Bengbu

Em meio a disputas marítimas e territoriais com países vizinhos, a Marinha do Exército de Libertação Popular da China (LP) comissionou hoje a primeira de uma “nova geração” de fragatas stealth.

Segundo informações da agência de notícias estatal Xinhua, a fragata tipo 56, antes conhecida apenas pelo número 582, foi batizada de Bengbu durante a cerimônia realizada no porto de Zhoushan, na província de Zhejiang, no leste da China.

O modelo tipo 56, desenvolvido totalmente com tecnologia nacional, a princípio será empregado em missões de escolta e operações anti-submarino.

FONTE: Naval Open Source Intelligence (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

Tags: , , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

17 Responses to “Marinha chinesa comissiona fragata stealth ‘Bengbu’” Subscribe

  1. Marcos 13 de março de 2013 at 11:09 #

    Marinha dos EUA deslocarão navios com capacidade nuclear para a Coréia do Sul.
    (EFE)

  2. daltonl 13 de março de 2013 at 11:32 #

    Que navios são esses Marcos ?

  3. Marcos 13 de março de 2013 at 11:46 #

    O artigo não especifica que tipo de naves serão deslocadas para lá.
    Segue, conforme EFE:

    “Navios americanos equipados com armas atômicas permanecerão em águas da Coreia do Sul para garantir a segurança do seu aliado perante as recentes ameaças da Coreia do Norte, informou nesta terça-feira o jornal sul-coreano Joongang.

    “Uma vez finalizados os exercícios militares conjuntos em curso entre Coreia do Sul e EUA, os dois países manterão por algum tempo as armas nucleares nas cercanias do litoral sul-coreano “enquanto observam o que acontece com a Coreia do Norte”, revelou ao periódico uma autoridade de Seul. (…)”

  4. daltonl 13 de março de 2013 at 12:17 #

    Marcos…

    navios da US Navy não transportam armas atomicas, talvez haja uma
    tradução erronea, ou falta de conhecimento.

    O que é uma possibilidade real é que o USS San Francisco, um SSN, submarino de ataque movido a energia nuclear, mas armado com armas convencionais, esteja participando de exercicios com a Coréia do Sul.

  5. daltonl 13 de março de 2013 at 12:37 #

    Marcos…

    4 Destroyers baseados no Japão estão fazendo parte do exercicio “Foal Eagle” com a Coreia do Sul. Erroneamente alguem aludiu armas atomicas a eles, então talvez nem seja o USS San Francisco o “culpado”.

  6. MO 13 de março de 2013 at 16:57 #

    Engraçado pq este navio tem o padrao do indicativo diferente ?

  7. Diegolatm 13 de março de 2013 at 17:00 #

    Pelo comprimento dela na foto deve ser muito maior que as FREEMs Francesas.Alguem sabe o comprimento exato desta fragata?

  8. MO 13 de março de 2013 at 17:22 #

    95,46 m segundo uns cara … uma equivalente a uma suposta classe Barreto / Tamanaduá em loa …

  9. cristiano.gr 13 de março de 2013 at 18:01 #

    Tô com um nojo desses chineses!

    Tchê, não encontrei uma bomba de gasolina Bosch para meu carro e tive de comprar uma ching ling. Meu carro ficou falhando e o mecânico disse que a bomba era ruim, mas que não podia ser ela já na saída. Olhou as velas e cabos de vela e me mostrou o defeito. Comprei e levei para ele trocar e o carro segui falhando. Ele botou no computador, testou daqui e dali e nada, andamos no carro como o note conectado ao motor e mostrou várias depressões no gráfico do note. Voltamos a oficina e ele colocou o relógio que mede a pressão da gasolina e achou o defeito: bomba de gasolina novinha se entregando. Origem, China.

  10. Marcos 13 de março de 2013 at 18:09 #

    cristiano.gr

    Lá pelo início do governo Lula, com a aproximação Brasil-China, os americanos questionaram os chineses sobre suas intenções na América Latina, os quais responderam que basicamente era que nos tornássemos fornecedores de matérias primas e consumidores de seus produtos industrializados. E conseguiram o que queriam.

    E tem gente que acha o ex Presidente o máximo.

  11. MO 13 de março de 2013 at 18:30 #

    mas o que que tem a ver com o navio ? .. ahh lamento pelo seu auto , chato pacas isso …

  12. Blind Man's Bluff 13 de março de 2013 at 18:39 #

    Qualquer embarcação americana capaz de lançar tomahawks, seja ela de superfície ou submarino pode estar armada com a versão T-LAM A, contendo uma ogiva nuclear.

    É muito comum os submarinos de ataque americanos receberem pelo menos 1 desses em suas operações de rotina pelo mundo. Nada impede que os DDGs que estejam operando por lá, tenham a bordo alguns desses; acho até bem provável, visto a escalada desse conflito.

  13. Observador 13 de março de 2013 at 18:47 #

    cristiano.gr disse:
    13 de março de 2013 às 18:01

    Todos os países com litoral próximos da China torcem para que as bombas de combustível da Marinha do Exército de Libertação Popular tenham o mesmo defeito!

    Sim, porque na velocidade em que a China projeta/constrói/lança novos navios, só torcendo para que estes “soltem peçinha” mesmo.

  14. crestani01 13 de março de 2013 at 20:04 #

    Senhores

    Ao mesmo tempo que odeio essa invasao de produtos chineses em nosso pais, eu os admiro e os invejo pela rapidez e quantidade de navios que eles poe no mar. La pelo visto eles nao vieram passear no mundo como nossos politicos administradores!

  15. daltonl 13 de março de 2013 at 22:35 #

    Blind…

    com o fim da guerra fria, sob a presidencia do Bush “pai” todas as armas nucleares táticas foram removidas de navios de superficie e submarinos de ataque, especificamente o TLAM-N foi removido do serviço em 1992.

    abs

  16. juarezmartinez 13 de março de 2013 at 23:28 #

    Caro Admiral Daltonl! Tu poderias, por gentileza explicar para este ignorante naval, porque é que tomaram esta atitude???
    e ainda se dá para acreditar nisto????

    Grande abraço

  17. daltonl 14 de março de 2013 at 0:34 #

    Caro Juarez…

    a resposta mais curta são os tratados firmados entre EUA e a então herdeira da URSS, a Russia, para a retirada das chamadas armas nucleares não estratégicas, que foram de iniciativa americana sob o então Presidente George Bush.

    Não havia mais a necessidade de armas táticas nucleares, sem falar na economia que seria feita com manutenção e com futuras aquisições, e também no acondicionamento das armas em navios de superficie e submarinos , que requeriam armazenamento especial e delicado.

    Como bonus, melhorou a relação com aliados como o Japão e Nova Zelandia que não gostavam de navios armados com armas nucleares em seus portos.

    Até alguns anos atrás se lia que tais armas táticas estavam acondicionadas em terra e poderiam voltar a ser embarcadas, mas,
    a possibilidade real de acontecer, é quase zero hoje em dia, se não for totalmente zero, devido a dispensa do pessoal técnico e a crescente falta de dinheiro.

    Apenas armas estratégicas permanecem na marinha americana na forma do missil Trident II capaz de ser embarcado nos 14 SSBNs.

    grande abraço

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Ministro da Defesa visita a Embraer para conhecer o trabalho de modernização dos jatos AF-1/1A da Marinha

No dia 21 de outubro de 2014, o Ministro da Defesa, Embaixador Celso Amorim, visitou às instalações da Embraer, em […]

Programa ‘Artémis’: início das entregas de torpedos F21 em 2016

Programa contratado à DCNS deverá equipar 10 submarinos da Marinha Francesa com o torpedo de nova geração F21, substituto do […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

Quiz Naval: identifique as classes dos navios que aparecem na foto, se for capaz…

Essa é para os bons de História Naval. Clique na foto para ampliar e identifique as classes dos navios que […]

Euronaval 2014: informe da DCNS sobre a entrega do navio da classe ‘Mistral’ à Rússia

Em resposta à informação publicada anteriormente sobre a entrega potencial do primeiro navio porta-helicópteros de desembarque (BPC) para a Federação […]

Euronaval 2014: características das corvetas ‘Tamandaré’ e do NPaOc-BR

Seguem as informações divulgadas sobre as corvetas da classe “Tamandaré” e sobre o NPaOc-BR: Corvetas Tamandaré: Deslocamento: aproximadamente 2.700 toneladas […]