Home Noticiário Internacional Essa obra também ficou parada (WIP)

Essa obra também ficou parada (WIP)

203
19

Esse projeto ficou parado por muitos meses, mas em breve será concluído e apresentado de forma definitiva para os nossos amigos blogueiros navais.

Ainda falta a conclusão do sistema de armas e outros detalhes do casco como contorno, indicativo de casco, e detalhamento geral. (Clicar nas imagens para ampliar).

Barroso - V 34_2008_20080323

Barroso - V 34_2008_20080327Barroso - V 34_2008_20080404Barroso - V 34_2008_20080406

Nos detalhes, a chaminé e o reparo canhão do canhão Vickers Mark 8 de 4.5 pol.

chamine

Mark 8

Uma Sexta-Feira Santa de paz para todos os amigos navais junto aos seus e uma Feliz Páscoa.

19 COMMENTS

  1. Estou curioso para saber o desempenho da Barroso, no mar. Ou seja, se suas qualidades marinheiras superam as das suas irmãs da Classe Inhaúma. Pois, se for o caso, de as alterações feitas, principalmente à proa, surtirem nenhum efeito, que se mudem então os canhões Vickers (114 mm), pelos Melaras (76mm).

  2. Prezado jsilva,
    Não se amofine não com a demora.
    Demorou muito, mas muito mais para construir a Barroso.
    Quem como eu, passava diariamente pela Perimetral a via em todos os estágios desenhados por vc e ficava se perguntando quando ela iria para o mar, que é o lugar dela.
    Aliás, parabéns pelo desenho.
    Sds

  3. Ilya, o desempenho da Barroso foi excelente nos testes de mar.
    Isso está resolvido.
    Graças não só ao novo desenho da prôa, mas sobretudo, ao novo sistema de balanceamento do navio que é automático.

    É verdade que levou 14 anos para ela ficar pronta, mas ela possui muitos ingredientes atuais.

    Eu só não gosto do 114mm. Mas a MB já tinha este guardado, então pra que comprar outro? Temos que usar o que temos e que funciona. Certo?

    Mas, se no futuro, sair uma Barroso improved, mais furtiva, certamente tanto o Trinity quanto o 114mm irão rodar, dando lugar a peças mais modernas e eficazes.

  4. Agora os desenhos estão linkados e da para ver em detalhes.
    Não reparem os erros aparentes pois é um trabalho em andamento, portanto como diz aquele cara que conheceu Cristo no Pará: Com andaimes hehehehe

    Desculpem pela brincaderinha cretina.
    Sou a favor de continuar com esse projeto como o low e construir sob licenca um hi com umas quatro unidades top (AB/OA, KDX III ou IImod/FREEM (italiana) ou uma variante da F 100

    Padi não fale mal do Mark 8 ou do Mk-45 perdo de mim, senão seu olha vai ficar roxo e não vai ser pelo fogo do Fogão…hehehehehe

    Mas como sou a favor de uma arma mais leve e com cadencia mais elevada como um OTO 76 ou um Bofors 57.

    Um abs a todos

  5. Caraca! E quem falou mal?

    Eu só disse que ele seria trocado por um mais moderno.

    Vamos combinar que quando se vai abaixo do 114mm , se percebe o quanto aquilo é arcaico, velho e “valvulado”.

    Isso não é falar mal, é constatar que precisamos ter equipamentos mais atuais e mais precisos.

    O tempo deles já passou e temos que focar o futuro.

    Em breve serão peças de museu lá na Praça XV.

  6. Notei uma coisa: o único País nas Américas (fora algumas republiquetas) a não utilizar o OTO 76 é o Brasil. Alguma razão? Com certeza não é o custo, pois MUITOS países o utilizam. O que eu vejo é uma super utilização do Bofors 40 mm, seja o L60, L70 e agora o Trinity. Espero que não seja uma questão de melindre da MB.

  7. MAs mesmo ela indo otima nos teste de mar, vcs acham que ela aguenta uma mar mais pesado a ponto de fazermos de uma hipotetica classe”Improved Barroso” nossa espinha dorsal e como falou o Jsilva, complementando com “ponta de lança” umas 4-6 unidades de uma dessas clsses que ele citou?? Eu tb sou fã dessa ideia, mas temia pelo desempenho da Barroso em alto mar.

    Abraços.

  8. eh Zé, realmente

    a arte imita a vida, por quanto tempo ela ficara em WIP ?

    * Esta é uma obra de ficção qualquer semelhança com nomes, locais e datas, são meras coincidencias do acaso

    Por outro lado ainda bem que esta ai esta sendo feito no “De (the) JACAHEAD SY Aker Heavy Drawings and Corp. OSK Lines Ltd. and Feeder Services. S/A ME e Quebra Galhos em Geral“., sob supervisão (palpitologica) da figura particularizada da minha pessoa

    Quanto ao Mk8, ué, nada me assusta (se bem que de um desconto na Barroso) ele foi retirado da Liberal ou Constiruição (Mk 10 GP), mas não tem jeito, aqui eh tudo igual, todo mundo so repete,(vide Dunga da çelessaum, Novela da Grobo, Fala que te escuto da Recordi, ou Date-na da band), tipo çlembram-se da finada liista naval, tudo tinha que ter 129 m loa, armada com mk 8, mm40, boroc … (se bem que ai era um caso de ispecialistas montando neh, mas era assim, eh assim e temo que um bom tempo será assim …)

    Zeh, vc so esqueceu de datar os desenhos

    Desenho 1 – 347 ac (aparencia visual de 347 ac à 1322 dc – neste periodo os regentes daquele territorio ao sul do equador, os indios aquidauanus não liberaram verbas para progresso continuo de suas obras)

    Desenho 2 – 1322 dc – 1840dc (neste periodo, com intenção de ser exportada, foi visitada por Carlos Magno, Ricardo Coração de Leão, Bella Lugosi (na epoca ainda não vampiro e Horatio Hornblower – nesta época Horatio sugeriu uma mudança de projeto para adaptação de um Vickers TOT super rapido (TOT = concorrente na época do OTO). Neste periodo houve uma cerimonia (perereca) de batismo de quilha (pois havia necessidade de sair na imprensa local) na qual a ja veterana atriz Ebe Camargo quebrou o champagne , sendo coberta pela Globu Himprensa Jhornalisthica (atentar a grafia da época)

    Desenho 3 e 4 – 1840 dc e 1967 dc neste periodo iniciou-se um periodo em seu pais de construção chamado coqueteismo, na qual o importante eram coqueteis cerimonias fantasticas de discução tecnica, composta por gente de nivel tecnico totalmente interessado no assunto a ser comentado, ou seja a construção do navio. o qual arquologos atribuim o fato de não haver muitas alterações do visual de suas obras. Uma coisa impressionante neste periodo do coqueteismo foi que as pessoas eram tão entusasmadas com as construções navais que mal sabiam aonde eram, apenas se preucupando com o endereço do bufete que se realizaria a impar cerimonia

    Desenho 5 – 1967 dc à 2001 dc Neste periodo foi o periodo do medalhismo, na qual o que era importante era presentear membros da sociedade civil com medalhas pelos esforços no tocante as atribuiçoes, bem feitorias, projetos de melhoramentos e modernizações da Marinha de Guerra, seja como força pronta, quiça como Futura Força visualizando projeção de poder perante a situação do país ao redor do mundo, alias alguns dos gurus desta politica foram o Celso e o Marco Antonio, que alem de sua personalidade agressiva-imbativel-intrepido-guerreira eram gentlemans, pois como nosso pais tinha tradiçoes pacificas desde a era paleozoica (tanto o eh que segundo estudos de certos arqueologos and palenotologos os animais que aqui habitavam eram compostos basicamente por dinossauros vegetarianos)

    Desenho 6 e 7 – 2007 dc em diante – periodo que mescla problemas e avanços, por um lado, ainda a a poltica do Mundo maravilhosimo, periodo que varias nações barbaras do eixo latino-centro americano se aproveitaram da influencias dos gurus Celso and Marco Antonio e aproveitaram para estender suas intenções de anarquia, vandalismo, malocagem popular populista social para organizações and territorios nacionais de ultramar.

    Foi neste periodo, que o guru Celso sou uma frase na ONU em relação a estas nações barbaras que causou polemica mundial, pois por um lado abalou emocionalmente estas nações, freando suas atitudes agressivas para com o nosso país, mas por outro lado escandalizou pela força da agressividade de suas palavras, quando diante do mundo chamou (atenção, termo extremamente agressivo a seguir, leia por conta e risco) estes lideres barbaros de “Bobos” …

    Mas por outro lado surge uma nova geração de pessoas interessadas nas politicas de expansão de projeção de poder no futuro nanossa nação que passaram a prestar mais atenção em interesses brasileiros e formaram um coro cobrando o desenvolvimento nacional, foi neste periodo que começou a avançar os desenho, o qual esperamos deixar de ser WIP para se tornar um definitivo GA e OTBP espelho de desenvolvimento and aprimoramento na questão de utilização, construção and doutrinamento da construção Naval, gerenciamento, treinamento and operacionalidade de uma Marinha de guerra de uma Nação que se projeta o nosso país

    A estes,dedicamos a mola que nos impulsiona a fazer o que fazemos aqui … os desenos, os coments, o site ….. em (mais) especial (ainda) nossa eterna fonte inspiradora em termos de projeção de esquadras o nosso Joaquim “Joaca ChuChu” M.Z.T., que com certeza daria um outro nome a este navio, a Darth Vader, por (graças) ter desenvolvido and divulgado o Lado Negro da Força, sendo aqui representado pelo broe Felipe CPS and um outro mais novato chamado Vader e a todos os monstros de filmes japoneses que destroem toda vez Tóquio,

    sem vcs não teriamos fontes de inspiração !!!!

    Grossario]
    WIP = Working in Progress
    GA = General Arrangement
    OTBP = Outboard profile

    MO

  9. Eu achei o mastro da Barroso muito pequeno para o porte do navio e muito pobre em equipamentos (não estou falando do desenho do J. Silva que está show de bola). Da mesma forma o armamento que tmb é muito escasso para uma escolta.

  10. Olá Corsário,

    Agradeço as respostas aos meus questionamentos. Fico feliz em ver que os problemas das Inhaúmas, foram satisfatoriamente resolvidos na Classe Barroso.
    Lastimo, apenas, ser a Barroso uma Classe única. Nenhuma belonave deveria passar por este dissabor, mas…

    Quantos aos canhões, observo que há uma tendência na redução do calibre em vista da cadência (velocidade). Deveria haver um fim nisso, pois, o apoio de fogo, a terra, ainda é um objetivo que não é perfeitamente coberto pelos mísseis e bombas. Fogo de canhões, sempre se faz necessário (neste quesito, confesso, sou saudosista das velhas couraças).

    Abraços, Corsário.

  11. Pois é Ilya eu tb acho que são necessários, mas, que sejam modernos. Calibre podemos ter vários, mas embaixo do canhão, temos que estar atualizados.
    Eu vi na UNITAS GOLD, um Cutter americano com um Oto melara SR76 fazer uma “Cesariana” no mastro principal do “Classe Spruance” que era o alvo do exercício. Uma sequência rápida e direta e o mastro foi detonado de cima para baixo.
    Apesar do estrago de um tiro de 114mm ser maior, sua cadência mais lenta e menos precisa, me faz preferir o Oto SR76.

  12. uhauhauhauhauhuah

    Repartição pública???

    brincadeirinha!! Espero ver quando completos, os anteriores ficaram show de bola

  13. Brigado Lasota

    neste ai gastei o celebro, fiquei até com dor de kabeça, pergunta pro nunão e pro zé, depois quando nos encontramos nem sabia onde eu estava 🙂

    abs
    MO

    como falei, a arte imita a vida …

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here