segunda-feira, janeiro 24, 2022

Saab Naval

Mk 8 em ação na Royal Navy

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Mk8 do HMS Sutherland - foto RN

Mk8 do HMS Sutherland - disparo noturno - foto RN

Mk8 do HMS Kent - foto RN

Nas duas fotos do alto, o novo Mk 8 MoD 1 do HMS Sutherland (Tipo 23) realiza testes após a modernização da fragata, incluindo tiro noturno. Comparar com a foto de baixo, onde o modelo mais antigo que equipa outra Tipo 23, o HMS Kent, realiza um disparo diurno em exercício recente, ao largo de Gibraltar. Pelas notícias, tanto a arma (ver outra matéria junto a essa) quanto as doutrinas de apoio de fogo naval a tropas em terra vem sendo aprimoradas pela Marinha Real (Royal Navy).

Atentar também para a diferença de desenho das cúpulas dos modelos que equipam os dois navios, lembrando que o Mk 8 (no modelo mais antigo) equipa três classes de escoltas da Marinha do Brasil: Niterói, Inhaúma e Barroso (11 navios no total). A Barroso recebeu o seu Mk 8 pela disponibilização dos dois reparos que eram instalados na popa das duas fragatas classe Niterói de Emprego Geral, após a retirada dos mesmos para instalação dos lançadores de mísseis antiaéreos Aspide, no programa Modfrag.

FONTE / FOTOS: Royal Navy

- Advertisement -

5 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Samuel Henrique

Apoio de fogo as tropas em terra…o que acredito que também acabaria acontecendo com nossas NIterois e Inhauma em caso de desembarque de fuzileiros!!!!!
Fica a pergunta…um canhão com calibre maior e menor velocidade ou calibre menor e maior velocidade de fogo?????

O duvida!!!!!!!

Dalton

Samuel…

a marinha americana há tempos namora a ideia de um canhão de 155 mm e que no futuro deverá ser embarcado nos novos “DDG1000” e quem sabe em uma nova versão do “Arleigh Burke”.

Canhões maiores ou munições especiais com alcance aumentado
são preferenciais para o apoio a tropas em terra, enquanto que canhões menores e alta cadencia de tiro são mais adequadas para combater
outras embarcações.

abraços

Bosco

Dalton, Ainda serão construídos os 3 DDG1000 ou eles já foram pro brejo? rsrs Acho que no mínimo 8 a 9 seria o mínimo aceitável para prover apoio a um grupo expedicionário. 3 (se é que não foram também cancelados) vai ajudar apenas como bancada de testes de novos sistemas mas com pouca utilidade prática. Também será que o programa da USN para desenvolver um projétil lançado pelo canhão Mk45 com 120 km de alcance (ERPM) foi mesmo cancelado? Se foi mesmo cancelado será um baque muito grande para as forças expedicionárias do USMC que não irão contar com um… Read more »

Dalton

Oi Bosco… na verdade, 2 deles estão sendo construidos simultaneamente, um no Estado do Maine e outro no Estado do Mississippi , mas pelas fotos disponiveis ainda irá demorar um pouco para podermos visualizar aquelas caracteristicas unicas e estranhas. Estão sendo chamados de demonstradores de tecnologia, não dava para simplesmente cancelar depois de tanto investido mas parece que apenas 3 serão construidos, como foram apenas 3 os SSNs Seawolf e que tiveram nos subsequentes SSNs Virginias algo mais flexivel e barato. Até que sistemas mais baratos sejam desenvolvidos, os fuzileiros continuarão com o apoio do canhão de 5 polegadas e… Read more »

Bosco

Previsão para em 27 ou 28 de maio com direito a quebrar garrafa de chapagne e distribuição de charutos.
rsrsrs

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Dois porta-aviões dos EUA entram no Mar da China Meridional para ‘combater influência maligna’

Dois grupos de porta-aviões dos Estados Unidos entraram no disputado Mar da China Meridional para treinamento, disse o Departamento...
- Advertisement -