Na SBPC, governo anuncia 1º navio de pesquisas hidroceanográfico

Na SBPC, governo anuncia 1º navio de pesquisas hidroceanográfico

101
4
SHARE

dumbo21

vinheta-clipping-naval

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a Marinha do Brasil compraram o primeiro navio de pesquisas hidroceanográfico do País, que vai atuar nas áreas Sul e Tropical do Oceano Atlântico. A embarcação, no valor de R$ 162 milhões, está sendo construída na China, que detém a expertise no tipo offshore (com capacidade para navegar em alto-mar). O projeto deve ser concluído até o segundo semestre de 2014. O anúncio foi feito durante a 65ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que ocorre até sexta-feira (26), na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no Recife.

A embarcação terá capacidade para 146 tripulantes, dos quais 60 serão pesquisadores das áreas de química, geologia, biologia e física marinha. O navio terá equipamentos que permitirão o acesso à parte geológica e biológica para experimentações e retirada de amostras, como o veículo de operação remota (ROV, na sigla em inglês), capaz de operar a uma profundidade de quatro mil metros.

A compra é resultado de um acordo de cooperação entre o MCTI, o Ministério da Defesa/ Marinha do Brasil, a Petrobras e a empresa Vale. O navio integra o projeto do Instituto Nacional de Pesquisas Oceanográficas e Hidroviárias (Inpoh), que prevê uma série de ações em áreas específicas do conhecimento. Entre elas, a conservação da biodiversidade marinha, a melhoria de processos associados à pesca, aquicultura e maricultura, bioprospecção, proteção e adaptação de zonas costeiras para as mudanças climáticas, realização de estudos sobre vias fluviais, hidráulica fluvial e portuária, além de formação de recursos humanos na área de hidroceanografia.

O Inpoh irá operar como organização social e conta com previsão orçamentária para entrar em operação. O diretor interino é Serge Estefen, também diretor de Tecnologia e Inovação do Instituto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ). A ideia é que o Instituto capacite pesquisadores e autoridades brasileiras a ter coparticipação nas tomadas de decisão em fóruns globais sobre oceanos e garanta a conservação e o uso sustentável dos bens e serviços dos recursos hídricos nacionais

A SBPC segue na Universidade Federal de Pernambuco até o dia 26 de julho. A programação completa pode ser conferida no site do evento.

FONTE: G1 via Resenha do Exército

VEJA TAMBÉM:

4 COMMENTS

  1. O EISA e a Wilson Sons podem fazer esse navio aqui no Brasil (também sob licença) e no mais expertise é o c!!@$!, esses navios são todos de projeto europeu, já que os desenhos chineses são os mesmos que o resto da indústria de apoio marítimo usava a 30 anos. Provavelmente esse navio é o X-Bow da Ulstein construida por lá, maioria são os chinas que estão fazendo mas no Brasil também já estamos montando eles.

Deixe uma resposta