marcosdepaulaEstadao600

A revista britânica The Economist publica na edição que chega este fim de semana às bancas reportagem sobre o primeiro leilão para exploração do pré-sal. Com o título “Preço barato”, a reportagem diz que a presença de apenas uma proposta para os campos de exploração de petróleo mostra “a fraqueza da abordagem liderada pelo governo para desenvolver as reservas”. Para a revista, o resultado do leilão “foi uma decepção”.

Na reportagem, a revista diz que a “a presença da Shell e da Total no consórcio vencedor permitiu que o governo declarasse o leilão como um sucesso”. Apesar disso, a publicação discorda. “Enquanto o governo esperava mais de 40 empresas interessadas, apenas 11 se registraram no leilão”, lembra o texto. “E, apesar de ter esperado pelo menos a oferta de seis consórcios, só foi feita uma proposta e com o valor mínimo exigido”, diz a reportagem.

“A falta de competição foi uma decepção após a euforia de seis anos atrás quando o presidente da época, Luiz Inácio Lula da Silva, descreveu o pré-sal como um ‘bilhete de loteria premiado'”, diz o texto. Para a revista, uma das causas dessa falta de interesse foi a demora do governo em oferecer os campos. “Durante a longa espera, enquanto as regras do leilão foram reescritas e os governos discutiam como dividir os eventuais recursos, o xisto retirou do pré-sal o título de perspectiva energética mais emocionante do mundo. A maioria do interesse privado desapareceu”, completa a reportagem, que destaca a ausência das gigantes BG, BP, Chevron e Exxon.

Apesar das críticas, a reportagem reconhece que as perspectivas de extração dos campos nos próximos 35 anos “são tão vastas que os riscos de exploração são bem baixos”.

FONTE: O Estado de S. Paulo

Tags: , , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

11 Comentários para “‘Economist’: resultado do leilão do pré-sal revela fraqueza do modelo”

  1. Marcos 24 de outubro de 2013 at 16:07 #

    Pois é!

    Esperavam mais de quarenta propostas e só veio um consórcio.

    E além de terem entregue nosso petróleo aos chineses, vão transferir toda a tecnologia de exploração em águas profundas e que levamos mais de cinquenta anos para conseguir, coisa que eles não tem.

    Agora vem a governanta e diz que se trata de xenofobia.

  2. Marcos 24 de outubro de 2013 at 16:12 #

    Até o “Líder” ficou furioso com esse negócio da entrega do Pré Sal aos estrangeiros:

  3. Colombelli 24 de outubro de 2013 at 16:23 #

    So o governo mentiroso do PT para dizer que privatização é parceria” e que leilão com uma oferta e peço mínimo é sucesso. Isso é a antítese da finalidade de um leilão.

    Meu espanto é que há pessoas que acreditam.

  4. Marcos 24 de outubro de 2013 at 16:41 #

    Esse modelo foi pensado por um deputado do PCdoB, justamente para afastar empresas privadas.

  5. Observador 24 de outubro de 2013 at 18:37 #

    Colombelli24 de outubro de 2013 at 16:23 #

    Meu espanto não é que tem gente que acredita, afinal de contas, como dizia Phineas Taylor Barnum (ou P.T. Barnum!): “nasce um otário a cada minuto”.

    Meu espanto é com o silêncio dos demais, que mesmo sem acreditar, apóia esta corja por omissão.

    Eu não conto umas historinhas que sei do setor de energia elétrica porque aqui não é o lugar adequado, mas esta mania do PT de reinventar a roda está afastando todo o tipo de investimento.

    Vamos virar o país do apagão. Energético, moral e intelectual.

  6. Guilherme Poggio 25 de outubro de 2013 at 9:06 #

    Prezados,

    Os erros cometidos na gestão anterior começam a ser corrigidos.

    Plataformas que já deveriam estar em operação (os motivos pelo atrasado devem ser atribuídos à dupla Gabrielli/Lula) começarão a operar em breve.

    Com isso a produção de petróleo aumentará e o governo aproveitará essa notícia para dizer que tudo está bem (quando na verdade está tudo atrasado).

  7. Marcos 25 de outubro de 2013 at 12:07 #

    Guilherme Poggio

    “Os erros cometidos na gestão anterior começam a ser corrigidos.”

    Não vejo onde a dupla Mulher Maravilha/Bat Girl seja melhor que a dupla Super Man/Lanterna Verde.

    É bom lembrar que a falta de linhas de transmissão de energia de origem eólica no RS é de responsabilidade da “Doutora” Gerentona Governanta e que a Gracinha mandou enterrar uma Máquina de R$ 100 milhões para cumprir prazos (eleitorais).

  8. Marcos 25 de outubro de 2013 at 12:09 #

    Quer dizer: US$ 100 milhões.

  9. Observador 25 de outubro de 2013 at 13:53 #

    Marcos25 de outubro de 2013 at 12:07 #

    É amigo, você só levantou a pontinha do lençol, ao mencionar a falta de linhas de transmissão para o parque eólico. Mas creio que este problema específico (das linhas para os parques eólicos) se dê muito mais no Nordeste que no Sul.

  10. Guilherme Poggio 25 de outubro de 2013 at 14:55 #

    Caro Marcos

    Algumas plataformas que já deveriam estar em atividade produzindo ou com capacidade aumentada, não estão. E isso ocorrerá em breve, com um pequeno atraso de três anos em média. E assim a produção deve sair da atual estagnação e subir. Essa subida será comemorada como uma vitória do governo e uma demonstração de sua eficiência, mas na verdade está atrasada.

  11. Marcos 25 de outubro de 2013 at 15:12 #

    Poggio:

    Não sei se a coisa vai sair do lugar, já que poços mais antigos vem perdendo produtividade.

    No mais, petróleo de Libra, se nada sair errado, só lá por 2020.

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Navio-veleiro Cisne Branco aberto à visitação em Santos neste final de semana

Cisne Branco (2)

A Capitania dos Portos de São Paulo informou em nota à imprensa que o navio-veleiro Cisne Branco da Marinha do […]

Marinha peruana estuda três opções para renovar sua força de superfície

DE_LA_PENNE__5____a

  Não é só a Esquadra brasileira que necessita equacionar a renovação de sua força de superfície em um cenário […]

Cerimônia de incorporação do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ à Marinha do Brasil

Vital de Oliveira - 1

  Em uma cerimônia de batismo, mostra de armamento e transferência para o setor operativo, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico […]

Ministério da Defesa menos otimista com as chances do Prosuper em 2015

FREMM 523b

Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa e autor do livro “As Garras do Cisne” Passam os […]

Grã-Bretanha vai investir mais de R$ 1 bilhão na defesa das Ilhas Malvinas

Falkland_islands_250m

A Grã-Bretanha vai gastar £ 280 milhões (R$ 1,3 bilhão) nos próximos dez anos para reforçar a defesa das Ilhas […]