Prosub - Os futuros submarinos brasileiros

Por Virgínia Silveira | Para o Valor, de São José dos Campos

 

vinheta-clipping-navalO governo federal incluiu o programa de desenvolvimento da aeronave militar KC-390, sob a responsabilidade da Embraer, e dos helicópteros das Forças Armadas EC-725, a cargo da Helibras, no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A portaria foi publicada no dia 16 de abril e prevê o repasse de R$ 444,3 milhões para os helicópteros e de R$ 1,185 bilhão para o KC-390 em 2013.

Também foram incluídos no PAC o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub) e o Programa Nuclear da Marinha, que este ano receberão R$ 2,5 bilhões. É o segundo ano que o governo inclui projetos da indústria de defesa no PAC. Em junho de 2012, o Ministério da Defesa recebeu R$ 1,527 bilhão do PAC Equipamentos, para a compra de 4.170 caminhões, 40 carros de combate Guarani, da Iveco, e 30 veículos lançadores de mísseis Astros 2020, produzidos pela Avibras.

O ministro da Defesa, Celso Amorim, disse que a inclusão desses projetos no PAC é “uma garantia de que os programas estratégicos da Defesa serão executados e não serão afetados por contingenciamentos”. Para Walter Bartels, presidente da Associação das Indústrias Aeroespaciais do Brasil (Aiab), “o PAC garante recursos adequados e contínuos para o desenvolvimento dos programas”.

O presidente da Helibras, Eduardo Marson, disse que a decisão de incluir projetos estruturantes do setor de defesa no PAC representa avanço importante no entendimento do governo de que se trata de um segmento prioritário para o desenvolvimento econômico do país. “O KC-390 e o HX-BR, como foi denominado o programa dos helicópteros, são vistos como projetos estruturantes do setor aeronáutico porque envolvem o desenvolvimento de tecnologia estratégica e a participação da indústria nacional.”

O programa HX-BR conta hoje com 16 parceiros estratégicos na indústria brasileira e outros 39 fornecedores nacionais. O contrato de desenvolvimento e produção de 50 helicópteros para as três Forças Armadas está avaliado em € 1,89 bilhão.

Procurada pelo Valor, a Embraer informou que já havia tomado conhecimento do fato, mas que não comentaria o assunto. Em teleconferência sobre os resultados do balanço do primeiro trimestre deste ano, esta semana, o presidente da empresa, Frederico Fleury Curado, informou que o KC-390 tem receita prevista de US$ 450 milhões este ano. Os recursos estão vinculados ao contrato de desenvolvimento da aeronave para a FAB, avaliado em US$ 2 bilhões.

Segundo o Valor apurou, até meados deste ano serão iniciadas as negociações para o contrato de produção dos 28 aviões que a FAB já havia anunciado a intenção de compra no início do programa. Além do Brasil, a Embraer também espera que as primeiras vendas do KC-390 sejam efetivadas pelos países que participam do desenvolvimento da aeronave, como Argentina, Chile, Colômbia, Portugal e a República Tcheca.

FONTE: Valor Econômico via Resenha do Exército

Tags: , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

128 Responses to “Governo inclui mais quatro projetos militares no PAC” Subscribe

  1. Emmanuel 3 de maio de 2013 at 14:23 #

    Enquanto isso em Pindorama, os velhos-novos F-5 continuam “protegendo” os céus dessa nação… (é o pombo com síndrome de gavião)

  2. Emmanuel 3 de maio de 2013 at 14:25 #

    Dilma deveria transformar o opalão num recife artificial….assim ele teria alguma função….aproveitava e colocava os A-4 dentro pra “aproveitar a viagem”….

  3. MO 3 de maio de 2013 at 14:40 #

    er .. presidente decide destinação de navio ? caraio .. hehehhe

  4. emerson 3 de maio de 2013 at 14:45 #

    Olá a todos,

    É interessante notar que todos os programas militares em andamento (ProSub, caminhões, Astros, KC390, helicópteros, etc) existiu a preocupação de gerar emprego em território nacional. O ProSub foi além porque envolveu a construção de uma nova base de submarinos e um estaleiro exclusivo. Sem entrar no mérito de prioridades, sobre qual programa seria mais importante ou estratégico, gostaria de saber existe algum programa focando o desenvolvimento do aço para os cascos dos submarinos ou se ele será importado.

    Imagino que a nacionalização deste tipo de aço especial teria grande impacto na construção de plataformas e equipamentos para o pré-sal, de modo similar ao desenvolvimento dos nanocompósitos usados na construção das ultracentrífugas para enriquecimento de urânio.

  5. Emmanuel 3 de maio de 2013 at 14:57 #

    MO….como leigo (e bota leigo nisso), acredito q não, mas seria algo q a “cumpanhera” poderia fazer pela MB…

  6. Navegador 3 de maio de 2013 at 15:10 #

    MO, sabe tudo….
    A PR é a cmte em chefe das FA’s. Em TESE, ela pode sim definir destinação de navio… Como esse é um assunto normalmente de pouca relevância, não vai perder tempo com isso.
    Ou vc acha que a venda (ou doação, sei lá)das nossas sucatas pra Namibia não passou pelo molusco?

  7. MO 3 de maio de 2013 at 15:41 #

    olha sinceramente, duvido que algum PE ou Pa mande um navio pra sucata por conta … (Aqui, claro), quanto a doação pra Namibia deveria (Cv Purus), mas particularmente nao creio … no mais risos, que nada to mais desatualizado and desinformado que o lula, hoje em dia nao sei de nada, nao vi nada … heheheh

  8. Cicero 3 de maio de 2013 at 15:48 #

    Emerson, que excelente pergunta a sua. Afinal o produto final pode ser um navio, submarino, avião ou carro de combate. Mas será que temos capacidade industrial para confecconar estas ligas metálicas? Qual das nossas companhias tem esta capacidade? CSN? Usiminas? Existe alguma universidade associada a estes projetos?

  9. Jean 3 de maio de 2013 at 15:56 #

    Mais dinheiro pra colocar nas kombis que voam com restrições.

  10. justin oliveira 3 de maio de 2013 at 16:20 #

    Alguém sabe me dizer se os 4 subs que serão construídos podem ser convertidos p/ uma versão nuclear ? Ouvi alguém dizer que sim , pois como são feitos de forma modular bastaria substituir o modulo onde fica os motores e colocar um c/ um reator nuclear .Desde já agradeço .

  11. Galante 3 de maio de 2013 at 16:25 #

    Não podem receber um reator porque o reator PWR que está sendo desenvolvido pela MB precisa de um casco de diâmetro superior ao do casco do Scorpène. Por isso o submarino nuclear brasileiro terá um diâmetro bem maior.

  12. Felipe 3 de maio de 2013 at 16:39 #

    “O contrato de desenvolvimento e produção de 50 helicópteros para as três Forças Armadas está avaliado em € 1,89 bilhão.”

    Só rindo mesmo do governo que faz contrato de 50 EC-725 que não pode voar sobre o mar.

    Fora isso, com esse preço (superfaturado), pode-se comprar quantos gripen ou rafale’s?

  13. emerson 3 de maio de 2013 at 17:03 #

    Olá Cícero.

    Obrigado pela atenção.
    Se não me engando, a USIMINAS tinha uma linha de aços especiais na década de 80, antes dos processos de privatização, enquanto que a CSN, Tubarão e COSIPA produziam aços para construção civil, perfilados e para o setor automobilístico. Hoje, não sei. Inclusive, é interessante lembrar que a produção de trilhos foi encerrada no Brasil na década de 90 e ainda não foi retomada.

    A produção das seções do casco serão fabricadas perto da nova base e pelo que sei, a unidade de fabricação das seções dos submarinos já está pronta. Mas não consegui encontrar nenhuma referência á origem do aço especial.

    Talvez algum dos Editores do blog estejam mais informados sobre isso.

  14. colombelli 3 de maio de 2013 at 17:17 #

    Até onde sei, o unico programa atual para desenvolvimento de aço especial ( existem mais de 3000 tipos) pra fim militar esta sendo levado a efeito em vista do Guarani. A priori, o programa do sub nuclear envolve a manufatura das peças, mas não do aço em si, que terá de ser importado. Sem entrar no mérito dos programas, os quais tem aspectos que eu ( e não o único) reputo qustionáveis (vários alias), pelo menos se tem a certeza de que não irão parar. Podiam ser melhores, mas antes algo do que nada.

  15. Marcos 3 de maio de 2013 at 18:00 #

    O contrato com os franceses foi tão mal feito que ninguém sabe de nada.
    O pessoal tá preocupado com o aço, mas já tem gente na Marinha se preocupado se os franceses vão transferir tecnologia para a solda. Lembrando que o aço utilizado no convencional e no nuclear são diferentes.
    Na minha humilde opinião isso dai vai virar outra Foguetobras, um troço que até agora só mandou foi nosso dinheiro para o espaço.
    Meu apelido carinhoso para o SubNu é “Moby Dick”, o grande ELEFANTE BRANCO das profundezas abissais.
    A preocupação com os “amigos” franceses é legitima, já que no caso dos helicópteros, até para apertar parafusos, o governo brasileiro tem de bancar despesas de viagem, estadia, horas/homem.

  16. Paulo Costa 3 de maio de 2013 at 18:10 #

    No Brasil temos a Usiminas que fabrica chapas especiais para
    navios,ou o Guarani,Acesita(aços especiais de Itabira),fabrica inox,e etc,
    CSN ,fabricava trilhos,cessou devido a falta de escala,
    a Aços especiais Anhanguera,SP,e Aços especiais Piratini,no RG do Sul.No CTA/ITA em SJ dos Campos se fabricavam ligas especiais
    para foguetes e aeronautica.De um modo geral os aços especiais
    são bem mais caros ,e os que tem escala no pais tem produção local.
    Por ex uma fabrica no pais de tubos sem costura,pode mediante
    entendimentos ,destinar a produção de um dia para tubos para
    morteiros,depende da industria de defesa do país..

  17. emerson 3 de maio de 2013 at 18:42 #

    Olá Colombelli,

    A notícia sobre o aço balístico para o Guarani é muito boa. Saberia dizer qual siderurgica e universidades estão envolvidos?

    Sobre a solda dos Scorpenes, acho que a situação será mais tranquila a partir do início da escola de solda dentro da unidade de estuturas metálicas. Se considerarmos que a execução dos quatro Scorpenes depende das etapas de solda, todo o programa seria inviabilizado se não houver o treinamento de soldadores no Brasil, e que acarretaria em prejuízo para a DCNS inclusive para disputar o ProSuper. Não há ganho nenhum em prejudicar a transferência de knowhow das soldas é muito menor do que o prejuízo em cancelar o ProSub e perder o ProSuper ou comprometer um potencial FX2.

    Particularmente, nunca tive problemas com empresas ou universidades francesas. Eles tem sido bem profissionais, inclusive em relação à assistência técnica de equipamentos bem delicados.

  18. marc 3 de maio de 2013 at 18:49 #

    Parece que estão nos plano do PAC ainda a compra de:

    120 chupetas;
    5 lambretas na cor azul claro;
    15 capas de chuva modelo amarelinha;
    13 bamboles;
    7 guarda sois modelo vermelhinho;
    8 patins com luzinha atras;

    Para acreditar, so falta acrescentar estas informações….
    rsrsrsrrrr….

  19. Jeca Tatu 3 de maio de 2013 at 19:31 #

    Só existem dois tipos de navios: submarinos e alvos! Em todos os blogs de defesa que frequento e frequentei por ai. Em todos os blogs de defesa estrangeiros que passei, todos sempre foram unanimes e radicais em um ponto! O submarino nuclear É o aparato naval belico mais mortal, estratégico e eficaz que uma marinha pode ter! Que É 1 dos aparatos belicos mais sonhados e almejados por qualquer força armada! Mas é só aqui! É só aqui! É só aqui que são contra o desenvolvimento disto! É só aqui que inventam falacias de todas as especies para o não desenvolvimento disto! É só aqui que inventam desculpas sem pé e cabeça pra não desenvolver isto! É só aqui que se tenta fazer panelinhas, picuinhas, birras e sabotagens de todas as especies e formas para impedir o desenvolvimento disto! É só aqui que estas coisas acontecem! É só aqui que eu vejo essas coisas! E tudo isto porque?! Porque o programa PROSUB esta sendo tocado por um governo das “isquerdas”, porque esta sendo feito pelus “cumunistas” feios, maus e cumedores de criançinhas! É um absurdo que por questões politico-ideologicas aqui neste pais se chegue ao ponto de se sabotar a defesa e segurança da propria nação! Se chegue ao ponto de se sabotar todo um pais e seu desenvolvimento! Que se ponha questões politico-ideologicas//birras/picuinhas acima de tudo, até mesmo acima de interesses vitais e de suma importancia para ao pais! É só aqui que uma guerra ou birra entre militancias politico-ideologicas consegue toma de assalto/refem todo um pais e seu desenvolvimento! É só aqui! Eu pergunto! Um pais assim tem futuro? Qual é o futuro de um pais e uma gente assim? Uma gente que pensa e agi assim tem futuro? Merece ou não merece? Merece?! MEREEEECCCCCEEE! Merece Sim! Sem dó! E com areia e tudo que é pra aprender com quantos paus se faz uma canoa……

    POVO DESPROTEGIDO!!!!!!!!!!!!!!

  20. Jeca Tatu 3 de maio de 2013 at 20:57 #

    E eu deixo aqui os meus parabens a Marinha deste pais! Pois é a unica força competente e comprometida com os interesses do pais atualmente! é a unica que não fica desfilando de nariz empinado e de sapatinho alto !! é a unica que não fica com birras e picuinhas!! é a unica que não fica com nhem nhem nhem e mim mi mi!! é a unica que não fica soltando dossiê pra sabota as coisas pretendidas no pais!! é a unica comprometida atualmete com os interesses do pais e não com interesses de partido/ideologia “x” e “y”!

    SÓ A MARINHA PRA DEFENDER E SALVAR ESTE PAIS PERDIDO!! VIVA A MARINHA!

  21. Paulo Costa 3 de maio de 2013 at 21:27 #

    http://www.mar.mil.br/hotsites/sala_imprensa/arquivos…a…/carta_spn7.pdf

    No site da MB acima tem um pdf explicativo sobre as chapas do submarino convencional escorpene.
    A MB tem no AMRJ,um equipamento que corta o casco do submarino Tupi,para troca de baterias e etc,e depois solda,não sei se serve no escorpene.A tecnologia de solda de casco,a solda é o lugar mais fragil
    do casco,é derivada do mesmo sistema que solda o vaso do reator nuclear,dai o acordo com a Alemanha de comprar uma usina nuclear
    e os subs Tupi MB.

  22. Corsario137 3 de maio de 2013 at 21:31 #

    Longe de mim querer me meter na administração do espaço porém fica a pergunta:

    Aqui os comentários não são apenas para aqueles que compram ou assinam a revista, salvo ocasiões especiais como notícias de enorme repercussão? Porque no Aéreo é de um jeito e no Naval de outro?

    Grato.

  23. Galante 3 de maio de 2013 at 21:36 #

    Prezado Corsario137;

    Eventualmente nós abrimos os comentários por tempo limitado, como estamos fazendo agora no Naval. Nos outros blogs também abrimos para este fim de semana.

    No Aéreo nós restringimos mais porque a quantidade de comentários de baixo nível é muito grande quando abrimos. No Naval existe um público mais seleto.

    Um abraço

  24. emerson 3 de maio de 2013 at 22:35 #

    Olá Paulo.

    Obrigado pelo link ao documento da Marinha sobre o aço que será usado no Scorpene. É interessante saber que ele será mesmo importado da França, mas que as USIMINAS teria capacidade tecnológica para desenvolve-lo, se fosse economicamente viável.

    Parece um projeto de pesquisa muito legal para ser feito…..

    Contudo, não consegui encontrar nada sobre o aço HTL 80, mas segunda-feira irei procurar um amigo no laboratório de metalurgia para indagar sobre esse tipo de material.

    Se o blog estiver fechado, enviarei a um Editor como sugestão de um post, ok?

  25. Hudson 3 de maio de 2013 at 23:06 #

    Aos pouco as nossas FA’s estão se estruturando. Não adiante só poder de combate, temos que ter aviões de transporte. Parabéns aos militares.

  26. Cicero 3 de maio de 2013 at 23:06 #

    Basta lembrar que parte da ferrovia Norte-Sul (aproximadamente 800 km) foi feita com trilhos importados da China. O que me chamou a atenção quando li esta reportagem não foi o fato da qualidade (péssima) dos trilhos, mas qual seria a origem do casco dos nossos Scorpenes. Vamos torcer que a Usiminas possa fazer parte deste projeto e as nossas universidades.

    Abraços

  27. Almeida 3 de maio de 2013 at 23:08 #

    Apenas mas uma maracutaia/maquiagem do Governo Federal pra esconder os problemas na economia, especialmente nos investimentos públicos. Tá faltando dinheiro pro PAC e por isso enfiaram esses programas do Ministério da Defesa, que já estavam com as verbas providenciadas, dentro dele, mantendo-se assim o total dos “investimentos” sem no entanto investir mais.

  28. Ribeiro 3 de maio de 2013 at 23:23 #

    Boa noite
    concordo certamente com o amigo denominado Jeca tatu, pois é bem claro que países que conseguem desenvolver retores atômicos são contados nos dedos de uma mão. Apesar de estar desenvolvendo um submersível movido a energia nuclear a Índia em hipótese nenhuma chegará a tanto; usará de tratados com os russos para tudo que exigir algo desta monta que é evidente não esta a seu alcance. Todavia nós sabemos da capacidade industrial e tecnológica da MB e parabenizamos esta força por tal ímpeto e idealismo que mesmo diante de recursos escassos e todos os problemas oriundos de tais projetos não desapontou aqueles que nela confiaram,dando continuidade aseus projetos. Por serem de caráter estratégico a qualquer nação geraria ,e gerou ciúmes e inveja de nações até amigas e tipificadas como aliadas em alguns tratados, acho que o Brasil deve rever tratados e efetuar novos se for acaso com cuidados que não venham a lhe limitar o poder de resposta e defesa como que de imediato. Brasil acima de tudo………

  29. Rafael 3 de maio de 2013 at 23:36 #

    Entraçado como todo mundo aqui é capacitado pra dar pitado em engenharia naval e reatores nucleares né?

    Mesmo o pessoal aqui falando em colisões de eletrons pra se referir a reações nucleares, todo mundo acha que é apto a criticar….

    Nego não sabe nem o que é matemática vetorial e fica na internet falando besteira técnica pq le alguma coisa numa revista internacional de algum repórter que sabe menos ainda…

    Só rindo

    Só entendem muito é de fazer melindres e beicinhos na internet … Com Brevê de curso de piloto….

    É fail por cima de fail… Rata por cima de rata… E nego não se toca…

  30. Rafael 3 de maio de 2013 at 23:39 #

    E outra: tão achando ruim a marinha ter um submarino nuclear? Então vão reclamar com a militalhada que gastaram tubos e tubos de dinheiro publico e até hoje só conseguiram fazer uma maquete

    Foi a militalhada que perturbou por um submarino nuclear

    Se o governo atende o desejo desses macacos de farda, vcs reclamam… Se o governo não atende, reclamam do mesmo jeito

    Só rindo mesmo!

  31. Rafael 3 de maio de 2013 at 23:49 #

    “É só aqui que estas coisas acontecem! É só aqui que eu vejo essas coisas! E tudo isto porque?! Porque o programa PROSUB esta sendo tocado por um governo das “isquerdas”, porque esta sendo feito pelus “cumunistas” feios, maus e cumedores de criançinhas! É um absurdo que por questões politico-ideologicas aqui neste pais se chegue ao ponto de se sabotar a defesa e segurança da propria nação!”

    É isso mesmo jeca tatu… A única frustração dessa gente é pq,o PROSUB esta sendo conduzido pelo governo DASIZQUERDAS FEIAS E BOBAS E COMUNISTAS E COMEDORAS DE CLIANCINHAS….

    Fazem questão de botar defeito até onde não existe pq não querem dar o braço a torcer….

    Essa gente só entende muito é melindre e rabisacas…

    Mas claros… Alguns aqui tem até curso de piloto né… Então eles estão perfeitamente

    O ministro Amorim não tem culpa de ser uma pessoa culta, premiada pelo itamaraty por ter se graduado como o primeiro aluno de sua turma… Enquanto a meia duzia de frustrados se resumem a meros fantasmas com delírios de maioria achando que vão dominar o Brasil com amea

  32. Ribeiro 3 de maio de 2013 at 23:54 #

    Eu não consigo entender sequer uma palavra destas pessoas que se intitulam (BRASILEIROS ) e vem postar algo que a gente sente o fedor político em cada ´silaba. Agora vejamos que apesar de escreverem um português de relevante intendimento ;é de qualidade duvidosa. Se não gosta do PT ou qualquer outro partido não fale nele, existe um ditado que diz : “Falem mal ou falem bem mas falem de mim” é bem político Poste algo sobre o assunto que segue acima não sendo pessimista tentando em vão passar esse pensamento aos outros leitores que virão após .Lembrando enfim que se o governo esta no caminho ideal e certo então Prestigie suas forças armadas e seu país com mais otimismo……..

  33. Rafael 3 de maio de 2013 at 23:56 #

    Rafael disse:
    3 de maio de 2013 às 23:49
    “É só aqui que estas coisas acontecem! É só aqui que eu vejo essas coisas! E tudo isto porque?! Porque o programa PROSUB esta sendo tocado por um governo das “isquerdas”, porque esta sendo feito pelus “cumunistas” feios, maus e cumedores de criançinhas! É um absurdo que por questões politico-ideologicas aqui neste pais se chegue ao ponto de se sabotar a defesa e segurança da propria nação!”

    É isso mesmo jeca tatu… A única frustração dessa gente é pq o PROSUB esta sendo conduzido pelo governo DASIZQUERDAS FEIAS E BOBAS E COMUNISTAS E COMEDORAS DE CLIANCINHAS….

    Fazem questão de botar defeito até onde não existe pq não querem dar o braço a torcer….

    Essa gente só entende muito é melindre e rabisacas…

    Mas é claro… Alguns aqui tem até curso de piloto né… Então eles estão perfeitamente aptos a fazerem observações técnicas

    Só uma breve observação: O ministro Amorim não tem culpa de ser uma pessoa culta, premiada pelo itamaraty por ter se graduado como o primeiro aluno de sua turma… Enquanto a meia duzia de frustrados se resumem a meros fantasmas com delírios de maioria achando que vão dominar o Brasil com ameaças veladas nos blogs de defesa…

    O Amorim não tem culpa do fracasso dos outros…

    Vão trabalhar e se graduem em alguma coisa pra ver se vcs criam moral

  34. navegador 3 de maio de 2013 at 23:56 #

    Creio que o aco dos cascos seja importado….A villares chegou a fazer o aco para o vls, mas depois parou. Nao sei dee onde vem o aco dele, ou se usam estoques

  35. emerson 3 de maio de 2013 at 23:59 #

    Caro Paulo.

    Encontrei referências de um aço de alta resistência para uso militar HY 80, mas nada sobre o HTL 80. Aliás, o HY 80 é usado pela marinha americana para seus submarinos.

    o resto fica para segunda-feira

  36. emerson 4 de maio de 2013 at 0:05 #

    Caro Navegador,

    O Paulo indicou um link para um documento da marinha onde é colocado explicitamente que o aço para os Scorpenes será importado da França, a despeito da capacidade da Usiminas forja-lo. Pelo que entendi, o investimento para produzi-lo seria muito alto considerando a quantidade que será usada. Contudo, há menção do padrão HTL80, mas não consegui achar nenhuma referência de estudos sobre ele, mas encontrei uma centena de trabalhos sobre o HY80 usado pela USNavy em seus submarinos.

    Parece que seria um post interessante essa questão do aço naval… se tiver fôlego, enviarei algo para o Editor do blog sobre isso.

  37. Ribeiro 4 de maio de 2013 at 0:06 #

    Parabéns ao Poder Naval as postagens sempre publicadas com o respeito e conhecimento técnico dado a cada post ( matéria) .Venho acompanhado como leitor e interessado em seus assuntos. Obrigado Galante e sseus respectivos seguidores ……. Abs.

  38. Ribeiro 4 de maio de 2013 at 0:33 #

    O Galante poderia me dizer se os tratados de reator Multipropósito que o Brasil Fez com Argentina ,tem algo a ver com MB e projetos da força?
    O Pró-sub e toda a gama de fontes que venham a acompanhar o Reequipamento da MB com seus meios devem no entanto ser totalmente com tecnologias nacionais para que não fiquemos na mão quando se precisar destes “sócios” em data futura, diria literalmente a “ver navios”.
    Dissuasão é ter tecnologia que possa mostrar a capacidade tecnológica em material de defesa que um país tem, independente de A ou B em momento de decisões comum na geopolítica atual…….

  39. Thiago 4 de maio de 2013 at 4:44 #

    Tem uma coisa que não entendi até agora, vai ter aqueles tubos de misseis verticais ou não? Porque hora aparece um desenho com eles ai depois aparece sem eles, daqui a pouco aparecem eles na diagonal e eu não vou me assustar…

  40. Zorann 4 de maio de 2013 at 6:05 #

    Olá a todos!

    Quanto ao aço especial: vi (não me lembro onde) que a Gerdal estaria planejando a produção do aço com as especificações necessárias aos submarinos que serão montados aqui.

    Quanto a transferencia de tecnologia, acredito que a mesma se dará sem problemas.Tecnicos brasileiros já estão na França acompanhando e participando da construção do 1° submarino.

    A questão é se vamos usar a tecnologia que está sendo comprada. Estamos pagando por 4 submarinos Scorpene, o preço de 14 IKL com AIP novinhos de fábrica!!! Eu particularmente duvido que construiremos unidades adicionais ou que venhamos a criar um projeto nacional e construir algumas unidades. O próprio submarino nuclear para mim é um sonho muito distante.

  41. Renato 4 de maio de 2013 at 8:52 #

    Olá,

    Gostei dessa discussão sobre o aço a ser utilizado nos sub’s. De fato, a escala é quem manda… tristeza me deu foi saber que os trilhos da Norte-sul ( da FIOL deve ter sido tb) foram made in China. Bom, fico na torcida para que o financiamento da MB junto ao BNDES dê certo, ainda este ano.

    Quanto aos comentários políticos, ignorem. Já se sabe de onde vem o cheiro – e o da esquerda é tão ruim quanto o cheiro da ideologia da direita. Fui

  42. emerson 4 de maio de 2013 at 10:27 #

    Caro Zorann.

    O valor do contrato não é apenas a compra de 4 Scorpenes. Se fosse uma compra simples de quatro submarinos, o valor seria bem menor, como fui a compra dos Oberon na década de 70. O valor do ProSub envolve a construção de uma nova base de submarinos em Itaguaí. É interessante ver o local no GoogleMaps. Além da base, também há a unidade industrial onde serão feitas as seções dos submarinos que será montado no novo estaleiro. Por fim, também há a questão do casco para SubNuc

    O Scorpene custa cerca de 450 milhões de dolares, enquanto que um IKL 214 cerca de 330 milhões, mas o Scorpene é cerca de 30 metros maior e desloca cerca de 200 ton a mais do que o IKL.

    Se fosse uma compra simples, os 4 Scorpenes custariam 1,8 bilhão de dólares, enquanto que 4 IKL 1,4 bilhão… assim, uma expressiva fração do valor do ProSub foi destinado ao estaleiro, base e para a construção da unidade industrial.

    Outra importante informação é que também existe um outro programa da MB relacionado aos submarino nuclear mas que não entra na conta do ProSub que é o desenvolvimento e construção do reator multipropósito em Iperó e a ampliação das ultracentrífugas em Resende. Pode somar mais um bilhão de reais na conta se for considerado esses dois projetos.

  43. Almeida 4 de maio de 2013 at 12:29 #

    Só atualizando alguns recém chegados e desavisados, tem gente aqui com doutorado pela COPPE e MIT, fora os muitos oficiais militares das três forças, alguns do ITA e IME.

    Ninguém aqui sabe tudo, mas claramente o nível dos comentaristas destes blogs é muito mais alto que o normal por aí afora… quando os comentários estão fechados, claro.

  44. emerson 4 de maio de 2013 at 12:53 #

    Caro Almeida,

    Muito bem colada a questão sobre a excelência de muitos que frequentam o blog. Outra coisa que muito me impressiona é a participação de muitos jovens que usam o blog para se informarem sobre defesa.

    Talvez a maior dificuldade, pelo menos para mim, é calibrar para que todos participem.

    Mas faço minhas as suas palavras sobre o nível técnico dos comentários .

  45. Aurélio 4 de maio de 2013 at 17:44 #

    Os franceses, usam o aço HY 80 em seus submarinos classe Scorpène.
    Os alemães usam o aço HY 100 , nos submarinos tipo U-214 .
    O HY 100 , permite merguhos a mais de 400m de profundidade. Já o HY 80 , é menos resistente que o HY 100. Pelo que tenho lido, nossos submarinos S-Br e SNBr , usarão o mesmo tipo de aço.

  46. Aurélio 4 de maio de 2013 at 17:46 #

    onde se lê :” merguhos “, leia-se : ” mergulhos “

  47. L.D.K. 4 de maio de 2013 at 18:16 #

    Olá a todos!
    Estes projetos no desenho à cima são projetos de qual origem, alemã, francesa, inglesa?
    Se algum dos senhores souber a origem e de qual modelo derivam eu agradeço desde já qualquer resposta que me dê uma luz!

  48. Aurélio 4 de maio de 2013 at 18:22 #

    Justin / Galante . Acredito que os primeiros quatro submarinos S-Br poderão ser nuclearizados, pois possuem pràticamente as mesmas dimensões dos submarinos nucleares franceses classe Rubis/ Améthyste. Teremos que modificar apenas nosso reator nuclear. Compare as especificações no link abaixo :

    http://www.naval.com.br/blog/2008/12/20/rubisamethyste-as-pedras-preciosas-francesas/#axzz2SMPAV3ub

  49. Subnauta 4 de maio de 2013 at 18:36 #

    Prezados,
    com relação aos submarinos, não há como substituir a seção da propulsão de um SBR convencional por uma nuclear. Primeiro pelo diâmetro do casco, que no nuclear é muito maior que do convencional, mas também por motivos de estabilidade estática e dinâmica, além de posicionamento do centro de gravidade e de carene, que são essências para o desempenho do submarino na superfície e mergulhado. Além disto, a propulsão nuclear exige diversas outras modificações no meio para que ele funcione corretamente. O aço utilizado no submarino convencional pode ser o mesmo do nuclear (HY 100 ou HLES 80). Isto depende não da propulsão, mas sim da técnica de solda, diâmetro, velocidade, cota máxima de operação e etc.

    Infelizmente leio comentários dizendo que o contrato foi mal feito e que a transferencia de tecnologia não ocorre. Imagino que quem escreveu não teve acesso às mais de 3000 páginas do mesmo. Algumas turmas de engenheiros e técnicos já passaram e ainda passam em varias industrias na França e vários técnicos franceses estão no Brasil para a passagem de conhecimento e tecnologia. É claro que no assunto de tecnologia militar, principalmente de submarinos nucleares, vamos encontrar dificuldades e restrições (quem pensa que qualquer nação passará todos seus conhecimentos a outro pais, está enganado). Imagino que se houver vontade política e uma boa participação da iniciativa privada temos plenas condições de concluir o projeto. Não será um USS Virginia ou um Barracuda (SNA Suffrin) mas será omrpimeiro passo para uma força de submarinos nucleares.

  50. Bosco 4 de maio de 2013 at 18:49 #

    Eu não sei o que é matemática vetorial mas sei que o nosso país não deveria gastar os tufos com um submarino nuclear se mal dá conta da marinha acanhada que tem.
    Idem para o porta-aviões (ou NAe, se preferirem).
    Tivéssemos 3 x mais submarinos convencionais e um navio de funções múltiplas (porta-helicóptero de convés corrido) estaríamos muito melhor do que estamos e aí sim poderíamos pensar em operar submarinos nucleares e porta-aviões.
    No caso, estamos achando a solução para um problema que não temos, que não detectamos. É a mais pura demonstração de falta de planejamento do país a longo prazo.
    Como brasileiro, cidadão em pleno gozo de meus direitos, tenho o direito de dar pitaco sobre qualquer decisão que envolva verbas públicas. Se posso fazê-lo em relação à saúde, à educação, à segurança pública, ao saneamento básico, às estradas, posso também dar pitaco no que se refere à atividade militar, que ela, independente se os militares gostam ou não do pitaco de civis. Se não gostam, vão trabalhar na iniciativa privada e vão fazer projetos com dinheiro próprio.
    Tenho uma visão ideal de Brasil, sei como gostaria de ser atendido em uma delegacia de polícia, em um hospital público, em uma escola pública, em uma via pública, e não acho que só não posso ter uma ideia do que seria ideal na área militar.
    Considero que levando-se em conta uma série de fatores (históricos, sociais, políticos, etc) a marinha ideal para o Brasil é uma marinha costeira, onde não se faz necessário um triturador de dinheiro como um porta-aviões (ou dois ou três) e nem submarinos nucleares.
    Pelo menos no atual momento histórico em que vivemos. Se o Brasil ou o mundo ao redor do Brasil mudar, minha visão do que seria a marinha ideal irá mudar também. Me reservo esse direito.
    Mas não por hora.

  51. aldoghisolfi 4 de maio de 2013 at 18:50 #

    Boa noite.

    No corte dos submarinos, lá em cima, o Scorpène não mostra o paiol dos mísseis (Exocet?). Aonde se localizam os lançadores?

    Será possível a viabilidade do Aurélio? Apenas reduzindo o reator? Isso seria fantástico!

  52. Bosco 4 de maio de 2013 at 18:58 #

    Pra complementar, acho que projetos da magnitude de submarinos nucleares, lançadores de satélites, armas nucleares, mísseis ICBMs, porta-aviões, etc, são projetos de Estado e deveriam ser discutidos com a população fazendo parte dos planos de governo de futuros candidatos aos cargos públicos.
    Não me lembro do Lula ou da Dilma, ou de quem quer que seja ter comentado que iriam construir uma frota de submarinos nucleares antes das eleições, assim como o FHC não disse que iria comprar o São Paulo e tentar fazer ele operar.

  53. Bosco 4 de maio de 2013 at 19:09 #

    Aldo,
    Mísseis anti-navios ocidentais em geral são lançados via tubos de torpedo mesmo.
    No caso dos lançadores verticais do subnuc são mísseis hipotéticos, que devem ser mísseis de cruzeiro contra alvos em terra.
    Não se sabe de nenhum míssil de cruzeiro que esteja sendo previsto para ele e os lançadores estão lá ninguém sabe pra quê.

  54. L.D.K. 4 de maio de 2013 at 19:20 #

    Muito obrigado Aurelio, pois mesmo não sendo uma resposta direcionada a mim, ajudou-me a esclarecer minha duvida, obrigado!

  55. Bosco 4 de maio de 2013 at 19:25 #

    Mísseis antinavios ocidentais lançados tubos de torpedos de submarinos = Harpoon e Exocet
    Mísseis cruise contra alvos em terra (LACM) lançados de submarinos = Tomahawk (tubos de torpedos e lançadores verticais) e futuramente o MCN (SCALP naval) a partir de tubos de torpedos.

  56. aldoghisolfi 4 de maio de 2013 at 20:19 #

    Feito Bosco, gracias.

    É, os lançadores do SubNuc estão lá ‘didaticamente’ colocados, apenas. Porque, seguramente, vamos acabar comprando, também, os mísseis para o Nuke…

    Mas não sabia que os mísseis dos sub convencionais eram lançados via tubo dos torpedos. Como fazer a compatibilidade entre os torpedos e os mísseis? A impressão que tenho é que os mísseis vão ficar dançando dentro dos tubos. Será assim?

  57. aldoghisolfi 4 de maio de 2013 at 20:30 #

    Bosco: li agora o teu outro comentário, com o qual concordo plenamente.

    Já havia manisfestado anteriormente minha opinião contra o NAe e Nukes exatamente pelos motivos que alegastes.

    Penso que precisamos é de uma marinha costeira muito forte, apoiada por uma FA tão forte quanto, com o maior índice de disponibilidade que for possível.

    Sou advogado e também não sei o que é matemática vetorial, e nem quero saber… mas sei, sim! o que a história nos conta e posso, em sã consciência e com humildade, manifestar-me, no sentido de que qualquer um de nós aqui pode SEMPRE manifestar sua opinião, livremente, sem constrangimentos de espécie alguma.

    Temos tido cada opinião que chega às raias do surto emocional e de mui baixa extração literária que, nem por isso foi editada ou severamente rejeitada.

    Se, AQUI, não pudermos fazer uso da crítica…

  58. Bosco 4 de maio de 2013 at 20:33 #

    Aldo,
    No caso do Harpoon ou do Exocet, que são bem mais finos que os tubos, eles guardados e ejetados dentro de uma capsula que se abre quando chega a superfície e aí o míssil aciona seu booster e vai ao ar.
    A capsula do Exocet tem até um foguete próprio que faz ela saltar fora d’água, liberando o míssil.
    No caso do Tomahawk, que tem diâmetro quase igual ao do TT, ele usa uma cápsula fina para proteção e manejo que fica no lançador (lançador vertical ou tubo de torpedo), sendo o próprio míssil que atravessa o meio líquido. A própria cápsula é que ejeta o míssil que se posiciona na vertical e aciona seu booster ainda dentro d’água, saltando ao ar.
    Um abraço.

  59. Bosco 4 de maio de 2013 at 20:40 #

    Pois é Aldo!
    Se só médicos puderem opinar sobre os hospitais públicos, se só professores puderem opinar sobre as escolas pública, se só militares e engenheiros puderem opinar sobre submarinos nucleares, aí a coisa complica.

    Um abraço.

  60. Paulo Costa 4 de maio de 2013 at 21:30 #

    Caro Emerson
    Estas chapas para submarinos podem ser as 80 para convencionais e
    100 para nucleares,mas nada impede que se padronize todos na 100,
    que deve ser melhor e mais cara.Outro assunto e a curvatura das
    chapas de acordo com a posição dela no projeto,é outra coisa a pensar.
    estas chapas são amagneticas para dificultar a detecção por MAD,e etc.
    Tambem a proa dos submarinos onde vai o sonar e as aberturas para
    os lançamentos dos torpedos,poucos querem repassar a tecnologia.
    Acredito em um mixto de partes vinda da França e partes fabricadas por nos.

  61. Marcos 4 de maio de 2013 at 22:43 #

    Pois é, Bosco, o médico, o cirurgião, a enfermeira, o administrador devem entender muito, mas quem espera na fila do SUS é o povão.

  62. Marcos 4 de maio de 2013 at 22:50 #

    Subnauta:

    Quando penso no “grande negócio” que foi feito com a aquisição dos helicópteros Super Puma, não posso deixar de pensar no “negocião” que não deve ter sido esse contrato dos submarinos com os franceses. Alguns detalhes que me levam a questionar um contrato que não li:

    1) A tradição de políticos brasileiros em levar grana em tudo;
    2) A “exigência” francesa de que o parceiro brasileiro fosse uma certa empreiteira;
    3) Os rolos de corrupção que um certo Presidente francês se meteu para vender seus submarinos à outro país.

  63. Jeca Tatu 4 de maio de 2013 at 23:51 #

    “Bosco disse:
    4 de maio de 2013 às 20:40″

    Pra complementar sua opinião:

    Quando um homem quer matar um tigre.Chama a isso desporto.Quando é o tigre que quer matá-lo.Chama a isso ferocidade.

    A Grandes Homens Que Fazem Com Que Todos Se Sintam Pequenos.Mas Os Verdadeiros Homens São Aqueles Que Fazem Com Que Todos Se Sintam Grandes.

    Um governo consiste no reflexo de seu Povo.Se ha aqui um governo corrupto é porque o povo que o ELEGE é corrupto.

    As únicas desgraças completas são as desgraças com as quais nada aprendemos..

  64. L.D.K. 5 de maio de 2013 at 0:13 #

    uma pergunta a quem queira ou achar que deva responder a esta minha pergunta:
    No Brasil há ou não ha´ uma industria naval habilitada e capaz de construir submarinos, navios aeródromos ou qualquer outro gênero de uso militar, mesmo comprando ou adquirindo licença de projetos para produzi-los aqui?
    Pergunto isso por que no Brasil na verdade não se produz inteiramente plataformas de petróleo, mas se transforma carcaças de navios compradas no exterior, caso eu esteja errado, por favor me corrijam, obrigado!

  65. Almeida 5 de maio de 2013 at 0:16 #

    Pois é, entubaram um submarino nuclear numa marinha que não tem nem fragata em condições de fazer uma patrulha ou visita à alguma nação amiga em outro oceano. E entubaram gastando-se os tubos à revelia da população, como bem lembrou o Bosco.

    Não vou nem falar dos helicópteros desta vez.

    E agora estão enfiando tudo dentro do PAC para poder mostrar nas eleições ano que vem que estão investindo bilhões e bilhões que deveriam ir pra infraestrutura básica em negociatas. Mas ei, se passar na TV na hora da novela com a estrelinha do PT e o selinho do Governo Federal dizendo que estão acabando com a pobreza (dos ricos, só pode), todos vão acreditar como cordeirinhos, sem questionar. COmo bem disse o Jeca Tatu, esse povo tem o governo que merece.

  66. Bosco 5 de maio de 2013 at 0:23 #

    Belas palavras Jeca!
    Mas eu não concordo plenamente com a ideia que os políticos são a cara do brasileiro.
    É certo que não somos o que de melhor a civilização moldou ao longo dos milênios mas é fato que algumas atividades são imãs para a mal-caratice de modo geral, e a atividade política partidária no Brasil é uma delas, e pior, está longe de ser a única.
    Nessa atividades há uma percentagem significativamente maior de maus brasileiros, que fazem coisa bem pior que escarrar no elevador ou cuspir no passeio público.
    Conheço gente que come caca do nariz mas não rouba um tostão de ninguém.
    Mas essa é a nossa sina forjada após 500 anos de Brasil. Como só raposas se dispõe a ser gerente do galinheiro não há como ter um cão pastor na administração.
    E em questão civilizatória nos brasileiros somos mesmo meio que “homens das cavernas” mas os civilizados de outras terras no hemisfério norte têm de modo geral alguns esqueletos guardados nos armários, fruto de um passado nada glorioso e muito pouco “civilizado”.
    Um abraço.

  67. Bosco 5 de maio de 2013 at 12:40 #

    Rafael,
    Você não me citou mas não posso deixar de observar que quem está exigindo gastos exorbitantes com armas é você.
    É você que defende que o Brasil tenha 4 submarinos nucleares.
    Quanto a criticarmos o PT é porque ele é que está no governo e apesar das críticas parece estar gostando e tem planos pra ficar por décadas, tendo em vista o uso da máquina pra conquistar corações e mentes.
    Ou seja, você está tomando as dores de um governo que não está nem aí pra críticas, caso contrário já teria desistido de ser governo e voltado a ser oposição.
    Aliás, como você deve se lembrar se idade tiver, todos nós somos cria do PT e aprendemos a criticar o governo com eles, que brandavam a bandeira da competência e da ética acima de tudo.
    Mas pelo jeito aprendemos errado e continuamos a criticar até o PT.
    Eu por exemplo, quando faço críticas ao Estado Brasileiro, fruto de 500 anos de desmando, patrimonialismo, populismo e outros ismos, nunca sou ouvido e uso esse espaço eventualmente só pra desabafar mesmo.
    Não acho que seja necessário um porta-aviões, mas o governo atual insiste em tê-lo (a única coisa que o PT não reclama do FHC). Não acho que devemos ter submarinos nucleares (e nem sei se o teremos mesmo) mas o governo atual insiste em tê-los. Acho que deveria haver um combate feroz à corrupção, com punições exemplares, mas o governo atual não pensa assim. Nunca concordei com sediarmos a Copa do Mundo, mas o governo atual pensa e faz diferente.
    (Nada contra as Olimpíadas, devo salientar, salvo ser próxima demais à Copa)
    Ou seja, sua defesa apesar de legítima é completamente descabida já que o PT não se incomoda nem um pouco com críticas, afinal, eles são experts nesse assunto, haja vista o que faziam quando eram pedras e não vidraça, vidraça blindada, devo concordar.
    Um abraço.

  68. Bosco 5 de maio de 2013 at 12:52 #

    Quanto a gostar do finado Chaves e de sua herança, nada contra. Direito seu.
    Eu de minha parte sou vacinado contra essas figuras paternalistas com ideais que beiram a de semi-deuses, de tão nobres.
    Acho que existem várias maneiras de se chegar ao poder e uma delas é se colocando como pai do pobres, caçador de marajás, etc.
    Eu tô fora!
    Começa assim, se dizendo pai dos pobres, e depois morre como tataravó dos pobres de tão velho gaga que fica no poder, achando que ninguém mais tem o direito divino de administrar os destinos da nação, salvo um outro iluminado apontado pelo vovô gaga. E a população, pra continuar acreditando nessa falácia tem que se manter ignorante.
    Só ignorantes acreditam em seres iluminados com nobres objetivos que só pensam no bem estar do povo.
    A alternância do poder é uma porcaria, mas não tem nada melhor. E de preferência a Constituição devia não só proibir 2 mandatos continuados, mas também que houvesse a continuidade de partido político.
    Devia ser obrigatória a alternância do partido político se não a cada 2 mandatos, pelo menos a cada 4.
    Mas como tudo que eu acho não vira nada vamos ter que aguentar o atual partido por uns 200 anos. rsrsss

  69. Jeca Tatu 5 de maio de 2013 at 13:24 #

    “Bosco disse:
    5 de maio de 2013 às 0:23″

    Obrigado mestre Bosco! Olha vc me lembra uma amiga minha! ela pensava assim igual a vc! até o dia em que resolveu larga os 2 empregos fixos pra tenta se candidata a vereadora! ela trabalhava muito na area social com pessoas carentes e acreditava que estas pessoas apoiariam ela depois de anos prestando serviço pra esta gente….quando saiu pra pedir voto e apresentar as propostas sabe qual foi a resposta unanime desta gente!? CASH!!!!!!!!!DINHEIRO!!!!!!!! SÓ VOTO EM TI SE ME PAGAR!E EM ESPECIE!!!!!!

  70. athalyba 5 de maio de 2013 at 13:35 #

    Oi, gente, sentiram minha falta ??? hahahahahah

    Duas coisas:

    1) Estou usando há um tempo o e-SIC (Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão) para endereçar umas perguntas cabeludas para as FA´s e, pasmem, fui respondido em todas: me responderam a % de oficiais indígenas do EB na Região Norte (baixíssima, por sinal, só temos um tenente em Manaus, o resto é cabo sargento), sobre a restrição de voar no mar dos EC725 (confirmaram e responderam que uma comissão da MB está “morando” dentro da Helibras). Enfim, podem usar que é legal:

    http://www.acessoainformacao.gov.br/sistema/site/index.html

    2) Goste-se ou não dos gastos envolvidos no SubNUc e afins, o conhecimento crítico envolvido, a capacitação de MILHARES de pessoas é muito mais valiosa que os bilhões que estão sendo gastos. Não se raciocina Defesa Nacional como se administra uma lojinha: os gastos são sempre superlativos e ponto final.

    Abcs !

  71. Bosco 5 de maio de 2013 at 13:54 #

    Athalyba,
    Prazer revê-lo!
    Quanto à capacitação e ao conhecimento envolvido ele poderia muito bem estar acontecendo em coisa que realmente precisamos.
    Vamos desenvolver nosso próprio submarino nuclear que irá nos capacitar em diversas áreas, mas ficaremos ainda dependentes de coisas menores como: escoltas de 6000 toneladas, submarinos convencionais, torpedos, mísseis sup-ar, caças de 5ªG, carros de combate, etc.
    Há tanta coisa que poderia nos capacitar e fomos escolher uma que, do meu ponto de vista, é menos útil no atual momento histórico.
    Um grande abraço.

  72. Bosco 5 de maio de 2013 at 13:59 #

    Eu posso estar cometendo um equívoco e sendo injusto, mas tenho cá pra mim que essa estória de submarino nuclear tem a ver com a ambição de nosso governo de ter uma cadeira no CS das NU.
    É aquela velha estória de “para inglês ver”.
    Mas claro, não sou militar, não sou engenheiro, não sou historiador e muito menos um expert em estratégia e relações internacionais e minha leitura dos acontecimentos pode estar completamente equivocada.

  73. Andre Luis 5 de maio de 2013 at 14:18 #

    Ao Rafael.
    - A suposta incoerência que você está afirmando não existe.
    O argumento que o governo federal usou para mudar os critérios do FX-2 para dizer que o Rafale era o favorito, e se contrapor aos critérios preferidos pelos militares, é o mesmo critério utilizado pelo governo para concordar com os militares da Marinha. Que é o critério estratégico e tecnológico, do ponto do visto do governo. Nos dois casos o governo utilizou o argumento da decisão política para determinar o seu interesse.
    - Já os críticos das decisões políticas deste governo também utilizam um mesmo critério, mas um critério diferente do governo. A prioridade proposta pelos críticos é a de escolher aquilo que produz a operacionalidade necessário com o menor custo possível. É um outro critério que concorda com a opção preferida pelos militares da FAB no caso do FX-2 mas que discorda da opção dos militares da Marinha.

    -Eu concordo com a posição dos críticos. Não se pode querer ser uma super-potência sem ser antes uma potência. Ou melhor, até podemos tentar, mas a custa de desperdiçarmos os recursos da nação que podem ter outras prioridades atendidas, como bem sabemos.

    - 8 (quatro antigos e quatro novos) submarinos convencionais com propulsão independente do consumo de oxigênio, que tenham uma operação submersa de 50 dias, podem muito bem suprir todas as necessidades operacionais. Veja que eu estou falando de prioridades.

    Assim, depois, DEPOIS, que o Brasil obtivesse uma frota atualizada de aviões de combate como o Grippen.
    Depois de termos operacionais os lançadores de mísseis Astros, mísseis cruzadores, satélites militares de comunicação, oito submarinos convencionais modernos, operacionais, com mísseis anti-navio operacionais Depois que tivermos mísseis ar-ar de longo alcance nacionais, em cooperação com os Sul-Africanos. Depois disso, depois que o Brasil se tornar, de fato, uma potência, inclusive no saneamento, no combate à corrupção, aí sim, a nossa prioridade poderia mudar para o Submarino Nuclear. Aí sim.
    Mas, agora, se o governo têm outras prioridades, só nos resta ver se estas prioridades vão ser cumpridas e se o resultado será positivo. Mas também não adiante tentar de chamar de “traidores” aqueles que criticam incompetências do atual governo, pois os esquerdistas também adoram criticar os governos dos outros partidos, não é?

  74. Galante 5 de maio de 2013 at 14:21 #

    Prezado Bosco, o interesse da Marinha do Brasil pelo submarino nuclear começou depois do acordo nuclear Brasil-Alemanha, para a construção de usinas nucleares. Naquela época, o governo alemão ofereceu o navio mercante de propulsão nuclear Otto Hahn ao Brasil, para servir de treinamento nesse tipo de propulsão:

    http://www.naval.com.br/blog/2009/08/25/o-programa-nuclear-brasileiro-o-navio-otto-hahn-e-o-submarino-nuclear/

    Depois que a MB enviou aos EUA o comandante Othon para fazer um curso de engenharia nuclear, chegou-se à conclusão que era possível ao País dominar o ciclo completo do combustível nuclear e habilitar a Marinha a construir seu próprio submarino de propulsão nuclear.

    O projeto Chalana, cujo objetivo era dotar a MB de um submarino nuclear de ataque, começou em 1979, portanto antes da Guerra das Malvinas.

  75. Dalton 5 de maio de 2013 at 14:29 #

    Teste de retorno do Gravatar !

  76. Bosco 5 de maio de 2013 at 15:02 #

    Galante,
    Essa é a história de como começou o interesse da Marinha do Brasil por um submarino nuclear, mas não de como o atual governo encampou a ideia. rsrsrsss
    Um abraço

  77. Galante 5 de maio de 2013 at 15:08 #

    Bosco, só sei que o Lula depois que visitou ARAMAR saiu impressionado e atendeu ao pedido da MB de continuar o programa, que estava paralisado desde o governo FHC.

  78. emerson 5 de maio de 2013 at 17:23 #

    Olá a todos.

    Há uma entrevista do Alm. Othon no Canal Livre em 2012 que conta uma história bem interessante. A AIEA sob pressão americana, obrigou o gov.brasileiro a mostrar seus laboratórios onde se desenvolviam as ultracentrífugas, isso final dos 70. Sabendo que haveria a inspeção, o Alm. Othon buscou duas ultracentrifugas de década de 40 compradas da Alemanha e que estavam inoperantes há anos, pediu que as limpassem e as colocasse em operação novamente, dando por um uma camada de tinta nova. Os inspetores da AIEA foram levados para o laboratório e viram as velhas ultracentrífugas trabalhando… então tiveram a certeza que a pesquisa no Brasil não ia dar em nada, encerrando a visita. Nos dez anos posteriores, o projeto das ultracentrífugas de levitação magnética foi concluído sem nunca ter recebido outra visita dos técnicos da AIEA.

    Nessa mesma entrevista, o Alm. Othon diz claramente que o SubNuc não foi concluido na década de 90 porque o alto comando da marinha achou que isso não era prioridade. Pelo que entendi, as verbas foram reduzidas por decisão do alto comando da marinha que preferiu priorizar outros programas. E como disse o Galante, essa prioridade volta ao governo depois da visita de Lula à Iperó. Se não me engano, essa visita foi organizada pelos ministros Waldir Pires (MD) e Sergio Resende (MCT).

  79. athalyba 5 de maio de 2013 at 18:24 #

    Bosco,

    O ciclo de estudos e produção de um reator atômico é muito extenso, abarcando muitos campos do conhecimento humano, saindo da esfera militar e indo até as ciências médicas. Para o domínio do projeto e execução de um reator atômico (e ainda por cima embarcado!) a carga de produção de conhecimento multidisciplinar é brutal.

    Posso até concordar contigo que ter um SubNuc é um pouco “over” em termos de manutenção e aplicabilidade tanto para nossa configuração atual de FA`s quanto para supostas ameaças. Mas a MB passou anos e anos cultivando esse conhecimento e seria sim um grande desperdício não utiliza-lo. Tanto que o Reator Multipropósito Brasileiro/Argentino vai ser tocado lá em Iperó e a MB vai entrar com um capital intelectual imprescindível, produzido justamente por causa dessa ambição em ter esse vetor.

    Meus dois dedos de prosa pra fundamentar o meu apoio ao SubNuc :-)

    E para saber mais sobre o Reator Multipropósito Brasileiro e suas implicações, é só clicar abaixo

    http://www.ifsc.usp.br/index.php?option=com_content&view=article&id=857:entenda-o-projeto-do-grande-reator-multiproposito-brasileiro&catid=7:noticias&Itemid=224

    Abcs, compadre !!!

  80. Aurélio 5 de maio de 2013 at 19:24 #

    Nosso programa nuclear sofreu atrasos devido a pressões internacionais, e falta de patriotísmo de alguns presidentes civís. Não adianta ter usinas nucleares, ou saber projetar e construir reatores nucleares, ou mesmo saber projetar e construir navios nucleares, se não tiver domínio da fabricação do combustível nuclear. Se tivéssemos construido um submarino nuclear na década de 90, de quem compraíamos o combustível nuclear ? Salvo melhor juízo, na década de 90 o urânio enriquecido para reatores navais era acima de 40% . Hoje, o Brasil domina toda a tecnologia de enriquecimento de urânio , por ultracentrifugação. Mas pelo fato de um presidente apátrida ter assinado o maldito TNP , ( tratado de não proliferação nuclear ), só podemos enriquecer urânio até 20% , o que é insuficiente para um reator naval. Talvez nossos engenheiros nucleares tenham projetado algum reator nuclear naval revolucionário. O tempo dirá!!

  81. Bosco 5 de maio de 2013 at 19:30 #

    Athalyba,
    Sua defesa em bem fundamentada, e eu de forma alguma faço pouco caso da pesquisa e do avanço da MB em relação a energia nuclear.
    Minha questão é simplesmente do ponto de vista de necessidade ou não tendo em vista a conjuntura atual e a responsabilidade e viabilidade em se manter o programa e o (s) próprio (s) submarino (s) no futuro.
    E só pra deixar claro, sou contra mas não torço contra. Se der certo será um grande incremento ao poder dissuasório brasileiro.
    Um abraço.

    PS: Só pra constar, o Exército Brasileiro, em termos de tentar se reequipar, está seguindo uma trajetória que acho bastante lúcida, apesar dos pesares.

  82. Rafael 5 de maio de 2013 at 22:28 #

    “Ao Rafael.
    - A suposta incoerência que você está afirmando não existe.”

    .
    (Xuxa MODE ON)

    Ah ta! Senta lá, Cláudia !!!!!!

    (Xuxa MODE OFF)

    .
    Não existe incoerencia ?? Todo dia nego enche a boca de besteira pra dizer que o Governo não faz nada pelas FFAA e desce o sarrafo no PT… mas vamos lá:

    - EC725 (pelo menos, é novo)
    - KC 390
    - Simuladores de Guerra Virtual
    - SISFRON
    - CDCIBER
    - Modernização das comunicações
    - ASTROS 2020
    - GUARANI
    - IA2
    - Incentivo à produção de radares nacionais
    - PROSUB

    E nego fala que não é feito nada pelas FFAA ???

    Olha… criticar é preciso… mas saber elogiar tb é !!! dar os parabens ao GUVERNO DAZIZQUERDAS FEIAS E BOBAS E COMUNISTAS E COMEDORAS DE CLIANCINHAAS não faz mal

    e o piruzinho de vcs não vai cair por causa disso !!!

    Tá… ainda estamos longe do que almejamos… mas alguma coisa foi feita sim..

    agora, se vcs não querem reconhecer pq irão se sentir desonrados, ai é outra conversa

  83. Rafael 5 de maio de 2013 at 22:35 #

    “Bosco, só sei que o Lula depois que visitou ARAMAR saiu impressionado e atendeu ao pedido da MB de continuar o programa, que estava paralisado desde o governo FHC.”

    .
    ta doido ?

    falar um negocio desse aqui, nego vai enfartar !!!!!!!

    pra fazer parte da turma, vc tem que seguir o script

    - Imitar a voz do Lula (sempre diminuindo a sua pessoa)
    - Fazer pouco do Amorim (um homem culto e premiado pelo Itamaraty por ter se graduado como o primeiro aluno de sua turma)
    - Falar mal de frances
    - Colocar a culpa da crucificação de Cristo NAZIZQUERDAS
    - Idolatrar os Yankes
    - Fingir que Israel não mata palestinos a sangue frio
    - Dizer que qualquer porcaria dos EUA é o supra sumo do moderno

    se vc não segue esse roteiro, não fará parte da tchurminha e o pessoal vai ficar de mal de vc

    e vão fazer beicinhos
    e vão ficar melindrosos
    e vão contar pra mamãe que vc é feio e vermelhuxo e que não acredita no capitão américa !!!

  84. Bosco 5 de maio de 2013 at 23:09 #

    Dizer que o Super Homem não existe eu até admito (mesmo porque ele é de Krypton), mas dizer que o Capitão América não existe aí pegou pesado.
    E de francês eu pelo menos não tenho nada pra falar deles, só que eles são meio fedorentinhos. E o caça deles é caro….
    Quanto a idolatrar os americanos também não é meu caso, mesmo porque é público e notório que eles são seres iluminados, bem diferentes do resto do mundo.
    Já os israelenses são o povo de Deus e eu nem quero entrar no mérito que tenho medo do Todo Poderoso não gostar.
    Já o Lula é inimitável. Um cara que consegue emplacar uma Copa seguida por uma Olimpíada e mais adiante uma frota de submarinos nucleares num país em que 50% do PIB é surrupiado é um gênio e deve ser preservado.

  85. Bosco 5 de maio de 2013 at 23:17 #

    Correção: onde se lê PIB lê-se Receita Pública

  86. Juarez 5 de maio de 2013 at 23:29 #

    Rafael disse:
    5 de maio de 2013 às 22:28

    “Ao Rafael.
    - A suposta incoerência que você está afirmando não existe.”

    .
    (Xuxa MODE ON)

    Ah ta! Senta lá, Cláudia !!!!!!

    (Xuxa MODE OFF)

    Modo realidade on:

    .
    Não existe incoerencia ?? Todo dia nego enche a boca de besteira pra dizer que o Governo não faz nada pelas FFAA e desce o sarrafo no PT… mas vamos lá:

    O GF só faz algo pelas FAs, não por achar que defesa é algo importante, mas sim, tão somente porque depois de 2009 com as generosas contribuições $$$ feitas ao partido e ao bolso particular de um cidadão de nove dedos, por EADS, Eurocopter, DCNS, Dassault, Rosobono, Elbit,Bae Sytem.(a lista segue mas eu paro por aqui)

    - EC725 (pelo menos, é novo)

    Não opera e não cumpre a missas, a propósito quem disse que s as 3 Fas precisavam disto mesmo????

    - KC 390

    Por enquanto, um projeto desenvolvido que dará lucros a Enrolaer, ao PT porém o projeto sendo pago com o nosso din din.

    - Simuladores de Guerra Virtual

    Grande coisa

    - SISFRON

    Projeto antigo, mas pouco saiu do papel

    - CDCIBER

    Sendo tocado a passo de tartaruga com migalhas que sobram.
    - Modernização das comunicações
    Quais???

    - ASTROS 2020

    peça de livro de ficção cientifica.

    - GUARANI

    Aguarde e veremos a merda que adquiram, sem testar e homologar corretamente.

    - IA2

    Peça de museu.

    - Incentivo à produção de radares nacionais

    Quantos vamos comprar para ter escala de produção e continuidade, meia dúzia, ahh tá….
    - PROSUB

    E nego fala que não é feito nada pelas FFAA ???
    Qualquer um com no mínimo dois miolos enxerga isto, o teu caso é típico de cegueira politico esquerdopata.

    Olha… criticar é preciso… mas saber elogiar tb é !!! dar os parabens ao GUVERNO DAZIZQUERDAS FEIAS E BOBAS E COMUNISTAS E COMEDORAS DE CLIANCINHAAS não faz mal

    Droga faz mla a saúde …. de todos

    e o piruzinho de vcs não vai cair por causa disso !!!

    Só se eu for tratar ele no Hospital que o Lula tratou o câncer e não no SUS, aquele que ele afirmou ser o melhor sistema de saúde do mundo, mas que estranhamente quando ele adoeceu não utilizou, preferiu pagar um diária de RS 25.000,00 num hospital privado.

    Tá… ainda estamos longe do que almejamos… mas alguma coisa foi feita sim..

    Infelizmente na sua maioria esmagadora, merdas mal compradas e gerenciadas.

    agora, se vcs não querem reconhecer pq irão se sentir desonrados, ai é outra conversa

    Read more: http://www.naval.com.br/blog/2013/05/03/governo-inclui-mais-quatro-projetos-militares-no-pac/#ixzz2STUaNdMV

    Bem, então estes aí não vaõ sair tão cedo é só entrar no site do Min da Adm e verificar que o PAC apénas 18% do que foi proposto foi efetivado e ainda por cima um perecental enorme das obras está sendo investigada pelo TCU por supérfaturamente, e mal gerenciamento.

    Mod realidade off

    Grande abraço

  87. Subnauta 6 de maio de 2013 at 5:59 #

    Prezado Marcos,

    Concordo com vc no aspecto sempre suspeito dos contratos publicos no Brasil, porem, com relação à empresa escolhida pelos franceses, considero pessoalmente uma das melhores coisas do contrato, pois uma base de submarinos nucleares (que envolve aspectos complicados de segurança e de controle de qualidade de construção e de manutenção) não poderia ser alvo de uma licitação qualquer. E a França escolheu, salvo meljhor juizo, uma empresa que seria capaz de construir a base.
    O contrato quase não era aprovado pelo conselho de defesa da França, pois envolve transferencia de tecnologia sensivel (mesmo que indiretamante) e talvez o periodo de crise que a Europa vem enfretando tenha ajudado o fechamento do contrato.

    Ainda acho que se nos fizermos uma comparação entre ter 6 submarinos nucleares, por exemplo, ao invés de 30 convencionais com AIP (pilha de hidrogenio, MESMA, Stirling) ainda sou mais os nucleares. Para uma patrulhe eficiente da costa brasileira, não adianta ter 30 submarinos convencionais no Rio de Janeiro. O tempo de deslocamento é absurdo. Além disso, temos que formar gente para operar os 30 SB (o que é complicado) e ter bases de apoio para manutenção.

    Com relação ao conselho de segurança da ONU, acho que teriamos uma vaga se construissemos um SSBN…risos

    Problemas à parte, fico feliz do Brasil estar tentando construir uma das mais complexas maquinas que o homem pode construir. Espero que de certo!

    Abraços

    PS: perdoem a falta de alguns acentos. O teclado que estou usando esta desconfigurado.

  88. Zorann 6 de maio de 2013 at 6:06 #

    Olá Emerson!

    Realmente o valor do contrato inclui os 4 submarinos derivados da classe Scorpene (possuem significativas mudanças), a construção do estaleiro e da base de submarinos além do casco do sub Nuclear e a Transferência de Tecnologia.

    O interessante é saber o porque da necessidade de uma base de submarinos e porque de um estaleiro.

    Uma base de submarinos que parece com aquelas de filmes de 007 ou filmes sobre a WWII para uma frota de 4 submarinos só pode ser piada (ou melhor desvio de dinheiro). Construir um estaleiro para montar 4 submarinos?? Ou alguem realmente acredita que algum mais será construido??

    E a tecnologia comprada será perdida novamente. Ou será que já nos esquecemos que fizemos o mesmo com os Alemães décadas atrás e só oque obtivemos foi um submarino melhorado??

    Todo conhecimento adquirido na construção de nossos submarinos IKL 209 aqui no Brasil foi perdido. Perdidos pela demora em se construir o Tikuna (IKL 209-1400-MOD) , pelo cancelamento da construção do S-35 Tapuia e pelo abandono da construção de submarinos adicionais IKL 214 planejados. Toda a logistica e padronização que poderia ser feita, já era!!!

    Agora temos que começar tudo novamente para aprendermos como os franceses fazem submersíveis. Tudo isto para podermos receber a tecnologia para construir um casco de um submarino nuclear, que os alemães não poderiam fazer.

    O prosub beira o ridículo!

    O correto seria a continuação com a parceria alemã. Se realmente tivéssemos algum tipo de planejamento sério, já teriamos recebido o Tapuia (se o ritmo de produção fosse mantido) e estaríamos agora recebendo o 5° ou 6° submarino da classe Tikuna. Teríamos hoje 10 submarinos, oque talvez justificasse agora a construção de uma base. E esuqecer esta piada de submarino nuclear que já dura 40 anos!!

    Não dá para defender o prosub.

  89. Rafael 6 de maio de 2013 at 7:31 #

    Juarez

    essa realidade a que vc se refere é a realidade que vcs criam aqui pra criar um clima de concordancia e manter a tchurminha unida

    só isso

    Como eu já tow velho demais pra me importar com essa conversa de “concordar com a galera pra fazer parte da turma” eu não compro essa revolta de vcs

    até pq as FFAA estão melhores hj do que estavam nos anos 90

  90. Rafael 6 de maio de 2013 at 7:35 #

    O prosub beira o ridículo!

    Ridiculo é alguem se referir a colisões de elétrons como “reação nuclear” e depois querer questionar as competencia dos tecnicos e engenheiros de certas empresas

    ridiculo é não saber fazer um “o” com um copo em termos físicos e matematicos e vir pra internet passar o dia falando “besteira tecnica”

    Nego aqui parece o Galvão Bueno… falando do aquecimento de pneu da formula 1 sem saber nem qual a diferença polimérica entre um pneu de F-1 e um pneu de carro de rua……

    isso sim é ridiculo

  91. Rafael 6 de maio de 2013 at 7:39 #

    “O prosub beira o ridículo!”

    .
    Ridiculo é alguem se referir a colisões de elétrons para falar de “reação nuclear” e depois querer questionar as competencia dos tecnicos e engenheiros de certas empresas brasileiras

    ridiculo é não saber fazer um “o” com um copo em termos físicos e matematicos e vir pra internet passar o dia falando “besteira tecnica”

    Nego aqui parece o Galvão Bueno… falando do aquecimento de pneu da formula 1 sem saber nem qual a diferença polimérica entre um pneu de F-1 e um pneu de carro de rua……

    isso sim é ridiculo

    e outra: quem ta conduzindo este elefante branco (como vcs falam) são os militares… desde o inicio são os almirantes que estão no controle do projeto

    depois de terem gastos milhões e milhões de dinheiro publico e terem conseguido só uma maquete, pelo menos o GUVERNO DAZIZQUERDAS FEIAS E BOBAS vão dar a eles uma nova base capaz de projetar e fabricar submarinos

    vão se informar!

  92. Bosco 6 de maio de 2013 at 8:45 #

    E quem disse que almirantes são gênios e infalíveis? São eles mesmo que estão errados!
    Quanto ao Galvão Bueno, o patético do eterno mal humorado Nelson Piquet uma vez criticou ele dizendo que isso de aquecimento de pneu não existia e quem se mostrou um completo desinformado foi nosso não tão querido ex-campeão de F-1.
    O Galvão estava certo e hoje o tal do pneu e do aquecimento de pneu é o que decide a corrida e o campeonato.
    Você pode até saber que os elétrons não fazem parte do núcleo do átomo, mas de F-1 quem entende é o Galvão Bueno.
    E o Capitão América existe sim!!
    E quanto a essa estória de querer agredir as pessoas falando que elas fazem parte de tchurminha, não é por aí que vai agredir ninguém não.
    É você que parece fazer parte de uma tchurminha de gente desocupada, em geral saída de grêmio estudantil ou de sindicato (duas classes de gente que definitivamente nunca se pautaram em gostar de pegar no pesado e é quem manda hoje no país) tal a sua adoração ao Rei Sol, que antes de ser elevado à condição de Faraó do Brasil não respeitava ninguém e pra ele todo mundo era corrupto ou/e incompetente.
    Aprendi com Ele.
    Ah! Eu também votei Nele e na sua tchurma. Mas só a primeira vez. Depois que vi que eles só eram da tchurma que “queria mamar”, queria o “puderrr”, como tantas outras, e aí me desilude e passei a só anular meu voto.
    Se tem raposa mandando no galinheiro não me culpe que não participei do pleito.

  93. Bosco 6 de maio de 2013 at 9:10 #

    E Rafael,
    Foi você que misturou PT com submarino nuclear.
    Eu de minha parte acho que é a MB que está equivocada e nunca me referi ao GFpor manter o programa.
    Na sua ânsia de defender a tchurma que atualmente mama lembrou que eles existem e jogou eles dentro da fogueira.
    O “culpado” é a Marinha do Brasil. Culpado entre aspas, porque ao meu ver ela tem que tomar decisões e todo mundo que toma decisões não consegue agradar a todos. No caso, não me agradou.
    Não quer dizer que a Marinha tenha que ir para a fogueira não.
    Só não agradou o Boscão aqui.
    Ela toma decisões ao meu ver sábias, como por exemplo adquirir os 3 navios de patrulha do Reino Unido, e toma algumas que não considero sábias.
    Por exemplo, não gosto do subnuc e nem do São Paulo.
    Se não houvesse esses dois programas em andamento eu até que não iria cobrar outras coisas que considero mais importante.
    Como esse comedores de dinheiro público existe passa a impressão que há dinheiro de sobra e aí fica parecendo que é mal empregado.
    Não existissem esses programas pra mim a MB estaria de bom tamanho.
    Um abraço e finalizo minha participação por aqui.

  94. ALDO GHISOLFI 6 de maio de 2013 at 10:23 #

    Bom dia Bosco. Obrigado pelas explicações.
    Acho que a continuidade no desenvolvimento do nosso Nuke se justifica apenas para termos um programa nuclear gerenciado pelos militares que vão vetorar para o lado que quiserem, seguramente para o rumo das armas nucleares. Mesmo não tendo inimigos contra quem usar -graças a Deus- não sou contra termos armas nucleares, incluindo excelente engenharia na área que nos proporcione pequenos reatores e pequenas ogivas. No meu entender ISSO é mansa e pacífica projeção estática de força e um salto tecnológico fantástico para o país. Aliás, antes que a demissão de cidadania nos derrote.

  95. Andre Luis 6 de maio de 2013 at 10:37 #

    Ao Rafael
    “Não existe incoerencia ?? Todo dia nego enche a boca de besteira pra dizer que o Governo não faz nada pelas FFAA e desce o sarrafo no PT… mas vamos lá:”

    Resposta
    Sim, criticam o pt onde o pt tem que ser criticado. Parece que você entrou aqui para fazer a discussão política e para atacar os membros da comunidade que criticam casos de corrupção e incompetências do governo federal. E, sim, as pessoas tem o direito de criticar a corrupção, a ladroagem, o desvio de dinheiro público e as incompetências que possam ocorrer no governo federal. Ou por acaso você entende que desviar o dinheiro do povo pode???
    Quanto às prioridades no gasto militar está provado que você errou. Não há incoerência nenhuma em criticar o critério adotado pelo governo federal, há apenas uma discordância de prioridades.
    Está provada que as críticas feitas aqui são sim coerentes, coerentes com a busca de melhor aplicação dos recursos públicos. Com a busca da operacionalidade e do melhor custo/benefício que atendo as necessidades apontadas pelos técnicos. O governo federal pode ignorar as propostas com melhor custo benefício, como no caso do FX-2, mas isto não impede as pessoas de criticar o critério adotado.
    Quanto a corrupção nos governo do pt, também é um direito dos pagadores de impostos querer que os corruptos dos partidos no poder não prejudiquem o país causando um prejuízo ainda maior. É de se esperar que os petistas também sejam contra a corrupção e o desperdício do dinheiro público, não é? É de se esperar que o governo do pt invista sempre pensando nas prioridades e nas necessidades. O que torna muito válidas as críticas quanto as escolhas de investimento no submarino nuclear que é uma decisão política do governo, assim como será a decisão sobre o FX-2. Se o governo pode escolher priorizar o submarino nuclear por decisão política, então ele também pode priorizar outras coisas, como a moralidade do uso do dinheiro público e o critério de operacionalidade e custo benefício.

  96. Rafael 6 de maio de 2013 at 11:04 #

    Eu não to atacando ninguem… muito ao contrario … só estou expondo meus pontos de vista … vcs é que todo dia tem acesso de moralismo e atacam gratuitamente pessoas que nem conhecem

    pau que dá em chico tb dá em francisco

  97. Marcio_Cesar 6 de maio de 2013 at 12:42 #

    Olá, sou Engenheiro Metalurgista e acompanho sempre as publicações. Dessa vez resolvi comentar. A silga HY é em relação a uma norma. Tem a ver com o limite de resistencia. Em português estes aços são conhecidos como ARBL (Alta Resistência Baixa Liga) em Inglês HSLE (Higth Steel Low Element) se não me engano. O valor 100 é relativo ao limite de escoamento, logo o HY100 tem resistência superior ao HY80 que é superior ao HY60…. Existem outros aços de alta resistência baixa liga, alguns fabricados no Brasil (Este foram tema do meu Mestrado) Os da série HY não fabricados aqui por falta de volume de escala. Eles podem ser usados em perfil ou chapa (ferrovias, plataformas, cavernas de navios e subs). dependendo do nível de esforço. Existe uma conversa para que a Usiminas comece a fabricar estes aços. Vai depender se a Petrobras vai incluir estes aços na construção de suas plataformas. Neste caso já haveria ganho de escala. No momento estes aços são importados ou feitos em baixa escala em plantas piloto e laboratórios

  98. Marcio_Cesar 6 de maio de 2013 at 12:59 #

    Os IKL’s brasileiros foram construídos com HY60 e agora os novos sub’s serão com HY100. Estamos pulando a etapa do HY80. A transferência de tecnologia esta acontecendo, mas apenas em parte. Os procedimentos para soldagem do HY100 , por exemplo, vieram prontos da França e estão sendo repetidos aqui com poucas alterações. Pelo que estou vendo, estão nos ensinando a fazer exatamente como eles fazem, mas isso não é o suficiente. Na minha opinião vamos ter a capacidade de reproduzir os Scorpene, mas não de melhora-lo ou evoluí-lo. Diversos engenheiro tem ido a França, mas a maioria deles são voltados para a execução e construção. Em relação os IKL, pelo que vejo e conversos com outros engenheiros, nós teríamos a capacidade de construí-lo aqui, sendo necessidade de acordo com a Alemanha (embora a construção fosse demorar mais dessa forma). O problema é que aqui no Brasil a gente não sabe andar sozinho, tem medo de errar, então precisa sempre de uma supervisão estrangeira. Se os IKL’s eram para absorver a tecnologia de construção, porque precisamos de um novos arcordo a França? Quando os Scorpene derem baixa, vamos fazer acordo com quem?Russos, Chineses?

  99. Dalton 6 de maio de 2013 at 13:02 #

    Complementando o que o César escreveu acima, enquanto os submarinos da classe Los Angeles utlizaram o HY- 80, os Seawolves e os Virginias utilizam o HY-100.

    abs

  100. Ferreras 6 de maio de 2013 at 14:10 #

    Antes de mais nada, obrigado ao editores por liberarem os comentários.

    Quanto ao nível dos comentários, se quisermos que os assuntos relacionados a defesa se popularizem e ganhem importância, teremos que conviver com essa situação (eu sou um dos leigos). Se o assunto ficar restrito aos especialistas, corremos o risco do assunto morrer em si mesmo.

    Todo projeto militar necessita de pessoas “não técnicas” para ter sucesso, passando por administradores, advogados, políticos (sim, eles mesmos), estrategistas, negociadores etc etc.

    Eu não vou dar opiniões técnicas porque eu não sei, e acredito que os comentários daqueles que o fazem, são fundamentados em seu conhecimento.

    Como um civil comum, eu fico realmente em dúvidas sobre o foco das nossas forças armadas, não estou dizendo que elas estão fazendo certo ou errado, mas eu fico em dúvidas se a prioridade é o uso ou a aquisição de tecnologia?

    O argumento da independencia para mim é inválido, por um motivo simples, se entrarmos em conflito de qualquer ordem, com países que nos vendem os equipamentos, seremos derrotados (seja na força ou financeiramente ou
    por qualquer outro meio), nosso volume de equipamento é insuficiente até para uma resistência até nas coisas mais simples (munição por exemplo).

    Com relação a partidos, na minha opinião, ambos estão no mesmo patamar (com relação a defesa).

    Como cidadão, eu me sentiria mais seguro, com uma força mais enxuta, com equipamentos mais simples (mas que funcionassem),controlando de forma eficiente as atividades ilegais.

    Gerar tecnologia/renda? É ótimo e dou total apoio, desde que forma continuada, nos volumes apropriados. Eu prefiro andar em fusca e ter dinheiro para gasolina/manutenção do que andar em um carro do último modelo e não poder tirar o mesmo da garagem.

  101. Marcio_Cesar 6 de maio de 2013 at 14:37 #

    Só para completar, a vantagem de usar o HY100 é possibilidade de se reduzir o peso da embarcação. Por exemplo : Um sub feito com HY60 para ser utilizado a uma determinada profundidade precisa de um casco com 60mm de espessura. Para a mesma profundidade com o HY100 a espessura seria de 50mm por exemplo (o valores não são reais, mas é nessa ordem de grandeza). Então ou se opera em profundidades maiores, ou se reduz o peso da embarcação. Como o peso reduzido, as instalações de propulsão também podem ser reduzidas e assim por diante. No mundo em geral a construção naval tem adotado o HY90 e o HY100 como padrão para projetos mais novos. Para projetos submetidos a menos esforços o HY60,HY80 tem sido utilizados. (Num primeiro momento, não seria muito inteligente construir uma Patrulha Costeira ou um mini-sub com HY100 por exemplo. O mesmo vale para Plataformas e FPSO.

  102. Zorann 6 de maio de 2013 at 15:16 #

    Olá Márcio Cesar!!

    Muito bom seus comentários. É bom saber sobre as diferenças entre os aços usados na construção naval.

  103. Rafael 6 de maio de 2013 at 15:55 #

    “Quanto ao Galvão Bueno, o patético do eterno mal humorado Nelson Piquet uma vez criticou ele dizendo que isso de aquecimento de pneu não existia e quem se mostrou um completo desinformado foi nosso não tão querido ex-campeão de F-1.”

    Mentira

    Ninguem é doido de dizer que não existe aquecimento de pneu numa corrida !!! Ainda mais o Nelson Piquet que foi mecanico e tricampeão mundial

    Onde tem atrito tem dissipação de energia e calor…isso desgasta a borracha…. o “mi” é obvio que existe… se não existisse, uma formiga poderia puxar um elefante numa borda de uma mesa

    O que ele critica é as baboseiras do Galvão

    Só lembrando que uma vez esse narrador disse que uma bola não pode fazer uma curva por fora da linha de fundo de um campo de futebol pq a fisica não permite

    Como assim ? Ele Nunca deve ter ouvido falar em HIDRODINAMICA pra soltar uma perola dessa

    Muita gente aqui é o Galvão dos assuntos de defesa !!! querem entender de economia, medicina, fisica, termodinamica, programação de software, direito e etc sem saber nem oq fala… ai nego solta uma “COLISÃO DE ELTRONS” só pra se passar no meio do povo e nem se toca que ta passando vexame

    Depois, vem gente ai em cima falando em “Humildade”

    é até engraçado ler isso vindo de uns e outros por aqui

  104. emerson 6 de maio de 2013 at 16:02 #

    Olá Marcio Cesar

    Você se importaria em colocar um link para sua dissertação de mestrado? Gostaria muito de aprender mais sobre isso. E parabéns pelo mestrado.

  105. Bosco 6 de maio de 2013 at 17:28 #

    Rafael,
    Tenha educação!
    Ser um fanático bitolado é até aceitável, mas grosseiro aí não dá.

  106. Bosco 6 de maio de 2013 at 17:35 #

    Rafael,
    Cê tá com tanto bla-bla-bla que tá parecendo cortina de fumaça pra sua incompetência em argumentar.
    Ficar criticando os outros, ofendendo e não ter argumento e muito menos apresentar solução é típico mesmo do seu partido do coração. Você realmente não nega a raça.

  107. Vader 6 de maio de 2013 at 17:40 #

    Boscão: don´t feed the trolls… :)

  108. Bosco 6 de maio de 2013 at 17:58 #

    O cara segue direitinho a cartilha.
    Com certeza odeia a Globo e em particular o Galvão Bueno. rsrsrsr
    O que passa no Jornal Nacional é o mesmo que se assiste antes na Record e no SBT, mas quem leva o sarrafo é sempre a Globo.
    As novelas do canal dos protestantes são muito mais maliciosas e pervertidas que as da Globo, mas são as da Globo que prejudicam a Nação. rsrsrs
    O Galvão Bueno trabalha como comentarista de uma empresa particular, fala uma besteira aqui e outra ali, aliás, como todo mundo, e é taxado de incompetente.
    Já o Lula ocupava a Presidência da República, falava uma abobrinha atrás da outra e é taxado de Rei Sol.
    Vai entender o critério do rapaz.

  109. Rafael 6 de maio de 2013 at 18:08 #

    Ta ai

    Um assunto que vc entende

    já que tem curso de piloto né ………

    :D

  110. Rafael 6 de maio de 2013 at 18:10 #

    Cortina de fumaça minha ?

    mas foi vc que tocou no assunto filho !!!

  111. MO 6 de maio de 2013 at 18:12 #

    Bosco apenas um detalhe, A Rede Globo eh um lixo assim como o GB eh um ediota, openiaum minha, claro …. no mais Tamos ae … rsss and abs

    as outras nao sao tanto pq so tem meia duzia de gente que ve, ontem tive o prazer de ver a formula indy e ao mesmo tempo o disprazer de ouvir o luciano del vale, Mestre and formador do GB … pra vc ver como tamos ruim …, maaaasss por outro lado eh um risco pois suspostamente sabendodo lixo que é a grobo, um monte de gente ve … , agora indo pro topico nem sei pq tuanta discução afinall tudo que é pac esta emPACado, so levaram $$$ pq este, que eh de conhecimento publico que nao atrsi olhares de ninguem sairia a contento …

  112. MO 6 de maio de 2013 at 18:17 #

    Rafael, posso dar um pitaco o Boscorelli é gente nossa, nao vale a pena se estressar por um topico que nao leva a nada … alguem pode ter se exaltado, vc, ele, ambos, ou posso tar falando besteira, mas vamos continuar de boa, sem tretas, por gentileza pois pode acreditaro Boscão é gente bonisdsima, pode ter sido uma ma interpretação estas rusgas !

  113. Bosco 6 de maio de 2013 at 18:22 #

    MO,
    Você lembrou bem o Luciano do Vale. rsrrsr
    Pra quem acha ruim o Galvão comentando F-1 deveria ver o Luciano do Vale comentando a Indy. O cara não sabe nem quem é quem.
    É vergonhoso!
    Eu acho que ele tá já meio gagá.
    Bem diferente do Galvão que apesar de alguns micos sabe tudo do tema, inclusive dos bastidores.

    Rafael,
    No caso a “cortina de fumaça” é sua agressividade gratuita contra os comentaristas da Trilogia e não por ter tocado no assunto de Galvão Bueno.

  114. Bosco 6 de maio de 2013 at 18:24 #

    MO,
    De minha parte apesar do “mentira” tô de boa com o Rafão. rsrsrs

    Um abraço aos dois.

  115. ALDO GHISOLFI 6 de maio de 2013 at 18:30 #

    CARA… che, de uma hora p’rá outra até o Galvão Bueno anda por aqui… e ninguém falou no capitão da novela do Jorge, pobre santo! Se ele representa o tipo médio de capitão do nosso Exército, acho que devemos pular logo de tenente para major.

    Rafael disse: “Só lembrando que uma vez esse narrador disse que uma bola não pode fazer uma curva por fora da linha de fundo de um campo de futebol pq a fisica não permite

    Como assim ? Ele Nunca deve ter ouvido falar em HIDRODINAMICA pra soltar uma perola dessa.”

    Che, não seria mais correto usar AERODINÂMICA? Afinal a bola é um corpo se deslocando num fluído…gás.

    Abraços.

  116. MO 6 de maio de 2013 at 18:56 #

    Aldo, talves ele como eu nao queira usar referencias de aviaozinhums … rsss sabe isso contamina … kkkk

  117. Bosco 6 de maio de 2013 at 20:13 #

    Eu não sei se é hidro ou aerodinâmica, só sei que jogador de futebol chuta a bola de trivela e faz a bola fazer uma trajetória curva e tenho certeza que a maioria nem sabe o que é qualquer uma dessas disciplinas.
    O Galvão também não precisa entender de nenhuma dessas disciplinas, mesmo porque é narrador e radialista, pra saber que bola faz curva no ar. E com a experiência que ele tem tá cansado de saber que isso ocorre. Na verdade foi mais uma gafe dele, uma frase impensada feita de improviso, dentre tantas.
    Mas isso, ao invés de depor contra, ao meu ver é só um lado pitoresco da vida de um homem que se dedicou a narrar eventos esportivos e o faz brilhantemente, ao meu ver.
    Pelo menos dá de 1000 a zero Luciano do Vale.

  118. MO 6 de maio de 2013 at 20:26 #

    risos a criatura atropelando o criador, GB Brilhante, ui, heheheehe, Bosco tu eh flamenguista ou curinthiano so pode … kkkkk

  119. Bosco 6 de maio de 2013 at 20:40 #

    MO,
    Faço parte daquela porcentagem mínima de seres humanos onde falta aquele pedacinho do cérebro responsável pela “associação”, daí não “ter” time de futebol, partido político, religião e nem escola de samba. rrrsss
    De esporte só curto F-1 e MMA (e isso desde há 20 anos e não agora depois do GB e seus “gladiadores do terceiro milênio” rsrsrss).
    Se dependesse de mim a espécie humana não teria chegado nem na idade da pedra lascada.
    Quanto ao Galvão, ruim com ele pior sem ele, daí o exagero do “brilhante”.
    Mas falando sério, acho que ele entende muito de F-1. Ele e o Robin, quer dizer, o Reginaldo Leme. rsrsss
    Quanto a outros esportes, não faço ideia porque não assisto.
    Um abraço.

  120. Vader 7 de maio de 2013 at 7:44 #

    Rafael disse:
    6 de maio de 2013 às 18:08

    Prezado, vc se acha a última cocada do tabuleiro porque afirma que sabe a diferença entre berimboca da parafuseta e cocô de camelo. E trolla todo mundo que não sabe porque, na sua tôsca visão de mundo, antes de poder falar de qualquer coisa têm-se que saber a composição das moléculas do cheiro do cocô do camelo.

    Bem, concordo que eu não sei nem quero saber a diferença entre berimboca da parafuseta e cocô de camelo. Mas já que você sabe, parabéns: você ganhou uma estrelinha! Uma vermelhinha, ainda, que é pra ficar mais felizinho, ok?

    Agora vai assistir o desenho que mamãe disse que começou tá? :)

    De minha parte eu, mesmo não sendo especialista em nada, continuarei dando pitaco em tudo, usando sempre de algo que eu tenho que não preciso de curso nenhum para aprender: a lógica.

    E, ahahahaha, quem é você para tentar me calar, rsrsrs??? Cidadão, vai por mim, muitos, muito melhores que você, já tentaram isso antes e não conseguiram, ok? Eu continuo aqui…

    No mais deixa de ser covarde, e quando quiser se referir a mim venha aqui na Trilogia, já que você parece ser assinante, e refira-se pessoalmente ok? Dirija-se pessoalmente a mim, para que eu possa contraditá-lo, ok? Não fique por aí afora, onde você sabe que não lhe posso responder, covardeando, ok?

    Seja corajoso. Seja adulto.

  121. Rafael 7 de maio de 2013 at 9:11 #

    “De minha parte eu, mesmo não sendo especialista em nada, continuarei dando pitaco em tudo, usando sempre de algo que eu tenho que não preciso de curso nenhum para aprender: a lógica.

    E, ahahahaha, quem é você para tentar me calar, rsrsrs??? Cidadão, vai por mim, muitos, muito melhores que você, já tentaram isso antes e não conseguiram, ok? Eu continuo aqui…”

    .
    rs rs rs
    em quem disse que eu quero q vc se cale ???

    é tanto fail por cima de fail que já virou motivo de piada… sério vc faz a nossa alegria… eu quero mais é dar corda pra vc falar mais

    ai eu alimento mais ainda meu ego

    quando o rombo é muito grande é muito dificil de ser notado…

  122. Vader 7 de maio de 2013 at 9:23 #

    Rafael disse:
    7 de maio de 2013 às 9:11

    “ai eu alimento mais ainda meu ego”

    É isso aí, é bem coisa de adolescente trollador necessitar alimetar o ego em site de internet, rsrsrs…

    Mais uma estrelinha pra vc ok campeão? ;)

    Agora volta pro desenho senão mamãe “biga” ok? :)

  123. Juarez 7 de maio de 2013 at 13:05 #

    Lord Vader. a origem desta criatura são duas letrinhas Defe ….Bras…. e os discípulos do paif putênfia, então meu nobre deixa de lado, num momento de loucura dei uma espiada e vi que eels estavam afundando pesqueiros Argentinos com misseis Brahmos disparados por SU 34 da MB, para ver o nível da coisa que andam fumando……

    Grande abraço

  124. Vader 7 de maio de 2013 at 13:10 #

    “num momento de loucura dei uma espiada e vi que eels estavam afundando pesqueiros Argentinos com misseis Brahmos disparados por SU 34 da MB”

    Ahahahahaha Juarez, chuta que é macumba, kkkkk…

  125. Rafael 7 de maio de 2013 at 13:18 #

    “Seja corajoso. Seja adulto.”

    .

    hã rã !!!

    Palavras de alguém que se esconde atras de mascaras pra agredir os outros …

    E outra: não aponte nos outros os defeitos que exalam de vc… não sou eu que fica com ameaçazinhas na internet contra AZIZQUERDAS em momento pirotecnicos de “pink e cerebro” achando que vai tocar o terror amedrontando as pessoas pra dominar o mundo como num jogo de WAR

    hipocrisia tem limite !

    e se eu sou um adolescentre trolador, vc é uma criança grande achando que o mundo se resume a bombinhas, aviõezinhos e barquinhos de guerra !!

  126. Rafael 7 de maio de 2013 at 13:22 #

    “Agora volta pro desenho senão mamãe “biga” ok”

    .
    Own !!! que lindo S2 !!!!

    ele sabe fazer voixinha !!!!

    Fala assim então:

    “Ele vermelhuxo mamãe !!! Ele do mal… ele é antiamelicano mamãe! bate nele, bate nele !!!!”

    e os outros melindres que a gente ve vc fazer aqui diariamente …

  127. ALDO GHISOLFI 7 de maio de 2013 at 16:17 #

    Vader! Bota os pés no chão, vivente… ouve o Juarez…

  128. Vader 7 de maio de 2013 at 16:45 #

    Tô ligado Aldo, já desencanei, rsrsrs…

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

China pretende estreitar laços militares com Irã, diz mídia chinesa

PEQUIM (Reuters) – A China quer ter laços militares mais estreitos com o Irã, disse o ministro da Defesa chinês […]

Submarino alemão é encontrado afundado na costa dos EUA

  Pesquisadores informaram nesta terça-feira (21) a descoberta de um submarino alemão e de um cargueiro nicaraguense que afundaram na […]

Fotos do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ em construção na China

Confira as fotos do lançamento ao mar do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico “Vital de Oliveira” em Xinhui, na China. O […]

Baixe 7 edições da revista Forças de Defesa e doe quanto quiser

Agora você poderá baixar para o seu computador, tablet ou smartphone as melhores reportagens da nossa revista impressa Forças de […]

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]