No Credit Check Payday Loans

Em primeira viagem a SSZ, demandando o cais do Saboó 2 para embarque de pás de hélices para energia eólica na tarde do  dia 18/12, o novíssimo graneleiro tipo Handy Size e bandeira brasileira “Pio Grande“, recém incorporado a Marinha Mercante nacional por ocasião de sua escala no Rio de Janeiro, quando foi transferido da bandeira liberiana para a brasileira.

Construído pelo estaleiro Tsuji Heavy Industries (Jiangsu) Co. Ltd., Zhangjiagang, Jiangsu, P.R.C., casco nr NB0025 teve início do corte de chapas para sua construção em 02 de dezembro de 2011, sua quilha batida em 23 de abril de 2012, foi lançado ao mar em 20 de agosto de 2012 e entregue em 25 de outubro de 2012 para o armador Anglo-Eastern Ship Management Ltd., Hong Kong.

Afretado a casco nu para o armador Norsulmax Navegacao S/A, Rio de Janeiro (Companhia de Navegacao Norsul, Rio de Janeiro) e fundeado na Baia de Guanabara desde sua chegada, quando ocorreram no mês de dezembro os tramites finais para transferência de tripulação e bandeira, se tornando o mais novo navio de bandeira nacional.

Para maiores detalhes, fotos e informações:

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2012/12/nm-pio-grande-pq6696-em-primeira-vgm.html

Fotos: Rafel Ferreira Viva – 18/12/2012

9 Responses to “N/M ‘Pio Grande’ / PQ6696 – O mais novo navio da Marinha Mercante Brasileira” Subscribe

  1. Observador 19 de dezembro de 2012 at 10:33 #

    Fora de tópico (mas nem tanto).

    Por onde anda o navio João Cândido, também conhecido por “Navio Suflair”, já que é o único com o casco aerado?

    Também chamado de João Cândido Bacalhau (porque bacalhau na gíria do meio é sinônimo de trabalho mal-feito) já voltou ao estaleiro ou continua transportando uma carga mínima de óleo, para fingir que é operacional?

  2. MO 19 de dezembro de 2012 at 15:02 #

    Não tenho certeza, mas acho que o o JC esta navegando, escala as vezes em SSB

    Manobras do JC em SSB até hoje (reparar que com carga maxima = calado 17,5 m)

    JOAOO CANDIDO E P1 10/06 12:00 10/06 12:00 10/06 14:40 GEBAST 16,50m BE WIL

    JOAO CANDIDO S P1 12/06 10:00 12/06 10:10 12/06 11:30 GEBAST 10,70m WIL

    JOAO CANDIDO E P1 19/06 20:30 19/06 20:30 19/06 22:00 GEBAST 17,00m BB WIL

    JOAO CANDIDO S P1 22/06 08:30 22/06 08:40 22/06 10:00 GEBAST 9,85m WIL

    JOAO CANDIDO E P1 05/07 12:00 05/07 12:00 05/07 14:20 GEBAST 17,50m BE WIL

    JOAO CANDIDO S P1 07/07 09:00 07/07 09:05 07/07 10:30 GEBAST 9,70m WIL

    JOAO CANDIDO E P1 18/07 18:30 18/07 18:30 18/07 20:00 GEBAST 17,50m BE WIL

    JOAO CANDIDO M P1 CN1 20/07 12:00 20/07 12:15 20/07 14:45 GEBAST 9,00m WIL

    JOAO CANDIDO S CN1 21/07 07:00 21/07 06:50 21/07 08:15 GEBAST 9,00m WIL

    JOAO CANDIDO E P1 15/08 13:30 15/08 13:45 15/08 15:40 GEBAST 16,30m WIL

    JOAO CANDIDO S P1 17/08 08:30 17/08 08:30 17/08 09:55 GEBAST 9,40m WIL

    JOAO CANDIDO E CN2 19/09 14:30 19/09 14:05 19/09 16:15 GEBAST 16,20m WIL

    JOAO CANDIDO S CN2 20/09 14:00 20/09 13:55 20/09 15:35 GEBAST 16,20m WIL

    JOAO CANDIDO E P1 21/09 12:00 21/09 12:05 21/09 14:40 GEBAST 16,20m WIL

    JOAO CANDIDO M P1 CN2 23/09 07:00 23/09 06:55 23/09 10:15 GEBAST 9,00m BE WIL

    JOAO CANDIDO S CN2 26/09 02:00 26/09 01:50 26/09 02:50 GEBAST 9,00m WIL

    JOAO CANDIDO E P1 03/10 14:30 03/10 15:00 03/10 17:15 GEBAST 17,20m WIL

    JOAO CANDIDO S P1 05/10 03:00 05/10 03:05 05/10 04:30 GEBAST 9,00m WI

  3. GUPPY 19 de dezembro de 2012 at 15:11 #

    “…teve início do corte de chapas para sua construção em 02 de dezembro de 2011″

    “…quilha batida em 23 de abril de 2012″

    “…foi lançado ao mar em 20 de agosto de 2012″

    “…entregue em 25 de outubro de 2012 para o armador”

    Agora comparem com os prazos de um construído no Brasil. Nem é bom lembrar do ‘João Cândido”.

  4. MO 19 de dezembro de 2012 at 15:39 #

    JC, eisos, vc fixaram no JC o segundo o “Zombie from Palmares” é outro que ta demorando tbm .. as
    KL: 29.05.10
    L: ????
    Comm: 34 fevereiro 20 ….???

  5. Observador 19 de dezembro de 2012 at 23:30 #

    MO disse:
    19 de dezembro de 2012 às 15:02

    Então, ao contrário das más línguas – inclusive a minha – , o JC pode operar com carga máxima.

    Por que então várias vezes opera com pouco mais que metade desta carga?

  6. MO 20 de dezembro de 2012 at 9:53 #

    Sinceramente não sei observador, depois da entrega não fiquei sabendo quase nada do JC, até um certo tempo seu CMT nomeado nos participava de alguma coisa, pos o primeiro grande atraso declarado e visivel parou de fazer, o que passei sao infos baseado nas atracações e desatracações de SSB, como pode ver por ali ele fez vgm´s full loaded, mas sem maiores referencias, tanto o é que se notar ele some de SSB pos outubro. a unica coisa que falaram é que alguem viu ele aproado com a popa levantada fundeado ai numa destas ilhas proximas a barra do RRJ, salvo meu engano geografico, fora disto, realmente mais nada sobre até pq no mundo midiatico da banania de navios mercantes (tipo porcos and navios) quando se publica algo é sobre o coquetel, a presença do Dr Ferreirão, da Dona Maricota, do que serviram e sobre navios mesmo nada ….

    Fico te devendo algo mais embasado sobre, se pintar algo te posto ASAP

  7. Observador 20 de dezembro de 2012 at 23:17 #

    Thanks, MO.

  8. GUPPY 22 de dezembro de 2012 at 11:00 #

    Caro MO,

    Já tentei várias vezes comentar, em resposta ao seu último comentário que também é uma resposta ao meu último, isso no santosshiplovers.blogspot, na matéria deste N/M ‘Pio Grande’, mas não consigo. Acontece um bloqueio e nada mais é digitado. Talvez o problema esteja nos ajustes deste iPad que estou usando, já que outras coisas estranhas acontecem.
    De qualquer forma, eu gostaria de comentar o seguinte:

    Entendido, MO. Fiz um pré-julgamento. Acusar os navios fundeados na baía de Guanabara de poluírem com resíduos de óleo é mais fácil e, como você bem colocou, pode ser mais rentável. Só que existem vários emprendimentos industriais às margens da dita baía, estaleiros, fábricas(?) de sardinha, Aliagas de pequeno porte, centenas de barcos a motor, etc. Então as fontes poluidoras são muitas mesmo e não dar para afirmar que são os navios de grande porte que agem errado, descartando seus resíduos inconvenientemente.
    Desculpe-me pelo meu pré-julgamento.

    Abraços

  9. MO 22 de dezembro de 2012 at 11:39 #

    Sem problemas Guppy. como te falei sempre é mais facil acusar quem pode se extrair algo … mas tbm não necessariamente não sendo a culpa do navio fulano ou ciclano, no caso da imensa baia de guanabara muita gente pode eventualmente fazer isso e culpar o “grandão bobão” ali parado, mas que tem um dono com endereço e conta corrente “traçavel” do que o o Ze Mane Picaretation & TRanbication INC. Corp. ME, Av Great Chuck Norris s/n, White River/AC .. se é que me entende …

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Um dia a bordo do submarino ‘Tapajó’ – parte 1

No dia 16 de julho de 2014, na véspera da data comemorativa do Centenário da Força de Submarinos (1914-2014), uma equipe […]

Aprovado plano de trabalho do Brasil para exploração de crostas na Elevação do Rio Grande

O Brasil acaba de alcançar importante êxito na aprovação do Plano de Trabalho para exploração de crostas cobaltíferas na Elevação […]

Veleiro ‘Cisne Branco’ aberto para visitação em Belém-PA

Está aberto para visitação do público paraense o navio veleiro Cisne Branco, da Marinha do Brasil. As visitações são gratuitas […]

Marinha divulga novo edital para a reconstrução da Estação Antártica Comandante Ferraz

A Marinha divulgou nesta segunda-feira (21) o novo edital para a reconstrução da Estação Antártica Comandante Ferraz, destruída em 2012 […]

Fragata ‘Constituição’ atraca em Las Palmas

A Fragata “Constituição”, após nove dias de travessia do Oceano Atlântico, atracou no porto de Las Palmas, nas Ilhas Canárias, […]

Esquadrão Orungan realiza missão antissubmarino com submarinos nucleares na costa brasileira

O Esquadrão Orungan (1°/7° GAv) da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, nos dias 16 e 17 de julho, missão antissubmarino […]