1

vinheta-clipping-navalO Corpo de Fuzileiros Navais adquiriu 195 viaturas não-especializadas de 5 toneladas 4×4 1725/42 da Mercedes Benz do Brasil. As aquisições fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal, para o fortalecimento da Indústria Nacional de Defesa.

Em abril, o Comando do Material de Fuzileiros Navais realizou a entrega técnica de 34 dessas viaturas, sendo três para o Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (RJ), 14 para o Grupamento de Fuzileiros Navais de Rio Grande (RS), uma para a Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (RJ), uma para o Centro de Instrução Almirante Milcíades Portela Alves (RJ) e 15 para o Batalhão de Engenharia de Fuzileiros Navais (RJ).

FONTE: Nomar

Tags: , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

28 Responses to “Corpo de Fuzileiros Navais compra 195 novas viaturas” Subscribe

  1. Marcelo Rodrigues 3 de maio de 2013 at 14:17 #

    Muito bom!Isso já contribui na melhora da capacidade logística do nosso CFN.

  2. Emmanuel 3 de maio de 2013 at 14:27 #

    Isso é verdade….mas posso declarar um achismo….acho q as forças armadas deveriam parar um pouco de comprar caminhões e pressionar o governo a comprar algo mais “substancial”….

  3. Wagner 3 de maio de 2013 at 14:53 #

    Uma boa notícia, melhora nosso poder e gera empregos e riquezas aqui mesmo.

    Que tal emcomendarem a Avibrás um veiculo de defesa AA específico ?

  4. StadeuR 3 de maio de 2013 at 15:10 #

    Emmanuel disse:
    3 de maio de 2013 às 14:27

    Sem deixar de adquirir esse tipo de material, tenho uma idéia do que FNs precisam adquirir um tanto mais substancial :

    http://1.bp.blogspot.com/-WTsosCIigo4/TaR8FR3RMhI/AAAAAAAAAhA/v_QYsy4RHKk/s1600/1268979.jpg

  5. Emmanuel 3 de maio de 2013 at 15:42 #

    Uma imagem vale mais do q mil palavras….disse tudo sem falar uma única palavra…

  6. Ferreras 3 de maio de 2013 at 16:12 #

    Algo que me soa estranho, avaliando em termos qualitativos e quantitativos, a maior parte dos investimentos das FAs são para transportes (caminhões, KC-390, EC-725) isso sem entrar do GTE.

    Isso se deve a que? Capacidade da indústria? Falta de meio de transportar equipamentos/tropas? Interesses em não se ter uma capacidade “bélica” mais persuasiva?

  7. Jean 3 de maio de 2013 at 16:48 #

    Desde quando caminhão Mercedes fortalecerá a indústria nacional?

    Que eu saiba, a Marcedes Benz é Alemã.

  8. emerson 3 de maio de 2013 at 17:13 #

    Caro Jean.

    A linha de produção da Mercedez é no grande ABC, enquanto que a da MAN é em Resende. Todos os funcionários da produção são brasileiros. Os fornecedores de peças (faróis, vidros, motores, rolamentos, transmissão, etc) são todas empresas instaladas no Brasil. Portanto, uma expressiva fração dos recursos pagos para essas montadoras pelos caminhões foi para os salários e previdência dos funcionários. Além disso, essa compra de 4.000 caminhões foi uma resposta do Gov.Federal a uma retração nas vendas de caminhões em 2012 que ameaçava uma dispensa em massa.

    O que soube, é que este ano houve uma retomada no mercado de caminhões devido a safra de grãos.

  9. aldoghisolfi 3 de maio de 2013 at 17:15 #

    Já estamos sendo as FFAA com melhor capacidade táxi.

  10. Carlos Peçanha 3 de maio de 2013 at 18:23 #

    Para fazer e manter qualquer combate primeiro é preciso chegar ao local e depois abastecer a tropa com munição e outros items básicos, com certeza os caminhões são ultranecessários, por uma infinidade de motivos, embora eu prefira chegar de helicóptero, o Brasil precisa urgentemente é de CH-47 Chinooks!!!

  11. Corsario137 3 de maio de 2013 at 21:35 #

    Boa notícia mas foto por foto eu preferia ver um monte de Unimogs perfilados. Melhor veículo de transporte da MB!

  12. Jean 3 de maio de 2013 at 21:55 #

    Caro Emerson,

    Sei que a fábrica da Mercedes Benz do Brasil emprega vários funcionários, que existe uma infraestrutura completa para o funcionamento desta e que são gerados empregos diretos e indiretos.

    O que deve ser levado em conta é que boa parte do lucro desses veículos é superdimensionado devido ao fator principal: O lucro-Brasil!!!(Geralmente muito maior que em qualquer outra parte do mundo!!!)

    Sei também que não existem fabricantes de veículos pesados que seja exclusivamente nacional, pois, Ford, GM. Iveco, ou qual for que seja, será uma multinacional com filial aqui no Brasil!!!

    Um abraço.

  13. emerson 3 de maio de 2013 at 22:52 #

    Caro Jean,

    Peço desculpas se me expressei mal. O blog é frequentado por muitos leitores com todas as idades e conhecimentos. Até nos conhecermos, eventualmente cometemos pequenos equívocos.

    Contudo, a compra dos caminhões para o MD ano passado foi uma ação coordenada entre vários ministérios e com as montadoras que já tinham modelos homologados para as forças armadas. Havia um risco real de demissões em massa nas montadoras de caminhões no início de 2012.

    Com esse programa de compras governamentais, a cadência de produção foi mantida ao longo do ano passado, evitando uma crise sazonal que poderia ter afetado outros setores. Além dos caminhões para o MD, foram adquiridos ônibus escolares e tratores agrícolas para as prefeituras de pequenos municípios de economia baseada em agricultura.

    http://blogs.estadao.com.br/jt-seu-bolso/pac-de-compras-evita-demissoes/

    um grande abraço

  14. Almeida 3 de maio de 2013 at 23:17 #

    Sério que tem gente achando isso BOM?

    Uma enxurrada de caminhões civis para os militares, que nunca pediram os mesmos? Só pra salvar nossa indústria automobilística ineficiente da concorrência externa? Salvando empresário/investidor gringo com o NOSSO dinheiro? Com a desculpa de “fortalecer a Indústria Nacional de Defesa”? Desde quando a MERCEDES BENZ é INDÚSTRIA DE DEFESA e muito menos BRASILEIRA?!

    Incrível como o povo brasileiro engole QUALQUER COISA que o governo petista diz! ACORDEM!

  15. Almeida 3 de maio de 2013 at 23:20 #

    emerson, se a função é apenas gerar mais empregos, ou manter os que já existem, porque dar chaves de fenda para os mecânicos? Não seria mais fácil mandar eles apertarem os parafusos com as mãos? Demoraria mais pra entregar a encomenda, “mantendo e gerando empregos”!

    É cada uma…

  16. Almeida 3 de maio de 2013 at 23:20 #

    Não tem que gerar emprego, tem que gerar RIQUEZA!

    E essa, caros colegas, vai pro exterior na forma de ROYALTIES.

  17. Jean 3 de maio de 2013 at 23:25 #

    Obrigado Almeida por esclarecer o meu ponto de vista de forma mais clara.

  18. emerson 3 de maio de 2013 at 23:25 #

    Olá Almeida,

    Sinto muito que a discussão tenha tomado essa direção. Gostaria de não me envolver em temas que envolvam partidarização, assim, se você não se incomodar, encerrarei aqui essa questão. Lamento ter dado uma impressão errada sobre o assunto.

  19. Jean 3 de maio de 2013 at 23:26 #

    Entendam objetiva no lugar de “clara”.

  20. Almeida 4 de maio de 2013 at 3:19 #

    Partidarização não emerson, economia. Se você chega aqui contextualizando economicamente aquisições militares, espere ser contestado da mesma forma.

    E economicamente falando, seus argumentos não se sustentam.

    Como eu sempre digo por aqui em época de eleição, o pior cego é o que não quer ver.

  21. Zorann 4 de maio de 2013 at 6:21 #

    A coisa é bem smples!

    O Governo está tentando a todo custo reerguer a industria nacional. Depois de 10 anos de desindustrialização, o Governo percebeu que precisa da industria. A situação é tão crítica que praticamente o único setor forte que sobrou, foi a industria automotiva (cerca de 40% da industria nacional é representada por este setor e industrias relacionadas).

    O Governo resolveu fazer sua parte. Comprar veiculos para todo o governo!!! Pelo menos desta vez, lembraram do EB. MB e FAB.

    Vale lembrar que estes caminhões e outros veiculos que estão sendo adquiridos são necessários. Ainda existem muitos caminhões, jipes da década de 70 em serviço. A renovação da frota é necessária.

  22. R.Silvestro 4 de maio de 2013 at 7:46 #

    Daqui uns dias vão começar a mandar caminhões pra Argentina, Paraguai, Bolívia, Venezuela…. sobre o pretexto de melhorar as Defesas da América do Sul….

    Pois é…. Mercedez Benz – ABC – Metalúrgicos – CUT….

    Tem muito material de atividade meio nessas FA, e material que é a atividade-fim nada….

  23. Claudio Dönitz 4 de maio de 2013 at 11:58 #

    As mais novas empresas transportadoras do mercado, FAB, EB e MB.

  24. Almeida 4 de maio de 2013 at 12:34 #

    Sim Zorann, mas não é dando incentivos para alguns “empresários” com foro privilegiado dentro do meio político e sobretaxando tudo que vem de fora que se resolve o problema da desinsdustrialização do país, que nem é novo. É uma distribuição de renda às avessas e só prejudica o povo enquanto contribuinte e consumidor, enquanto mantém artificialmente protegida nossa eterna “nascente” indústria local.

    Tem que ser competitivo. Se não é, que quebre e venham outros.

  25. Almeida 4 de maio de 2013 at 12:36 #

    R.Silvestro disse em 4 de maio de 2013 às 7:46:

    CLAP! CLAP! CLAP! Bravo!

  26. Daniel 5 de maio de 2013 at 1:02 #

    Em teoria tudo funciona. Mas explica para esse trabalhador da Mercedes que não é petista e que faz esse tipo de caminhão, qual o fabricante 100% brasileiro que faz esse tipo de veículo e que é homologado pelas Forças Armadas? Já perceberam quantas montadoras são brasileiras?

    E supondo que não devemos comprar caminhões porque os lucros vão para o exterior, nós equipamos os militares com o que? Cavalos? Burros? A renovação da frota de caminhões é com certeza necessária. Não é tudo do que precisamos, mas tem que começar por algum lugar.

    E quais são os grandes e inovadores fabricantes da indústria de defesa nacional? A EMBRAER? Qual o percentual das peças do novo avião de transporte é 100% brasileiro? É baixissíma porque não existem no Brasil fabricantes desses equipamentos!

    Senhores como todo brasileiro (ou quase todos), eu desejo que o Brasil seja um país desenvolvido e independente. Mas desde quando o país é líder em tenologia em assuntos militares? Se é necessário comprar, que seja, pelo menos, em indústrias que empreguem brasileiros.

    Vamos ser claros, a indústria de defesa não existe porque nunca teve interesse ou verba para existir. E nós estamos aqui debatendo sobre a compra de caminhões? Nós deveríamos sim, comemorar a volta de investimentos em defesa. Mesmo que sejam apenas caminhões. Tem que começar em algum lugar! Ou alguém aqui discorda que as Forças Armadas estão sucateadas e sub armadas? Nós temos que parar com essa conversa de “transferência de tecnologia” e investir pesado para comprarmos os melhores equipamentos existentes no mundo. Vamos nos reequipar e depois pensamos em fazer aqui. Só o que precisamos no momento é de equipamentos em “estado de arte”, e a capacidade de fabricarmos a munição necessária e a manutenção dos mesmos.

  27. Almeida 5 de maio de 2013 at 17:30 #

    Daniel, se fosse necessária teria um requerimento oficial de cada uma das três forças para tal, o que nunca existiu. Assim como no caso dos helicópteros.

    Se a MB tivesse pedido 195 caminhões para o CFN, tudo bem. Mas eles não precisam desta quantidade e muito menos agora.

  28. Marcio_Cesar 6 de maio de 2013 at 13:10 #

    Agora só falta melhorar as estradas, aumentar a capacidade de defesa Anti-aérea e aumentar a capacidade off-road dos comboios para termos uma força terrestre móvel considerável!(rs). Alguém imagina qual a capacidade de transporte de tropas e material por esses meios?

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Marinha Indiana incorpora o destróier INS Kolkata

O destróier de mísseis guiados indiano INS Kolkata, construído em Mumbai, deve ser incorporado na terceira semana de agosto, em […]

FOTOS: USS America operando com a Marinha do Brasil

A Marinha dos EUA divulgou imagens que mostram o futuro USS America operando com a fragata União (F45) e aeronaves […]

Um dos maiores estaleiros do país, Eisa atrasa entregas e salários

JOANA CUNHA e ARIANA BARBOSA, DE SÃO PAULO Um dos mais importantes estaleiros do país, o Estaleiro Ilha S.A (Eisa), […]

Aeronaves da Marinha do Brasil realizam pouso a bordo do USS America

No dia 4 de agosto, três aeronaves dos Esquadrões HU-1 (UH-12 Esquilo), HU-2 (UH-15 Super Cougar) e HS-1 (MH-16 Seahawk) […]

Foto histórica: P-16A Tracker a bordo do NAeL ‘Minas Gerais’

Essa é do tempo em que o Brasil tinha uma aviação embarcada de asa-fixa operacional: um avião antissubmarino P-16A Tracker […]

Caças americanos bombardeiam posições do Isil no Iraque

Ataques são os primeiros contra grupo radical sunita desde que Obama autorizou ação; ajuda a minorias perseguidas já foi enviada […]