Corveta ‘Al Shamikh’ Q40

Al Shamikh Q40 - 1

Na fotos, a corveta Al Shamikh Q40, de 2.600 toneladas, da classe “Khareef” da Marinha Real de Omã. O projeto é da BAE Systems Surface Ships e possui casco e propulsão muito semelhante aos NPaOc da classe “Amazonas” da Marinha do Brasil.

A maior diferença fica por conta do armamento e sensores: a classe ”Khareef” é um navio de combate, equipado com um radar 3D SMART-S Mk2 e armado com 1 canhão de 76mm Oto Melara, 2 canhões de 30mm MSI DS30M, 8 mísseis MM-40 Block III Exocet e 12 mísseis antiaéreos MBDA VL Mica. Clique nas imagens para ampliar.

Al Shamikh Q40 - 2

Al Shamikh Q40 - 3

Al Shamikh Q40 - 4

Al Shamikh Q40 - 5

FOTOS: G.GYSSELS

SAIBA MAIS:

Tags: , , , ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

37 Responses to “Corveta ‘Al Shamikh’ Q40” Subscribe

  1. Corsario137 1 de outubro de 2013 at 22:32 #

    É um NaPa turbinado.
    Ainda assim fico com os nossos, armados a contento da missão que lhes cabe desempenhar.
    Até porque, se armarem muito bem os NaPa, é capaz de algum gênio sugerir o fim do Prosuper.

  2. Corsario137 1 de outubro de 2013 at 22:34 #

    A propósito, as DeZeven Provincien holandesas são candidatas do Prosuper?

  3. Joker 1 de outubro de 2013 at 23:15 #

    Acho que como uma Corveta para as águas restritas de um Golfo é um excelente meio. Alguns conceitos deveriam ser vistos com uma lupa para se forem compativeis, serem colocados adaptados a nossa realidade nas Barrosos Improved/Mod

  4. Baschera 1 de outubro de 2013 at 23:50 #

    Neste caso… para mim é uma corveta…. desloca mais ton que uma Barroso… tem um radar melhor e VLS.

    Sds.

  5. Joker 2 de outubro de 2013 at 0:14 #

    Bachera acho que o único óbice seria a falta de um sonar…

  6. Blind Man's Bluff 2 de outubro de 2013 at 9:43 #

    Mas aí já é querer demais!

    Com um Smart-S + 8 MM-40 essa corveta ja tem o mesmo ou até mais poder ofensivo que qualquer um de nossos navios de guerra!

    Com 12 Micas, esse pequeno Navio Patrulha já tem mais poder defensivo que qualquer um dos nossos navios de guerra.

    O Corsario só pode estar louco afirmando que não gostaria dessa configuração na nossa MB. Mesmo para sua função de patrulha, mísseis anti-navio são essenciais. Basta comparar com as corvetas israelenses. Eles não pisam na bola em questão de segurança.

  7. Mauricio R. 2 de outubro de 2013 at 11:35 #

    Que “Barroso Improved” o que !!!
    O naviozinho aí ficou bem legal, especialmente se trocarmos o Exocet e o Mica, aí fica melhor ainda.
    Alguns senões seriam a falta de algum tipo de sonar, um CIWS a frente do passadiço e o convoo mto baixo que em mar mais agitado ficaria bem molhado.
    A solução empregada nos OPV’s neozelandeses, seria viável???
    Aliás haveria realmente algum inconveniente técnico ou operativo, p/ instalarem alguns VLS, naquele espaço aberto á frente do passadiço, como o existente na classe “Amazonas”???
    Uma eventual versão brasileira, poderia ser mais simples, mantendo o mastro original do OPV.
    Outra questão seria se o hangar pode acomodar o Sea Hawk, pois o navio foi dimensionado p/ um helo orgânico de até 12 ton.

  8. Corsario137 2 de outubro de 2013 at 12:07 #

    Blind,

    Eu não to loco não, pelo menos nesse sentido.

    As NaPa são NAPAS!

    É patrulha minha gente. Isso não é super trunfo. Equipar um navio desses com um radar 3D, Micas e Exocets é coisa cara e over num navio que se destina tão somente a patrulhar.

    Lembro de um fusca que eu tive na adolescência. Ele era pra pescar. Compramos ele com esse objetivo. Com sua tração traseira era perfeito para chegar em certos lugares que um Vectra não se arriscava. Não tinha ar-condicionado, vidros elétricos nem direção hidráulica, era um Fusca afinal. E cumpria excelentemente sua função. Tirávamos o banco da frente (carona) pra ter lugar pra caixa de peixe. O danado existe até hoje.

    Poderíamos ter gasto alguns milhares de reais nele em acessórios e modificações, o que não teria melhorado em nada o cumprimento da sua missão: levar a gente pra pescar!

    E ainda me arrisco a dizer novamente, turbinem muito os NaPa e podem contar que o Prosuper vai pro saco.
    A MB precisa de navios com capacidade anti-aérea em camadas, anti-navio e com radares e sonares no estado da arte mas isso tudo numa embalagem bem superior a 2.600t. Do contrário vira guarda costeira bombada.

  9. Blind Man's Bluff 2 de outubro de 2013 at 14:37 #

    Desculpe Corsario não queria te ofender.

    Mas hoje em dia, qualquer fusca vem com ar condicionado, controle de tração e tração dianteira, se é que vc me entende.

    Um navio patrulha, nas melhores das doutrinas, hoje, nada mais é que um “missile boat”. Se não, faria mais sentido opera-lo por uma Guarda Costeira! Patrulha maritima e guarda costeira não são sinônimos!

    Ao mesmo tempo, não se pode desperdiçar uma plataforma como essa, moderna, bem estruturada, para a função de navio guarda costeira! Isso é um navio de guerra e deveria ser equipado com o que há de melhor, ainda mais numa Marinha que carece de tudo que há de moderno.

    Agora, voltamos a terra e lembramos que estamos falando de Brasil e administração PeTralha. Essas corvetas poderiam haver sido nossas, antes e bem equipadas como nos gostaria a todos, caso nosso governo houvesse tomado a iniciativa desde o princípio. Mas como somos governados por parasitas, não poderia ser outro o resultado. Parasitamos as corvetas equipadas para a Guarda Costeira de um micro país ilha chamado Trinidad y Tobago, que muitos tem dificuldade de localizar num mapa!

    Essas compradas por Omã, nada mais são que a versão marinha de guerra da mesma corveta que compramos, para realizar a verdadeira missão de patrulha marítima.

  10. MO 2 de outubro de 2013 at 15:07 #

    acho que após este desenho que o 137 fez, a prova de idiotas, acho que se aparecer mais algum ‘sapiencia’ reclamando, nao se deve nem perder tempo em explicar e sim perguntar se era do aereo e ta perdido por aqui ….

    simplesmente perfeito !

  11. nunes neto 2 de outubro de 2013 at 15:09 #

    Blind, ajuda ai! Querer comparar navio patrulha de Israel com a realidade de guerra e ameaças do Brasil é f…da, lá navio patrulha é para combate, o litoral é pequeno e cercado de inimigos, lá não tem muito tempo para preparar uma reação, lá o patrulha vai ter que meter a cara e chamar os irmãos maiores!Aqui quanto tempo um navio inimigo vai demorar para chegar em nosso litoral?Dias? Semanas?Olha no mapa ,lá o inimigo mora dentro de casa!Sou da turma dos coerentes, NAPA é NAPA, navio de guerra é navio de guerra,querer transformar um napa em navio de guerra, é melhor comprar logo a segunda opção, fora os custos!abçs

  12. MO 2 de outubro de 2013 at 15:11 #

    nao Blind la ele nao eh uma pequeno navio patrulha, e sim uma CV na função de Navio de combate de 1a linha, e isso ja tira de qqr comparação conosco ou com um Amazonas

  13. Marcos 2 de outubro de 2013 at 15:13 #

    Corsario137

    Quem pode vai de Land Rover Discovery 5.

    Em Banânia, infelizmente, vamos de “Fuca” 67.

  14. MO 2 de outubro de 2013 at 15:28 #

    nem isso, pq la eh navio de 1a linha novo, aqui … alem de um tal livro branco diso e pro aquilo … novo , de 1a linha mesmo, so nos quebrando o pau aqui ….

  15. fragatamendes 2 de outubro de 2013 at 16:29 #

    Que me desculpem os entendidos, mas vou meter o meu dedo nesta briga de gente grande ( MO, PADILHA e OUTROS), mas na minha opinião mesmo como patrulhas acho que deveríamos mudar o armamento de tubo para um 40mm e dois de 20mm para termos um armamento padrão para todas as classes.Um abraço do MENDES.

  16. Corsario137 2 de outubro de 2013 at 17:48 #

    Marcos,

    A diferença é que quando o fusca quebrava eu mesmo consertava. Até caixa de marcha dele eu troquei (tem que desmontar metade do carro pra chegar na caixa).

    Se fosse um Discovery 5, eu gastaria uma fortuna e só me devolveriam o carro em 1 semana. O Fusca a gente consertava numa madrugada ;)

  17. Corsario137 2 de outubro de 2013 at 17:49 #

    MO,

    Tô aprendendo com você.

    Sds,

  18. jairo boppre sobrinho 2 de outubro de 2013 at 19:44 #

    Srs
    Boa Noite
    Há mas que para quem tem $, o Discovery 5 vai bem, isto vai!
    Bom mesmo, seria ter mais opções na nossa MB.
    Abs

  19. jairo boppre sobrinho 2 de outubro de 2013 at 19:46 #

    Srs
    Quantas unidades eles compraram?
    Abs

  20. Corsario137 2 de outubro de 2013 at 23:56 #

    Blind,

    Só pra constar: não me senti de maneira nenhuma ofendido ok? Respeito profundamente seu ponto de vista. Há coerência, só não concordo.

    Abraço.

  21. Vassili 3 de outubro de 2013 at 12:14 #

    Outra questão que os amigos não levantaram nos comentários acima é o fato de que essa embarcação deve ter um alcance bem limitado.

    E isso não combina nem um pouco com o tamanho do nossos litoral.

    Abraços.

  22. daltonl 3 de outubro de 2013 at 12:45 #

    O alcance é muito bom, 4500 milhas nauticas a 15 nós
    tão bom quanto nossas corvetas que aliás representam
    5 dos 14 combatentes de superfície.

    Nossas corvetas tem turbinas a gás para navegar a velocidades mais altas e mais silenciosamente, mas quanto ao alcance não são melhores não.

    Aqui corvetas não são os principais combatentes enquanto lá, são!

  23. MO 3 de outubro de 2013 at 14:59 #

    Enviado em 03/10/2013 as 12:45 pelo Dalton Luiz
    ASPAS
    … Aqui corvetas não são os principais combatentes enquanto lá, são!
    FECHASPAS

    Mais uma para a tuma do NPaOc é mau armado e aquele bla bla bla sem embasamento sapiencia de sempre ……

    NPaOc não navio de combae tbm, salvo em Israel, mas la são outros 500 ….

  24. MO 3 de outubro de 2013 at 15:14 #

    heheheheheeheh

  25. Baschera 3 de outubro de 2013 at 18:24 #

    Pera aí gente….

    Primeiro, NAPA é uma coisa…. NaPaOc é outra bem diferente.

    Esta Q-40 é um NaPaOc (OPV) travestido de Corveta, dada as suas capacidades de defesa muito superiores ao primo mais pobre, a Classe Amazonas.

    Interessante é que Israel, por exemplo, decidiu criar um NAPA stealth…. que batizou de mini-corveta, a SAAR S 72 de 800 ton e “range” de 3.000 NM. Alem de um mastro com redar de ultima geração, levará misseis Barak 8 além de outros meios anti navio.

    Nas nossas Amazonas, acho que poderia ser instalado ao menos uma pequena torreta externa lança mísseis, como por exemplo esta torre lançadora de misseis Spike ER (foto abaixo):

    http://defense-update.com/wp-content/uploads/2012/10/spike_er_sd2.jpg

    Sds.

  26. MO 3 de outubro de 2013 at 18:37 #

    ta basque, pra que ?

    o turquinho é CV e la eh navio de combate, em israel os navios de combate deles sao isso mesmo 9são SAAR´s 1,2,4.5, 6 ,8 … por ai vai …. nada alem disto na superfice), nenhum dos dois saem pro atlantico, aqui Pa Oceanico eh para PA Oceanica apenas um missel ele precisaria contra um navio de combate e se precisarmos de PaOc para enfrentar um navio de linha = chore !, melhor .. reze !!

  27. Baschera 3 de outubro de 2013 at 18:52 #

    Ostra,

    Nunca advoguei que um NaPaOc pudesse enfrentar um destroyer ou A. Burke…. mas tivesse a capacidade de se defender melhor de uma possível ameaça de menor impacto… inclusive de um helicóptero ou um VANT/UCAV quando em missão mar adentro, sem poder contar com a ajuda imediata de outra nave mais especializada.

    Agora, as nossas Covetas é pior…. tem que se defender e só contam com canhão e um ou dois Exocet….

    Sds.

  28. MO 3 de outubro de 2013 at 19:07 #

    mas ai que ta Basque, este suposto helo mar a dentro sairia de onde ?? haveria seu navio organico, correto, e ai entramos depois na mesma discussão.

    oderiam ter talves um oto e um ram, mas ai teriamos que mudar consideravelmente nosso modo pensandi eoperandi, pois nao por exemplo acho eu seria mto mais barato um destes operando la no libano por exemplo, apenas ache que nesta situ o helo ajudaria mto

    As nossas CV´s é no caso falha na dotação delas, pois no papel elas teriam de dotação de combate ASupW, e quase nula AAE em termos dos dias de hoje, principalmente contra ameaças de medio tamanho,aerea, mas isso tbm são outros problemas, sao referentes a um pais que acredita em papai noel e pq somos pacificos nunca ninguem se meterá com a gente (e vc sabe que estes patetas do governo pensam assim)

  29. Jacubão 3 de outubro de 2013 at 22:17 #

    PROSUPER algo muito, mas muito distante!
    Os escoltas estão cansando!!!

  30. nunes neto 3 de outubro de 2013 at 23:44 #

    Não vou mais entrar nessa discussão de NAPA,NaPoc, armado com mísseis , laser etc… não adianta, essa é uma questão “ipso facto”, países que têm esses navios extremamente armados, os têm, porque possuem um litoral limitado ,cercado de inimigos, têm um litoral minusculo, dentro de algum mar, precisam de uma resposta imediata a alguma ameaça, que está ali do lado; o Brasil precisa de duas coisas, navios de patrulha e navios de guerra! E não somente navios de guerra!Deixem os misseis e lasers para as corvetas e Fragatas!Abçs

  31. Corsario137 4 de outubro de 2013 at 0:38 #

    Bascha,

    Spike com alcance de 8 Km num navio desses pra mim é preciosismo. Em combate o Napa já terá ido a pique sem sequer ter a oportunidade de tiro. Spike, mesmo ER, é levar uma caneca pra um incêndio.

    Em Israel funciona, em Israel.
    Na verdade, acho que em Israel até nos carros vem como opcional: teto solar, banco de couro, spike…

  32. Mauricio R. 4 de outubro de 2013 at 11:48 #

    Exceto pelo próprio Estreito de Hormuz, o território do Sultanado de Omã, situa-se quase que exclusivamente FORA do Golfo Pérsico.
    Assim o navio acima não se destina ao emprego somente em águas protegidas, mas no Mar da Arábia e no Oceano Índico.
    Então de um ponto de vista da MB que podemos pagar para ter, algo baseado nesse casco, é perfeitamente viável se considerarmos as substituições das “Inhaúmas”, da “Barroso” e devido a pouca qntidade; talvez das “T-22 B-1″.

  33. MO 4 de outubro de 2013 at 12:27 #

    Mauricio, considere o que vivo falando la pros omanianos isso eh um Kirov, com função e Juan Carlos I, com dotes de DDH, uma pint de Mttoso Maia e um quebra galho de Almirante Maximiniano, isso la eh a esquadra (toda) deles, procura algum CT ou S por la com bandeira omaniense

  34. Baschera 5 de outubro de 2013 at 16:57 #

    Vejam o exemplo da Turquia.

    Lançada (agora em 27 de Setembro passado) a segunda Corveta MILGEM (Milli Gemi ou Navio Nacional) de um total de quatro unidades que serão construidas para a Classe Ada (Iha).

    http://www.defensa.com/images/stories/noticias/2013/10/f512_1.jpg

    Desolcamento: 2.300 Ton.
    Sistema de missão de combate: EPKIS (Turco).
    Sensor Eletro-Otico: ASELFLIR 300D
    Radar de vigilância área (3D): Smart-S Mk2
    Diretora de tiro: STING EO Mk2,
    Sonar de casco: TBT-01 Yakamoz (Turco).
    Canhão: Um Super Rapid 76 mm
    Misseis ainti-navio: RGM-84 Harpoon Block II.(USA)
    Torpedos: Mk 46 Mod 5 (USA)
    Mísseis Superfície-Ar: RIM 116B RAM (USA)
    Estaçoes de Armas: Metralhadoras STAMP 12,7mm remotamente controladas.

    Sds.

  35. Baschera 5 de outubro de 2013 at 16:59 #

    Esqueci de um detalhe importante:

    Helicóptero de guerra anti-submarina e anti-superfície: S-70B2 Sea Hawk (USA)

    Sds.

  36. Edcarlos Prudente 5 de outubro de 2013 at 22:28 #

    Bem, essa Corveta é realmente uma embarcação de uma marinha de guerra, já nossos NPaOc não chegam nem perto disso.

  37. MO 6 de outubro de 2013 at 19:37 #

    sera pq a Marinha do Brasil eles nao sejam esquadra e la são, vamos observar e entender mais antes de falar cosas que não relatam a realidade .. sabes, obvamente a dif de forças distritais e esquadra neh, ou qqr navio da marinha eh um navio da esquadra …..

    ahhh claro que vc sabe tbm que Cv eh uma coisa, NPaOc eh outra, claro que sabe né ….

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Ministro da Defesa visita a Embraer para conhecer o trabalho de modernização dos jatos AF-1/1A da Marinha

No dia 21 de outubro de 2014, o Ministro da Defesa, Embaixador Celso Amorim, visitou às instalações da Embraer, em […]

Programa ‘Artémis’: início das entregas de torpedos F21 em 2016

Programa contratado à DCNS deverá equipar 10 submarinos da Marinha Francesa com o torpedo de nova geração F21, substituto do […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

Quiz Naval: identifique as classes dos navios que aparecem na foto, se for capaz…

Essa é para os bons de História Naval. Clique na foto para ampliar e identifique as classes dos navios que […]

Euronaval 2014: informe da DCNS sobre a entrega do navio da classe ‘Mistral’ à Rússia

Em resposta à informação publicada anteriormente sobre a entrega potencial do primeiro navio porta-helicópteros de desembarque (BPC) para a Federação […]

Euronaval 2014: características das corvetas ‘Tamandaré’ e do NPaOc-BR

Seguem as informações divulgadas sobre as corvetas da classe “Tamandaré” e sobre o NPaOc-BR: Corvetas Tamandaré: Deslocamento: aproximadamente 2.700 toneladas […]