Home Sistemas de Armas Porta-aviões ‘Charles de Gaulle’ de volta ao lar

Porta-aviões ‘Charles de Gaulle’ de volta ao lar

479
5

O navio-aeródromo Charles de Gaulle chegou ao porto de Toulon na sexta-feira, dia 12/8, depois de 9 meses no mar.

A tripulação foi recebida pelo Presidente Nicolas Sarkozy e o Ministro da Defesa Gerard Longuet.

As estatísticas do grupo aéreo (10 Rafale, 6 Super Etendard, 2 hawkeye e helicópteros “Pedro”) do navio são impressionantes.

Desde 20 de março, quando esteve engajado em missões na Líbia, o CdG registrou:

  • 138 dias de mar (4,5 meses), com um período sem paradas de 63 dias de mar ininterruptos;
  • 40.000 milhas náuticas (mais de 70.000 km, quase duas vezes a circunferência da Terra)
  • 120 dias de atividades aeronáuticas
  • 1.590 surtidas (13,25 surtidas por dia)
  • Missões de ataque : 840 (Rafale e Super Etendard)
  • Reconhecimento : 390 (Rafale)
  • Reabastecimento : 240 (Rafale)
  • AEW : 120 (E-2C Hawkeye)
  • 2.380 lançamentos por catapulta e pousos
  • 3.600 horas de voo

FONTE: Rafale News Blog

BATE-PAPO ONLINE: Converse com outros leitores sobre esta notícia no ‘Xat’ do Poder Naval, clicando aqui.

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Dalton
Dalton
9 anos atrás

Bravo Zulu mon amie !

Cláudio
Cláudio
9 anos atrás

Creio que nesses momentos a França deve estar sentindo a necessidade de ter 2 NAs. (mesmo que fosse o São Paulo, creio que já seria o suficiente para resolver o problema).

Uma pergunta: será que NA São Paulo aguentaria uma missão com os mesmos números acima ou próximos, no mesmo espaço de tempo ??????? alguém saberia responder…..

MOsilva
MOsilva
9 anos atrás

Cláudio
Se o NAe São Paulo estiver plenamente equipado e com todos os sistemas operando de forma normal (sem contingências), creio que as médias diárias podem até ser mais elevadas. No entanto, por não ter propulsão nuclear, o tempo de missão sem paradas programadas tem de ser menor. Mesmo com reabastecimento no mar.
O fato é que os números do CDG apresentados não são “impressionantes”. Ele pode (deve poder…) fazer muito mais…
SDS.

aericzz
aericzz
9 anos atrás

Números quase iguais ao do NaeSP…rsrsrs!

Dalton
Dalton
9 anos atrás

Cláudio… na minha opinião, mesmo que o Foch tivesse permanecido com os franceses, ele seria considerado um NAe de segunda linha, operando com Super Etendard Modernise e helicopteros, apesar de que seria valioso como navio de treinamento, pois aposto que há pilotos franceses cansados de treinar em simuladores agora. O Foch nunca poderia operar com o E-2C e não poderia operar com Rafales da mesma maneira e segurança e com muito combustivel como o CDG opera…talvez algo parecido com o que ocorreu com o F-14, que podia decolar e pousar do USS Midway, mas, nunca fez parte da ala aérea… Read more »