Home Aviação Naval Exercício de Incidente de Proteção Marítima durante Operação “TROPICALEX”

Exercício de Incidente de Proteção Marítima durante Operação “TROPICALEX”

345
0

A Esquadra realizou, no período de 17 a 21 de outubro, um exercício de Incidente de Proteção Marítima, em uma área próxima a Vitória (ES).

O propósito do evento foi adestrar um grupamento operativo e avaliar seu desempenho na tarefa de retomar uma plataforma dominada por elementos adversos.

A condução do exercício ficou a cargo do Comando da 2ª Divisão da Esquadra.

Além de Mergulhadores de Combate, participaram da ação os helicópteros UH-14 Super Puma, AH-11A Super Lynx e UH-13 Esquilo, as Fragatas Independência e Bosísio, além dos navios da Operação “TROPICALEX”, que se encontravam próximo a área do exercício. A Capitania dos Portos do Espírito Santo apoiou o evento, servindo de base para as operações das aeronaves Super Puma e Super Lynx.

O cenário criado para o exercício foi o sequestro de um navio mercante estrangeiro por um grupo terrorista, com o propósito de realizar ataques contra plataformas de petróleo na Bacia de Campos.

No início do exercício, foi simulado o acionamento do Sinal de Alerta de Proteção do Navio (SSAS), indicando um possível comprometimento da segurança em um navio mercante. Em consequência desse fato, o Comando de Operações Navais determinou o suspender para o Navio de Serviço da Esquadra (Fragata Independência) para investigar o ocorrido. O navio mercante foi representado pela Fragata Bosísio.

A Fragata Independência realizou contato com o navio “mercante” e constatou a presença de um grupo terrorista a bordo. Este grupo fez, então, diversas exigências e afirmou que, caso não fossem atendidas, a tripulação do navio “mercante” sofreria as consequências.

Tendo em vista essa ameaça e a aproximação do navio sob controle dos terroristas às plataformas de petróleo, foi decidido, então, que o navio deveria ser retomado.

A ação ocorreu na manhã do dia 21, tendo a infiltração do Grupo Especial de Retomada e Resgate dos Mergulhadores de Combate sido realizada pelo helicóptero UH-14 por meio de “Fast Rope”. O assalto foi um sucesso, o navio “mercante” foi libertado e os sequestradores presos.

O exercício foi proveitoso em diversos aspectos, além de ter sido uma oportunidade de familiarizar os meios da Esquadra com os documentos que regulam o assunto, inclusive a legislação internacional.

O Comandante-em-Chefe da Esquadra, Vice-Almirante Wilson Barbosa Guerra, esteve a bordo da Fragata Independência para acompanhar e avaliar o exercício

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here