Visitamos hoje duas fragatas brasileiras, a União e a Bosísio, a corveta argentina ARA Gomez Roca e a fragata uruguaia Uruguay no cais do Píer Mauá. Os navios estão abertos à visitação pública, hoje e amanhã, entre 14h e o pôr do sol.

Os navios brasileiros em exposição representam as principais classe de navios de guerra em operação hoje na Esquadra Brasileira: a classe “Niterói” (Vosper Mk.10) e a Tipo 22 (classe “Greenhalgh”). Os navios argentino e uruguaio estão participando de duas operações multinacionais: FRATERNO e ATLASUR, juntamente com os navios da Marinha do Brasil.

Os visitantes também têm a oportunidade de apreciar um mostruário da Força de Submarinos com seu componente de Mergulhadores de Combate, bem como conhecer meios e equipamentos empregados pela tropa anfíbia da Marinha do Brasil, os Fuzileiros Navais.

Não perca a visitação pública gratuita neste domingo e encontre o pessoal do Poder Naval/Forças de Defesa que vai estar lá para prestigiar o evento, distribuindo algumas revistas e posters.

VISITE TAMBÉM:

Tags: ,

Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

14 Comentários para “Visitação pública de navios de guerra na Praça Mauá, Rio de Janeiro”

  1. fragatamendes 8 de setembro de 2012 at 22:48 #

    Caríssimo GALANTE, vendo estas fotos fiquei com saudades de quando tinha meus 15 anos e visitava os navios que retornavam das Operações UNITAS e ficavam todos no Cais do Porto do Rio de Janeiro e fico pensando de como seria bom se naquela época existissem as máquinas digitais de hoje, pois seria uma festa para nós colecionadores.Abraços do MENDES.

  2. Mauricio R. 9 de setembro de 2012 at 11:14 #

    Mais fácil que o “Boroc” ser trocado por algum sistema de armas atual e útil, é a classe “Niterói” dar baixa.

  3. marciomacedo 9 de setembro de 2012 at 12:12 #

    Caro Maurício,

    Dar baixa nas Niterói e põe as corvetinhas sem AA no li ugar?

  4. MO 9 de setembro de 2012 at 15:01 #

    3 coments, 2 off topic··· e assim caminha a cultura naval

    dtlh : as fotos foramfeitasoff visita ou faltou visitanfe (como eu temia)

  5. MO 9 de setembro de 2012 at 15:04 #

    Marcio vc considera o que nas mk10 como aa o aspi(ga nada)de ?

  6. Ozawa 9 de setembro de 2012 at 20:15 #

    É verdade… Lembro-me da minha primeira visita, em 1982, por ocasião do Dia do Marinheiro… Fiquei extasiado com uma maquete do NAeL Minas Gerais exposta no hangar do original… Achava que estava a bordo do Nimitz….

    Depois vieram as ‘Unitas’… A bordo dos Contratorpedeiros da classe Spruance e as Fragatas classe Knox, sem contar os logísticos da classe Newport… Os navios dessas classes eram cadeiras cativas nas Unitas…

    Filas imensas naquela década de 80…, levávamos uma meia hora para entrar a bordo, era programa pro dia inteiro !

    Bons tempos…

  7. fragatamendes 9 de setembro de 2012 at 20:20 #

    Prezado OZAWA, nós eramos felizes e não sabíamos.Abraços do MENDES.

  8. Renato Oliveira 9 de setembro de 2012 at 21:58 #

    É um Barrett M-107 naquela foto do infante? Há uma luz no fim do Túnel…

  9. GHz 9 de setembro de 2012 at 22:51 #

    Na foto das munições de manejo, no hangar, a primeira da esquerda para a direita, seria um míssil AS-15TT??? A MB incorporou para os Super Lynx?

  10. Galante 9 de setembro de 2012 at 22:53 #

    Prezado GHz, na verdade o míssil é um Seawolf.

  11. Mauricio R. 10 de setembro de 2012 at 10:20 #

    “Dar baixa nas Niterói e põe as corvetinhas sem AA no li ugar?”

    Não, é p/ dar baixa somente nos “Boroc”, deixe os navios, e trocá-los por algo como o MK-15 ou pelo RAM.
    Mas quem sabe, daqui uns 10 anos talvez, o MD deixe a MB colocar 1/2 dúzia de OPV’s classe “Amazonas” no lugar dessas fragatas.

  12. marciomacedo 10 de setembro de 2012 at 12:36 #

    Maurício, agora ficou mais claro sua posição. RAM no lugar do Boroc seria uma ótima. Marcelo, não entendi seu comentário sobre o Aspide.

  13. MO 10 de setembro de 2012 at 12:53 #

    equipamento de enfeite, nao pega nada .. aparentemente o modfrag foi um modengana trouxa … (TBC, que obviamente ninguem ira assinar embaixo …)

  14. GHz 15 de setembro de 2012 at 11:44 #

    Obrigado, Galante.

    [[ ]]

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Precisamos, para já, de 4 (bons) navios usados

maestrale

  Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa e autor do livro “As Garras do Cisne” Parece […]

Navio-veleiro Cisne Branco aberto à visitação em Santos neste final de semana

Cisne Branco (2)

A Capitania dos Portos de São Paulo informou em nota à imprensa que o navio-veleiro Cisne Branco da Marinha do […]

Marinha peruana estuda três opções para renovar sua força de superfície

DE_LA_PENNE__5____a

  Não é só a Esquadra brasileira que necessita equacionar a renovação de sua força de superfície em um cenário […]

Cerimônia de incorporação do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ à Marinha do Brasil

Vital de Oliveira - 1

  Em uma cerimônia de batismo, mostra de armamento e transferência para o setor operativo, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico […]

Ministério da Defesa menos otimista com as chances do Prosuper em 2015

FREMM 523b

Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa e autor do livro “As Garras do Cisne” Passam os […]