Domínio chinês

Domínio chinês

141
3
SHARE

hang-jun-chegando-ao-fim-dos-molhes

vinheta-clipping-navalSegunda economia do mundo e nação mais dinâmica do planeta, a China não se contenta com pouco. Está presente em todo o mundo e a cada dia avança em novos setores. Agora mesmo, com a descoberta de combustível barato nos Estados Unidos – o gás de xisto – siderúrgicas chinesas estão se bandeando para lá. Os chineses são responsáveis por 47% da produção siderúrgica mundial, ou seja, produzem praticamente metade do total mundial.

Em construção naval e navegação, os números também são impressionantes. Em dragagem, a chinesa Shipping Dredging Company, ou SDC, é majoritária no mercado interno, através da subsidiária SDC do Brasil Ltda, presidida por Ronaldo Fucci. Entre outros projetos, a SDC do Brasil está realizando dragagem em Santos (SP), trabalho que deverá continuar por pelo menos mais um ano.

No Porto do Açú, de Eike Batista, no Norte Fluminense, foi realizado um amplo serviço de dragagem, já concluído. Em Paranaguá, igualmente está sendo feita ampla atividade de dragagem. No Porto do Rio, a SDC está em contato com os dois terminais de containeres: Multiterminais – da família Klien – e Libra – dos grupos Borges e Torrealba. Esses grupos ganharam direito a renovação antecipada dos contratos, desde que invistam em melhorias. O contrato ainda não foi assinado, mas há negociações para elevação do calado para 15 metros, ampliando-se a largura dos atuais 280 para 330 metros.

FONTE: Monitor Mercantil

SHARE
Previous articleRússia traça metas para desenvolvimento do Ártico
Next articleGetúlio Vargas em 1932: 'Bloqueado o porto de Santos'
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

3 COMMENTS

  1. e a TSHD da Foto é a Hang Jun 3001 de bandeira Brazelera, mas com um monte de xinelico a bordo, comandando (nao aparecem) a guarnição/comando braselera

  2. Ou seja, até mesmo na exploração do xisto os USA necessitarão de capital chinês…

    A reportagem lembrou isso muito bem.

LEAVE A REPLY