Malvinas ou Falklands?

Aula de geografia. A professora mostra o mapa da América do Sul para os alunos. Ao falar da Argentina, comenta que existe um arquipélago em disputa com o Reino Unido. Como deveríamos chamar: Malvinas ou Falkland? A resposta a essa questão indicará a preferência não apenas da professora, mas de todos que se manifestem sobre o tema.

Por Gilberto Rodrigues *

Em 2012, completam-se 30 anos da Guerra das Malvinas/Falkland. Uma guerra que a ditadura argentina perdeu para o governo conservador britânico de Margareth Tatcher, a Dama de Ferro. Para os argentinos, um capítulo triste e vergonhoso de sua história. Para os britânicos, ao som de “We are the champions” (Nós somos os vencedores), do Queen, um momento de afirmação de sua soberania sobre as ilhas e de seu poderio militar, em plena Guerra Fria.

Passadas três décadas, a Argentina segue reivindicando com barulho a soberania sobre as Ilhas Malvinas (“Las Malvinas son Argentinas”) e os britânicos continuam fleumáticos e impassíveis nas Ilhas Falkland. Porém, fatos novos entram em cena e estãoalterando o equilíbrio de forças políticas e diplomáticas nesse embate.

Os países da Unasul (União das Nações Sul-Americanas), sob a liderança do Brasil, não querem que nenhum país de fora da região faça exercícios militares no Atlântico Sul. O Reino Unido não apenas teima em manter suas naves bélicas como anunciou que irá explorar petróleo no território marítimo das ilhas. Em razão disso, a Unasul passou a declarar apoio à Argentina em seu pleito. Mais: Argentina e Uruguai proibiram qualquer empresa que explore petróleo nas Malvinas de utilizar os seus portos e de atuar no país.

Já os habitantes das ilhas preferem ficar com os britânicos e reagem indignados à política de Buenos Aires, mas a Casa Rosada afirma que todos nas Ilhas são manipulados pela Corte de St. James. Não há dúvida de que está em curso a maior estratégia de defesa coletiva contra a soberania britânica sobre as Malvinas/Falkland até hoje vista. Não à toa, o Chanceler William Hague veio ao Brasil em busca de apoio à posição britânica, preparando futura visita do Príncipe William. Por enquanto, Malvinas/Falkland permanece como a dupla expressão dos mapas isentos.

* Gilberto Rodrigues é professor do curso de Relações Internacionais da Faculdade Santa Marcelina, foi professor visitante da Universidade de Notre Dame (EUA), doutor em Relações Internacionais pela PUC-SP, mestre pela Universidad para La Paz (ONU/Costa Rica) e pós-graduado pela Universidade de Uppsala (Suécia).

FONTE: Portal Vermelho

Tags: , ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

10 Responses to “Malvinas ou Falklands?” Subscribe

  1. Clésio Luiz 1 de fevereiro de 2012 at 13:47 #

    @Nelson Lima

    Acho que é vergonhoso por saíram de lá por força de um pé na bunda recebido dos britânicos…

    Mas aqui vai uma dica para os hermanos, para conseguirem retomar as Falklands :-) : imigração. Mandem tantos latinos quanto puderem para lá. Assim que o nome da maioria a população tiver origem latina, será fácil começar uma revolta popular e conseguir a soberania das ilhas, pois a ONU adora apoiar qualquer levante popular pedindo autonomia política.

  2. aldoghisolfi 1 de fevereiro de 2012 at 13:49 #

    Não entendo como a Argentina pode querer a soberania num território que é inglês quase que desde sempre. O princípio da soberania e da auto-determinação dos povos diz que as ilhgas são inglesas. E
    espero que o Celso e a Dilma não apoiem a Argentina indo, mais uma vez, contra a marcha normal da decisão que é exclusiva dos kelpers.

  3. giordani1974 1 de fevereiro de 2012 at 14:47 #

    O governo argentino está se lixando para as ilhas. O governo argenta quer é fazer barulho numa rídicula tentativa de unir o povo contra o “invasor”…nada que a burra junta militar não fizera. Me admira o uruguai, que tomou porrada(verbal) da argentina por causa da fábrica de celulose, ficar aí, agarrado a política populista da “senhoura” kirchner…
    Quanto ao itamaravilha, nada de novo, só a mesma bola fora de sempre…a dilma vai a cuba e condena os EUA por tortura em Guantánamo??????????? Hahahhhahhahahhhhha…

    Malvinas = argentinas…
    Falklands = Inglesas…

  4. Marcelo 1 de fevereiro de 2012 at 17:08 #

    Ok. Só gostaria de lembrar que o governo dos EUA, também apoiaram recentemente uma resolução da OEA sobre o tema, o que deixou os ingleses, digamos assim…de cabelo em pé e com a pulga atrás da orelha ! :^)

  5. luizblower 1 de fevereiro de 2012 at 18:49 #

    Eu chamo de Falklands… afinal, os ingleses ganharam a guerra… merecem.

  6. luizblower 1 de fevereiro de 2012 at 18:52 #

    Agora o Clésio falou uma coisa muito interessante: é complicado querer posse de um território sem nenhum argentino por lá. Em vez de fazer beicinho, seria mais produtivo acabar com os embargos e começar a investir no local, com turismo, com negócios. Assim a Argentina prova para o povo de lá (incluindo um monte de imigrantes argentinos) que pode ser um governo mais interessante que os britânicos para a região.

    Basta lembrar que no território do Acre não tinha um monte de Bolivianos, tinha um monte de Brasileiros.

  7. Fabio ASC 1 de fevereiro de 2012 at 20:58 #

    Grande Clésio, baseado na sua idéia: A DISNEY É DO BRASIL!!!!!!!!!

  8. MO 1 de fevereiro de 2012 at 21:34 #

    Acre nao existe .. kkkkkkkkkkkkkkk

  9. Blind Man's Bluff 1 de fevereiro de 2012 at 21:40 #

    Malvinas Argentinas!!!!

  10. Blind Man's Bluff 1 de fevereiro de 2012 at 21:42 #

    Fora piratas corsarios!! Hoje sao as Malvinas, amanha são as nossas riquezas!!!

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Lançamento do livro ‘Monitor Parnaíba – 75 anos’, no dia 19 de dezembro, em São Paulo

Livro Monitor Parnaíba - 75 anos -  Capas - WEB

A editora Aeronaval Comunicação, que produz a revista Forças de Defesa, está lançando a primeira edição do livro “Monitor Parnaíba […]

Mensagem do Comandante da Marinha insiste no Prosuper mas é discreta sobre meios navais

Esquadra A12

Roberto Lopes Autor do livro “As Garras do Cisne” Exclusivo para o Poder Naval Os 38 minutos da Mensagem de […]

Amazul assina contrato com a Mectron para projeto do IPMS do submarino de propulsão nuclear

Submarino com propulsão nuclear Álvaro Alberto

No mês de dezembro, a Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. (Amazul) assinou um contrato com a Mectron para o […]

Poder Naval visita navios da MB em Santos-SP, no Dia do Marinheiro

PN no Dia do Marinheiro - Aderex II-2014 - 2

Para comemorar o Dia do Marinheiro no sábado (13 de Dezembro), o Poder Naval visitou os navios que compõem a […]

Inaugurado o prédio principal do Estaleiro de Construção de Submarinos em Itaguaí

Inauguração prédio principal estaleiro submarinos - foto via Blog do Planalto

Nesta sexta-feira, 12 de dezembro, foi inaugurado pela presidente da República, Dilma Rousseff, o prédio principal do Estaleiro de Construção […]