Após um mês de trânsito na Costa Africana, realizando intensa programação, o Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) “Amazonas” chega ao Brasil, em 19 de setembro, no porto de Natal (RN) permanecendo até o dia 23.  A próxima estapa será no porto de Salvador (BA), no período de 25 a 30 de setembro. No dia 3 de outubro, chega em Arraial do Cabo (RJ), e no dia 5, no seu porto final, na Base Naval do Rio de Janeiro.

Desde que suspendeu de Portsmouth, no Reino Unido, com destino ao Brasil, realizou exercício de demonstração de ações antipirataria e treinamentos de manutenção entre navios com a Guarda Costeira de Cabo Verde, a Força Naval do Benin, a Marinha da Nigéria e a Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe.  Além da realização de visitas protocolares.

Em Benin, África, o Chefe do Estado Maior das Forças Navais, Capitão-de-Mar-e-Guerra Hounsou Denis Gbessemehlan, demonstrou seu interesse em formar Oficiais e Praças de Benin na Marinha do Brasil, bem como embarcar militares de Benin, como observadores, em comissões operativas realizadas pela Marinha do Brasil.

Em São Tomé e Príncipe, os resultados dos exercícios e treinamentos rendeu a solicitação do Ministro da Defesa daquele país, Carlos Stock, ao Embaixador do Brasil, José Carlos de Araújo Leitão, de dez militares a serem inscritos no curso de Patrulha Naval do Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão.

Nos portos de Lisboa, Las Palmas, Mindelo, Cotonou, Lagos, São Tomé e Príncipe, o NPaOc “Amazonas”, esteve sempre aberto à visitação pública.

FONTE: Nomar Online

Tags:

Estudante de Psicologia, colaborador em Natal-RN do Forças de Defesa.

3 Comentários para “Navio-Patrulha Oceânico ‘Amazonas’ chega ao Brasil”

  1. Augusto 18 de setembro de 2012 at 23:01 #

    Repito o que perguntei em outro post: a Marinha poderia acabar com a dúvida geral e nos dizer se haverá alguma mudança nos armamentos das NaPaOc recém-adquiridas da BAE Systems.

  2. Fernando "Nunão" De Martini 19 de setembro de 2012 at 10:23 #

    Augusto, arrisquei uma resposta para você no outro post.

    Não creio que se justifique uma “dúvida geral” a esse respeito, pois já vi respostas satisfatórias a essa questão.

  3. Augusto 19 de setembro de 2012 at 11:49 #

    Obrigado, Nunão. Estava pensando mesmo na questão da padronização. Abraços.

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Precisamos, para já, de 4 (bons) navios usados

maestrale

  Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa e autor do livro “As Garras do Cisne” Parece […]

Navio-veleiro Cisne Branco aberto à visitação em Santos neste final de semana

Cisne Branco (2)

A Capitania dos Portos de São Paulo informou em nota à imprensa que o navio-veleiro Cisne Branco da Marinha do […]

Marinha peruana estuda três opções para renovar sua força de superfície

DE_LA_PENNE__5____a

  Não é só a Esquadra brasileira que necessita equacionar a renovação de sua força de superfície em um cenário […]

Cerimônia de incorporação do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ à Marinha do Brasil

Vital de Oliveira - 1

  Em uma cerimônia de batismo, mostra de armamento e transferência para o setor operativo, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico […]

Ministério da Defesa menos otimista com as chances do Prosuper em 2015

FREMM 523b

Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa e autor do livro “As Garras do Cisne” Passam os […]