Mapa-Politico-de-Okinawa-Japon-10429

Segundo comunicado oficial divulgado ontem (13) pelo Ministério da Defesa do Japão, um submarino estrangeiro foi detectado no último domingo (12) em águas continentais próximas à ilha de Kumejima, na região de Okinawa. Apesar de o informe não detalhar a origem do navio, uma fonte ligada ao governo japonês declarou que o submarino provavelmente pertence à Marinha do Exército de Libertação Popular da China.

O ministro da Defesa japonês, Itsunori Onodera, declarou a repórteres ontem que “estava pronto para autorizar ‘operações de segurança marítima’ logo após autorização do primeiro ministro [Shinzo Abe], caso o submarino invadisse águas territoriais japonesas”. Caso as operações fossem autorizadas, as forças nipônicas teriam permissão legal para emprego irrestrito de armamentos, e ralização de procedimentos como evacuação da população de áreas de risco.

As operações mais recentes de segurança marítima contra submarinos aconteceram em 2004, quando um submersível chinês invadiu águas japonesas em torno da cadeia de ilhas Sakishima, também na região de Okinawa.

Legislações internacionais não proibem a presença de submarinos em águas comuns entre países. Porém, as autoridades japonesas decidiram trazer o incidente do último fim de semana a público, pois o submarino permaneceu por um tempo estranhamente longo nas águas continentais próximas a Okinawa.

FONTE: The Asahi Shinbun (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

Tags: , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

One Response to “Submarino estrangeiro é detectado próximo a Okinawa” Subscribe

  1. Soyuz 15 de maio de 2013 at 1:45 #

    Seja com a crise econômica em alguns países ou estratégia de demonstração de força militar para calar problemas internos em outros, daqui a pouco este submarino de Okinawa vai gerar uma situação inusitada na politica internacional onde haverá mais de uma nação assumindo a “autoria do submarino”

    Os russos vão dizer que o submarino detectado pelos japoneses é deles, porque os submarinos russos estão revivendo as missões da armada soviético na politica de Putin.

    Os chineses dirão que é deles, porque afinal eles estão em demonstração de forças com o Japão.

    Os norte coreanos dirão que é deles e que este submarino tem capacidade de reduzir a pó todo o Japão e a Coréia do Sul.

    Os sul coreanos dirão, ele é nosso! Afinal precisam demonstrar que estão presentes no mar e não são uns passivos que tem até navio torpedeado pelo inimigo do norte e não fazem nada.

    Porem a verdadeira autoria do submarino será logo conhecida.

    Trata-se de um barco da USN. Que em mais um erro de operação em seus submarinos na ultima década estava por falha humana a umas 30 milhas de onde deveria estar.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Marinha do Brasil realiza lançamento de torpedo MK46 durante Operação ADEREX-I/2014

No dia 26 de agosto, a Marinha do Brasil, sob a coordenação do Comando da 2ª Divisão da Esquadra, realizou […]

Presença da Marinha na III Mostra BID Brasil

Luiz Medeiros – Enviado Especial para Forças de Defesa A Marinha do Brasil trouxe para a Mostra BID Brasil em […]

Corveta Frontin irá para a reserva

Abaixo, portaria de 28 de agosto que foi publicada em 1º de setembro no Diário Oficial da União, com entrada […]

Mais um passo rumo às novas corvetas: contrato com Emgepron

Abaixo, extrato de dispensa de licitação contratando a Emgepron para serviços no projeto de obtenção da nova classe de corvetas […]

Outra notícia de corveta: Ares fará reparos gerais nos lançadores de torpedos da Barroso

Abaixo, extrato de contrato publicado na edição de hoje (3 de setembro de 2014) no Diário Oficial da União, sobre […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]