Home Aviação Naval 23 de agosto – Dia do Aviador Naval

23 de agosto – Dia do Aviador Naval

947
41

A história da Aviação Naval Brasileira se inicia em 23 de agosto de 1916, com a assinatura do decreto de criação da Escola de Aviação Naval (EAvN), pelo então Presidente Wenceslau Braz, sendo ela a primeira escola de aviação militar do Brasil e, portanto, o berço de nossa aviação militar.

Nesses 93 anos de existência, a Aviação Naval vem traçando um trajetória marcada pelo pioneirismo e bravura, lembrando que apenas dez anos após o primeiro voo do 14Bis por Santos Dumont, a Marinha do Brasil já fazia história com a aeronave Curtiss F 1916, iniciando a conquista da operação aérea em proveito dos meios da Esquadra.

Fatos que vão desde a realização do primeiro deslocamento aéreo no Brasil, passando pela participação na 1ª Grande Guerra, integrando o 10° Grupo de Operações de Guerra da RAF, até os dias atuais, nas operações com asa-fixa embarcada no Nae São Paulo (A12), o que coloca a MB em um seleto grupo dentre as marinha do Mundo.

A Aviação Naval se faz hoje presente em todo o território nacional, desde a Amazônia Azul até a Verde, através de seus Esquadrões Distritais (HU-3 em Manaus-AM, HU-4 em Ladário-MS e o HU-5 em Rio Grande-RS) e dos demais Esquadrões (HI-1, HU-1, HU-2, HA-1, HS-1 e VF-1) que formam o complexo aeronaval de São Pedro da Aldeia, que ainda compreende o Comando da Força Aeronaval, Base Aéra Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA), Centro de Instrução e Adestramento Aeronaval (CIAAN), Depósito Naval de São Pedro da Aldeia (DepNavSPA) e a Policlínica Naval de São Pedro da Aldeia (PNSPA), contribuindo assim para a Defesa da pátria.

No mundo verde da Amazônia, presta apoio na área da saúde às populações ribeirinhas e patrulha nossa vias fluviais, no Pantanal, protegendo as nossa fronteiras e se estendendo até o Continente Antártico, apoiando a Estação Antártica Comte. Ferraz (EACF) e compondo o Destacamento Aéreo Embarcado (DAE) no Napoc Ary Rongel, apoiando também o desenvolvimento científico do Brasil.

A Aviação Naval Brasileira está preparada para atuar em qualquer outro cenário onde a sua presença se faça necessária.

O atual Comandante da Força Aeronaval é o CA Liseo Zampronio.

“Aviação Naval.

No Ar, os Homens do Mar.”

LOGOMARCA: 3SG Pinheiro (CIAAN)

FOTO: Alexandre Galante/Poder Naval

 

41 COMMENTS

  1. Por Favor…!!! Não se trata de crítica destrutiva.

    Mal compraram os A-4 e tem um ai aparentemente desativado (ficarei contente se me disserem que está apenas em exposição).

    Para quem gosta das Forças Armadas, ao mesmo tempo que é prazeroso ver essa imagem também muito é triste, pois é uma aeronave a menos no NAe São Paulo.

  2. Parabéns aos aviadores navais, e um parabéns especial aos de asa fixa, por manterem a perseverança, apesar de tantas opiniões em contrário.

  3. Cláudio , ia comentar quase isso que você falou! Sabemos que a marinha comprou 23 A4, mas vai utilizar somente 12, ou seja alguns anos após a modernização, sabemos que a disponibilidade cai um pouco, então na média vai ter uns “8” na ativa, e uns quatro fazendo revisâo programada! Bom os A4 quer não forem modernizados serão utilizados como fonte de peças, esse que está espetado já deve está totalmente oco!

  4. Apenas completando o que Eu disse acima…

    Apesar de não ter ninguém na família que seja do meio Militar, Eu tenho muito respeito pela “hierarquia” e acredito que nenhuma Empresa ou Instituição creça sem ela.

    Fica aqui nossos Parabéns aos Militares da Marinha, pois mesmo com todas as “anomalias” que enfrentam conseguem retirar o máximo de tão pouco e aos poucos constroem uma aviação Naval que impõem um certo respeito.

    Parabéns…!!!

  5. Sabre disse:
    23 de agosto de 2010 às 9:36

    Eu compreendo o que você falou, mas mesmo assim Eu acho que alguma empresa nacional tinha que fazer peças similares para fins de reposição.

    Todavia, esse meu ponto de vista, talvez esbarre em “contrato internacional com os EUA” (por ex: pode usar meu avião, mas não pode fazer peças de reposição similar, pois quando menos se espera está fazendo o avião todo kekekekekekeke).

    Creio que meu modo e enxergar seja isolado, pois nenhum País quer permitir que o outro progrida….

    abçss….

  6. Entendo seu ponto de vista ,cladio ,mais existem ainda A4 no mundo todo estocados ,agora no momento oportuno a MB ,deveria ver melhor a proposta da Finlandia que tem alguns A4 desativados e modernizados

  7. Cláudio disse:
    23 de agosto de 2010 às 9:46

    “Eu acho que alguma empresa nacional tinha que fazer peças similares para fins de reposição.”

    e dai vai vender a produçao pra quem??

    fazer uma peça só pra atender só a MB…. quem que vai investir em fábrica, ferramental e tudo mais pra produzir meia dúzia de peças pra um avião que ninguém usa mais?

  8. Falando em aviação naval uma curiosidade sobre as duas unicas que operam porta-avioes nucleares…

    A França comemorou este ano 100 anos de sua aviação naval, quando em 1910 um hidroavião decolou da agua usando apenas de seu motor.

    No inicio de 1911 o piloto de testes Eugene Ely que no ano anterior já havia conseguido decolar do USS Birmingham conseguiu pousar a bordo do USS Pennsylvania utilizando pela primeira vez um gancho e cabos de retenção e logo depois decolou demonstrando pela primeira vez a adaptabilidade de aeronaves operando a bordo de navios e logo depois pilotos navais foram admitidos e começaram a ser treinados.

    1911 portanto marca oficialmente o nascimento da aviação naval nos EUA e ano que vem provavelmente veremos porta-avioes cruzando juntos com as tripulações formando nos convoos dizeres comemorativos como quando em 1961 os USS Intrepid, Saratoga e Independence dividiram entre eles a frase “Naval Aviation 1911-1961” comemorando 50 anos.

  9. É TRISTE TER QUE RESPONDER OQUE ALGUNS PERGUNTARAM … SIM SENHORES ESSA AERONAVE JA ESTÁ EM ESPOSIÇÃO NA BAENSPA , OQUE VEM OCORRENDO É UM PROBLEMA DE PEÇAS QUE NOSSOS AMIGOS AMERICANOS NÃO QUERIAM AJUDAR VENDENDOAS , AI COMEÇOU UMA SERIE DE DEPENAGEM NAS AERONAVES , MAS POREM A MARINHA CONSEGUIU FECHAR UM ACORDO COM ISRAEL PARA PELOMENOS COMPRAR MOTORES E TURBINAS , JA NOSSA QUERIDA EMBRAER FICOU COM 3 AERONAVES PARA FAZER UMA ESPECIE DE MODERNIZAÇÃO NELAS JA QUE AS AERONAVES SÃO ANTIGAS , ANTIGAS MAS POREM MUITO BOAS POR SUA VASTA EXPERIENCIA EM COMBATE PODEMOS DIZER Q O A4 É UM DOS MELHORES CAÇAS SUBSONICOS DO MUNDO AINDA E ALEM DISSO OPERA UMA GAMA DE ARMAMENTE INCLUSIVE PODE OPERAR NUCLEARES , UM EXEMPLO DE SEU POTENCIAL FOI A GUERRA DAS MALVINAS ONDI ELE ÉRA CONSIDERADO UM AVIÃO FRACO PELOS BRITANICOS MAIS QUE FEZ UM ARRAZO NA MARINHA DELE , VIVA A AVIAÇÃO NAVAL !!!

  10. A MARINHA DO BRASIL POSSUI HJ 18 AERONAVES SENDO Q 12 MOTORES E TURBINAS JA CHEGARAM , 6 JA ESTÃO OPERACIONAIS 3 SENDO MODERNIZADO COISA QUE ACONTECERA COM TODAS AERONAVES QUE AINDA TIVEREM CONDIÇÕES BOAS
    OUS SEJA UMAS 18 NÃO SUBESTIMEM O A4 POIS NA ÉPOCA DELE ELE FAZIA O F14 DE GATO E SAPATO NOS TREINAMENTOS AMERICANOS

    NOTA DOS EDITORES:

    WILL, ÓTIMO TRAZER SUAS INFORMAÇÕES PARA O DEBATE, MAS SOLICITAMOS QUE NÃO FAÇA SEUS COMENTÁRIOS APENAS EM MAIÚSCULAS, OU ELES SERÃO APAGADOS. ESCREVA COMO A MAIORIA FAZ.

    MAIÚSCULAS (ASSIM COMO NEGRITO) SÃO APENAS PARA NOTAS COMO ESTA, DOS EDITORES DO SITE.

  11. Como sou leigo e absolutamente ignorante sobre questões que envolvam a aviação naval, gostaria de perguntar aos editores ou a qualquer leitor que entenda do assunto, o porque da marinha brasileira utilizar os A-4. Ok, quando eles foram comprados o Minas só podia operar esse avião, mas pelo que sei o São Paulo pode muito bem operar aviões da categoria do F-18 A/B. Que estão na ativa nos Marines, na Navy, no Canadá, na Espanha, e por aí vai. Creio que a marinha não obtém peças de reposição porque as peças são literalmente peças de “museu”. Os F-5 da FAB não tem esse problema porque é usado em muitas FA´s mundo afora e compensa manter uma linha de reposição. Gastar alguns milhões na atualização, apesar de excelentes máquinas (em sua época), não é gastar dinheiro em algo absolutamente inútil? Acho que o objetivo de um porta-aviões não é só treinar seus pilotos, mas manter uma capacidade de dissuasão crível. Coisa que seria mais convincente com 6 Hornets (ou quem sabe 6 mig´s 35) do que com 12 A4 (mesmo modernizados). Ou falei bobagem?

  12. O pessoal aqui do Blog gosta de discussão mesmo.

    Fazem dois posts relacionados ao A4

    Acho muito triste já termos A4 espetados por aí. Quando foram comprados, oque mais se leu na época, é que eram aviões com pouquíssimas horas de voo e que tinham sido uma excelente oportunidade para nossa Marinha. Mas o tempo passou, poucas horas foram voadas e só vamos modernizar 12 unidades. É muito triste, para não dizer patético, deixar de operar 23 aviôes para operar somente 12. Isso fica pior ainda quando levamos em conta o valor irrisório para a modernização de cada avião.

    Como já disse em outras postagens, falta planejamento, seriedade, comprometimento de nossa Marinha. Se a verba é curta, então que se aposente tudo e se tenha apenas aquilo que podemos de fato operar.

    São corvetas sem manutenção, misseis vencidos, falta de marinheiros, aviões que não voam, PA que só serve de palco…

    Dá dó…

    Um brinde a incompetência nesses 94 anos de vida da nossa aviação naval….

  13. Parabéns aos nossos pilotos navais!

    E desejo que um dia, além deles é claro, tenhamos também uma Aviação Naval e claro antes de tudo uma MARINHA!

  14. Em 1973 nos céus do Sinai, “os três dedos da morte”, fizeram gato e sapato dos Skyhawks.

    E na MB ainda temos veteranos da campanha das Falklands, que tb fizeram gatinho e sapatinho dos Skyhawks.
    E não tiveram CAP de Sea Harrier p/ ajuda-los.

  15. Caros amigos, isso é Brasil e com noticias assim : Folha de São Paulo “Justiça anula provas da Polícia Federal contra família Sarney” vocês acham que estes politicos estão preocupados com a defesa do Brasil? e que fariam alguma coisa em prol da FFAA? KKKKKKK

  16. Eu li e vi varios documentários sobre a guerra das malvinas. O A-4 se mostrou um avião subsonico osso duro de roer como o Will disse. Muitos conseguiram ter a capacidade voar até a base com danos considerados criticos. Acredito que a compra desses vetores foi de grande importancia para um aprendizado na MB.

    Mas ressalto que o tempo de aprendizado passou… o importante seria a aquisição de novos vetores…. de preferencia não norte americano, pois como foi dito pelo Will, os americanos embargam de sacanagem mtos equipamentos para o Brasil.

    E ainda vos pergunto, vale mesmo a pena comprar o F-18 e sofrer com essas babaquices norte-americanas?

  17. “…pois como foi dito pelo Will, os americanos embargam de sacanagem mtos equipamentos para o Brasil.”

    O upgrade de quase 50 F-5E/F, foi feito c/ anuência de quem???
    Aliás, partes e peças importantes desse upgrade são americanas.
    Lembre-se que por mto menos, a Venzuela teve o seu upgrade de F-16A/B interrompido.
    Ao passo que, de acordo c/ pelo menos um outro forista aqui do blog, solicitações de compra de armamentos p/ os M-2000, estão sendo tratadas c/ extremo pouco caso pelaos franceses.

  18. bem , caro amigo pelo que sei as peças que compramos para os F5 são peças israelenses e britanicas , alem do que o F5 foi modernizado pela embraer e seus componentes avionicos foram feitos aqui , mas porem, com tudo , todavia , oque quero dizer é o seguinte americanos vendem algumas peças e outras não e quando eles vendem peças tipo uma peça que valeria (500 mil) eles vendem por 1,5 milhão entendem o embargo? a Embraer esta modernizando os A4 muito bem , o desenvolvimento similar ao da Mod do F5

  19. Uma solução provisória ao meu ver seria fazer uma versão Naval do Amx com os novos componentes emplementados no F5 br que o transformou em um caça de 4 geração

  20. oque precisamos para deixar nossa força aeronaval um pouco competitiva , seria aquisição de aeronaves de alerta antecipado como as da fab , e mais aeronaves para o esuqdrão Ha-1 e Hs1 outra coisa que queria falar é que a Marinha americana esta testando um super tucano para apoio de fogo para os fuzileiros navais , po se os caras estão testando la ? por q não montar aqui no minimo uns 3 esquadrões deles, sendo que são fabricados aqui para dar apoio de fogo no minimo umas 60 unidades sairia ao preço bem baratopara dar apoio ao nosso pequeno contingente de fuzileiros que não passa de uns 12 mil homens? precisamos gastar mais com a Embraer , Avibras e Engeprom

  21. Essa aeronave “espetada”, como muitos mencionaram, faz pensar. Inegavelmente é um monumento bonito, mas as autoridades competentes poderiam esperar um pouco para “espetá-lo”, pois se trata de uma aeronave operacional. É de abalar o moral do cidadão entrar em uma base que tem no seu portão como monumento (o que geralmente nos remete ao passado) a mesma aeronave utilizada nas missões diárias. Eu, na minha modesta opinião, acho uma piada.

  22. “…pelo que sei as peças que compramos para os F5 são peças israelenses e britanicas…”

    Cockpit e ecm israelense, radar italiano, unidade inercial/gps de nav/attack americana e os rádios do data link são alemães.

    “…e seus componentes avionicos foram feitos aqui…”

    Somente engenharia de produto e alguma assistência técnica, o que não veio de Israel, veio da subsidiária americana mesmo.

    “…precisamos gastar mais com a Embraer , Avibras e Engeprom…”

    Não de maneira alguma somente se e qndo essas empresas tiverem algum produto, que avaliado contra o que há disponível no mercado, esse produto se mostre realmente vantajoso adquirir.

  23. Só complementando o que o Mauricio R. comentou..
    Os nossos A-4 Skyhawk (que se não me engano são os ultimos fabricados e que foram comprados do Kwait) foram entregues ao Kwait em 1977. Ou seja, é um avião com mais de 30 anos (mais velho que muitos daqui), mesmo tendo voado pouco no Kwait (estavam estocados quando a MB o comprou) é um avião velho e com isto, os estoques de sobressalentes vão acabando e os que sobram vão ficando caro (para ajudar alguns com um grande vies antiamericano.. tente achar peças novas de um VW Valiant ou um Corcel da década de 70 para ver que nem é má fé dos diabolicos gringos). Como as peças não são encontrados ou vc é obrigado a canibalizar os mais arrebentados ou paga carissimo para alguém canibalizar em algum lugar, não tem magia. Construir ou montar peças é algo dificil e caro, pois tem todo o problema de ferramental e testes. A “modernização” dos caças é para poder continuar voando (pois as partes originais não são mais encontrados ou de manutenção carrissima) e de quebra, vc tem algo que possa ser temido (alguns preferem o vice-versa).
    No mais..os Israelenses são muito bons neste processo, inclusive o fazem nos Migs a um preço muito competitivo..
    Ou seja, os gringos são e foram muito mais “sacanas” em tempos passados, mas neste caso digamos que não tem culpa.Menos antiamericanismo..
    []

  24. Senhores,

    Parem com esta besteira de avião espetado e coisa e tal! É fato e de conhecimento da MB que algumas células compradas, voariam muito pouco ou talvez nunca voassem, mas eram nescessário ter as mesmas (e faziam parte do pacote) como fonte de peças para as demais.

    Esta aeronave virou sim monumento na Macega e não é vergonha nenhuma ela estar lá!

    MVMB, vão te atirar pedras porque a sua informação é incorreta.

  25. Parabéns a Marinha do Brasil e aos aviadores navais!
    Aproveitando o tópico, acho que está na hora da MB adquirir mais alguns A-4 bem conservados…
    Afinal, apenas 12 em funcionamento não é um número muito convincente, o ideal seria uns 36!
    12 em terra para treinamento e 24 no São Paulo!

  26. Bom dia a todos! a FAB modernizou seu 46 F-5 e a possibilidade de mais 11 serem modernizados, 53 A-1 tambem vão ser modernizados ate 36 HM-1 pantera do exercito vão ser modernizados entre outras modernizações; porque somente 12! devido falta de suporte financeiro para revisões dos motores que é feito na argentina, desgaste normal de peças e falta das mesmas para montagem.

    • André,

      12 é um número bom para se formar um esquadrão de caça. Além disso é um número realista frente aos recursos da AvN. Aviação é uma atividade cara. Aviação aval é mais cara ainda.

      O contrato com a Argentina foi encerrado. Tinha motor que ia para lá e voltava pior do que quando foi. Agora é com os israelenses. Isso melhorou muito a disponibilidade do VF-1.

  27. Parabéns pelo dia do Aviador Naval, neste dia 23 de agosto, que sejam sempre avante na defesa de nossa pátria, até o dia que o General dos generais retorne e institua uma pátria universal onde não mais será neceesário as forças armadas, pois as coisas de um mundo inseguro serão apenas sombras de um passado que não mais existirá.

  28. FELICIDADE A TODOS OS PILOTOS DA MARINHA DO BRASIL PELO SEU DIA DO AVIADOR NAVAL E EM PARTICULAR A MEU FILHO Cap.Ten GREGÓRIO .

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here