_68113509_68113508

Funcionários da BAE Systems concluíram ontem (12) os preparos para o transporte da ilha traseira do HMS Queen Elizabeth. No próximo dia 16 começa a viagem até Rosyth, na Escócia, onde a peça será incorporada aos demais componentes do navio-aeródromo. A ilha traseira concentrará os sistemas de controle de aeronaves do navio, e é o último módulo de grande porte a ser incorporado.

O HMS Queen Elizabeth tem previsão de lançamento para 2016. Quanto estiver concluído, o navio terá 280 metros de comprimento e deslocará em torno de 65 mil toneladas.

Aqui você confere um vídeo documentando a preparação da ilha traseira para o transporte.

FONTE: BBC (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

Tags: , , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

4 Comentários para “Ilha de ré do HMS ‘Queen Elizabeth’ pronta para transporte”

  1. MO 13 de junho de 2013 at 17:37 #

    Ilha Traseira ? seria a Ilha AR ??

  2. Marcos 13 de junho de 2013 at 21:56 #

    Ainda bem que não é a EAS que montou isso dai, porque provavelmente não iria encaixar nada com nada.

  3. rommelqe 14 de junho de 2013 at 0:38 #

    Marcos, imagina só se fosse o mesmo programa que usaram para fazer a fiação do A-380…

  4. Ozawa 15 de junho de 2013 at 13:57 #

    “É possível que o reinado do porta-aviões, como o soberano da guerra marítima, seja curto e se esteja aproximando do fim…”

    Assim conclui-se a festejada obra de Donald Macintyre na prestigiada coleção da Renes “História Ilustrada da II GM”, em sua edição brasileira de 1973…

    40 anos depois, os EEUU com o ‘Gerald Ford’, a China com o ‘Liaoning’, o Reino Unido, com o ‘Queen Elizabeth’, (re)constroem aeródromos para se manterem pelos próximos 50 anos ! Assim, mesmo após 100 anos daquela afirmação apocalíptica de Macintyre, é que eles poderão ter acabado de escrever sua gênesis…

    E depois, talvez, com o advento dos UCAV’s, ainda assim deixem de ser “navios-aeródromos” para se tornarem “navios-aeródrones”…

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

FREMM Aquitaine realiza com sucesso seu primeiro disparo de Míssil de Cruzeiro Naval

FREMM Aquitaine dispara Míssil de Cruzeiro Naval - foto Marinha Francesa

Além do MdCN, também chamado de ‘Scalp Naval’, a fragata francesa também disparou pela primeira vez o míssil antinavio MM40 […]

Empresa Chinesa CEIEC vence licitação para reconstrução da Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF)

Estação Antártica Comandante Ferraz

SECRETARIA DA COMISSÃO INTERMINISTERIAL PARA OS RECURSOS DO MAR RESULTADO DE JULGAMENTO CONCORRÊNCIA Nº 2/2014 Processo nº 61165.000287/2014-93 Espécie: Reconstrução […]

BAE Systems vai fornecer cinco canhões navais Bofors 40 Mk4 para a Marinha do Brasil

BAE_Bofors_40_Mk_4_Naval_Gun_System

Karlskoga, Suécia – A BAE Systems fechou um contrato para produzir e entregar cinco canhões navais Bofors 40 Mk4 para […]

Seis F-35B pousam no ‘Wasp’

F-35 operando no USS Wasp 18-5-2015 - foto 3 USMC

Aeronaves serão testadas em conjunto antes de serem declaradas ‘prontas para o combate’ – Seis caças F-35B pousaram no navio […]

Baixe 7 edições da revista Forças de Defesa e pague quanto quiser

FD Capas

Agora você poderá baixar para o seu computador, tablet ou smartphone as melhores reportagens da nossa revista impressa Forças de […]