Piloto da Marinha do Brasil realiza voo com AF-1M

Piloto da Marinha do Brasil realiza voo com AF-1M

317
16
SHARE

AF-1M

No dia 3 de setembro, foi realizado mais um voo do protótipo modernizado AF-1B “Skyhawk”, nas instalações da Embraer Defesa e Segurança, na cidade de Gavião Peixoto (SP).

A aeronave que está inserida no Programa de Modernização, já realizou diversos voos, mas esta foi a primeira vez em que um piloto de asa fixa da Marinha do Brasil, Capitão-de-Corveta (FN) Paulo Mário, realizou o voo com o protótipo modernizado.

FONTE: Nomar

LEIA TAMBÉM:

16 COMMENTS

  1. Aviaozinhum bunitinhum…comprei o Mirage com as cores da FAB da coleção aviões de guerra…R$ 9,99. Se sair um A-4 com as cores da
    MB comprarei também…devo ter algum espaço sobrando ainda…

  2. Daltonl, também comprei, o III e o 2000C. Até já escolhi os 14 modelos da coleção que vou querer comprar, faltam 12 agora.

    Voltando ao tópico, pra mim esse deveria ser o padrão da FAB. Não gosto daqueles tons de verde e marrom.

  3. GBento disse:
    12 de setembro de 2013 às 20:25

    O AF-1M ficou muito bonito. Também em minha singela opinião, esse deveria realmente ser o padrão da FAB, e não aquela coisa dos anos 1970, padrão imitação forçada do Aggressor Squadron a la Vietnã.

    Mas. mudando de pau para cavaco, apesar da beleza do padrão de pintura, está na hora de a Marinha sair do mundo de Morfeu para começar a pensar em guerra de verdade. Submarinos, escoltas, navios de apoio logístico… sem isso em grande quantidade e em alta qualidade, porta-aviões é mera babaquice de amador.

  4. Caro Augusto

    O padrão de camuflagem atual da FAB lembra mais o “European One”, largamente empregado pela USAF na década de 1980.

    O padrão anterior que os F-5, Xavantes e outros empregavam era o Southeast Asia, esse sim da época do Vietnã.

  5. Ta bom desta classificação de patentes dos pilotos da marinha e dos fuzileiros navais serem modificadas… Soa um tanto estranho um piloto de caça com a patente de “Capitão de Corveta”, ou no comando de um batalhão de fuzileiros um “Capitão de Fragata”.

  6. wwolf 22,

    Não vejo sentido nisso, se a FAB possui os P-3 que em tese deveriam carregar torpedos, além dos helicópteros navais, SeaHawk e Super Lynx. Se esses A4 levarem ASM de curto alcance, eu já me dou por satisfeito.

  7. Além disso, me corrijam os especialistas, os sensores de guiagem de torpedo (fio, sonar) não são utilizados em jatos de ataque.

  8. Guilherme Poggio disse:
    13 de setembro de 2013 às 12:07

    Não conhecia esse padrão da década de 1980. De qualquer modo, os F-5 foram usados no Vietnã e daí fica parecendo que a FAB está na época do Aggressors Squadron.

Deixe uma resposta