Em seu primeiro Carnaval como presidente, Dilma Rousseff optou por passar o feriado em total isolamento com a família. Ela está desde ontem à noite no Centro de Lançamento Barreira do Inferno, da FAB (Força Aérea Brasileira), em Parnamirim (RN).

No local há um hotel de trânsito para militares. A Marinha criou uma ampla zona de proteção ao redor da base em que a presidente está hospedada, para impedir que qualquer um se aproxime.

Por mar, a Folha tentou chegar ao local, mas um bote da Marinha com quatro militares interceptou a embarcação usada pela reportagem, por volta das 9h30.

A interceptação ocorreu em frente ao Morro do Careca, um dos principais cartões-postais de Natal, no limite com o município de Parnamirim.

A orientação dada à Folha foi de ficar a, no mínimo, três milhas náuticas (cerca de 5,5 quilômetros) de onde está a presidente. Uma corveta (sic) da Marinha vigia a linha imaginária.

A distância aproximada entre o ponto em que a reportagem foi impedida de continuar e o hotel de trânsito onde Dilma está é de dez quilômetros. Assim, não é possível ver se Dilma estava na praia da base, chamada Praia do Cotovelo.

FONTE/FOTO: Folha.com / Jorge Araújo – Folhapress

Tags: ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

9 Responses to “Dilma aproveita Carnaval para se isolar em praia do RN” Subscribe

  1. Azevedo 5 de março de 2011 at 17:27 #

    Salvo equívoco, a embarcação não deveria estar lá em primeiro lugar:
    Aviso rádio (http://www.mar.mil.br/dhn/chm/avgantes/avradio/leste.htm)
    E 0163 /11
    PROXIMIDADES DE BARREIRAS DO INFERNO (RN)
    CARTA 22100 (INT 2114)
    MANOBRAS MILITARES
    PERIODO: 04 A 09/MAR – DAS: 0300 AS 2000 UTC
    AREA INTERDITADA A NAVEGACAO ENTRE AS POSICOES:
    05-52.27S 035-10.75W 05-52.27S 035-07.75W
    05-57.25S 035-07.75W 05-57.25S 035-09.28W
    RECOMENDA-SE CAUTELA
    CANCELAR ESTE AVISO 092100 UTC MAR 11.

  2. GHz 5 de março de 2011 at 19:05 #

    A embarcação é militar…

  3. GHz 5 de março de 2011 at 19:14 #

    Azevedo disse:
    5 de março de 2011 às 17:27

    Digo, a embarcação da Marinha. A da Folha é que não deveria estar lá, entendi depois que foi isso que Vc quis dizer, desculpe.

    Genericamente falando, é algo comum repórteres ultrapassarem limites (até os de segurança pessoal) em busca do furo jornalístico. Se a informação não estiver fisicamente protegida, é praticamente a regra ignorarem avisos e placas de proibição, ou carimbos de grau de sigilo.

  4. Azevedo 5 de março de 2011 at 19:31 #

    É, GHz…

    Como já foi dito e repetido, não há como botar cerca e placas no mar.

    Outro incidente que costuma ocorrer, não sei se neste caso específico: uma vez cientes da interdição, eles convencem (seria com $?) o patrão a burlá-la e, se pegos, obviamente não noticiam isto.

  5. Rodrigo 6 de março de 2011 at 9:12 #

    Podiam mostrar a Dillma fazendo esquibunda nas dunas.

  6. Wagner 7 de março de 2011 at 20:37 #

    Gosto do estilo da Dilma: Imprensa que se Fo**. Se está de folga, ninguém vai arrancar declarações bombásticas dela, tal como faziam com o Lula.

    Ela é séria, não fala M, não faz as mancadas semanais do Lula. Ja melhorou bastante.

    presidente tem que trabalhar e não falar aquelas pérolas do Lula tipo ” Nem parece que estamos na África” …

    E a folga dela é problema dela e não da Folha.

    “A Republica dos Jornalistas e Traficantes” . Ainda vou escrever esse livro…

  7. fsneto 9 de março de 2011 at 18:52 #

    “A orientação dada à Folha foi de ficar a, no mínimo, três milhas náuticas (cerca de 5,5 quilômetros) de onde está a presidente. Uma corveta (sic) da Marinha vigia a linha imaginária.”

    Pessoal desculpem a minha ignorância, mas o que significa “sic”?

  8. Guilherme Poggio 9 de março de 2011 at 19:12 #

    Significa que a reportagem cometeu um erro no texto. Não é uma corveta, mas sim um navio de patrulha.

  9. GHz 9 de março de 2011 at 20:36 #

    “Sic” é utilizado para frisar que uma palavra errada utilizada (poderia também ser uma palavra grafada incorretamente) estava de fato escrita daquele jeito no texto original. Serve para eximir o intermediário do erro da fonte.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

China pretende estreitar laços militares com Irã, diz mídia chinesa

PEQUIM (Reuters) – A China quer ter laços militares mais estreitos com o Irã, disse o ministro da Defesa chinês […]

Submarino alemão é encontrado afundado na costa dos EUA

  Pesquisadores informaram nesta terça-feira (21) a descoberta de um submarino alemão e de um cargueiro nicaraguense que afundaram na […]

Fotos do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ em construção na China

Confira as fotos do lançamento ao mar do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico “Vital de Oliveira” em Xinhui, na China. O […]

Baixe 7 edições da revista Forças de Defesa e doe quanto quiser

Agora você poderá baixar para o seu computador, tablet ou smartphone as melhores reportagens da nossa revista impressa Forças de […]

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]