Home Noticiário Internacional Sobre o armamento secundário dos ‘Caça-Ferro’

Sobre o armamento secundário dos ‘Caça-Ferro’

451
19

Esse era para ser apenas mais um post comunicando outra atualização no NGB, mais especificamente nas páginas dos antigos caça-submarinos da classe G (Caça Ferro) Gurupi – G 2/CS 2/J 17 e CS Grajaú – G 7/J 11, que serviram a Marinha do Brasil da II Guerra Mundial até a década de 50, mas a nossa “Inteligência Naval”, sempre ativa e ciosa dos seus deveres, acabou mais uma vez descobrindo um dado interessante.

Independentemente de qualquer fato para o trabalho do NGB, o período entre o final da II GM e o início dos anos 70, é o que temos maior dificuldade de obter informações e quando as obtemos, são confusas e incompletas.

Observando as fotos dos 8 navios da classe “G”, Marcelo Lopes notou em um deles a presença de uma terceira metralhadora Oerlikon de 20 mm, instalada no tijupá, além das duas instaladas nos bordos. Desse fato veio a lembrança de uma foto em um NOMAR antigo, que mostrava uma arma instalada nessa posição em um navio da classe.

Como não temos fotos de todos os navios, mas baseados nas que possuímos, foi possível concluir que pelo menos quatro dos oito navios possuem esse arranjo diferenciado no armamento secundário com três armas, e provavelmente os outros quatro com duas armas. As informações até agora eram baseadas nas fichas técnicas originais retiradas de publicações citadas nas páginas.

Quem puder complementar essa informação para enriquecer as páginas, será muito bem vindo.

Classe Guaporé/PC 461 de caça-submarinos

 pc

Colaboração: José Henrique Mendes

19
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
GUPPYMarcusjose henrique mendesjsilvaAlexandre Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Joaca
Visitante
Joaca

Caro senhores
Muito interessante esta história sobre os caça ferros. A questão é: Por que a MB não padronizou o armamento?
At
Joaca

Alexandre
Visitante
Alexandre

O Guaíba tenho quase certeza que não tinha. Tem a famosa foto em que ele aparece quase encoberto por ondas e não há nenhum armamento no tijupá. Aliás quem tiver alguma informação a respeito de um resgate do Guaíba a um Catalina da FAB “Arará” ficaria muito grato. Meu tio era 2T e R2 na FAB e estava nesse dia sendo resgatado. Estava na função de navegador nesse voo. Desculpe o off topic mas fico grato por alguma informação. Obrigado.

MO
Membro

off Topica ?

De jeito nenhum, vc Alexandre, acaba de nos apresentar uma outra História para a carreira do Guaiba

Iremos agora caçar isso também

Abs e tks
MO

MO
Membro

Caro Imperador da Grande região metropolitana de Louveria (o qual se incluem como bairros distantantes de Jundiai, Campinas e São Paulo, incluindo o feudo de Valinhos…) Sua pergunta é uma boa pergunta, mas depende como irá desenvolver ela e uma eventual resposta Os PC´s vireram e ficaram com o armamento “as is”, ou seja ja vieram assim, agora pq a MB não acrescentou a 3a peça do Oerlinkon Mk 4 (duvida se era o o Mk 2 ou Mk 10 ?), não há uma explicação ou mesmo um questionamento (ao menos no passado, sobre isso). Não sabemos a tal disponibilidade… Read more »

Jjose Henrique
Visitante
Jjose Henrique

Caríssimo MO, gostaria que retificassem uma informação sobre o crédito das fotos dos dois Caças cujas as fotos eu enviei para o ZÉ.As fotos foram escaneadas por mim de números da antiga A Marinha em Revista e as fotos são oficiais do SDM.Abraços do José Henrique.

MO
Membro

ok JHM (FF)

Providenciando ASAP

Grato pelas fotos and correção

Abs
MO
as XO do NGB

Alexandre
Visitante
Alexandre

Olá MO

Obrigado por qulquer informação que conseguir. Abraços

jsilva
Visitante
jsilva

A estétitica foi rapida mas não reparou os links quebrados.

Já arrumei. Obrigado para EU

jsilva
Visitante
jsilva

Xará já arrumei lá. O corre corre esta grande. O combate a invasão dos “quadrados retângulos” consome muita energia aqui do seu amigo.

jose henrique mendes
Visitante
jose henrique mendes

Xará logo logo vou te mandar mais algumas fotos.Abraços do José Henrique.

Marcus
Visitante
Marcus

Vou fazer um comentário, mas ele não é “condenatório” ou crítico ao Blog Naval. Eu nunca antes havia visto referencia aos caça-ferros como denominados de classe GUAPORÉ, mas sempre atribuídos a estes a denominação americana PC 461. Acho falta de personalidade que mesmo a MB, que seja a detentora do poder decisório para atribuir nomenclaturas, e mesmo que adquirindo material estrangeiro, não “apague” a denominação antiga e “batize” no Brasil com nome nacional. Assim é que vemos no único site nacional, que distribui a história dos navios,o NGB ( maravilhoso) denominar “Fletcher”, denominar “PC 461”, para algumas classes e aqui… Read more »

Marcus
Visitante
Marcus

Para efeitos de raciocínio, vejam o caso do CS “Gurupá”. Ele tem descrição no NGB de ter possuido, quando na MB, duas metralhadoras Oerlikon. O CS “Gurupá” foi o ex-USS PC 605, da US Navy. Naquela marinha, veja que se descreve que o mesmo possuía 3 metralhadoras de 20mm: “Specifications: Displacement 280 t.(lt) , 450 t.(fl); Length 173′ 8″; Beam 23′; Draft 10′ 10″; Speed 20.2 kts.; Complement 65; Armament one 3″/50 dual purpose gun mount, one single 40mm gun mount; three 20mm guns, two rocket launchers, four depth charge projectiles, two depth charge tracks……. ” Se é que temos… Read more »

Marcus
Visitante
Marcus

Na minha msg acima, quando escreví MAL DOCUMENTAMOS, quis dizer que fotografamos mal os navios, foram poucas fotos e de má qualidade.
Acredito que os textos sempre façam referencia a imagens, assim como o Marcelo Lopes concluiu sobre a existencia da terceira metralhadora.

Marcus
Visitante
Marcus

Acredito tbm que o CS “Guajará” tinha esta mesma terceira metralhadora Oerlikon. Comparem a foto no navsource do PC 607 ( Guajará ), com a segunda foto do PC 608, e tbm o navsource lista que o PC 607 tinha esta terceira Oerlikon, veja a descrição, que não exaure mas é probabilidade:“Specifications: Displ xxxxxxxxxxxxxxxxxx three 20mm guns”.
O que pensam os colegas? Faço sentido?
Grande abraço:
Marcus

MO
Membro

Marcus

Sim, faz sentido, o problema é a confirmação, pois não ficaria surpreso se nem a MB tivesse hoje, em algum lugar, se foi retirado, mantida ou re-instalada ….

Um dia, quem sabe .. saberemos

Abs
MO

(Desculpe a falta de inspiração na resposta, acontecerem umas treta ai e não consigo HOJE fazer meçlhor que isso)

jsilva
Visitante
jsilva

Marcus, As infos sempre estão e sempre estarão incompletas. O que podemos fazer, já com 30 anos nessa brincadeira, é usar esse tempo de janela para aparar as arestas nessas informacoes. Inicialmente as fichas dos navios foram colocadas com informacoes do navsource e de outras fontes citadas. Essas infos conferiam mas com o passar do tempo, como no caso da “luz” do MO, nos fomos tendo acesso a novidades e vamos fazendo as correcoes necessarias. De forma alguma esse post e essa atualizacao nos navios da classe no NGB encerra o assunto que continua em gestação. É isso que faz… Read more »

MO
Membro

Marcus me desculpe novamente, passei por ums treta neste final de semana e tava com a cabeça a mil, tanto que escrevi besteira no post dos holandelicos resgatando o Taipan os numeros PGM dos Cape/Piratini, se dá à sequencia dos indicativos sequenciais/cascos americanos que foram alocados para MB, se vc reparar, por exemplo os Adans e as Perrys australopitecos eram a mesma coisa DDG isso e FFG aquilo, ver o buraco na numeração da USN quanto ao PC 461, temos um plano deles, que veio junto com o nosso livro PC Patrol Craft of World War II: A History of… Read more »

MO
Membro

Marcus

Na capa do livro CS-4 Caça Submarinos Gurupá, Memórias de um Marinheiro, de João Palma Netto (1984 – Jatabá) aparece uma foto de um PC 461, que por dedução seja o Gurupá. Este NÃO TEM O REPARO DE 20mm NO TIJUPÁ , agora se eh ele mesmo, sao outros 500 … (Dada aquela velha maxima cultural do Brziu, tipo, ah vai essa mesmo …)

Abs
MO

GUPPY
Visitante
GUPPY

Alguém pode me dizer o que é aquele buraco no costado do PC547? Aliás, vejo dois orifícios, um pequeno mais à vante e um bem exagerado mais à ré. Parecem sequelas de um combate.
Abraços