segunda-feira, janeiro 24, 2022

Saab Naval

Compra de Super Hornet pela RN economizaria 10 bilhões de libras

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.naval.com.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A Royal Navy (Marinha do Reino Unido) pode trocar o JSF pelo F/A-18E Super Hornet e economizar 10 bilhões de libras esterlinas. Esta informação foi dada pelo jornal inglês “Sunday Times” ontem (1/8).

A encomenda atual é de 138 aeronaves, cujo custo “fly away” foi estimado pelo jornal em cem milhões de libras. A troca do JSF pelo Super Hornet foi abordada durante um encontro ocorrido entre o ministro da defesa, Liam Fox, e os comandantes das três forças. A reunião tinha como propósito a discussão dos cortes no orçamento militar.

Uma outra opção comentada recentemente foi a possibilidade da Royal Navy adquirir caças franceses Rafale.

“O programa JSF é inacreditavelmente caro, não faz sentido no atual momento e se nós insistirmos não conseguiremos comprá-lo”, informou uma fonte ao jornal inglês.

Recentemente o Reino Unido divulgou que estaria interessado na instalação uma catapulta eletromagnética nos futuros navios da classe “Queen Elizabeth”, caso o F-35 não fosse escolhido como a aeronave principal do grupamento aéreo embarcado.

LEIA TAMBÉM:

- Advertisement -

58 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
58 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
URUTAU

Caros amigos da Trilogia

Caros amigos eu sempre disse e nunca vou cansar em dizer ( Obama estava errado quando disse que Lula era o cara ) :

Este sim é O CARA

Um forte abraço amigos

arlei

a mb nao podia substituir o a-12 por um ‘queen elizabeth’?

Ricardo

Poderiam então desenvolver uma versão Super Silent Hornet pra Royal Navy

Marcelo

Não acho impossível. O argumento de que já gastaram dinheiro é relativo. Se fosse assim, o Comanche não teria sido cancelado, ou para ficar no Reino Unido mesmo, o TSR.2 não teria sido cancelado. Aliás, se eu fosse eles, já teria feito isso (comprado os F-18E/F), pois o F-35 será só um bombardeiro, e o F-18E/F é muito mais flexível (a US Navy vai substituir o F-18E/F com um caça de 6a geração e não com o F-35. O F-35 está substituindo o F-18A/B/C/D os Harrier II dos Marines).

Rodrigo

É mais plausível que o Rafale.

Fernando Sinzato

Eu apostaria em uma parceria para o outro NAE quem sabe “Princesa Áurea” e “Princesa Hindu” com a participação conjunta do desenvolvimento do acelerador eletromagnético, construção, ToT e desenvolvimento de novas tecnologias (Vants Navais e plataformas para os mesmos). Olha a escala….

rs.

João Gabriel

acho meio difícil,afinal de contas já faz 33 anos desde que o ultimo jato de decolagem convencional da RN foi retirado de serviço…Onde e como operariam esses SH na RN?

Abçs!

Tito

Olha a escala do F/A-18 crescendo.

Quem sabe…

Tito

Rodrigo, acho que eles nem cogitaram o Rafale.

Só a Banânia mesmo…

Jakson Almeida

Eu venho dizendo que o futuro do f-35 sera o mesmo do f-22,com somente algumas centenas produzidas.

Ozawa

Seria excelente para o SH. Teríamos um belíssimo caça de 4,5 geração ainda na vanguarda por uns 30 anos, com uma escala de produção para as 2 mais poderosas marinhas do mundo. Agora, uma dúvida, o HMS Q.E não está projetado como VSTOL ? Mudariam, então, todo o projeto ? P.S. Bem o Brasil poderia entrar nessa onda também… Já pensu um pensaram um FX2 SH para a FAB e a MB ? E a MB operando um caça também em operação na USN e na RN ? Sonhar não custa nada…, nem depende de parecer “forjado” da FAB nem… Read more »

MVMB

Esse projeto do JSF foi idealizado no Brasil?

Não fica pronto nunca !!!!! e já está custando 5X mais que o previsto inicialmente.

è o Brasil exportando tecnologia bélica!!!!!!!

A7X

Se levarmos em consideração que o Vespão também é um concorrente do Typhoon e que a Europa prepara fará uma ampla cooperação na área de defesa, o Rafale não é uma opção tao absurda.

Abs.

Groo

O HMS Queen Elizabeth será nuclear? Não achei nada sobre a propulsão do futuro NAe britânico.

Dalton

Os britanicos até flertaram com propulsão nuclear mas a abandonaram
devido ao custo e complexidade , mesmo o proximo porta-avioes frances não será nuclear.

O HMS QE terá turbinas a gás e motores diesel.

abraços

Clésio Luiz

Já imaginaram o SH na RN?

– Motores EJ-200;
– Radar Captor AESA;
– Canhão Bk-27;
– Aviônicos britânicos;

F-4K/M de novo?

Biel

Eu acho que é bem possível!

Vader

Impossível não é (impossível é o Rafale na RN). Mas se os britânicos fizerem isso irão usar o SH como um tampão, pois o F-22 não será vendido para ninguém e o tal T-50 um dia (2025+) irá equipar a Rússia e samicas a Índia. Fora os outros stealth que surgirão até 2030. Ao fim e ao cabo os britânicos terão de adquirir o F-35 mais cedo ou mais tarde, se quiserem manter seus futuros NAes no estado-da-arte (levando-se em consideração que caças UAVs apenas serão viáveis para lá da terceira década do século). Agora, configurar NAes para operar uma… Read more »

Groo

O HMS Queen Elizabeth ainda está na fase inicial de construção e seu projeto é bastante flexível no que se refere a operar aeronaves STOVL ou convencionais.

Até existe um desenvolvimento paralelo de uma catapulta eletromagnética para o caso de uma eventual adoção de uma aeronave convencional.

Gilberto Rezende

Pelo menos na RN o F-35 da Lockeed Martin definitivamente SUBIU NO TELHADO….

E a tal catapulta magnética inglesa vai ter que sair porque sem catapultagem os Super Hornet ou os Rafales não operam full power…

Mauricio R.

Até aí troca-se o F-35B, a versão mais complicada e arriscada do JSF, pelo F-35C a versão CTOL que equipará a US Navy.

Cor Tau

一═┳︻ Iiiiiiiiiiiiiiiiiii…………… 🙂

Jaime Matos

A Inglaterra já usa o Gripen para treinamento de pilotos. Quanto será que ela economizaria se usasse o Seagripen NG ? Taí a chance da Suécia oferecer e deslanchar o SeaGripen. Ele já desenvolvido seria um atrativo a mais para Brasil e India.

Jaime

Jaime Matos

Porquê não desenvolver uma versão melhorada do Sea harrier com radar AESA, Fuselagem Sthealth e tudo mais ? Pssível é , veja o que fizemos com o F 5, um avião totalmente ultrapassado e com novo fôlego. Imaginem como seria com radar AESA. Depois do FX 2 dominaremos essa tecnologia.
Valeu..

marlos barcelos

F-35 o mico do séc. XXI, ninguém acha o f-35 um grande caça, Israel não o quer, a Inglaterra idem, o Canadá quer pular fora, pense num caça. Resta saber se os EUA comprarão o f-35 que tá mais caro que o f-22.

Fernando Fidelis

uia esses ingleses estão ficando moles hein…..
se continuar asssim daki 30 anos agente vende uns caças para os hermanos(algum que ganhar o FX-2 e estiver passado pela MLU) e uns 2 sub nuclear e eles toman as malvinas!!!!!!

Giordani RS

Atenção: O Harrier irá ressurgir!

Giordani RS

Harrier e Sea Harrier, obviamente…

Antonio M

A ingaterra deveria continuar com o Sea Harrier mesmo mas, aquela versão noerte-america aperfeiçoada mesmo que ainda seria um adversário muito respeitável.

E não descartaria a possibilidade de deslanchar o Gripen NG por causa da versão naval. Os suecos deveriam ficar mais espertos com essa oportunidade……

Antonio M

E a jaca francesa corre o risco e ser desprezada mais uma vez ! rsrsrsrsrs!!!!

Cláudio

Navy adquirir caças franceses Rafale…..”

O Rafale é sempre sugerido, mas está perdendo todas para o F-18 SH. Isso é complicado…!!! E o duro é que perde de goleada, pois são muitas as encomendas de F-18 SH.

As Vezes Acho Que o Nosso “END” ao Tratar da Transferência de Tecnologia Prevê Algo Difícil de Ser Concretizado no Meio Internacional.

É Como Se Chegassem Em Nós e Pedissem a Tecnologia das Centrífugas De Angra 1. Tenho Certeza que a Marinha Negaria, ou a Barganha de Tecnologia Teria que Ser de Alta Envergadura.

Cláudio

No início leia-se:

“Uma outra opção comentada recentemente foi a possibilidade da Royal Navy adquirir caças franceses Rafale…”

Ivan

Amigos, Lembram do recente artigo publicado no jornal Haaretz, de Israel, escrito pelo ex-gerente do Programa do caça Lavi (foto acima) e Ministro da Defesa israelense Moshe Arens? Ele reclamava do valor da aquisição de F-35 por Israel, que era melhor desenvolver algo com Índia/Rússia e coisas do tipo. Qual era o real objetivo? O Nick sugeriu, com propriedade, que seria uma forma de Israel pressionar para participar da eletrônica do ‘seu’ F-35, o que é péssimo para a Lockheed como negócio, além de, é claro, precionar por uma redução do preço. Agora a Inglaterra. Qual o verdadeiro objetivo de… Read more »

Nick

O F-18 E pode ser uma solução econômica, mas a Royal Navy deixará de ser Estado-de-arte em termos de meios navais. Pode ser uma solução para preencher o GAP até a chegada dos F-35C. Essa classe de PA “Queen Elizabeth” na sua versão Catobar seria perfeito para a MB, ainda mais com cataputas eletromagnéticas. O projeto francês na minha opinião é relativamente pequeno, e os americanos, grandes demais. Para os esquadrões de caça embarcados, o F-35C seria o ideal ou o SU-50 na versão para operar em PAs. Temos de pensar que o início de operação dos novos PAs se… Read more »

marlige

O dia em que a RN comprar material belico dos franceses, Fecha a conta e passa a régua !!!!!!!

Dalton

“O projeto francês na minha opinião é relativamente pequeno” Nick… O proximo porta-avioes francês será de tamanho equivalente ao QE inclusive serão fisicamente semelhantes com duas “ilhas”, até porque, como não será movido a energia nuclear, necessitará transportar combustivel para si o que exigirá mais espaço embora sua capacidade de transporte de aeronaves será pouco maior que a do Charles de Gaulle, 50 aeronaves (máximo) contra 40. A decisão deverá ser anunciada em 2011 ou 2012 pelo Presidente Sarkozy e quanto antes melhor pois o Charles De Gaulle necessita ser reabastecido a cada 7 anos portanto em 2016 ou 2017… Read more »

Mauricio R.

“Porquê não desenvolver uma versão melhorada do Sea harrier com radar AESA, Fuselagem Sthealth e tudo mais ?”

Essa versão melhorada, chama-se F-35B.

Francisco AMX

E no final quem estava certo? a França ou o Consórcio Spano-anglo-germanico-pizzaiolo? Se o Typhoon tivesse uma versão naval, como queriam os franceses, e assim o fizeram com o Rafale, hoje a RN não estaria nesta sinuca de bico! A escolha da França foi a certa! o Rafale é mais versátil e, pq não, capaz que o Typhoon. Este avião é tão ruim, que até a Inglaterra já cogita/cogitou sua adoção! realmente é uma “jaca”… um “lixo” que uma das melhores marinhas do mundo leva, e de forma seria, em consideração. Pode dar SH? nada mais natural, pelo alinhamento com… Read more »

Nick

Caro Dalton,

Valeu pela correção, a informação que eu tinha era que o PA2 seria maior que Charles de Gaulle mas menor que o Queen Elizabeth. Deslocamento em torno de 50.000 tons contra 61.000; portanto seria inferior em deslocamento ao PA inglês. Se tiverem deslocamentos semelhantes, ae fica ao gosto de freguês mesmo.

[]’s

HMS TIRELESS

“A escolha da França foi a certa! o Rafale é mais versátil e, pq não, capaz que o Typhoon.” Jaca mais capaz que o Typhoon somente no marketing mentiroso da Assault “Este avião é tão ruim, que até a Inglaterra já cogita/cogitou sua adoção! realmente é uma “jaca”… um “lixo” que uma das melhores marinhas do mundo leva, e de forma seria, em consideração.” Não creio que tenha levado de forma séria! é somente uma especulação em face do aumento dos custos do F-35 e, ao final, os Ingleses não iriam trocar um vetor com ótima escala de produção, excelente… Read more »

Francisco AMX

“Jaca mais capaz que o Typhoon somente no marketing mentiroso da Assault”

Eu deixei no ar, e tenho dúvidas, sobre a superioridade do Rafale sobre o Typhoon e vice-versa, já vc, como sabe tudo, pelo jeito, categoricamente afirma que não! vc deve ser engenheiro da DAssault e do consórcio TP… rsrsrsrs
Porém o que se sabe, e não foi desmentido categoricamente, é que o Rafale F-2, superou o Typhoon no deserto dos EAU…

Sds!

Francisco AMX

Mais uma coisa, neste mundo dos grandes fabricantes de armamento, onde tem Marketing “Honesto”? é o da Boeing? da SAAB? vc me fez rir com esta bobagem amigo!

Sds!

Dalton

Nem tanto ao mar nem tanto a terra Francisco ! Dos 5 paises que uma vez sonharam com uma aeronave unificada, o unico que tinha e continua tendo um porta-avioes decente, é a França. Italia e Espanha precisavam de uma aeronave STOVL, o F-35B e a Alemanha não precisava de nada “naval” e mesmo os britanicos na época estavam indecisos sobre que sistema utilizar, assim, quem mais necessitava de uma aeronave convencional para porta-avioes eram os franceses, portanto venceu a maioria, 4 x 1 ! O Rafale é uma excelente aeronave, se é tão melhor assim que os outros que… Read more »

HMS TIRELESS

Dalton:

Fica a pergunta: do que adianta ter um porta-avioes se ele não encontra-se disponível. É fato sabido por todos que o Charles de Gaulle possui baixíssima disponibilidade, a ponto de ser jocosamente conhecido como “belo antônio”. Ao menos os pequenos NAes VTOL de Itália, Espanha e GB possuem ótima disponibilidade, estando mais tempo no mar em comissão do que o navio gaulês.

Dalton

Tireless… o CDG teve e tem sua parcela de problemas, tanto que os franceses não pretendem repetir a propulsão nuclear em seu proximo porta-avioes,agora quanto a permanencia no mar, o CDG não deve nada aos demais, como o Principe de Asturias por exemplo. O espanhol em cerca de 20 anos passou 1900 dias no mar enquanto o CDG em quase 7 anos, antes de passar pelo seu reabastecimento passou cerca de 900 dias no mar, o que proporcionalmente significa mais tempo no mar. No caso dos britanicos eles possuem 2, o que permite que um esteja sempre disponivel, mas, com… Read more »

Aldo Ghisolfi

O F-35 está sendo rejeitado inclusive pelo Canadá.

Nick

Caro Dalton,

Pesquisando sobre o PA2 projeto francês de propulsão convencional, este desloca carregado de 75.000 tons!! Agora, para a MB teria um deslocamento de 50.000 tons?!?!? Não seria melhor adotar o PA2? Mais espaço nunca é demais 🙂

[]’s

Caipira

Reclamam de barriga cheia, tiveram que usar harrier nas malvinas por exemplo, o abismo de desempenho entre ele e o F35 é enorme…
As vezes fico imaginando a vantagem enorme pra uma força que opere um 5º geração embarcado…

Vader

Francisco AMX disse:
3 de agosto de 2010 às 13:22

“Porém o que se sabe, e não foi desmentido categoricamente, é que o Rafale F-2, superou o Typhoon no deserto dos EAU…”

Caro Chicão, foi desmentido categoricamente SIM pela Eurofighter, ao passo que na mesma notícia e do mesmo teor, só que em relação ao F-22, a USAF respondeu com seu clássico risinho de sarcasmo… 🙂

Aliás, o amigo não deveria se fiar em blog francês para falar bem de avião… francês! Isso porque elogio em boca própria é vitupério, diria minha avó… 😉

Abs.

Joker

Deixemos as paixões do FX2 pro Aereo, aqui a discussão está relacionada aos cortes orçamentarios na RN e as consequencias ao(s) GAE do(s) futuro(s) Porta-Aviões da classe.

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Dois porta-aviões dos EUA entram no Mar da China Meridional para ‘combater influência maligna’

Dois grupos de porta-aviões dos Estados Unidos entraram no disputado Mar da China Meridional para treinamento, disse o Departamento...
- Advertisement -