Destróieres Tipo 42 e Ark Royal aguardando destino, após desativação

    336
    3

    Reparar, na foto de cima, que as torretas dos canhões de 4,5 polegadas Mk8 foram retiradas dos navios vistos mais à frente, que deram baixa da Marinha Real Britânica (Royal Navy). Já a torreta do recém desativado Gloucester, visto na foto logo abaixo, ainda está instalada. Mas o indicativo do casco não aparece mais.

    Atrás do ex-Gloucester, aparece o também desativado navio aeródromo Ark Royal. Há notícias de que este último poderá ser adquirido por um comprador privado chinês, que diz pretender utilizar o navio como um espaço para exposições. Se bem que um navio aeródromo russo foi comprado, no passado, com uma desculpa muito parecida. E não foi exatamente esse o seu destino…

    FOTOS Piet Sinke via Maritime Press Clippings

    3 COMMENTS

    1. OFF TOPIC para os curiosos de história naval e economia.

      Comparação de custos estimados de quatro navios da II GM atualizados para os dias de hoje, em US$. Fontes ao final:

      1) Reino Unido – navio-aeródromo HMS Ark Royal (1938): 300 milhões (sem aviões);
      2) Alemanha – encouraçado Bismarck (1940): 1 bilhão e 270 milhões;
      3) EUA – encouraçado USS Iowa (1942): 1 bilhão e 305 milhões;
      4) Japão – encouraçado Yamato (1942): 2 bilhões e 900 milhões.

      Há que se considerar as diferenças tecnológicas entre os navios, os custos de produção em cada país à época, o esforço de guerra (com respectivos ganhos em escala), variação cambial histórica, além, é claro, da eventual inexatidão das fontes consultadas.

      Interessante que os preços dos encouraçados regulariam com os de escoltas de última geração atuais (exceto o DDG-1000).

      O custo do Ark Royal de 1938 estaria mais para um navio de assalto atual bastante simplificado, e de porte inferior.

      [O HMS Ark Royal afundado pelo U-81 do então Kapitänleutnant Friedrich Guggenberger, que, pos sua vez, teve o seu U-513 afundado aqui no Brasil e recentemente descoberto]

      [[ ]]
      GHz

      Wikipedia
      http://www.kbismarck.com/genedata.html
      http://www.history.ucsb.edu/faculty/marcuse/projects/currency.htm
      http://futureboy.us/fsp/dollar.fsp?quantity=78.72&currency=dollars&fromYear=1940
      http://uwacadweb.uwyo.edu/numimage/currency.htm

    2. Agora “on topic”.

      A torreta do canhão Mk.8 da HMS Gloucester é da Mod.0, arma que está finalizando seus dias na Royal Navy. Ocorreu padronização de canhão de médio calibre com o Vickers Mk.8 Mod.1 cuja característica mais facilmente visualizável é o escudo “furtivo” (facetado), em vez do arredondado visto na foto, conforme se vê nas T45, T23 e T22B3.
      As diferenças entre as Mod. vão além deste aspecto externo: a automação local do canhão foi profundamente modificada, e houve substituição de válvulas hidráulicas por atuadores elétricos.

      A MB emprega o Mk.8 Mod.0 nas Niterói, nas Inhaúma e na Barroso (neste caso, era o antigo canhão de ré da fragata Constituição pré-ModFrag).

      Mais sobressalentes disponíveis… por enquanto…

      [[ ]]
      GHz

    3. Meu gravatar inopinadamente nas mensagens mudou para o que parece ser um A-4.
      Fui lá no Gravatar e a imagem estava correta. Parece sabotagem de “avinhaozinhum”…

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here