gibraltar

 

vinheta-clipping-navalO governo da Espanha declarou ontem que pretende formar com a Argentina uma frente comum nas Nações Unidas para se opor aos interesses da Grã-Bretanha sobre Gibraltar e as Malvinas, territórios onde os britânicos mantêm soberania – e há muito tempo disputados por Madri e Buenos Aires.
A ameaça da formação da aliança internacional ocorre em meio a uma disputa diplomática iniciada em julho, quando Londres instalou um recife artificial no entorno da península localizada no sul da Espanha – que, segundo pescadores espanhóis, prejudica sua atividade. Sob a alegação de que os britânicos não são signatários do Acordo de Schengen – firmado em 1995, que permitiu a livre circulação entre os países da União Europeia, mas não teve adesão de Grã-Bretanha e Irlanda o governo espanhol passou a controlar a fronteira com Gibraltar rigidamente.

A consequência, no território britânico, foram longas filas de veículos de até sete horas de duração, à espera da liberação das autoridades espanholas para sua passagem pela fronteira. Após conversas diplomáticas, ocorridas na semana passada, Londres esperava que as restrições fossem levantadas até o domingo, o que não ocorreu.

O gabinete do premiê David Cameron se disse “desapontado” ontem, afirmar do que as fiscalizações espanholas na fronteira são “totalmente desproporcionais” e têm motivação política”. O governo de Mariano Rajoy, que alega estar combatendo o tráfico de drogas e o contrabando, diz que os controles são “legais, proporcionais e aleatórios” negando que a manobra seja motivada pelo recife artificial Madri declara não ter obrigação legal de facilitar a passagem, citando a ausência de Londres do Espaço Schengen.

A tensão sobre a soberania de Gibraltar aumentou. “Estamos avaliando a possibilidade de apelar a órgãos como a ONU, o Conselho de Segurança (que será presidido pela Argentina até agosto de 2014), a Assembleia-Geral das Nações Unidas ou ao Tribunal de Haia”, declarou ontem a chancelaria espanhola, afirmando que também considera se unir diretamente a Buenos Aires contra os britânicos. “Isso também é avaliado. Nas Malvinas e em Gibraltar, há elementos comuns e elementos que são mais distantes”.

gb-estudia-acciones-legales-contra-espaa-por-controles-fronterizos-en-gibraltar-1

Para acabar com as filas na fronteira, Londres disse estudar “passos (legais) sem precedentes” entre países europeus. Enquanto isso, navios de guerra britânicos estão a caminho do Estreito de Gibraltar para exercícios militares, manobra cuja importância tem sido minimizada por autoridades espanholas e britânicas.

Apesar de ambos os governos terem entrado de acordo há muito tempo sobre o deslocamento, a passagem das embarcações pela região – uma delas prevista para atracar no território em disputa – deverá ser vista como uma declaração simbólica da soberania britânica.

FONTE: estadao.com, via resenha do EB

Tags:

Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

12 Responses to “As Malvinas, mais perto de Gibraltar” Subscribe

  1. Oganza 13 de agosto de 2013 at 10:03 #

    Égua… porque toda vez que tem uma crise, política, financeira, social ou as 3, esses políticos querem desviar a atenção de suas incompetências para outras coisas?

    Tá certo que os britânicos chiaram pelo F-1 espanhóis para a Argentina e Madri aproveita o gancho para colocar Gibraltar na roda e até engrossar o coro com os argentinos sobre as Falklands mas ai eu pergunto – Por que esse expediente diversionista parece ser característica de 9 entre 10 políticos LATINOS (sejam latinos europeus ou americanos)?

    Nós LATINOS só fazemos isso mesmo, só LATIMOS, mas não mordemos ninguém. Bom, é verdade que a Argentina até tentou, mas como todo vira-lata, foi enxotada com uma batida de pé dos britânicos… XÔ XÔ…. chispa – cain… cain… cain…

  2. Blind Man's Bluff 13 de agosto de 2013 at 12:44 #

    Pequenos problemas para desviar a atenção do público.
    Enquanto isso, do outro lado do mundo, 800 toneladas de água altamente contaminada são vazam diretamente no Oceano Pacifico, todos os meses, para pelo menos as 3 próximas décadas.

    http://www.sciencebuzz.org/sites/default/files/images/Screen%20shot%202011-03-14%20at%2010.02.55%20AM.jpg

    Parece que o mundo esqueceu. Bom pro PM Shinzo Abe, o porta voz da energia nuclear japonesa, que acabou de vender uma usina para a Turquia e inaugurar ainda mais uma no Japão.

  3. Soldat 13 de agosto de 2013 at 13:32 #

    É isso ai Espanha ta na hora de pegar de volta Gibraltar e manda de volta esse Inglesinho e a população que quiser ir junto.

    Gibraltar é Espanhola querendo ou não…

  4. Vader 13 de agosto de 2013 at 16:39 #

    É isso aí, Gibraltar é da Espanha! Vamos Espanha!

    Mas já que é assim então devolve Ceuta, que tem três vezes o tamanho do rochedo de Gibraltar, para o Marrocos… ;)

    Como esses cucarachos são ridículos, contraditórios e “duas-medidas”…

    Quanto à GB, os estrátegos britânicos não devem nem estar dormindo de preocupação com a poderosa aliança da falida Espanha com a mais falida ainda Argentina da “vieja peor que el torto” Kretina Kirchner…. :)

  5. Soldat 13 de agosto de 2013 at 16:58 #

    Bom eu espero que no futuro bem próximo o Quebec também se separe dos Ingleses a Escócia e o Pais de Gale também se liberte do Império Inglês e logico que as Malvinas e Gibraltar voltem para seus respectivos países…

    Assim ia esquecendo e a Irlanda do Norte volte para a republica Irlandesa(EIRE).

    Eu sou totalmente contra o Império Inglês e Americano KAKAKAKAKAKA…

    Brasil acima de tudo e de todos…….

  6. nunes neto 13 de agosto de 2013 at 18:48 #

    A Espanha poderia Devolver Olivença a Portugal, deixar os Bascos seguirem o seu caminho e a Galícia se unir a Portugal (como os mesmo querem) , antes de exigir algo dos outros devemos dar exemplos!

  7. Fernando "Nunão" De Martini 13 de agosto de 2013 at 20:32 #

    Quem sabe a próxima notícia bombástica seja uma ação portuguesa para retomada do Principado Ilhéu da Pontinha, “o principado mais pequeno do mundo”, em Funchal, que tive o prazer de conhecer há uns anos.

    http://www.fortesaojose.org/

  8. Rafael M. F. 14 de agosto de 2013 at 2:33 #

    nunes neto disse:
    13 de agosto de 2013 às 18:48

    “A Espanha poderia Devolver Olivença a Portugal, deixar os Bascos seguirem o seu caminho e a Galícia se unir a Portugal (como os mesmo querem) , antes de exigir algo dos outros devemos dar exemplos!”

    Sem contar a Catalunha, cujo sonho de independência é antigo.

  9. Rafael M. F. 14 de agosto de 2013 at 2:35 #

    Se sou John Bull diria:

    “Querem Gibraltar? Venham buscar!”

  10. Rafael M. F. 14 de agosto de 2013 at 2:41 #

    Essa gente que acha que o bulldog está velho e não morde mais ninguém, esquece que por trás dele há mais de 200 anos de tradição e disciplina.

  11. MO 14 de agosto de 2013 at 13:25 #

    poderiamos devolver o Acre a 4a dimensão …

  12. Vader 16 de agosto de 2013 at 8:13 #

    Kkkkkkk…

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Ministro da Defesa visita a Embraer para conhecer o trabalho de modernização dos jatos AF-1/1A da Marinha

No dia 21 de outubro de 2014, o Ministro da Defesa, Embaixador Celso Amorim, visitou às instalações da Embraer, em […]

Programa ‘Artémis’: início das entregas de torpedos F21 em 2016

Programa contratado à DCNS deverá equipar 10 submarinos da Marinha Francesa com o torpedo de nova geração F21, substituto do […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

Quiz Naval: identifique as classes dos navios que aparecem na foto, se for capaz…

Essa é para os bons de História Naval. Clique na foto para ampliar e identifique as classes dos navios que […]

Euronaval 2014: informe da DCNS sobre a entrega do navio da classe ‘Mistral’ à Rússia

Em resposta à informação publicada anteriormente sobre a entrega potencial do primeiro navio porta-helicópteros de desembarque (BPC) para a Federação […]

Euronaval 2014: características das corvetas ‘Tamandaré’ e do NPaOc-BR

Seguem as informações divulgadas sobre as corvetas da classe “Tamandaré” e sobre o NPaOc-BR: Corvetas Tamandaré: Deslocamento: aproximadamente 2.700 toneladas […]