BUENOS AIRES, 16 JUN – O governo argentino repudiou a declaração dada ontem pelo primeiro-ministro britânico, David Cameron, sobre a soberania das Ilhas Malvinas, na qual dizia que o território será considerado britânico enquanto quiserem.

“A Argentina rechaça que, mediante as declarações, o governo do Reino Unido, em um lamentável ato de arrogância, se atribua a autoridade de colocar ‘fim à história’ de disputa de soberania, reconhecida pelas Nações Unidas e ainda pendente de solução”, afirmou a Chancelaria argentina, em comunicado.

O governo argentino considerou que “esta postura se soma ao permanente desprezo do governo britânico ao reiterado mandato das Nações Unidas e aos múltiplos chamados da comunidade internacional, pedindo à Argentina e ao Reino Unido para retomar as negociações a fim de alcançar uma solução à disputa de soberania no que diz respeito à à Questão Malvinas”.

O texto ainda diz que a atitude britânica evidencia a falta de respeito ao direito internacional que o país vem demonstrando em relação à persistência de uma anacrônica situação colonial que ofende não somente a Argentina mas também a região em seu conjunto”.

David Cameron deu a declaração ontem durante uma sessão da Question Time, na qual membros do parlamento interrogam-se sobre questões políticas do país.

Na ocasião, o parlamentar conservador Andrew Rosindell pediu a Cameron que pressione o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para que ele apoie a reivindicação da soberania britânica sobre as Malvinas.

A questão foi levantada uma semana após a Organização dos Estados Americanos (OEA) ter chamado os governos da Argentina e do Reino Unido para negociarem “o quanto antes” o domínio das ilhas.

As Ilhas Malvinas (conhecidas na Inglaterra como Ilhas Falkland), são atualmente um território inglês, pelo qual a Argentina reclama posse desde o século 19. Em 1982, os dois países travaram uma guerra por seu domínio e, apesar da Grã-Bretanha ter saído vitoriosa, a Argentina ainda reclama seus direitos sobre as ilhas.

FONTE: ANSA

Tags: , , , ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

4 Responses to “Governo argentino repudia declaração de Cameron sobre as Malvinas” Subscribe

  1. Vader 16 de junho de 2011 at 13:24 #

    VAE VICTIS! :)

  2. giordani1974 17 de junho de 2011 at 8:24 #

    Na boa, existem dois assuntos que já são batidos, até demais…FX e Malvinas…saturou…se alguém acha que o governo argentino tem REAL interesse nas ilhas é no mínimo um néscio ou trabalha no “itamaravilha”…o (des)governo da “senhoura” kirchner faz o mesmo que a tão maldita junta militar que tanto difamam por lá…é só para mudar o foco da péssima situação economica/constitucional em que vivem…
    Bem fez o Governo Britânico, estava na hora de um tom de voz mais forte e não se surpreendam se houver uma mudança no clima da região, sujeito a vários “tufões”…
    Fico mesmo é surpreso com a inocência do itamaravilha, em acreditar e o pior, apoiar a causa argentina…dona kirchner está tão preocupada com as ilhas quanto a nossa síndica com o FX…

  3. Wagner 17 de junho de 2011 at 9:35 #

    Concordo, acho que devem vir novos assuntos, como por exemplo>

    Os SU 35 na Russia

    Os Mil Mi 28 N na Russia

    Os treinamentos das frotas russas

    O Novo destroier stealth russo

    Perspectivas dos novos Bulava russos

    Um dia de treinamento com os Su 34 russos

    Tipo, coisas assim, bem variadas !! ah ah ah ah ah !!!! :)

  4. Observador 17 de junho de 2011 at 12:20 #

    A reinvidicação argentina das Malvinas é igual a reinvidicação boliviana da saída para o mar.

    É folclórica.

    A Inglaterra está preocupadíssima com a OEA e mandará a ONU catar coquinho, com toda a fleuma britânica.

    A OEA vai se tornar reduto dos bolivarianos e outros tipos exóticos, fazendo discursos vazios e sonhando com velhas ideologias que foram parar na lata de lixo da história.

    Quanto à ONU bem, cada vez mais caminha para a insignificância.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]

Rússia diz que submarino ‘misterioso’ na Suécia é da Holanda, mas holandeses negam

A Rússia foi acusada de ter enviado o submarino ao local, mas negou. Porém, segundo jornal sueco, a Holanda também […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

Suecos investigam presença de submarino estrangeiro perto de sua capital

Submarino estrangeiro estaria operando no Arquipélago de Estocolmo, do qual faz parte a capital da Suécia, o que levou ao […]

Mora em Brasília ou está na cidade? Então experimente um simulador da Marinha

Simulador de Aviso de Instrução, utilizado pelos aspirantes da Escola Naval no Rio de Janeiro (RJ), além de maquete da […]