Brasil agora é parte do seleto grupo de países com submarino nuclear,...

Brasil agora é parte do seleto grupo de países com submarino nuclear, diz Dilma Rousseff

552
30
SHARE

prosub_grande1

vinheta-clipping-navalA inauguração da Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (Ufem) faz com que o Brasil entre no seleto grupo de países que têm submarinos de propulsão nuclear, e que integram o Conselho de Segurança das Nações Unidas. A avaliação foi feita pela presidenta Dilma Rousseff, nesta sexta-feira, em cerimônia de inauguração da fábrica que integra o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e reaquece a indústria naval brasileira.

“Nós podemos dizer, com orgulho, que essa obra, ela é produto da iniciativa de várias, de múltiplas instituições privadas e públicas. Podemos dizer que, de fato, com ela nós entramos no seleto grupo que é aquele dos integrantes do Conselho de Segurança das Nações Unidas – únicas nações que têm acesso ao submarino nuclear: Estados Unidos, China, França, Inglaterra e Rússia”, disse.

O ministro da Defesa, Celso Amorim, que participou da solenidade, endossou o discurso da presidenta Dilma. Amorim lembrou que o Brasil tem incrementado sua indústria de defesa e, como resultado, o setor tem proporcionado a geração de milhares de postos de trabalho. O ministro lembrou também a recente vitória da Embraer para a venda de aviões Super Tucano aos Estados Unidos.

“Estamos todos emocionados em poder estar aqui numa obra que é símbolo desse Brasil que está sendo criado”, afirmou.

Submarinos

A presidenta Dilma iniciou o discurso informando que estivera no mesmo local há três anos, e que naquele instante “era um momento especial para todos nós – naquela época eu era ministra-chefe da Casa Civil da Presidência da República, durante o governo do presidente Lula”. E lembrou: “De lá para cá, toda essa fantástica estrutura foi construída, e aqui neste lugar se erigiu um projeto que é muito importante para o Brasil.”

prosub_pequena2E continuou: “E eu me refiro tanto à unidade de fabricação de estruturas metálicas que está nesse momento sendo inaugurada, como a toda a infraestrutura construída aqui nessa região. Foram três anos e, por isso, é muito importante que a gente dirija uma saudação especial à Marinha do Brasil, aos seus oficiais, a todos aqueles da Marinha que contribuíram para que isso, junto com o Ministério da Defesa, ficasse de pé.”

No discurso, Dilma Rousseff enfatizou a parceria com o governo fluminense e o empenho da Odebrecht, que ergueu a estrutura física da obra. “Junto com o programa nuclear da Marinha, nós estamos vendo que aqui também se cria um polo de referência. Um polo de referência baseado nesse contrato que nós firmamos com a França em dezembro de 2008. E esse contrato tem por objetivo garantir a transferência de tecnologia e a formação de profissionais brasileiros na construção de submarinho”, contou.

A presidenta também fez menção ao desenvolvimento da indústria nacional. “Eu gostaria de louvar um fato que é muito importante: uma indústria da defesa, como disse o ministro Celso [Amorim], é uma indústria da paz. Mas eu acho que a indústria da defesa é, sobretudo, a indústria do conhecimento. Aqui se produz tecnologia, aqui tem também um poder imenso de difundir tecnologia”, afirmou.

Segundo Dilma, o fato de o Brasil viver em paz com seus vizinhos e de não se envolver em disputas bélicas não afasta a noção de que o mundo é complexo. Esse cenário exige do país a capacidade de se inserir no contexto internacional de forma cada vez mais pacífica e dissuasória.

“Todos nós temos consciência, no entanto, que o mundo é um mundo complexo. O Brasil assumiu, nos últimos anos, uma grande relevância. Um país como o Brasil tem esse mérito de ser um país pacífico. Isso não nos livra de termos uma indústria da defesa e temos toda uma contribuição a dar na garantia da nossa soberania, e nos inserirmos cada vez de forma mais pacífica e dissuasória preventivamente no cenário internacional”, disse.

Cerimônia

Logo pela manhã, era intensa a movimentação nas imediações da Nuclebrás. Pessoas chegavam apressadamente para participar da cerimônia de inauguração da Ufem. Políticos, empresários e operários se movimentavam. Tropas da Marinha circulavam pelo local para ordenar o fluxo de pessoas.

prosub3Em poucas horas, o pátio central da unidade fabril estava tomado pelo público, que aguardava a chegada da presidenta Dilma e das demais autoridades. O ato foi iniciado com a saudação do prefeito de Itaguaí (RJ), Luciano Mota, que destacou a importância do empreendimento para o desenvolvimento econômico do município.

Coube ao comandante da Marinha, almirante Julio Soares de Moura Neto, elencar as características do programa de construção de submarinos naquela base.  O empreendimento iniciado em 2011 prevê investimentos de R$ 7,8 bilhões e deve estar concluído em 2017, quando entrará em operação o primeiro dos quatro submarinos convencionais. O PROSUB vai empregar 9 mil pessoas e produzir outros 32 mil postos de trabalho indiretos.

O governador do Rio, Sergio Cabral, destacou em discurso a importância da parceria com o governo federal e disse que os resultados permitem alavancar a economia fluminense. Ao término do evento, os jornalistas presentes visitaram as obras de Itaguaí.

FONTE: Ministério da Defesa

VEJA TAMBÉM:

30 COMMENTS

  1. Madam President, vamos aguardar até o SubNuc estar realmente navegando em 2045 e aí finalmente poderemos falar que fazemos parte desse seleto grupo.

    Antes disso, vamos falar sobre outros assuntos, como o reaparelhamento de nossos meios de superfície que estão com uma idade média semelhante à de Vossa Excelência.

  2. Hehehehe, isto está com jeito de FX-2! – daqui a pouco começam a faltar verbas para isto, verbas para aquilo…..em 2158, finalmente termina! (com as especificações de hoje…)

  3. Mas já fazemos parte do seleto grupo? Não vão nem esperar o submarino ficar pronto daqui a uns 9 ou 10 anos para começar a falar isso?

  4. Um importante momento para o Brasil – em apenas 3 anos, e ja fazemos parte de um seleto grupo (EUA, Russia, Gra Bretanha, Franca, India e China) com uma frota de submarinos operacionais, o proximo passo sera a integracao dele com o resto da esquadra, principalmente com a forca tarefa capitaneada pelo Porta Avioes Nuclear Minas Gerais II (tambem conhecido carinhosamente como Pao de Queijo) e seus avioes de combate Phantom F-5.

  5. Prezados,

    Na realidade o “Seleto Grupo” de construtores e operadores de submarinos de propulsão nuclear é formado pelos seguintes países:

    a) Estados Unidos;
    b) Russia;
    c) Reino Unido;
    d) França; e
    e) China.

    A Índia operou no passado um submarino de propulsão nuclear de origem soviética e hoje opera o “Nerpa” de origem russa. Todavia, somente ingressará neste grupo logo após a incorporação ao serviço ativo do INS Arihant, primeiro projetado e construido na India.

    O Brasil pretende que o “Álvaro Alberto” (SN10), primeiro submarino de propulsão nuclear da MB, esteja operacional até meados da próxima década.

    Os países que possuiam um programa de desenvolvimento de SSN e posteriormente desistiram foram:

    a) Canadá;
    b) Argentina; e
    c) Holanda.

    A Alemanha e o Japão apesar de terem capacidade para construir e operar tais meios, estão impedidos por questões constitucionais.

    A Austrália iniciou estudos para dotar a RAN com submarinos de propulsão nuclear. No entanto, concluiu que para as necessidades australianas, os SSK atendiam os requisitos.

  6. Prezado Thomas,

    Seguindo a mesma ordem de como foram “batizados” os navios capitaneas da Esquadra no passado, os navios-aeródromo da MB receberam os “nomes” Minas Gerais e São Paulo. Seguindo este raciocínio que não parece ter mudado ao longo dos anos dentro da MB, o futuro NAe deverá ser o “Rio de Janeiro”.

    Abraços.

  7. Esse ano eleitoreiro chegou cedo desta vez, hein? Mal o estaleiro ficou pronto e já temos um submarino nuclear plenamente operacional!

    Só faltou combinar com a MB…

  8. E assim, de mentira em mentira, a ideologia vai enganando e o que é pior, como mitômana que é, acredita nela mesma. Lástima é o mico internacional que pagamos, quando publicamante temos os nossos meios de superfície todos comprometidos, salvo os de patrulha oceânica.

  9. “Seguindo a mesma ordem de como foram “batizados” os navios capitaneas da Esquadra no passado, os navios-aeródromo da MB receberam os “nomes” Minas Gerais e São Paulo. Seguindo este raciocínio que não parece ter mudado ao longo dos anos dentro da MB, o futuro NAe deverá ser o “Rio de Janeiro” ”

    os futuros Porta Avioes da Marinha (65,000t e é claro, serem Nucleares) deveriam ser o “Alagoas” e o “Maranhao”.

  10. Senhores, não sejamos tão pessimistas… tão críticos… “com essa obra,…. que tem acesso a subamarino nuclear…”
    É só isso…
    O nosso problema é outro, o problema é que a nossa história é cíclica, e estamos em um período pós ditadura militar (ainda), em que os governantes e políticos (não estou falando só do governo federal) ainda, lamentavelmente tem “ranço” quanto aos militares…
    Me digam qual governo civil fez significativos investimentos em defesa? nenhum. Qual o grande salto tecnológico em questões de meios de defesa? incorporação das fragatas, caças Mirage e F5… O AMX que entrou em operação nos anos 90, já defasado, pois o início de seu nascimnento foi também no final do período militar….

    No mais, ninguém fez nada significativo…. Até acho que os planos de modernização são bem significativos, se todos realmente saírem do papel, mas sei também que político algum faz algo porque realmente acha necessário aprimorar defesas, e sim como meio de ganhar algum ou render votos que os tornem eternos…
    Vejam a nossa constituição de 88, criada por uma assembléia constituinte eleita em 86, na qual a maioria (direitas e esquerdas, trabalhistas, todos) eram exilados… Resultado, se fez uma constituinte tão cheia de “direitos”, para que não houvese risco de volta do governo militar, que hoje esses “direitos” permitem que das mais variadas formas os criminosos (não só políticos) não sejam punidos… Se pensou numa coisa e afetou outra.
    Renovação senhores é o que precisamos… não só políticos novos, mas principalmente idéais novas, em que o sinignificado de nação, pátria, soberania (atrelado a desenvolvimento de estado e povo) sejam mais claros e consistentes….
    Ironicamente, estes princípios são mais claros e consistentes nas organizações militares.

    Abraços

  11. Da última vez que o Comandante em Chefe contou com o ovo ainda no “forebis” galináceo deu no que deu e estamos até hoje a ver navios, ou melhor, a ver aviões.
    Menas! Menas!
    Ainda falta muito para pertencermos a tão respeitável e seleto clube e se acontecer antes de 2035 vou ser um velhinho sexagenário de nome “Nabuco”.

  12. o Seu Nabuco seo esquece u de uma coisa, quer apostar que quando esta jaca ficar pronta vai ser treta atras e treta para ele atracar em qqr local … kkkkk

  13. Sinceridade, sei la, ele deve estar até pensando pq nao fui oficial de Infantaria .. tava fora desta roubada .. .entre outros tantos possiveis pensamnetos

  14. Não sou a mãe Diná não mas pra mim é algo do gênero: se eu fosse o Júlio não me empolgava muito não! rsrsrssss

  15. E o brazil não perde a chance de ser envergonhado por seus vergonhosos governantes…
    Definitivamente, o brazil, além de não ser um país sério é o país da piada pronta!
    O brazil faz parte do seletro grupo…
    …de países lançadores de satélites.
    …de países operadores de porta-aviões.
    …de países que já enviaram um astronauta ao Espaço.
    …de países detentores de subnucs.

    Agora, só falta colocar tudo pra funcionar!

    E a massa, apreciadora de bbb, futebol e novela, bate a mão no peito e grita com orgulho: brazil-zil-zil-zil-zil…

  16. temos agora a nossa propria Força de Submarinos Nucleares Classe Potemkin

    e ba contramao da tentencia mundial, estamos construindo SSK sem AIP.

  17. Mais vergonha.

    Fazer parte do seleto grupo… esse pessoal é tão megalomaniaco que o sonho de todos eles é fazer parte do CS. Como se isso fosse melhorar o Brasil, acabar com as favelas, melhorar a educação, acabar com a corrupção, voltar a ser exportador, acabar com o tráfico, acabar com a violência, acabar com a reeleição eterna de deputados, …

    Fazer parte do CS com um submarino de PROPULSÃO nuclear seria, na cabeça deles, mais tão ou mais representativo de poderío militar que ter 120 caças modernos em prontidão, várias BiaAAAés modernas e grande estoque de mísseis de longo alcance. É piada, mesmo.

    Enquanto o Ministro da Defesa não for um general é assim que a banda vai tocar.

  18. Tudo o que representa a espinha dorsal dos meios das FA’s hoje, foi adquirido ou encaminhado no período militar. Vejam a lacuna que está se formando. A grande exceção é o pacote de 3000 blindados.

  19. SRS Boa noite: Nao sejamos tao pessimistas assim,poistudo leva tempo para ficar pronto ,outra coisa acompanho este site a anos e nunca vi um governo fazer o que este tem feito .fez mais que outros governantes de outras datas;que se tem que melhorar ha isso tem ,mas ja tivemos governantes piores que nao davam nenhum apoio as FORÇAS ARMADAS DO NOSSO PAIS ,devagar e sempre as coisas vao melhorando no que diz respeito as {forças armadas brasileiras} seu armamento,treinamento e intelecto.deixem de pensarem negativo com respeito a aquisiçao de armamentos e tbm ao governo. ja tivemos pior agora q as coisas estao mudando nao devemos criticar um abrço a tds e aos SRS criadores do SITE meus Parabens e sucesso pelo mesmo.

  20. Não fez um centimetro de solda em uma polegada de chapa e já fala em acesso ao sub nuclear? Olha que este acesso, esta entrada no seleto grupo ainda esta bem, mas bem longe mesmo. Não se trata de pessimismo, se trata de realismo e pé no chão, pois papel e mídia aceitam tudo, sobretudo uma fantasiosa END que acham que vão implantar na base do canetaço. Tudo não passa de campanha eleitoral. Quanto ao cosnelho de segurança, enquanto estiver se alinhando com Cuba, Venezuela, Irã e outros, esqueçam. Quem quer ser do CS tem que por a cara a tapa em missões internacionais e ser confiável.

  21. Giordani disse:
    5 de março de 2013 às 8:30

    S E N S A C I O N A L !!!!!!!!!

    Menas Dilmandona…. bemmmmm menas…… se cortar chapa de aço fosse grande coisa… aqui onde moro….. faltaria chapa !!

    Quero é ver o reator funcionando dentro deste trem….. depois navegar …. aí pode ser que tenhamos a carteirinha do clube do SubNuc !!

    Politico é isto…. se acham !!

    Sds.

Deixe uma resposta