Home Relações Internacionais Coreia do Norte anula acordo de segurança marítima com Seul

Coreia do Norte anula acordo de segurança marítima com Seul

149
19

ROK Navy KDX-2

Barra de Cinco Pixels

A Coreia do Norte anunciou que vai anular um acordo que tem como objetivo evitar choques navais acidentais com a Coreia do Sul

Barra de Cinco Pixels

vinheta-clipping-navalA medida foi tomada em meio à crescente tensão entre as duas Coreias, após Seul ter acusado Pyongyang de afundar o navio de guerra sul-coreano Cheonan em março, que resultou na morte de 46 marinheiros.

Uma investigação internacional concluiu que o navio foi atingido por um torpedo norte-coreano, mas o país nega ter tido responsabilidade no incidente.

Em um comunicado da agência de notícias oficial norte-coreana, o Exército do país disse que iria “anular completamente o acordo bilateral que foi concluído para prevenir um possível choque no Mar Oeste da Coréia (Mar Amarelo)”.

“Por conta disso, vamos parar completamente de usar walkie-talkies internacionais marítimos ultra-curtos e vamos cortar imediatamente a linha de comunicação que foi aberta para lidar com uma situação de emergência.”

Tensão crescente

No comunicado, o país também ameaçou atacar imediatamente se a Marinha da Coreia do Sul violasse as disputadas fronteiras marítimas do Mar Amarelo, e afirmou ainda que consideraria bloquear o acesso a um projeto industrial conjunto na cidade norte-coreana de Kaesong.

De acordo com o correspondente da BBC em Seul John Sudworth, o anúncio é mais um elemento adicionado pela Coreia do Norte à crescente tensão entre os dois países.

Na última terça-feira, a Coreia do Norte anunciou que iria cortar todas as relações com o sul.

O país também baniu navios e aviões sul-coreanos de seu território – uma medida ratificada no comunicado desta quinta-feira.

Um funcionário do Ministério da Defesa sul-coreano teria afirmado que o país vai lidar “firmemente” com as medidas do norte, sem dar mais detalhes.

A Coreia do Sul já tinha anunciado um pacote de medidas, incluindo o congelamento da maior parte do comércio com a Coreia do Norte. O país também vem pedindo interferência do Conselho de Segurança da ONU.

Exercícios militares

O Mar Amarelo já foi palco de conflitos mortais em 1999 e em 2002.

Tecnicamente, os dois Estados permanecem em guerra desde que a guerra entre as Coreias terminou em 1953, sem armistício.

O comunicado da Coreia do Norte foi emitido horas depois de dez navios de guerra sul-coreanos terem realizado exercícios em preparação contra um possível ataque da Coreia do Norte.

O correspondente da BBC diz que o exercício é um dos primeiros sinais visíveis de uma crescente postura defensiva da Coreia do Sul ao incidente.

FONTE: BBC

19 COMMENTS

  1. Tem de alguma forma como… Seja através dos desfiles,reuniões ministeriais, jantares ou que for.

    Lançar um missil ou bomba em cima das autoridades pensantes(ou não pensantes) norte-coreanas?! Tipo deve haver algúm tipo de oposição lá, sem que seja tímida…Aí o SUl rico compraria apoio de algúns generais e políticos influentes do norte.
    Agiria é um ataque combinado e rápido junto com as forças especiais e norte-americanas. E tomaria o norte numa espécie de blitzkrieg SUL-COREANA.

    Será possível? ou é muita viagem minha?! Esses norte coreanos,estão me saindo um bando de amarelos chatos,egocêntricos e fanfarrões.

    Abraços.

  2. “Salvos” pelo Tio San e USS das garras dos japoneses na WWII para depois entrar em uma guerra que parece ser eterna.

  3. Tudo o que a Coréia do Sul não irá fazer é declarar guerra à Coréia Vermelha. O regime norte-coreano está se esfacelando de podre, e o próprio Kim Jon está no bico do corvo. Assim que ele bater as botas a CN vai entrar em guerra civil: esta será a senha para a CS atravessar o paralelo 38 e inserir o restante da península finalmente no séc XXI.

    Tem que ter paciência, responder às provocações na medida do necessário, mas não atacar. Pois se atacar perderá a vantagem de contar com uma China neutra.

    Sds.

  4. Pedro disse:
    27 de maio de 2010 às 13:54

    Não é muita viagem não Pedro, é totalmente possível. Espera ai que logo logo os generais da Coréia do Sul vão usar sua “idéia brilhante”. Me arrisco até a pensar que vão te convidar para assumir o posto de General-de-10-estrelas-supremo.

    Mas, pensando como mortais, uma carnificina esta prestes a começar. Acredito que se Seul não estivesse tão próximo a fronteira esta guerra já teria começado.

    No mar, fica difícil saber qual a linha entre sul e norte. basta um descuido e a guerra começa. Isso é, se o louco baixinho tiver coragem para enfrentar o sul.

    As guerras de hoje não são mais como as da primeira e segunda guerra, entre homens e poucas maquinas. Hoje prevalece a tecnologia, o que Seul e o norte não. Apesar de achar que o Sul perderia muita gente, acho dificil perder uma guerra para o norte, mesmo com a intervenção certa da China.

  5. Vader,

    Concordo quando diz que Seul não pode atacar, mas acha mesmo que, mesmo o norte atacando, a China ficaria neutra? Oficialmente pode ate ficar, mas extra oficialmente….

  6. Ou o ditador é louco ou para quem trabalha….

    Um dos negócios mais lucrativos da Coréia do Norte, é a fabricação de dólares falsos e distribuição por uma imensa rede de negócios ilegais e clandestinos na Ásia principalmente para o tráfico de drogas e armas.

    A pouco tempo, um perito americano se surpreendeu com a qualidade das cédulas, sendo só possível a verificação de sua autenticidade, porque a cédula Norte Coreana é mais perfeita do que a própria emitida pelo FED, que apresenta pequenas imperfeições na impressão devido a idade e uso contínuo das máquinas e matrizes. A notícia foi imediatamente abafada.

    A questão é, de quem ele conseguiu o fornecimento de papel moeda genuíno, tintas, maquinários e matrizes…

    Pedro, neste caso os dois tem interesse na guerra, não adianta jantares, diplomacia e congêneres, principalmente quando o plano A do Irã foi para o espaço por culpa de nós brasileiros. risos…

    Acredito que antes de qualquer medida, era necessário uma comissão internacional independente para a análise do incidente com a embarcação Sul Coreana (sinto que estão enganando os Sul Coreanos).

    Comprovado o ataque Norte Coreano, qualquer medida retaliatória, deveria partir do Conselho de Segurança, sendo o ideal, a votação da medida (inclusive de intervenção militar) pela Assembléia Geral, já que existe o risco de uso de armamento nuclear num futuro conflito, e isto por si só, extrapola apenas os interesses dos países membros do CS.

    Abs.

  7. Creio que essa novela não vai ter fim nunca. Os dois países vão é ficar se provocando eternamente. Sem culhões esses coreanos.

  8. Vader concordo contigo.

    Mas estou curioso para saber o que está acontecendo nos “bastidores”

    A China é minha maior dúvida, vai ou não abraçar a causa??

    Por mais tirano que aquele baixinho seja, ele não gosta de perder, ele não ia começar uma Guerra, sem ter o aval da China.

    Mas acho que não vai virar nada, a C do Sul não está afim, a não ser que a C do Norte afunde mais uma

  9. Flavio disse:
    27 de maio de 2010 às 14:17

    Flávio, sabe qual o grande temor que a China sente em relação à Coréia do Norte? Uma invasão (milhões e milhões) de refugiados pela sua fronteira comum.

    Com a morte do ditador, o pau vai comer na CN pela sua sucessão. Refugiados afluirão aos milhões para a fronteira Sino-Coreana. Neste amálgama, as tropas sul-coreanas não entrariam como conquistadoras, mas como libertadoras, com ajuda humanitária. E a China estaria de mãos atadas: não poderia fazer nada contra, pois se fizesse seria pior para os refugiados, que atravessariam sua fronteira.

    Por isso que já a bastante tempo a China sinaliza para a CN que flexibilize seu regime: para ter quem por no lugar do maluco Kim Jon sem muitos traumas. Mas o cabra é tão alucinado que fez e andou para sua única aliada, China. Resultado: os chineses já sabem de muito tempo o que irá acontecer, e ficarão satisfeitos com uma ocupação sul-coreana, desde que com ajuda humanitária, para que a própria China não sofra afluxo de refugiados.

    Sds.

  10. É uma disputa de quem não tem nada a perder (CN) x quem tem tudo a perder(CS). Por isso a Coréia do Sul não revida. Num hipotético conflito, alêm do custo da guerra em si, existiria o custo de se reconstruir os dois lados, que obviamente ficaria para a vencedora Coréia do Sul.

    Quanto a China, não entraria na guerra, pelo menos de forma direta. Cerca de 40% de seu PIB vem das suas exportações, numa provável reação internacional a sua entrada na guerra as conseqüências seriam ruins para sua economia. Lembrando que a maioria dos países industrializados estuda formas de barrar os produtos Chineses, a guerra seria uma ótima desculpa para isso.

    Resta saber o que quer a Coréia do Norte, será que o “Cineasta Maluco” acha que teria chances contra Seul? 🙂

    Abs

  11. Não será desta vez que a China PRC vai se meter em algo na península coreana, não é 1950.
    Enquanto ficar restrito somente as Coreias, o maior temor chinês será esse mesmo, o afluxo de refigiados pela sua fronteira comum c/ a Coreia do Norte.
    Os americanos que fiquem quietos no sul.

  12. Vendo pela ótica do Vader acho que o melhor seria esperar mesmo, e se a Coréia do Norte atacar a do Sul vai ter a razão da estar se auto-defendendo.

    Quando isso acabar (se acabar) e as Coréias se unirem novamente, tenho certeza (se não for destruida por nada nuclear) que vai ser uma grande potência militar e econômica (grande mesmo).

  13. A Coréia no Norte, sem o apoio(leia-se suprimentos) da china, não tem condições de manter uma guerra longa(mais de 90 dias) contra o Sul e os EUA.
    Se a china não apoiar a CN, milhões de refugiados coreanos hão de invadir suas fronteiras.
    Este embate é um legítimo jogo de xadrez. Não acredito na capacidade aérea do norte.
    O problema do sul é que eles são uma democracia e como tal, tem gente muito despreparada para Comandar…

  14. Parece que esqueceram o brocado:

    O início de uma guerra pode ser previsto e até planejado, porém o resultado é completamente imprevisível.

    Este clima tenso para mim, reflete uma luta interna dos money “masters” X industriais e políticos norte americanos reféns do primeiro.

    Abs.

  15. Acho que este jogo de xadres irá terminar empatado!
    Os dois, perderiam mais do que ganhariam com uma guerra neste momento. As coreias “marionetes”, são apenas a extremidade de uma lança muito longa conduzida por dois cavaleiros muito poderosos e que eles sim, decidirão o que vai acontecer!!!
    Para esses dois cavaleiros, uma guerra agora, seria muito destrutivo para seus planos futuros. sem contar suas relações, de muita camaradagem e falsidade explicita!!!!
    Quem se decidir por uma ação beligerante, arrastará com sigo, a antipatia mundial e poderá acabar sozinho em uma trincheira fria e fedida por duas nações que eles não dão a minima!!

    forte abraço

  16. Vejo o seguinte a Coreia do Sul não irá atacar a Coreia do Norte, conforme um almirante Norte Americano ele diz mesmo que os Estados Unidos mande uma força tarefa com apenas um porta aviões não seria o suficiente pra segurar os Norte Coreanos, pq eles tem armas destruição em massa, e os Estados Unidos já com duas Guerras é loucura economicamente pra a nação que está economicamente fraca.
    Os americanos conheçem muito pouco o territorio Norte Coreano vai ser um outro Vietnan pra eles, mesmo com toda tecnologia que eles tinha na epoca perderam nem sempre a tecnologia ganha uma Guerra.
    Com certeza logo irá acontecer um conflito armado más será de escalar global: Europa quer o poder do mundo, o Tio Sam Tb e a China tb Quer e a Russia acha mesmo que essas nações iria ficar quieta.
    A Russia concerta irá vender armas para a Coreia do Norte.
    A China Tambem iria vender armas para os Norte Coreanos, e os Estados Unidos e a Europa ia ajudar a Coreia do Sul.

    No meu ponto de vista a Coreia do Norte vai atacar de surpresa, na hora certa, por enquanto ela só está fazendo joguinho.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here