um presidente argentino em 16 anos.

Antes, o chanceler argentino, Jorge Taiana, tinha afirmado que a tentativa unilateral britânica de explorar recursos naturais nas Malvinas era um fato grave que afetava não apenas seu país – que exige a soberania dessas ilhas – como toda a região.

“Me parece que apoiando a Argentina em sua rejeição a esse ato unilateral britânico, toda a região não apenas faz um ato solidário de justiça, como também se defende”, completou Taiana.

O início das atividades de uma petroleira britânica nas ilhas Malvidas produziu irritação na Argentina em fevereiro, que exige a soberania das ilhas, ocupadas pela Grã-Bretanha desde 1833.

Ambos os países protagonizaram em 1982 uma guerra de 74 dias nas Malvinas que foi encerrada com a rendição das tropas da Argentina, país que nessa época estava sob ditadura.

FONTE: AFP, via G1

Tags: , , ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

45 Responses to “Situação nas Malvinas deveria envergonhar Reino Unido, diz Kirchner” Subscribe

  1. Ilya Ehrenburg 24 de março de 2010 at 2:20 #

    A situação das “Malvinas” deveria envergonhar à ela, Kirchner!
    Se as ilhas são um objetivo nacional da Argentina, urge a esta senhora dotar a nação da qual esta à testa, dos meios necessários para recuperá-las, e não chorar as fraquezas portenhas, como faz.

    Daquilo que não possamos fazer, devemo-nos calar.

  2. muscimol 24 de março de 2010 at 5:04 #

    Off topic ….mas algo que pode ajudar a contrabalancar o poder anglophone na ONU.

    ….O tom foi dado ontem, em Lisboa, no arranque oficial dos trabalhos do I Congresso Internacional de Advogados de Língua Portuguesa, onde o bastonário português, António Marinho e Pinto surpreendeu os presentes com o desafio de levar Lula da Silva a secretário-geral das Nações Unidas.

    “Exorto este congresso a apresentar à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), e a todos os chefes de Estado e de Governo dos países que a integram, uma proposta para que sejam desde já encetadas as diligências para apresentar a candidatura de uma figura pública lusófona de proeminência a secretário geral da ONU”….

  3. Clausewitz 24 de março de 2010 at 6:00 #

    Deveria envergonhar.também, o absurdo argentino de 82…
    Não davam nem para largada…

  4. Fábio Mayer 24 de março de 2010 at 8:38 #

    O que está bem claro é que ela tenta desviar a atenção dos argentinos para as Falklands, escondendo que seu governo é:

    a) corrupto;
    b) incompetente;
    c) entreguista, porque aceita as interferências políticas da Venezuela;
    d) economicamente catastrófico;
    e) paranóico;
    f) antidemocrático.

    As Falklands são o último refúgio dela e seu marido, na tentativa de fazê-lo presidente em outubro do próximo. Sorte que a Inglaterra é um país sério, e não entra nessa discussão de lavadeiras…

  5. Patriota 24 de março de 2010 at 8:39 #

    Ilya Ehrenburg

    Vc disse tudo !

    A Argentina é o país mais medíocre da America Latina .

  6. Nick 24 de março de 2010 at 8:59 #

    Primeiro ela deveria estabilizar economicamente a Argentina e faze-la crescer e modernizar as FAs. Inglaterra ta “***ando e andando” para o que ela disser.

    []‘s

  7. Bernardo R. 24 de março de 2010 at 9:01 #

    Pois é senhores….. novamente o chororô!!!
    Parece o Botafogo….

    NÃO Kirchner, Maradona não foi melhor que pelé…
    NÃO Kirchner, Messi não dará o tri para seu país…
    NÃO Kirchner, as Falklands não são Malvinas…

    Falklands e pronto, até que a Argentina possa tomá-las, algo que eu duvido muito, agora que se sabe do rico petrolinho!!

    Só um detalhe, vi um documentário da BBC certa vez, em que mostrava altos oficiais britânicos falando sobre a guerra e eles respeitaram muito os soldados e pilotos argentinos, inclusive um deles afirmou que eles(os britânicos) estavam a 2 semanas de largar de mão, por falta de interesse em manter a guerra por “tão pouco”, ou orgulho…. estava ficando muito caro….

    Hoje a coisa é diferente, eles agora têm oq defender…..

    Já era Kirchner….. desista

  8. Mario 24 de março de 2010 at 9:49 #

    realmente um enclave colonial, e todos os paises latino americanos deveriam se unir para libertar o povo oprimida daquelas ilhas! Certamente a resistencia nas ilhas se compara a sua congenere francesa contra os alemães na segunda guerra.

    governos argentinos agora sempre que tem problemas internos usam as falklands para desviar o foco!

  9. Andre de POA 24 de março de 2010 at 9:53 #

    Kirchner esqueceu da Guiana francesa, memória seletiva como todos os politicos, eca..

  10. André 24 de março de 2010 at 10:36 #

    Isso mesmo, Fábio Mayer. Essa questão da ilha é o refúgio dos canalhas.
    Sds.

  11. Bernardo R. 24 de março de 2010 at 10:38 #

    Andre de POA,

    Só uma pequena correção, A Guiana Francesa é na verdade um departamento ultramarino, ou seja, é mais do que uma mera colônia!!!

    Por exemplo, a população vota, tem representatividade na própria França, usa o Euro e etc…. é território francês como qualquer outro estado ou província!! Só que fica longe…. assim como o Alaska e Hawaii para os EUA….
    Compreendido??

  12. Bernardo R. 24 de março de 2010 at 10:39 #

    apesar de que o Alaska e Hawaii não serem assim chamados tb….

  13. Marine 24 de março de 2010 at 10:47 #

    Birra de menina chorona que nao ganhou a Barbie do Papai Noel… Que papelao!

  14. Bernardo R. 24 de março de 2010 at 11:07 #

    Marine…. um off topic, e responda apenas no caso de se sentir à vontade para falar!!!

    Eu vi uma vez num tópico antigo que vc era sargento da USMC, e vc tb respondeu uma pergunta minha uma outra vez, falando que mudou ainda adolescente pros EUA, se naturalizou e pôde se alistar, correto??

    Aí vai minha dúvida de agora, continua sargento ou já é oficial?
    E em qualquer caso de resposta, o quão longe um extrangeiro como você pode chegar em escalão?? Faz diferença vc ter nascido fora?

  15. jacubao 24 de março de 2010 at 11:22 #

    Se a Argentina quiser tomar as ilhas da inglaterra, terá que reequipar suas FAs de forma extraordinária, e isso inclui comprar equipamentos da China e Rúsia, para não sofrer embargos como o imposto pela França em 82 com os S. Étandard e Exocet.
    Algumas desenas de SU-30 equipados com os Brahamos já deixaria a Royal Navy/ RAF na m…

  16. Paulo 24 de março de 2010 at 12:10 #

    O presidente Lula tomou partido a favor do pleito argentino. Com isto perdeu pontos junto aos EUA e Inglaterra quanto ao sonho do assento permanente no CS da ONU. Dos 5 membros, só a França nos apóia. Isto por enquanto.
    E mesmo assim não conseguiu nenhum apoio da Argentina, nem quanto ao mesmo CS, e nem quanto a temas políticos e comerciais envolvendo o Mercosul.
    Embarcamos numa canoa furada. Já vai longe o tempo em que nossa diplomacia ficava de boca fechada, seguindo a secular política de não se envolver em assuntos internos de outros países.
    Dar palpite sempre acaba sendo um tiro pela culatra.
    Se aqui dentro o presidente Lula insiste na tecla do “não vi, não sabia”, no exterior ele costuma trocar os pés pelas mãos.
    O próximo presidente, se for da oposição, terá um imenso trabalho para consertar os estragos.

  17. Ricardo 24 de março de 2010 at 13:27 #

    Vergonha é a Argentina não ter nem meios para pressionar a Inglaterra por um acordo.

  18. Galileu 24 de março de 2010 at 13:39 #

    Eu não critico os Hermanos, porque a terra da banana consegue ser pior que a argentina.

  19. Ilya Ehrenburg 24 de março de 2010 at 13:39 #

    Antes de tudo, preciso dizer ao Sr. Bernardo R. “Chororô” é um termo chulo, inventado pela imprensa esportiva, para encobrir o claro favorecimento que há, das arbitragens e da imprensa, em favor do Clube de Regatas Flamengo. Quem possui o senso crítico, portanto é capaz de ter discernimento equilibrado, entenderá bem o que se passa na mídia, principalmente, no que tange aos atletas rubro-negros, afeitos à apologia ao crime, mas que ganham da emissora detentora dos direitos de transmissão esportiva (futebol), defesa argumentativa, como se advogada dos mesmos, fosse.
    Portanto, não envolva uma entidade esportiva correta, como BFR, nas vossas opiniões.

    Da Argentina:
    É fato que a Argentina se recupera de desastres econômicos passados, e não pode investir faustosamente nas suas forças armadas. Mas, se tal situação se configura, então, necessário se faz usar da inteligência e da agudez de pensamento, para fazer frente aos desafios impostos pelo Reino Unido. No entanto, não é o que percebe. Continuam os argentinos tontos, além de divorciados das suas armas nacionais. Um exemplo claro: a anunciada compra dos Mirages F1 da Jordânia… Grande erro, pois com o valor exposto, poderia ter-se adquirido um esquadrão de JF-17, aeronave que daria a FAA, algum valor real em termos de potencial de combate.

  20. Andre de POA 24 de março de 2010 at 13:39 #

    É verdade Bernado R. valeu!

  21. Marine 24 de março de 2010 at 13:55 #

    Bernardo R,

    Respondendo sua pergunta, um estrangeiro como eu hoje naturalizado posso chegar ate mesmo a general 4 estrelas. O unico cargo que alguem como eu nao poderia ser e presidente, o resto nao ha restricao.

    O meu caso em particular eu ainda sou sargento, cursando a universidade agora para depois me tornar oficial.

    Semper Fidelis!

  22. Alex Nogueira 24 de março de 2010 at 14:04 #

    A Argentina pagou o PATO por ter sido tão descuidada de ter quase todas suas FAs Baseadas em produtos de prateleira e por ter se envolvido com materiais bélicos de países membros da OTAN. Um país esperto desenvolve sua própria técnologia e não fica mendingando, um país esperto desenvolve o patriotismo desde os primeiros anos de escola e um país esperto se preocupa com o que acontece no restante do mundo e se mantém atualizado da melhor maneira possível. O que aconteceu na ARGENTINA poderia ter acontecido no BRASIL ou com qualquer outro país da AL. Torço para que nosso ministro da DEFESA esteja em dia com as lições de HISTÓRIA e com as de GEOGRAFIA e para que ele também esteja atualizado com o que acontece todos os dias.

  23. Supervaldo 24 de março de 2010 at 16:56 #

    Esta questão das Malvinas me interessa mais pelos desdobramentos da exploração econômica do que pela posse em sí, pelo conflito ou chororô… Acho que o pré sal se estende mais ao sul, e só não é anunciado porque não se anuncia o que se tem, se não se pode cuidar…
    A MB não se desfaz de jeito nenhum da Ilha do Terrapleno em Rio Grande, que é cobiçada para a ampliação do porto… Por que?… não seria a previsão de ampliação da base naval de Rio Grande?
    pode ser tudo especulação, “viagem”…
    “não creio em bruxas, mas que elas existem, existem…

    Abraços

  24. Fábio Mayer 24 de março de 2010 at 17:09 #

    Ilya Ehrenburg,

    Corretíssimo!

    Os caças “ching ling” podem ter mil defeitos, mas são caças de 4a geração e além disso, uma oportunidade de negócios para o país que os adquire.

    Podem ter valor de combate limitado, mas têm e seriam novos.

    E quanto ao Flamengo… nem adianta falar nada, a “poderosa plim plim” trata de esconder da opinião pública

  25. Fábio Mayer 24 de março de 2010 at 17:10 #

    Alex Nogueira,

    Esqueça! Político brasileiro é ignorante,imbecil e desligado do mundo em que vive por natureza. É um pouco demais pedir para eles estdarem geografia, história e geopolítica.

  26. Felipe Cps 24 de março de 2010 at 17:25 #

    Pois é, iria lembrar mas os colegas lembraram antes: E A GUIANA FRANCESA??? DESSA NINGUÉM LEMBRA? PELO MENOS AS FALKLAND SÃO ILHAS! E A COLÔNIA FRANCESA ENCRAVADA EM PLENO CONTINENTE? NOSSOS VIZINHOS NUCLEARES!

    E ainda tem bolivariano pateta que defende “parceria” com a Da. França, mas critica as Falklands nas mãos inglesas. Dois pesos e duas medidas, como todo vermelhuxo…

    No mais, quando vejo essa vac. falando só sinto duas coisas: pena (pelo povo argentino e pelo lindo país) e mêdo (de acabarmos indo pro mesmo caminho um dia).

    Sds.

  27. Ilya Ehrenburg 24 de março de 2010 at 18:15 #

    Sr. Felipe Cps;

    Desculpe-me interrogá-lo, mas… Que diabos a Guiana Francesa entra nesta história? Espanta-me a utilização dela, nesta coluna de comentários como âncora argumentativa, já que para isto, não vi sentido algum!

    Todavia, comento: A Guiana Francesa não é uma preocupação para nós, no sentido de que ela não é um fator de desestabilização na região, mas justamente o contrário. Além disto, pelo tratado firmado, nós, os brasileiros, nos comprometemos com a defesa daquele território ultramarino da República Francesa. Motivo decisivo, para que haja a transferência de tecnologias sensíveis (que serão pagas, como de praxe, a peso de ouro. Tecnologia se desenvolve, ou compra-se caro a penúltima).

  28. brujhar 24 de março de 2010 at 18:22 #

    Felipe Cps,

    De uma lida no link abaixo para entender melhor a situação da Guiana Francesa, que não e uma colónia, como aqui citado pelo Bernardo R..

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Guiana_Francesa

    Assim como o Fábio Mayer alertou não podemos nos desligar do mundo a nossa volta e viver de “achismos”. Pesquisar e formar a próprias opinião, são as unicas formar de termos um país melhor e uma FA descente.

    Abraços

    Ps.: Só foi uma dica, sem quer humilhar ou ridicularizar. Estamos aqui para aprendermos e crescermos intelectualmente.

  29. brujhar 24 de março de 2010 at 18:25 #

    correção

    descente = Decente.
    quer = querer

  30. Vitor 24 de março de 2010 at 19:04 #

    So acrescentando ao comentario de Brujhar. Nem todos estamos aqui para aprender. No meu caso estou no meu lazer e passa tempo. Se aprender algo tudo bem para mim mas se não tudo bem também. :) Acho que o principal aqui é ser cordial com o outro. Abraços.

  31. claudio 24 de março de 2010 at 20:37 #

    Curiosamente nenhum lider do primeiro mundo tem ou teve ilusões de ser Secretário Geral da ONU, um cargo na minha opinião mais de protocolo do que qualquer outra coisa, que decide são os 05 grandes (no fundo amigos com interesses colonialistas convergentes e que brigam e discutem para acalmar a plebe)e isto vai continuar por muito tempo.

    Quem deseja participar co C.S. e ter poder de veto, deve ter FFAA poderosas, ser amigo dos EUA, simpático a GB, amante da França, coleguinha da Russia e “abrir as pernas” para a China.

    ps: desculpem a grosseria.

  32. Paulo Costa 24 de março de 2010 at 22:18 #

    Havia a possibilidade de que as jazidas de petroleo na area,que
    alias a cada dia cresce em tamanho,da ultima vez estava em 60 bilhões de barris,serem divididas em tres partes,Inglaterra,
    Falklands ou Malvinas,e a Argentina.Neste momento atual ,depois da guerra,as conversações estão paralisadas, e a Argentina segundo
    as ultimas informações não vai participar da divisão.
    Como as reservas de Petroleo e gas da Argentina estão declinantes,existe uma possibilidade remota enquanto houver um governo democratico,de alguma solução militar a longo prazo de conquista territorial,para renovação das reservas.

  33. Vader 24 de março de 2010 at 23:01 #

    Não venham dourar a pílula com nhém nhém nhém pra cima de mim não senhores: GUIANA FRANCESA É TÃO COLÔNIA EUROPÉIA QUANTO AS FALKLANDS! UMA VERGONHA!

    E PIOR: É NO CONTINENTE FÉRTIL, NÃO NUMAS ILHAS GELADAS NO MEIO DO MAR! E FICA DO NOSSO LADO! E POSSUI BOMBA ATÔMICA!

    Um peso e uma medida senhores, não sejamos hipócritas: Não é chamando elefante de borboleta que suas orelhas viram asas… A França pode chamar aquilo lá de departamento ultramarino, de estado, de território, de província, de conquista napoleônica, do que ela quiser: É COLÔNIA! E BOA! Até 1970 mandava seus presos mais perigosos pra lá! Porquê? COLÔNIA!

    Isso pra não falar que aquilo lá tudo já foi nosso… SIM, estudem senhores, e verificarão…

    E se é pra levar em conta a opínião dos “nativos” pergunte para os “falklanders” se eles querem ser ingleses ou argentinos…

    Sds.

  34. Ilya Ehrenburg 25 de março de 2010 at 1:22 #

    A Guiana Francesa é um território ultramarino da República Francesa.
    A diferença entre um território e uma colônia é abissal. A França não possui mais colônias.

  35. Bernardo 25 de março de 2010 at 18:59 #

    Ok… feri um torcedor do Botafogo…. hahahaha
    Mas não pretendo discutir futebol aqui!!! Só peguei o “gancho” pra evidenciar a semelhança…. sim, chororô besta argentino!!
    nem torço pro Flamengo…
    ——————————–

    Felipe Cps, concordo que a Guiana Francesa é um território indevidamente na mão dos franceses…. porém, lá tb a população quer se manter assim, então, como vc disse antes, um peso, uma medida….

    Minha opinião? Guiana Fr deveria ser independente e sul-americana!!!

    Mas apoio Falklands britânicas, e Guiana Francesa como estão, afinal sou a favor da soberania e auto-determinação dos povos!!!

  36. Bernardo 25 de março de 2010 at 19:00 #

    Obrigado pelo esclarecimento Marine!!

    Desejo sorte por aí!!

  37. ivan 25 de março de 2010 at 21:01 #

    Já externei minha opinião sobre as Falklands(estive lá 30 dias atrás).

    a) a Guerra das Falklands foi uma das maiores humilhações sofridas por um país. Os britanicos foram lá e limparam a Ilha em 72 dias.

    b) dentre as inúmeras humilhações, lembro-me que os oficiais argentinos se pegaram para ver quem ia embora primeiro, de carona nos navios britânicos…no final deixaram os pobres soldados amadores com frio, fome, mendigando comida e agasalho aos britânicos. Vergonhoso!

    c) nada entendo de Equipamentos. Lembro-me que a Argentina estava numa pindura tão grande que tentou atacar navios britanicos com um avião cargueiro. O Foreign Office lançou uma nota ironizando: “nossas forças foram atacadas por meios rudimentares”
    Quer maior gozação? É muita humilhação!

    d) o que podemos dizer de palhaços como os da Junta Militar Argentina que mandaram jovens despreparados para sofrer fome, frio e lutar com os profissionais britânicos?
    Acho que esses Ditadores são idiotas, bobalhões latino-americanos cheios de medalhas ridículas.
    Mas sempre imagino a tristeza de mandar jovens para a guerra, sem preparo, só na base da patriotada…

    e) após a humilhação a Argentina não mais se recuperou. Hoje tentam a soberania na base da conversa…antes assim. Pelo menos desta vez não mandarão jovens para uma guerra estúpida, como todas as guerras.

  38. MO 25 de março de 2010 at 21:18 #

    Ivan, apenos discordo da palavra humilhação (em seu formato genérico qdo referido as Forças argentinicas)

    em verdade, não foi bem assim, muito torcedor do Manchester United ficou com o”reto in the hand” qdo tocava General Quarter por detectarem A4, Daggers, Mirage lambendo as ondas em direção ao seu navio

    E olha esses (argh) aviaozinhums fizeram um tremendo de um trabalho, com uma coragem impar, obtendo resultados muito acima do imaginavel considerando suas condições contra osistema AEW/AAW Britaniense

    Quanto a parte politica, ai sim 100 % de razão

    Abs Doc
    MO

  39. Ilya Ehrenburg 25 de março de 2010 at 23:41 #

    “Reto in the hands”??

    Oh céus! (Céu socialista, bem entendido).

    Tenho a guerra das Malvinas, como uma humilhação à nação platina, por mais que tenha havido atos de heroísmo e brilho, pois pareceu antes, uma ópera bufa do que uma tragédia. A humilhação, nestes casos, não só persiste, como é de maior crueza.

  40. MO 26 de março de 2010 at 0:02 #

    Ilya

    digo a feitos militares, o resto não me interessa :-)

    que os britaniense se “evacuaram”, com a visao deles se aproximando, ah se Evacuraou ram e não houve epocler que desse jeito

    Me referia a isso, poois tem gente muito nova ou mau informada que desconhece esses feitos (tanto que negativaram muitos coments sobre isso, o mesmo ocorrendo quando se falou que a AVNaval da Armada era superior doutrinicamente ou em ensinamentos a nossapouco tempo atras) e flaa de uma maneira erronea o ponto de vista humilhação, repetindo, sob a otica de feitos militares nunca referindo-me a atos politicos ou resultados apos atos militares

    Não me entendo como uma humilhação e sim uma derrota, pois se assim o for tomamos dos Boliviecos, Honduricos Norte coreenses and Israelecos e muito em brevemente dos turquinhos de gaza …

    Abs
    MO

    Ahhh o Sandy falou sobre isso, ele “poprio”

  41. Bernardo 26 de março de 2010 at 10:28 #

    Concordo com MO

    Como disse lá em cima, vi um documentário da BBC(pra quem não sabe, rede britânica) em que altos oficiais ingleses, elogiavam a bravura e competencia das forças argentinas!!!
    Principalmente de seus pilotos!!

    E por 2 semanas, não se retiraram da ilha por não achar conveniente manter uma luta árdua por “pouco” a defender….

    Se eu não me engano, o History Channel tem os direitos de transmissão desse documentário no Brasil, e quase com certeza, no site
    http://www.eztv.it dá pra achar esse documentário(em inglês e sem legendas)

  42. ivan 27 de março de 2010 at 0:03 #

    Só para explanar sobre a “humilhação”, vamos recordar:

    a) no final da guerra, os oficiais argentinos sairem no tapa para ver quem iria primeiro de carona nos navios da Royal Navy. Isso já mostra como eram os chefes…covardes que deixaram os pobres soldados para trás. Não é vergonhoso?
    Onde estava a hombridade desses oficiais?
    Homens de verdade protegeriam seus soldados e iriam por último!

    b) os pobres soldados argentinos mendigaram um prato de comida e agasalhos, por que estavam mortos de fome e frio. Isso é uma cena triste. Muito triste. Há muitas fotos, basta ver o site da Royal Navy.
    Isso mostra toda a humilhação das Forças Armadas Argentinas, mal preparadas. Mostra a humilhação de todo um povo.
    Não acreditavam que os britânicos revidariam, e não tinham a menor condição de enfrentar profissionais.
    Não foram os pobres soldados que foram humilhados.
    Foi a Junta Militar Argentina, acostumada a torturar “motoneros” e se encher de medalhas por isso.
    Quando enfrentaram profissionais, os ridículos comandantes latino-americanos foram surrados de modo impiedoso, viram seu país virar motivo de chacotas.
    Foram surrados como poucas vezes na História.
    E não me venham com teorias revisionistas, onde os argentinos dominam os britânicos, mas são derrotados por “falta de sorte”, “falta de vento”, “tempo inclemente”, “bombas não detonadas”, etc. Apenas desculpas.
    Não me venham dizer que os britânicos quase perderam…ISSO É RIDÍCULO!!!!
    Quando afundaram o Belgrano mostraram que com UM(!) submarino nuclear afundariam TODA a frota argentina. E os argentinos sabiam disso, tanto que recolheram toda sua Armada.
    Os britânicos não quiseram atacar o continente, por que isso levaria a opinião pública a considera-los agressores.
    Mas mantiveram TODA a Armada Argentina recolhida a suas águas territoriais!

    c) fique claro que foi uma das derrotas mais acachapantes da História. 72 dias, uma esquadra imobilizada e os Britânicos acabando com os Argentinos há 15000 km de suas bases. Com quantos Harriers? Milhares? Não!!!! Entre 20 a 30.

    d) ao M.O.: claro que houve argentinos que lutaram bravamente. Foram e são respeitados pelos britânicos, por que com equipamento ruim, preparo inexistente, comando covarde e falta dos recursos mais básicos, esforçaram-se. Não tinham comida, não tinnham agasalhos, mas tentaram.
    Mas isso não os livrou de apanharem feito gente grande…e o pior: quantos jovens mortos, quanto material destroçado. Sabemos que a Argentina ainda não se recuperou!

    Minha indignação é a maneira com que tentaram tomar as Falklands: pela força, contando com a ausência de reação britânica(o que demonstra despreparo e covardia), mandando amadores recolhidos nas vielas platinas enfrentar fome, frio e profissionais altamente treinados, demonstrando completa falta de preparo material e planejamento.
    Quem fez isso: a Junta Militar de Galtieri e outros assassinos do proprio povo argentino. Esses deveriam ter o mesmo tratamento que os italianos deram a Mussolini(ainda que eu abomine a violência).
    É contra esses IDIOTAS e seus oficiais que me insurjo.
    Os soldados argentinos fizeram o possível para enfrentar uma das mais fortes Forças Armadas do mundo. Não são eles os “humilhados” e sim seus chefes arrogantes e incapazes.

  43. Nuno Castelo-Branco 3 de abril de 2010 at 13:14 #

    Ridículo…. A Argentina tem tanto direito às Falkland, como Marrocos “tem direito” às Canárias ou à Madeira e Porto Santo”. Não existe população argentina no arquipélagp e este fica a centenas de quilómetros da costa da Patagónia. O caso é semelhante – em desvantagem para Buenos Aires – a Gibraltar: ninguém quer abdicar da soberania britânica. Os nossos aliados ingleses muito bem fazem em não ceder, até porque com o avolumar dos problemas no lado do sul do Mediterrâneo, a Royal Navy é uma força tranquilizadora, até porque a Espanha a ninguém oferece garantias de solidez.

  44. Nuno Castelo-Branco 3 de abril de 2010 at 13:17 #

    Para Ilya Ehrenburg:

    O argumento que a França utiliza relativamente à Guiana, é exactamente o mesmo que Portugal utilizava para o Ultramar: Províncias e mais tarde, Estados do Ultramar. Não passa de mais um artifício de Paris.

  45. MO 3 de abril de 2010 at 13:52 #

    Em tese vc esta corretissimo, sim, pois se assim Antofogasta e Punta Arenas estariam brigando pelo IPTU pagos pelos seu bairro distante, a Nova Zelandia, que fica na periferia, Zona Oeste da região metropolitana de ambas

    Ja pensou se esta moda pega, Haiti virasse (digo oficializasse como) distrito de Salvador ….

    MO

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Saab fará revisão no submarino HMS ‘Halland’ da Marinha Sueca

Nesta segunda-feira, 29 de setembro, a empresa sueca Saab divulgou nota sobre informando que fará a revisão do submarino HMS […]

VÍDEO: Centro de Coordenação, Comunicações e Operações de Tráfego – C3OT da Praticagem do Porto de Santos-SP

Assista no vídeo o novo Centro de Coordenação, Comunicações e Operações de Tráfego – C3OT, da Praticagem do Porto de […]

Marinha do Brasil abre 738 vagas para nível técnico

Quem possui curso técnico de Nível Médio ou está em fase de conclusão, não pode perder a oportunidade de ingressar […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

VÍDEO: As duas primeiras fragatas FREMM da Marinha Francesa operando juntas

No final de junho de 2014, as duas primeiras fragatas FREMM Aquitaine e Normandy, construídas para a Marine Nationale, conduziram […]

FOTO: Ressuprimento vertical do destróier USS ‘Dewey’ (DDG 105) por helicópteros Seahawk

Na foto, o destróier de mísseis guiados USS Dewey (DDG 105), da classe “Arleigh Burke”, conduz uma faina de ressuprimento […]