Home Estratégia Coreia do Sul envia contratorpedeiros contra possível ataque de míssil

Coreia do Sul envia contratorpedeiros contra possível ataque de míssil

377
3

South-Korean-Destroyers-Watch-for-Possible-North-Korean-Missile-Launch.

Segundo informações concedidas por oficiais da Marinha sul-coreana à agência de notícias Yonhap, dois contratorpedeiros suspenderam como medida de segurança em caso de um possível ataque de mísseis norte-coreanos. Os navios são equipados com o sistema de radar PSY-1, capaz de identificar objetos a uma distância de até mil quilômetros.

Ao mesmo tempo, um comunicado oficial do Pentágono informa que o Departamento de Defesa norte-americano implantará nas próximas semanas o sistema de mísseis THAAD (Terminal High Altitude Area Defense System) na ilha de Guam como reforço na defesa regional contra mísseis balísticos de Pyongyang.

Várias mídias informam que um míssil balístico KN-08 foi posicionado ontem na costa leste da Coreia do Norte. Segundo o informe do Pentágono, o KN-08 tem “alcance considerável”, que abrange a Coreia do Sul, o Japão e a base militar estadunidense em Guam. “Os Estados Unidos ainda isnsistem para que a liderança norte-coreana cesse as ameaças e escolha o caminho da paz, através do cumprimento de suas obrigações perante a comunidade internacional”, aponta o documento. Ainda segundo o comunicado, “ [os EUA] permanecem em alerta diante das provocações norte-coreanas, e estão prontos para defender o território americano, nações aliadas e interesses nacionais”.

O posicionamento do míssil balístico foi recebido com desaprovação pela União Europeia, os Estados Unidos, Rússia e China.

FONTE: Naval Today (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
daltonl
daltonl
7 anos atrás

Gostei do photoshop… 🙂

Marcos
Marcos
7 anos atrás

A falta que faz um Republicano no poder numa hora dessas.

Daglian
Daglian
7 anos atrás

Marcos,

De fato, interessante seu ponto. Imagino o que, por exemplo, Ronald Reagan teria feito/dito sobre a Coréia do Norte…