FONTE: ochevidets.ru

Tags: , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

13 Comentários para “Vídeo: Marinha russa em operação contra piratas somalis”

  1. aldoghisolfi 15 de abril de 2013 at 14:40 #

    1 X 0 !

  2. joseboscojr 16 de abril de 2013 at 1:06 #

    E os americanos com aquele sofrível Mk-38B com 200 t/min e sem munição ABM.

  3. Santana Denis 16 de abril de 2013 at 12:02 #

    Russos são práticos, kkk pelo menos poderiam ter deixado um vivo para contar a história, dai iriam pensar 2 vezes antes de escolherem esse caminho, agora manda o pessoal dos “direituzumanu” ir reclamar la na Russia.

  4. Requena 16 de abril de 2013 at 12:08 #

    Os russos adoram fazer isso. Prendem os piratas e depois afundam os barcos deles. Sempre filmando e colocando no youtube.

    Para nossa alegria!

  5. joseboscojr 16 de abril de 2013 at 14:56 #

    Requena,
    A diferença dos russos pro resto do mundo é que eles filmam.

  6. joseboscojr 16 de abril de 2013 at 15:09 #

    Vendo a grande dispersão dos projéteis e a dificuldade em se atingir esse alvo “gigante”, próximo e imóvel, eu fico pensando se canhões são realmente eficientes para a defesa antimíssil.
    Não é atoa que estão sendo substituídos por mísseis e os canhões de pequeno calibre assumindo um papel menos crítico.

  7. daltonl 16 de abril de 2013 at 15:21 #

    Bosco…

    arrisco a dizer que “todos” filmam. Há um video do USS Farragut em uma comissão em 2010 como parte do grupo do USS Eisenhower quando ele afundou justamente com seu MK-38 um dos tais barcos piratas.

    abraços

  8. joseboscojr 16 de abril de 2013 at 16:15 #

    Dalton,
    Vou tentar ver se acho no YT.

    Quanto ao Mk-38 ele é completamente inadequado a um ataque de saturação de pequenos barcos.
    Não é atoa que outros navios já contam com alternativas mais letais, tais como o canhão Mk-46 e o Mk-110 e já se cogita seriamente no uso de mísseis de modo a diluir o enxame e facilitar as coisas pro canhão.
    Não duvido que o novo Mk-38 Mod 3 (de 30 mm), bem mais capaz, não venha a substituir no futuro o já “velho” Mk-38 Mod 2 (e não “B” como havia dito).
    Os russos optaram por um sistema de alta cadência de tiro, como o AK-306 mostrado no vídeo (5000 t/min), já no ocidente optou-se por canhões de cadência muito pequena (200 t/min) que para se tornar mais letal tem que contar com projéteis de explosão aérea, tipo KETF ou HETF, ou com projéteis guiados (altamente improvável nos próximos 15 anos).
    O pior é que o Mk-38 não tem ainda disponível munição de explosão aérea (ABM) e sua precisão é sofrível no limite do alcance, além de não conseguir trocar de alvo rapidamente.
    Para quem conta também com o Phalanx Block IB ele é uma opção bem mais capaz em mãos., mas nem todos o tem.
    Um abraço.

  9. Vader 16 de abril de 2013 at 17:30 #

    Pombas, como erra o alvo hein? Que coisa, 3 min pra detonar um barquinho de pesca?

  10. MO 16 de abril de 2013 at 17:50 #

    com a palavra os que vivem dizendo que navio de patrulha tem que ter ICBM vls …

    Felipe isso foi convertido em execicio de tiro, virou um sinkex mesmo, acho que aproveitaram tbm, de uma certa forma em atirar e avaliar

  11. daltonl 16 de abril de 2013 at 19:20 #

    Boscão…

    a US Navy apesar dos problemas com orçamento não está de braços cruzados como vc mesmo sabe e novidades irão surgir para combater
    os tais speedboats, se é que algum dia tal cenário ocorrerá, mas, por
    enquanto a supremacia militar americana é muito grande sem falar que
    os EUA também contarão com um guarda-chuvas aéreo onde quer que
    eles tenham que ir.

    O ideal seria que cada AB tivesse 4 CIWS, 2 RAM, 8 harpoons e todos os silos do MK 41 estivessem cheios, mas não irá acontecer e os EUA
    irão para a guerra como já foram tantas vezes antes com o que eles tem e não com o que eles gostariam de ter.

    abraços

  12. aldoghisolfi 17 de abril de 2013 at 9:46 #

    Acho que o MO tem razão… os russos ficaram brincando com o barco/alvo dos piratas, fazendo exercício de tiro e analisando cada um dos disparos, pois existe bons espaços de tempo entre um disparo e outro. Não posso acreditar que o canhão deles seja tão difícil de operar, em nível tal que não pudesse afundar o barco nos primeiros disparos.

  13. Wagner 17 de abril de 2013 at 19:48 #

    This is the NCC1701-A

    ENTERPRISE IS BACK ! ( Startrek IV)

    Saudações a todos !

    Bom, vejam, na falta de guerras tradicionais, as marinhas tem que fazer propaganda, os piratas somalis vem bem a calhar.

    Naturalmente so estava brincando com o barquinho…

    :)

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Testes de mar com Sonar Nacional Passivo são finalizados pelo Instituto de Pesquisas da Marinha

sonar-underwater_view

Com o objetivo de possibilitar o monitoramento acústico do tráfego das barcas Rio-Niterói e dos navios que demandam o Porto […]

Veja como será o cockpit do avião KC-2 Turbo Trader da Marinha do Brasil

KC-2 Cockpit

A imagem mostra como deve ficar o novo “glass cockpit” dos futuros KC-2 da Aviação Naval da Marinha do Brasil. […]

Modelo campeão do Contratorpedeiro ‘Santa Catarina’ (D32)

3

Por Marcus Silva, em 29 de agosto de 2015 Modelo Contratorpedeiro “Santa Catarina” D32 Escala : 1/144 Caro Galante: Conforme […]

Porta-aviões USS Ronald Reagan segue para o Japão, depois da troca de tripulação com o USS George Washington

USS George Washington (CVN-73) e USS Ronald Reagan (CVN-76) em 2 de agosto, pouco antes da troca de tripulações

  O navio-aeródromo da classe “Nimitz” USS Ronald Reagan (CVN-76) deixou ontem a base de San Diego na Califórnia para o […]

Navios que fizeram História

PRESIDENTE DUTRA1949

SINDMAR realiza Mostra de fotos e Semana de palestras O Sindicato Nacional dos Oficiais da Marinha Mercante – SINDMAR e […]