Home Sistemas de Armas BPE Juan Carlos I (L61)

BPE Juan Carlos I (L61)

1113
7

O BPE (Buque de Proyección Estratégica) Juan Carlos I (L61) já operou com helicópteros e em breve fará testes com os jatos Harrier II da Armada Española.

Nas fotos, o lançamento do BPE (Buque de Proyección Estratégica) Juan Carlos I (L61), da Armada Espanhola, em 10 de março de 2008.
O navio, cujo conceito foi aprovado em 2003 e a construção iniciada em 2005, é similar aos BPC da classe francesa “Mistral”. Ele tem 231m de comprimento e vai deslocar 27.000t carregado.
O BPE Juan Carlos I vai proporcionar um aumento na mobilidade das forças anfíbias, provavelmente substituindo os LST L-41 Hernán Cortés e L-42 Pizarro, da classe Newport(mesma do NDCC Mattoso Maia da MB); sua construção aconteceu num momento em que a Espanha assumiu mais responsabilidades no cenário internacional.
O navio poderá transportar uma força de combate de 900 fuzileiros navais e um total de 46 carros de combate. Operando como navio-aeródromo, poderá embarcar até 30 caças AV-8B Harrier II ou F-35B. Uma doca na popa pode transportar até quatro LCM ou um LCAC (Landing Craft Air Cushion).
O BPE Juan Carlos I é o primeiro navio da Armada Espanhola equipado com propulsão diesel-elétrica, simultâneamente conectando motores diesel e turbinas a gás a um par de pods azimutais.
A Austrália deve construir dois navios derivados do mesmo projeto espanhol.

7
Deixe um comentário

avatar
7 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
6 Comment authors
IvandaltonlWagnerVaderObservador Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
edcreek
Visitante
edcreek

Olá,

Não sei tecnicamente, mas esteticamente prefiro o Mistral….

Abraços,

Observador
Visitante
Member
Observador

Os espanhóis então vão para o segundo navio-aeródromo, para operar com o Príncipe das Astúrias? Ou pretendem aposentar o segundo?

Enquanto isto, em uma certa república bananeira, segue-se sonhando com dois PAs, enquanto se mantém o único PA-escola do mundo…

Vader
Membro

Sem trocadilhos, mas é uma bela nave.

Pergunto aos expertos: será que ele não poderia operar com o F-35C, ainda que com restrições? Ou isso é impossível por lhe faltar um aparelho de parada?

Wagner
Visitante
Wagner

Boa pergunta. Eu também me pergunto: não teria como esticar o convés, no lado oposto ao da ponte, para caber mais aeronaves ?? Se ampliar o caco, só colocando sei lá, chapas ( não sei o termo técnico), para colocar parte de uma aeronave ?

Não obstantem ele me lembra muito o Mistral… e os futuros Mistralvsk !

daltonl
Membro
Member
daltonl

Vader… sem ser “experto” mas como duas ou mais cabeças pensam melhor que uma, penso que não há como um F-35C pousar sem cabos de frenagem, sem falar que também não há um convoo em angulo caso haja necessidade de uma arremetida. Wagner… acho que vc está referindo-se a “sponsons” ou “overhang” mas normalmente consegue-se mais espaço às custas de estabilidade, mas não vejo sentido em um “overhang” se não haverá um convés em angulo e o espaço extra conseguido do lado oposto à ponte mesmo assim iria comprometer a decolagem de aeronaves que necessitam de quase todo o comprimento… Read more »

Ivan
Membro
Member
Ivan

Dalton, Seu parecer “experto” está correto, como sempre. O BPC Juan Carlos, com sua propulsão que mistura motores diesel com uma turbina, não teria como gerar vapor para as catapultas ou aparelhos de parada necessário à operação CATOBAR, própria do Lightning da US Navy, o F-35 C. Também lhe faltaria velocidade e até mesmo convés para uma operação eficiente e consistente Contudo devo registrar que sua capacidade de operar, desde o projeto, caças STOVL como o Harrier AV-8B e LightningF-35 B é extremamente importante. Mesmo sua prioridade sendo desembarque anfíbio, outras missões podem ser necessárias sem aviso prévio, afinal shit… Read more »

daltonl
Membro
Member
daltonl

Grande Ivan…

…vc saberia dizer qual CSG foi substituido pelo Principe de Asturias e que emergencia teria ocorrido?

É que faz um bom tempo que não há uma presença constante de NAes
americanos no Mediterraneo a não ser quando o atravessam em direção ao Canal de Suez

Se lembrar, gostaria muito de saber !

grande abraço

Em tempo: não sei se os franceses não acreditam em aeronaves STOVL, mas claramente sabem que um Charles de Gaulle é muito superior a um Invincible.