No Credit Check Payday Loans

_68113509_68113508

Funcionários da BAE Systems concluíram ontem (12) os preparos para o transporte da ilha traseira do HMS Queen Elizabeth. No próximo dia 16 começa a viagem até Rosyth, na Escócia, onde a peça será incorporada aos demais componentes do navio-aeródromo. A ilha traseira concentrará os sistemas de controle de aeronaves do navio, e é o último módulo de grande porte a ser incorporado.

O HMS Queen Elizabeth tem previsão de lançamento para 2016. Quanto estiver concluído, o navio terá 280 metros de comprimento e deslocará em torno de 65 mil toneladas.

Aqui você confere um vídeo documentando a preparação da ilha traseira para o transporte.

FONTE: BBC (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

Tags: , , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

4 Responses to “Ilha de ré do HMS ‘Queen Elizabeth’ pronta para transporte” Subscribe

  1. MO 13 de junho de 2013 at 17:37 #

    Ilha Traseira ? seria a Ilha AR ??

  2. Marcos 13 de junho de 2013 at 21:56 #

    Ainda bem que não é a EAS que montou isso dai, porque provavelmente não iria encaixar nada com nada.

  3. rommelqe 14 de junho de 2013 at 0:38 #

    Marcos, imagina só se fosse o mesmo programa que usaram para fazer a fiação do A-380…

  4. Ozawa 15 de junho de 2013 at 13:57 #

    “É possível que o reinado do porta-aviões, como o soberano da guerra marítima, seja curto e se esteja aproximando do fim…”

    Assim conclui-se a festejada obra de Donald Macintyre na prestigiada coleção da Renes “História Ilustrada da II GM”, em sua edição brasileira de 1973…

    40 anos depois, os EEUU com o ‘Gerald Ford’, a China com o ‘Liaoning’, o Reino Unido, com o ‘Queen Elizabeth’, (re)constroem aeródromos para se manterem pelos próximos 50 anos ! Assim, mesmo após 100 anos daquela afirmação apocalíptica de Macintyre, é que eles poderão ter acabado de escrever sua gênesis…

    E depois, talvez, com o advento dos UCAV’s, ainda assim deixem de ser “navios-aeródromos” para se tornarem “navios-aeródrones”…

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Marinha do Brasil revela projeto próprio de NPaOc (OPV) na Euronaval 2014

Victor Barreira, Lisboa, Portugal A empresa estatal brasileira EMGEPRON (Empresa Gerencial de Projetos Navais) vai revelar o projeto do primeiro […]

Inscrições abertas: Museu Naval sedia eventos acadêmicos sobre História Militar

Brasília, 15/09/2014 – O Museu Naval da Marinha, no centro do Rio de Janeiro, vai sediar dois importantes eventos acadêmicos […]

Visita da Saab e da Embraer ao NAe ‘São Paulo’

No dia 04 de setembro de 2014, um grupo de técnico das empresas SAAB e EMBRAER visitou o Navio-Aeródromo São […]

Terceiro dia de incêndio nas proximidades de Aramar mobiliza helicópteros da Marinha

Focos de incêndio mobilizaram três helicópteros da Marinha neste domingo (14), em área de vegetação pertencente ao Centro Experimental de […]

Programa de submarinos (Prosub) avança com seção de qualificação

ICN recebe a primeira Seção totalmente produzida no Brasil Mais um passo importante no Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub) […]

Amazul e FDTE assinam acordo para participar do programa do submarino nuclear brasileiro

A Amazul – Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. e a FDTE – Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia […]