sábado, março 6, 2021

Saab Naval

‘L’Adroit’, primeiro OPV Gowind, foi lançado ao mar

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A DCNS  lançou ao mar o primeiro OPV (Offshore Patrol Vessel) “Gowind” no dia 18 de maio. O navio foi lançado apenas um ano após o início da construção.

O L’Adroit teve o primeiro corte de chapa no dia 7 de maio de 2010.
A construção e a instalação do armamento em tempo recorde – menos de 20 meses – está sendo possível graças ao novo design e métodos de produção melhorados.

“O lançamento do OPV Gowind L’Adroit demonstra a capacidade da DCNS de projetar e construir um navio altamente inovador dentro do cronograma – neste caso, menos de 20 meses – e dentro do orçamento”, disse Marc Maynard, gestor do programa OPV.

Onze empresas estão fornecendo sistemas e equipamentos para o L’Adroit gratuitamente. Ao todo, mais de 50 co-contratantes estão contribuindo para este programa “vitrine” e ainda vão contribuir para promover a família Gowind e seus sistemas e equipamentos.

O OPV L’Adroit está agora ancorado em um cais da DCNS para o trabalho nos compartimentos do convés superior e instalação de equipamentos do mastro único fechado. As principais tarefas agendadas para Junho incluem a instalação do radome principal e sistemas eletrônicos. Depois que os testes no cais dos sistemas eletrônicos e equipamentos forem concluídos, o OPV L’Adroit começará os testes no mar, previstos para o próximo verão.

O navio está sendo construída num programa financiado pela DCNS e depois será colocado à disposição da Marinha Francesa.

Um empréstimo de três anos de operação permitirá que a Marinha conceda  os selos de aprovação “provado no mar”‘ e “qualificado para operações”, dando assim à DCNS dois argumentos-chave na promoção da família Gowind no mercado internacional.

Este empréstimo apresenta uma forma inovadora de cooperação entre o governo francês e uma empresa privada.

A Marinha vai demonstrar a validade da Gowind nas missões atuais e emergentes em alto mar, como vigilância da área, anti-pirataria, contra-terrorismo, controle da pesca, interdição de drogas, proteção ambiental, ajuda humanitária, busca e salvamento e de segurança marítima.

O OPV Gowind tem autonomia de três semanas em “águas azuis”, um alcance de 8.000 milhas náuticas e velocidade máxima de 21 nós. O L’Adroit tem um comprimento de 87 metros. O projeto tem tripulação reduzida de 30 militares e espaço para 30 passageiros.

Entre as inovações desta classe de navios, está o passadiço panorâmico com visibilidade de 360 ​​°, um único mastro fechado com sensor de 360​​° de visão, a capacidade de lançamento de barcos rápidos para commandos (forças especiais) em menos de cinco minutos e disposição integral para operar veículos aéreos não tripulados e de superfície (UAVs e USVs). Além disso, os navios também são equipados com sistemas táticos para guerra em rede.

- Advertisement -

13 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marine

E esse o OPV que os franceses estao oferecendo a MB?

Wagner

Parece um Stardestroier…

Mauricio R.

Esse OPV é o substituto daquela tranqueira francesa, conhecida no Brasil como classe “Macaé”.
No mais, a DCNS já tem o contrato dos submarinos, então seria o caso de diversificar o fornecedor.
Aliás de maneira competitiva mediante licitação, deveria ser destinado a indústria nacional, como forma de fomentar o desenvolvimento de tecnologia e capacitação nacionais, em oposição a essa balela de ToT.

MO

esta jaca inicia uma novo tipo de tranqueiro

os triangulos-quadrados-retangulos

argh

po ta cada vez pior ….

aericzz

Gente, sem sentimentalismos sobre desenhos…..com certeza tal desenho deve dar uma asinatura radar baixissima…provavelmente um retorno de barco pesqueiro de 4 tripulantes…

Luiz Padilha

Mauricio R. disse:
Esse OPV é o substituto daquela tranqueira francesa, conhecida no Brasil como classe “Macaé”.

Mauricio preste a atenção antes de postar as coisas.

Classe Macaé tem 500t e é projeto de CMN

O Gowind possui de 1800t a 2000t e é projeto da DCNS, ou seja, que comparação é essa?

Me parece que vc carece de conhecimento as vezes.

De qualquer forma agora vc já sabe.

Guilherme Poggio

Primero vamos por os pingos nos “is”.

Classe Macaé não tem nada com a Gowind. Aliás eu nem precisaria escrever isso.

Quem já viu uma foto (pelo menos uma) do Macaé vai perceber que é bem, para não dizer MUITO, menor que a Gowind.

Darkman

É um belo navio !!! Mas não sei sobre suas qualidades Técnicas !!!
Belo post Galante !!!

Ao Padilha e o Poggio,
tem que rir de rs..rs..rs.. não tem jeito tem que comentário que merece.

Abs.

Mauricio R.

“Classe Macaé tem 500t e é projeto de CMN…” Até aí nada de novo: “Le Brésil a notamment acquis deux unités du type Vigilante 400 CL54. Dérivés des patrouilleurs P400 de la Marine nationale, ces bateaux de 52 mètres et 500 tonnes, armés…” “O Gowind possui de 1800t a 2000t e é projeto da DCNS,…” Não creio: “Ces bateaux de 1000 à 2000 tonnes présentaient certes de belles lignes et un équipement conséquent, mais ils étaient avant tout conçus comme de petites frégates très armées.” “…ou seja, que comparação é essa?” Não é uma camparação, mas a DCNS pretende oferecer… Read more »

Luiz Padilha

Mauricio R. Vc carece de conhecimento sim, pois aonde é que vc leu por parte da MB que a Gowind seria para substituir algo que não temos? A MB quer um OPV de 1800t a 2000t e a classe Macaé vc já sabe que tem 500t. O que a Marine Nationale está fazendo não nos interessa. Aqui é Brasil e aqui quem decide o que quer é a MB. vc se pesquisar, verá que a Gowind possui várias versões e cada uma delas irá deslocar um peso máx. diferente. O que não acho certo é vc querer vincular o que… Read more »

Mauricio R.

Não estou falando da MB, estou falando da Marine Nationale.
Não disse em nenhum momento que a MB pretende adotar esse modelo da Gowind, somente disse que aonde a marinha francesa usa o navio que serviu de base p/ a Macaé, a DCNS pretende oferecer essa Gowind, p/ a Marine Nationale.
E pelo visto, vc ainda não entendeu.
Qnto as características, funções, etc, etc, etc, da Gowind, está aí no link que eu postei; tem figura que não acaba mais.

Guilherme Poggio

Caro Mauricio R.

Agradeço o envio dos links, embora as duas classes (Macaé e Gowind) sejam completamente distintas.

Mauricio R.

E isso aí embaixo, como é que fica???

“Mauricio preste a atenção antes de postar as coisas.”

“Me parece que vc carece de conhecimento as vezes.”

“De qualquer forma agora vc já sabe.”

“tem que rir de rs..rs..rs.. não tem jeito tem que comentário que merece.”

E o meu comentário é que é editado???

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

Relembre a entrevista com um comandante de submarino da Marinha do Brasil

Há cerca de 20 anos o Poder Naval Online entrevistou, por meio do colaborador Bruno Fagundes, um comandante de...
- Advertisement -
- Advertisement -