Navio-patrulha oceânico ‘Araguari’ já integra frota da Marinha do Brasil

Infogrfico NPaOC P-122

A Marinha do Brasil já conta com o terceiro e último dos navios-patrulha oceânicos (NPaOc) adquiridos junto à BAE Systems, no Reino Unido. Nos últimos dias, a embarcação batizada de Araguari chegou à cidade do Rio de Janeiro – destino final da travessia. Durante um mês e meio, o navio passou por países africanos, onde foram realizados exercícios conjuntos de treinamento de ações antipirataria com as Forças Navais de nações-amigas.

Incorporado à Marinha em 21 de junho deste ano, em Portsmouth, na Inglaterra, o navio iniciou viagem em direção ao Brasil em 3 de agosto. Nesse período, foram feitas escalas em Lisboa (Portugal); e nos portos africanos de Mindelo (Cabo Verde), Lagos (Nigéria), Douala (Camarões), Malabo (Guiné Equatorial) e São Tomé (São Tomé e Príncipe).

O objetivo das visitas foi aproximar os países na troca de informações e na obtenção de sinergias para o reforço do controle e fiscalização das águas territoriais. A política de defesa brasileira enfatiza a importância do Atlântico Sul, alvo de cooperação para que a região continue sendo pacífica.

Agora, a embarcação está subordinada ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Nordeste. Junto com o Amazonas e o Apa, será usada para a proteção da chamada Amazônia Azul – área marítima de 4,5 milhões de quilômetros quadrados que corresponde, em tamanho, à Amazônia terrestre.

Prioridade

A aquisição do Araguari faz parte do Programa de Reaparelhamento da Marinha, projeto prioritário da Força Naval. Assim como os demais, desloca 1,8 tonelada e foi construído pela empresa BAE Systems.

A principal característica desses meios é a flexibilidade, o que torna possível a utilização em tarefas como patrulha naval, assistência humanitária, busca e salvamento, fiscalização, repressão às atividades ilícitas e prevenção contra a poluição hídrica.

FONTE: Ministério da Defesa

Tags: , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

21 Responses to “Navio-patrulha oceânico ‘Araguari’ já integra frota da Marinha do Brasil” Subscribe

  1. Marcos 26 de setembro de 2013 at 17:14 #

    O Poder Naval está devendo uma matéria sobre nossos futuros Scorpène e também sobre o Grande Elefante Branco das Profundezas Abissais, além, é claro, da ToT irrestrita dos franceses, tão defendida por alguns.

  2. José da Silva 26 de setembro de 2013 at 18:06 #

    Em tempo o NPaOc Apa tem programação para entrar em Santos amanhã – Sexta 27/09 14h00.

  3. juarezmartinez 27 de setembro de 2013 at 8:49 #

    É impressionante estes Ingleses,” alcaguetas duzamericanu”cumpriram rigorosamente os prazos de conversão e aprontamento dos navios para a MB, enquanto isto os Mururus by Brazilian construction heavy industry

    Grande abraço

    PS Caro Marcos, a continuar o rumo da Barca penso que não haverá personagem para o tópico do grande elefante branco das profundezas abissais……

  4. mbbravo 27 de setembro de 2013 at 9:10 #

    to vendendo uns barco, se a marinha interessar!!!

  5. Soldat 27 de setembro de 2013 at 10:36 #

    Brincadeira essa aquisição acredito que depois da compra de dezenas de caminhões para a FAB este foi a 2 pior compra feita pelos nosso políticos entreguistas.

    Um barquinho ruim com apenas 1 canhão e duas metralhadoras…….fala serio.

    Eu não gostei desses barcos patrulhas, ta na hora da marinha Brasileira romper com essa doutrina submissa em relação aos Ingleses e fechar com países realmente que queiram vender algo que preste.

  6. Rogério 27 de setembro de 2013 at 10:50 #

    “ta na hora da marinha Brasileira romper com essa doutrina submissa em relação aos Ingleses e fechar com países realmente que queiram vender algo que preste.”

    Nã entendi……..

  7. João Filho 27 de setembro de 2013 at 12:48 #

    1 canhão e duas metralhadoras???? Estamos em 1938??? rsrsrs

    O complexo de inferioridade brasileiro é fogo…

  8. MO 27 de setembro de 2013 at 13:35 #

    Gostaria de ver uma resposta bem embasada, para o Soldat, para o Joao Filho, por favor me embasem pq um NPaOc tem problema eter canhão de 30 mm, mtr de 25 mm e ponto 50´s ? por favor para mim entender a reclamação de voces, justifiquem ai a afirmação de vcs
    Principalmente a afiramsção NAVIO Ruim, baseado em que e porque ??

  9. MO 27 de setembro de 2013 at 13:43 #

    1500h Ze, to morrendo de resfriado, o Gustavo and Rafael ja estão lá

  10. cristiano.gr 27 de setembro de 2013 at 14:26 #

    Eu vou gostar se a MB colocar nomes nos navios de rios que sejam mais conhecidos da população brasileira e que estejam mais presentes no dia a dia das pessoas.

    Também quero aproveitar, mesmo não sendo o espaço ideal, para levantar a questão do alto custo para se conseguir um Arrais e a carteira de motonauta. Está a mesma roubalheira que os preços das carteiras de motorista. Deveria ser no máximo uns R$ 200,00 para as duas modalidades aquáticas.

    O brasileiro é o cidadão mais explorado que existe pelo governo de seu país. Pagamos quietos e o máximo que fazemos é xingar o governo, mas fica tudo por isso. Com isso, o que se tem é a revolta popular inflamando e cada dia está mais perto de uma revolução. Seguindo assim, com deputados LADRÕES que não permitem o governante administrar plenamente, e governantes reféns de empreiteiras e juízes parciais nomeados pelos partidos governantes, aos poucos o país vai se encaminhando para guerra civil contra os Poderes.

  11. Vassili 27 de setembro de 2013 at 19:09 #

    Ih Sepol,

    É que a galera gostaria de ver a função de patrulha costeira/marítima sendo feita pela dupla de irmãos maiores da Esquadra de 1910. Seria algo assim:

    -Ei vc, navio que está lavando os porões e jogando tudo em alto mar, pare as máquinas ou meus Armstrongs de 305mm falarão por mim………….

    Ou sei lá……… vai que acham esse calibre muito limitado para os dias de hoje né…………….

    Vamos de Yamato mesmo………………………. rsrsrsrsrsrsss……..

    Abraços.

  12. MO 27 de setembro de 2013 at 19:25 #

    particularmente (apesar de entender o que vc quiz dizer Ovi, prefiro aguardar o embasamento

  13. MO 27 de setembro de 2013 at 19:28 #

    ah Ovi, so um detalhe, lavar porão e jogar em alto mar, dependendo da carga é previsto …

  14. Vassili 27 de setembro de 2013 at 19:57 #

    fertilizantes…………………. pode?……………………..

  15. Corsario137 27 de setembro de 2013 at 21:35 #

    Melhor compra que a MB já fez na sua história!

  16. ricardo_recife 27 de setembro de 2013 at 23:48 #

    Classificação de navios é algo complicado, como também o é em relação ao tipo de armamento que cada tipo deve utilizar. Navios de Patrulha Oceânica teoricamente não necessitam ser armados como Fragatas ou Corvetas, com canhões pesados e mísseis. Sua missão básica é patrulhar a Zona Econômica Exclusiva e a luta contra crimes no mar, como por exemplo pirataria. Neste sentido, não acho a bronca ao canhão de 30 mm e as metralhadoras de 25 mm válida. Eles me parecem adequados à função. Contudo, acho que estes navios deveriam levar helicópteros leves organicamente para auxiliar em sua missão.

    Os navios de patrulha oceânica do Chile tem canhão de 40 mm e seis metralhadoras de 12.5 mm. Contudo, o colombiano 20 de Julio tem um canhão Oto Melara de 76 mm e 4 metralhadoras de 50 mm. Os da Irlanda também tem configuração semelhante com um Oto Melara, canhão de 20 mm e metralhadoras.

    Abs,

    Ricardo

  17. MO 28 de setembro de 2013 at 17:03 #

    pode

  18. Baschera 1 de outubro de 2013 at 1:24 #

    O MO sempre fica bravo quando o pessoal acha pouca coisa o armamento de um NaPaOc.

    É “só” um navio patrulha grandão….

    Mas eu também fico incomodado com estes armamentos em um navio deste tamanho…..

    Eu estou errado, mas que gostaria de ver um navio destes com o poder de fogo de uma Hamina Class … eu gostaria.

    Ou coisa melhor ainda…. e ainda por cima com um Linx a bordo…. rssss !

  19. MO 1 de outubro de 2013 at 14:41 #

    ahh sim Basque, mas ai seria uma CV e nao um NPaOc e uma hamina la nos finlandianos eh um navio de combate, alias são o que eles tem em um litoral proporcional total a estes UQTR´s …. a aqui, se eles fosses CV´s melhor armados seriam navios de combate, sim, concordo, mas seriam navios de combate para o Atlnatico ?, talves sim, provavel nao, mas seriam navios de combate empregados como tal, nao operados como patrulha na função deles no atlantico, mas gastando como CT´s …. tem muita gente que escreve sobre eles criticando e acham que eles sao da esquadra …. o tal embasamento la perguntado, nao veio e nem virá …. vc basque, sabem bem pq …. , viu a diferença

  20. MO 1 de outubro de 2013 at 14:44 #

    eh aquela velha piada da antiga aqui em relação ao explanado acima = “ahhh, se voa, eh pintura camuflado e eh a jato, eh caça, mesmo que seja um C 17′ ….. kkkkkkkk

    Se voa, eh a jato e eh civil, eh um boing 7 qqr coisa, mesmo que seja um airbus … kkkkk

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

NDCC ‘Mattoso Maia’ pode ser o próximo navio da MB a dar baixa

G28

Segundo uma fonte, o Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) Mattoso Maia (G28) pode ser o próximo navio da […]

Navio de Desembarque Doca ‘Ceará’ finaliza PMG com êxito

NDD Ceará

  O Navio de Desembarque-Doca (NDD) “Ceará” finalizou com êxito o seu Período de Manutenção Geral (PMG) em novembro de […]

92º Aniversário da Diretoria de Aeronáutica da Marinha

NA FOTO, POR OCASIÃO DA COMEMORAÇÃO DO 92º ANIVERSÁRIO DA DAerM, VÊ-SE REUNIDOS COM O ATUAL DAerM, EM PÉ À ESQUERDA, CA PRIMO, MAIS SETE OFICIAIS-GENERAIS, TODOS EX-DIRETORES DE AERONÁUTICA DA MARINHA.

Apenas dezesseis anos após o primeiro voo do “mais pesado do que o ar”, os olhos atentos do então Ministro […]

Veja no ForTe: Exército Brasileiro vai escolher seu blindado 4×4

Avibras Tupi

O Projeto Estratégico Guarani, do Exército Brasileiro, deve selecionar em breve o vencedor do Programa VBMT-LR (Viatura Blindada Multitarefa, Leve de […]

Temas ausentes

Esquadra-Brasileira

Mario Cesar Flores Dois temas que frequentam o cotidiano da mídia mundial estiveram ausentes das campanhas eleitorais de 2014: relações […]