No Credit Check Payday Loans

Entre os dias 1º e 18 de novembro de 2011, a Esquadra brasileira e o Comando do 4º Distrito Naval participarão da Operação “VIGIAR ATLANTICO 2011”, empregando meios navais e aeronavais na área marítima compreendida entre o Estado do Amapá e o Estado do Maranhão.

Essa Operação tem o propósito de realizar Patrulha Naval nas Águas Jurisdicionais Brasileiras, implementar ações de presença nessas áreas marítimas e importantes pontos de nossa Amazônia Azul, e incrementar o adestramento em ação de Interdição Marítima.

O Grupo-Tarefa 710.2, responsável pela execução da Operação, será composto pela Fragata Independência (F-44), subordinada ao Comando da Força de Superfície e sediada na Base Naval do Rio de Janeiro; e pelos Navios-Patrulha Bocaina (P-62) e Guanabara (P-48), subordinados ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Norte e sediados na Base Naval de Val-de-Cães.

O Grupo-Tarefa 710.2 contará, ainda, com um helicóptero Super Lynx (AH-11A), orgânico à Fragata Independência.

O Grupo-Tarefa 710.2 será comandado pelo Contra-Almirante Wagner Lopes de Moraes Zamith, Comandante da 2a Divisão da Esquadra (ComDiv-2).

Durante a patrulha da Fragata Independência, em períodos pré-alocados, serão realizados, também, exercícios com os navios: Fragata Edinburgh (D-97) e Navio-Tanque Wave Ruler (A-390) pertencentes a Marinha do Reino Unido, em trânsito pela Área de Operação, visando ao incremento da interoperabilidade com aquela Marinha.

No período destinado à Operação, a Fragata Independência visitará os seguintes portos:
-Natal (RN) – 26 a 29 de Outubro;
-Belém (PA) – 01 a 07 de Novembro;
-Itaqui (MA) – 18 a 21 de Novembro; e
-Fortaleza (CE) – 23 a 27 de Novembro.

Haverá visitação pública nos dia 25 e 26 de novembro na Fragata Independência no período de 14:00h às 16:30h, com entrada pela Estação de Embarque de Passageiros do Porto do Mucuripe.

FONTE: Secom CPCE

Tags: , , , , ,

4 Responses to “Operação ‘Vigiar Atlântico 2011′” Subscribe

  1. FCGV 7 de novembro de 2011 at 20:54 #

    Com esse equipamento todo que temos hoje em dia, contra uma marinha mais razoavel, o melhor que podemos fazer é copiar a argentina nas malvinas, depois do afundamento do Gen. Belgrano, abortar todas as operaçoes de superficie e voltar todas as embarcaçoes pro porto!

    1- Que superioridade aerea se garante com F-5 e A-4? Estamos em 2011, nao em 1960!

    2- Que poder de fogo tem nossas embarcações para causar atrito numa marinha razoavel? Harpoon que ja foram até mesmo aposentados da marinha americana? Exocets?

    3- Que defesa anti-misseis tem nossas embarcaçoes? Por exemplo em termos de radar maritimo: ZERO!

    Com as escoltas que temos, alguem arriscaria perder o Sao Paulo?

  2. GUPPY 8 de novembro de 2011 at 16:48 #

    É, caro FCGV. A realidade da esquadra de Pindorama é vergonhosa.

    Pensando bem na sua última pergunta, eu acrescento:

    Com as escoltas que temos, alguém teria coragem de embarcar no São Paulo, para um suspender, numa guerra hoje?

    Abs

  3. FCGV 8 de novembro de 2011 at 20:18 #

    Acho que nem os proprios bombeiros! ;)

  4. Bronco 8 de novembro de 2011 at 20:37 #

    Depende.

    É para combater quem? Uma potência, ou outro vizinho Sul Americano?

    Porque a simulação nos dois casos é improvável.

    E esse é justamente um dos motivos, a improbabilidade de nos envolvermos em um conflito armado, que levou as Forças Armadas à essa situação de penúria.

    Falta visão estratégica tanto ao almirantado, à classe política e mesmo ao povo para entender que não é necessário estar na iminência de um conflito para investir em ciência, tecnologia, armamento e treinamento de ponta.

    Nem mesmo a necessidade do país de atuar de forma presencial no cenário internacional estimula os três atores citados no parágrafo anterior a discutir as forças armadas do país de forma séria e comprometida.

    Por enquanto, nossa amada marinha vai se virando com o que tem.

    E até que faz bonito, tamanha a penúria!

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Esquadrão Orungan realiza missão antissubmarino com submarinos nucleares na costa brasileira

O Esquadrão Orungan (1°/7° GAv) da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, nos dias 16 e 17 de julho, missão antissubmarino […]

AgustaWestland fará a integração do míssil FASGW no helicóptero Wildcat

A AgustaWestland recebeu uma alteração do contrato do Ministério da Defesa britânico (MoD) de 90 milhões de libras (US$ 153,8 […]

Três submarinos nucleares estão no Rio de Janeiro para as comemorações dos 100 anos da Força de Submarinos do Brasil

Chegaram ontem ao Rio de Janeiro três submarinos de propulsão nuclear: o Amethyste S-605 da Marine Nationale francesa, o HMS […]

Nova edição da revista acadêmica Antíteses traz artigo de editor do Poder Naval

Novo número da revista editada pela Universidade Estadual de Londrina traz dossiê com 12 artigos sobre Cultura Marítima, um deles […]

HMS ‘Queen Elizabeth’ na água

Na última quinta-feira, 17 de julho, foi posto a flutuar o maior navio de guerra já construído na Grã-Bretanha, o […]

Ministério da Economia alemão aprova venda de submarino a Israel

O Ministério da Economia da Alemanha informou que o conselho de segurança da Alemanha, que examina as exportações de armas […]