Em seu primeiro Carnaval como presidente, Dilma Rousseff optou por passar o feriado em total isolamento com a família. Ela está desde ontem à noite no Centro de Lançamento Barreira do Inferno, da FAB (Força Aérea Brasileira), em Parnamirim (RN).

No local há um hotel de trânsito para militares. A Marinha criou uma ampla zona de proteção ao redor da base em que a presidente está hospedada, para impedir que qualquer um se aproxime.

Por mar, a Folha tentou chegar ao local, mas um bote da Marinha com quatro militares interceptou a embarcação usada pela reportagem, por volta das 9h30.

A interceptação ocorreu em frente ao Morro do Careca, um dos principais cartões-postais de Natal, no limite com o município de Parnamirim.

A orientação dada à Folha foi de ficar a, no mínimo, três milhas náuticas (cerca de 5,5 quilômetros) de onde está a presidente. Uma corveta (sic) da Marinha vigia a linha imaginária.

A distância aproximada entre o ponto em que a reportagem foi impedida de continuar e o hotel de trânsito onde Dilma está é de dez quilômetros. Assim, não é possível ver se Dilma estava na praia da base, chamada Praia do Cotovelo.

FONTE/FOTO: Folha.com / Jorge Araújo – Folhapress

Tags: ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

9 Responses to “Dilma aproveita Carnaval para se isolar em praia do RN” Subscribe

  1. Azevedo 5 de março de 2011 at 17:27 #

    Salvo equívoco, a embarcação não deveria estar lá em primeiro lugar:
    Aviso rádio (http://www.mar.mil.br/dhn/chm/avgantes/avradio/leste.htm)
    E 0163 /11
    PROXIMIDADES DE BARREIRAS DO INFERNO (RN)
    CARTA 22100 (INT 2114)
    MANOBRAS MILITARES
    PERIODO: 04 A 09/MAR – DAS: 0300 AS 2000 UTC
    AREA INTERDITADA A NAVEGACAO ENTRE AS POSICOES:
    05-52.27S 035-10.75W 05-52.27S 035-07.75W
    05-57.25S 035-07.75W 05-57.25S 035-09.28W
    RECOMENDA-SE CAUTELA
    CANCELAR ESTE AVISO 092100 UTC MAR 11.

  2. GHz 5 de março de 2011 at 19:05 #

    A embarcação é militar…

  3. GHz 5 de março de 2011 at 19:14 #

    Azevedo disse:
    5 de março de 2011 às 17:27

    Digo, a embarcação da Marinha. A da Folha é que não deveria estar lá, entendi depois que foi isso que Vc quis dizer, desculpe.

    Genericamente falando, é algo comum repórteres ultrapassarem limites (até os de segurança pessoal) em busca do furo jornalístico. Se a informação não estiver fisicamente protegida, é praticamente a regra ignorarem avisos e placas de proibição, ou carimbos de grau de sigilo.

  4. Azevedo 5 de março de 2011 at 19:31 #

    É, GHz…

    Como já foi dito e repetido, não há como botar cerca e placas no mar.

    Outro incidente que costuma ocorrer, não sei se neste caso específico: uma vez cientes da interdição, eles convencem (seria com $?) o patrão a burlá-la e, se pegos, obviamente não noticiam isto.

  5. Rodrigo 6 de março de 2011 at 9:12 #

    Podiam mostrar a Dillma fazendo esquibunda nas dunas.

  6. Wagner 7 de março de 2011 at 20:37 #

    Gosto do estilo da Dilma: Imprensa que se Fo**. Se está de folga, ninguém vai arrancar declarações bombásticas dela, tal como faziam com o Lula.

    Ela é séria, não fala M, não faz as mancadas semanais do Lula. Ja melhorou bastante.

    presidente tem que trabalhar e não falar aquelas pérolas do Lula tipo ” Nem parece que estamos na África” …

    E a folga dela é problema dela e não da Folha.

    “A Republica dos Jornalistas e Traficantes” . Ainda vou escrever esse livro…

  7. fsneto 9 de março de 2011 at 18:52 #

    “A orientação dada à Folha foi de ficar a, no mínimo, três milhas náuticas (cerca de 5,5 quilômetros) de onde está a presidente. Uma corveta (sic) da Marinha vigia a linha imaginária.”

    Pessoal desculpem a minha ignorância, mas o que significa “sic”?

  8. Guilherme Poggio 9 de março de 2011 at 19:12 #

    Significa que a reportagem cometeu um erro no texto. Não é uma corveta, mas sim um navio de patrulha.

  9. GHz 9 de março de 2011 at 20:36 #

    “Sic” é utilizado para frisar que uma palavra errada utilizada (poderia também ser uma palavra grafada incorretamente) estava de fato escrita daquele jeito no texto original. Serve para eximir o intermediário do erro da fonte.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Lançamento do livro ‘Monitor Parnaíba – 75 anos’, no dia 19 de dezembro, em São Paulo

Livro Monitor Parnaíba - 75 anos -  Capas - WEB

A editora Aeronaval Comunicação, que produz a revista Forças de Defesa, está lançando a primeira edição do livro “Monitor Parnaíba […]

Amazul assina contrato com a Mectron para projeto do IPMS do submarino de propulsão nuclear

Submarino com propulsão nuclear Álvaro Alberto

No mês de dezembro, a Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. (Amazul) assinou um contrato com a Mectron para o […]

Poder Naval visita navios da MB em Santos-SP, no Dia do Marinheiro

PN no Dia do Marinheiro - Aderex II-2014 - 2

Para comemorar o Dia do Marinheiro no sábado (13 de Dezembro), o Poder Naval visitou os navios que compõem a […]

Inaugurado o prédio principal do Estaleiro de Construção de Submarinos em Itaguaí

Inauguração prédio principal estaleiro submarinos - foto via Blog do Planalto

Nesta sexta-feira, 12 de dezembro, foi inaugurado pela presidente da República, Dilma Rousseff, o prédio principal do Estaleiro de Construção […]

Futura bateria de Pantsir da Marinha deverá proteger a nova base de submarinos

Pantsir S1 - imagem 2 KBP

A informação é de reportagem do G1. As outras duas baterias de Pantsir-S1, de três a serem compradas em contrato […]