Home Vídeo Estaleiro e Base de Submarinos de Itaguai/RJ

Estaleiro e Base de Submarinos de Itaguai/RJ

968
41

O vídeo acima, publicado pela Marinha no dia 3.12.13, mostra como está o andamento das obras de construção do Estaleiro e da Base de Submarinos em Itaguaí/RJ. Além disso, apresenta a evolução da construção dos submarinos convencionais S-BR 1 e 2.

O Programa Prosub da Marinha do Brasil prevê a construção de quatros submarinos convencionais S-BR baseados na classe francesa “Scorpène” e um submarino com propulsão nuclear, projetado com assistência técnica da empresa francesa DCNS para a parte não-nuclear do submarino. O reator nuclear e seus sistemas auxiliares serão de projeto e fabricação brasileira.

41
Deixe um comentário

avatar
38 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
19 Comment authors
daltonljoseboscojrpco-andradebittBaschera Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Almeida
Visitante
Member
Almeida

A base naval com metragem mais cara do Mundo. Deve ser culpa da bolha imobiliária que assola o Rio de Janeiro! Se um apartamento de 2 quartos em Botafogo tá “valendo” mais de R$ 1 milhão, vamos cobrar alguns bilhões de euros pela base, claro!

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Posso parecer otimista mas, no momento, junto com a viatura Guarani, são os únicos programas militares evoluindo conforme o cronograma, outros ou estão atrasados ou nem saíram do papel.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Marcelo Andrdade

O programa de submarinos está andando por que os franceses, que não são bobos, embutiram uma cláusula no contrato que impõe uma multa assustadora acaso haja atrasos. Aliás, a primeira parcela que pagamos foi justamente uma multa.

Augusto
Visitante
Augusto

Esse é um marco de importância fundamental de aquisição tecnológica do país. Meus parabéns a Marinha, e vamos continuar avançando porque em breve teremos uma força de submarinos capaz de impor respeito!

Oganza
Visitante
Member
Oganza

Augusto,

vc está com o modo Sarcasmo ON né?

Marcelo
Visitante
Marcelo

Parabéns novamente à Marinha do Brasil !
O programa está andando e com ToT e tudo.
Não são 100% das coisas que dão errado por aqui.
Sempre existe o pessoal que só sabe criticar, quando alguma coisa anda, continuam criticando, mas fazer o quê. Somos um povo com síndrome de vira-lata. Mas estamos mudando, pouco a pouco vamos melhorando.
Abraços à todos.

rafael bastos
Visitante
rafael bastos

[OFF] Ultimamente, esta ficando muito desagradável ler alguns comentários nos BLOGs Forças de Defesa. Sinceramente as vezes tenho a impressão que tudo, mas sem exceção, é motivo de crítica! E então você esta discutindo sobre o porquê do céu ser azul e de repente aparece alguém e diz ” ahhh se não fosse o Partido e seus desgovernantes, e se o Brasil fosse sério o céu seria muito mais azul!”. Parece que para alguns virou moda criticar por criticar, nada nunca está bom, e o pior, na grande maioria das vezes sem a mínima descendia de fazer uma pesquisa prévia… Read more »

rafael bastos
Visitante
rafael bastos

Não estou dizendo que não se pode criticar, não muito pelo contrario, quando cabível é até necessário pois este é um espaço democrático para debates. Porém acredito que seja interessante que essa crítica não seja por si só, e que seja racional, educada e que tenha quando possível dados probatórios para tal.

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

É que a maioria de nós aqui da trilogia pagamos impostos, e gostaríamos que estes fossem aplicados e gastos com responsbilidade. D,ito isto boa parte de nós aqui sabe porque, quem e como foi contratado o Prosub e ainda sabemos quanto custou a mais do que deveria. Bem, ainda tem outra questão importante no meu modesto enteder e penso que de outros colegas também. Porque a MB colocou o Prosub a frente de outros programas, uma vez que a atual frota de Subs da Marinha é o que se tem de mais novo, enquanto isto fragatas, navios de apoio e… Read more »

Augusto
Visitante
Augusto

Oganza
6 de dezembro de 2013 at 0:34

Não há sarcasmo. O vídeo está aí e é só mais um meio de mostrar o que está acontecendo: trabalhadores brasileiros, construindo em território brasileiro, com maquinário brasileiro, em instalações brasileiras, desde o corte da primeira chapa, até a junção das seções prontas, os dois primeiros submarinos diesel-elétricos Scorpene brasileiros. Se isso não é aquisição tecnológica, perdi o parâmetro do que possa vir a ser.

felipe augusto batista
Visitante
felipe augusto batista

“Tudo, meu amigo é uma questão de prioridades e realidade, agora se você(s) preferem achar que Gnomos, Duendes, Fadas e demais dos livros “contos” existem, é um direito seu.” O PROSUB foi superfaturado? Provavelmente. Existem necessidades mais urgentes? Claro. Mas isto não importa mais, o programa não pode mais ser parado, o dinheiro já foi gasto, desta forma de que adianta continuar metendo o ferro no programa? Eu também pago impostos e gostaria que estes fossem aplicados e gastos com responsbilidade como você frisou, mas já que o PROSUB foi o programa escolhido eu acho muito mais construtivo agora apoiá-lo… Read more »

Oganza
Visitante
Member
Oganza

Augusto, é o vídeo esta ai sim, e como Meio Frio que é (McLuhan), NÃO serve de nada vezes nada para se tirar alguma comclusão de alguma suposta aquisição de tecnologia. O que vi foi trabalhadores brasileiros construindo e em território brasileiro sim, mas aqui na minha cidade tb tem isso, estão fazendo um BRT ali do lado e tem até uma “Unidade de Estruturas Metálicas também” rs. Vi instalações brasileiras, mas não vi maquinário brasileiro não rs, ao menos Komatsu, Schuler, Bosch e algumas outras que são vistas no vídeo não são empresas brasileiras não. Mas claro, algumas já… Read more »

Oganza
Visitante
Member
Oganza

E mais uma vez… videozinho amador, com roteiro mal escrito, redação sofrível e o que dizer da captação e edição de imagens… afff NADA casa com nada, ou melhor não se identifica nada com nada e o caro tenente é simplesmente terrível como apresentador. Esse vídeo fou para ser jogado para a torcida e nada mais, cheio de embustes e nem um pouco transparente. Quando nasceu o programa do USS Nautilus, o Almirante Hyman Rickover ficou a frente do programa, e tem videos dele mostrando como a coisa funcionaria, como, quando e onde elas aconteciam, ele sabia o que estava… Read more »

Santana Denis
Visitante
Santana Denis

Marcelo e rafael bastos, eu concordo plenamente com vocês e o termo “SÍNDROME DE VIRA LATA” caiu como uma luva. Ninguém aqui é idiota ou inocente para não saber dos problemas que existem aqui no Brasil. Vejo um post e já sei os comentários antes de abrir. Claro pagamos impostos, somos corruptos, investimos mau, o governo é X o governo é Y, algo mais a acrescentar? INDEPENDENTE DE TUDO ISSO ME DIGA UMA MARINHA QUE INVESTE TANTO AQUI NA AS COMO A NOSSA? Mostre números, agora veja se você vê encherem os blogs dos respectivos países com esses comentários idiotas,… Read more »

Oganza
Visitante
Member
Oganza

tsche tsche tsche

O complexo é de Faraó, isso sim.

Eu Falei Faraó
êeeee Faraó
Eu Clamo Olodum Pelourinho
êeeee Faraó
É Pirâmide Da Paz e Do Egito
êeeee Faraó
É Eu Clamo Olodum Pelourinho
êeeee Faraó

tadinhos…. kkkkkkkkkkk

Observador
Visitante
Member
Observador

Senhores, Não se animem. Como várias obras no Brasil, esta vem andando bem porque ainda é apenas a parte estrutural, onde vai muito cimento e muito vergalhão, coincidemente (ou não) dois dos mais fortes setores industriais brasileiros. Terminada esta fase, geralmente a obra pública para. Aí começam os problemas para a compra de equipamentos, com tramoias nas licitações e falta de verbas. Basta ver os vários esqueletos de hospitais e escolas espalhados pelo nosso Brasil Varonil para comprovar o que falo. E tudo isto para obter quatro Scorpenes que são, na opinião de muitos, piores do que os nossos submarinos… Read more »

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

ntana Denis 6 de dezembro de 2013 at 16:15 # Marcelo e rafael bastos, eu concordo plenamente com vocês e o termo “SÍNDROME DE VIRA LATA” caiu como uma luva. Ninguém aqui é idiota ou inocente para não saber dos problemas que existem aqui no Brasil. Parece que tu faz parte do clâ dos idiotas, pois não sabe, não conhece e provavelmenten nunca a vai saber, realmente do que está falando. Vejo um post e já sei os comentários antes de abrir. Claro pagamos impostos, somos corruptos, investimos mau, o governo é X o governo é Y, algo mais a… Read more »

Santana Denis
Visitante
Santana Denis

juarezmartinez 6 de dezembro de 2013 at 18:57 # Olha em respeito aos ADM’s e ha alguns membros, não descerei ao seu nível para responder de forma que baixe um pouco seu EGO de “SEMI DEUS”, tão pouco entrarei em questões pessoais sobre quem sou ou o que faço em função de provocações de pessoa desrespeitosa e muito provavelmente sem honra, contudo é importante colocar que não sou filiado, nem mesmo apreciador de políticas e ideologias de nenhum dos partidos políticos atualmente ativos no país. Dito isso e voltando ao meu comentário anterior. Esta colocado de forma CLARA, estou falando… Read more »

Oganza
Visitante
Member
Oganza

Tá cada vez mais hilário… Juro a todos que oro TODOS os dias para quebrar a cara, mas passa dia, semana, anos e já chegou a décadas e a coisa toda me diz que não sou eu quem vai quebrar a cara. E assim tem sido desde o AMX, mas isso é outra história. Meus caros Reis de Seguetolândia, o verdadeiro complexo ou sídrome de VIRA LATA é quem aceita ou não se liberta de conceitos do tipo: – Investimos mal mas estamos investindo; – Andamos de vagar mas andamos (Uai o Rubinho tambem andava não? Mas ele não deveria… Read more »

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

antana Denis 6 de dezembro de 2013 at 23:32 # juarezmartinez 6 de dezembro de 2013 at 18:57 # Olha em respeito aos ADM’s e ha alguns membros, não descerei ao seu nível para responder de forma que baixe um pouco seu EGO de “SEMI DEUS”, tão pouco entrarei em questões pessoais sobre quem sou ou o que faço em função de provocações de pessoa desrespeitosa e muito provavelmente sem honra, contudo é importante colocar que não sou filiado, nem mesmo apreciador de políticas e ideologias de nenhum dos partidos políticos atualmente ativos no país. Dito isso e voltando ao… Read more »

Marcelo
Visitante
Marcelo

meu Deus…que tristeza. Como é fácil criticar quem trabalha…

Control
Visitante
Member
Control

Srs O inferno está nos detalhes. 1. O contrato com os franceses só contempla 4 subs diesel elétricos, um casco para o subnuc e o estaleiro; 2. O reator e os sistemas de energia e propulsão, itens básicos do subnuc e que, de fato, representam tecnologia essencial, precisarão ser desenvolvidos por cientistas e engenheiros brasileiros, pois nestes itens não haverá transferência de tecnologia (a França não pode passar tal tecnologia para o Brasil); 3. As verbas para o desenvolvimento local do reator e da propulsão dependem das batalhas orçamentárias tradicionais, como já vinha acontecendo desde os anos 80; 4. Como… Read more »

MO
Membro
Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

É como eu digo:

Quem sabe faz a hora, e não espera acontecer!!!
Pesquisa e desenvolve a própria tecnologia, não vai atrás de panacéias de ToT.

Baschera
Visitante
Member
Baschera

O que eu quero saber é o seguinte: -Quando a verba acabar… este estaleiro esta consumindo até a verba do papel higiênico…. a empreiteira que costuma aquinhoar muitas verbas para campanha politica, vai ajudar a Marinha e continuar as obras e a construção dos submarinos ?? -O tal SubNuc vai poder utilizar somente esta base ?? -De onde virão as verbas para sustentar um submarino nuclear e sua manutenção e mais para recuperar tudo o que foi deixado de lado nos últimos dois anos ?? Tomara que não acabemos com uma panela de pressão subaquática desdentada papadora de verbas que… Read more »

bitt
Visitante

Control, parabéns pelas excelentes observações. Posso discordar de um ponto ou outro, mas estão no geral perfeitamente formuladas. O projeto do reator destinado ao grupo propulsor do SNBR vem sendo desenvolvido nos último 20 anos, em diversas plantas de pesquisa. E por custos bastante baixos. Qto aos Scorpenes, são vasos de guerra de excelente desempenho. Tenho levantado algumas informações sobre o tema, e parece que todas as classes de submarinos atualmente em serviço apresentam problemas – os chilenos, que adquiriram os Scorpenes, dizem q os navios são mto bons, mas de manutenção complexa. Já os IKL adquiridos pelos sul-coreanos apresentam… Read more »

MO
Membro
Observador
Visitante
Member
Observador

bitt7 de dezembro de 2013 at 23:16 # Realmente, você tem toda a razão. Iríamos reclamar de qualquer jeito, fossem submarinos, alemães, russos ou marcianos. Afinal, foram adquiridos pelo Governo Lula. E isto porque foi debaixo das barbas dele que estes programas de aquisição de armamento aconteceram. E estas compras fedem. O que aconteceu é o seguinte: a choldra que nos governa percebeu que as compras de armamento são bilionárias e não estão sujeitas aquelas regrinhas chatas da Lei de Licitações. Por isto o repentino interesse em transformar o Brasil em potência militar. Pior que acreditar nas boas intenções desta… Read more »

pco-andrade
Visitante
pco-andrade

Não tenho muita certeza de que os chilenos fizeram algo tão assim maravilhoso. Foram boas compras sim, de oportunidade, como se diz, mas com duas ou três ações poderíamos mudar bastante o perfil de nossa marinha. Eles possuem dois ou três tipos de SAMs, outros dois tipos de SSMs (Harpoon e Exocet). Isso definitivamente não é bom. Navios de modelos diferentes em tão pouco número também não devem fazer bem ao parque de manutenção. Então algumas considerações devem ser ponderadas. Oito navios de apenas três duferentes classes é pouca coisa pra muita coisa. Se fosse por aqui, seria motivo pra… Read more »

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

co-andrade 8 de dezembro de 2013 at 14:34 # Não tenho muita certeza de que os chilenos fizeram algo tão assim maravilhoso. Foram boas compras sim, de oportunidade, como se diz, mas com duas ou três ações poderíamos mudar bastante o perfil de nossa marinha. Caro Andrade! No meu modesto entender, eles foram pragmáticos e objetivos, mirando no tamamho de seu bolso e na capacidade de mantenimento. Chegaram a iniciar um processo de compra de escoltas novos, mas quando se depararam com os custos revisaram seu pensamento. Eles possuem dois ou três tipos de SAMs, outros dois tipos de SSMs… Read more »

Almeida
Visitante
Member
Almeida

Só pode reduzir à briga política críticas bem fundadas quem realmente é da turma do “rouba mas faz”. Caros, “fazer” implica em fazer “direito”. Se roubou, tá errado. Se superfaturou, tá errado. Se priorizou mal, tá errado. Nossos impostos, por mais altos que sejam, ainda são recursos finitos e escassos. Gastar bem é essencial, especialmente quando falamos em defesa. Um NAe que está há 12 anos no dique e nada é pior que nada, pois torra o dinheiro necessário para outras áreas. Vira lata, então, é quem defende essa corja que faz tudo de qualquer jeito, se der certo vende… Read more »

Almeida
Visitante
Member
Almeida

Faz o seguinte, ó: deixem seu cartão de crédito comigo que eu faço as compras de mês da sua casa por vocês!

Vai ter refrigerante, biscoitos, arroz e feijão, tudo que vocês precisam pra comer, mas tudo de marca ruim e eu fico com 40% a mais do valor das compras, tá?

pco-andrade
Visitante
pco-andrade

Caro Juarezmartinez, obrigado pelas considerações, ponto a ponto. Forte abraço.

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

Só pegando o gancho dos comentários, além da substituição do canhão de 114 mm pelo Super Rapid (ou pelo 57 mm) a nova Barroso poderia substituir o canhão singular Trinity pelo duplo Dardo, mantendo a mesma munição das outras escoltas, mas com um incremento considerável de poder de fogo. O poder de fogo do Dardo é maior que o de um canhão de 57 mm e é capaz de prover um sistema antimíssil bem consistente, claro, na dependência do sistema de combate do navio. Uma Barroso modificada poderia ficar assim: Um canhão Super Rapid à vante Um canhão Dardo de… Read more »

MO
Membro
bitt
Visitante

pcoandrade e martinez, parabéns. Reforço: parabéns aos dois! Vcs conseguiram entabular um debate técnico levantando os aspestos políticos específicos (ou seja, que dizem respeito objetivamente à MB) e gerais (que dizem respeito ao GF e ao estado brasileiro). E o jbosco, pelo que noto desde sempre, gde especialista, acrescentou uma questão técnica que fala diretamente ao interessado em aspectos tecnologicos. Enfim, umas quatro páginas (como sempre faço, andrade, cortei todos os textos e colei no editor, para poder ler com mais atenção) de alto interesse. Para não me estender demais, vou tocar em apenas alguns tópicos que me pareceram mto… Read more »

daltonl
Membro
Member
daltonl

Só uma pequena correção: foram 7 e não 4 os Guppys recebidos no inicio dos anos 70 e durante um curto periodo de tempo +/- 1 ano chegamos a ter 10 submarinos, com os 3 Oberons incorporados entre 1973 e 1977 até a baixa dos 2 primeiros Guppys em 1978. Também é mais correto referir-se aos IKLs como Tupis e não Tamoios já que o Tamoio foi o segundo da classe. Como o próprio Almirante Maximiniano definiu, nossas “corvetas” são de fato fragatas leves para operar no mar e essa idéia de transferir navios da Esquadra para uma Guarda Costeira… Read more »

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

Como a eficiência de sistemas antimísseis que usam o conceito “control kill” é diretamente proporcional a quantidade de fragmentos por unidade de tempo, os canhões que adotam projéteis de fragmentação e explosão aérea podem ser assim classificados: Super Rapid de 76 mm: o projétil pesa cerca de 6,2 kg e o canhão tem uma cadência de 120 t/min, o que equivale a cerca de 24 quilos em 2 segundos. O Bofors 57 mm calça um projétil de 2,3 kg e tem uma cadência de 220 t/min, o que representa uns 16 kg em 2 segundos. O Trinity tem um projétil… Read more »

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

O Super Rapid é claramente um divisor de águas no mundo dos canhões navais. Se aumentarmos o calibre para além de 76 mm há um aumento da massa do projétil mas na mesma proporção há uma redução da cadência de tiro. Por exemplo, o melhor dos canhões navais de grosso calibre (de 100 mm pra cima) para a função antiaérea e que alega ser eficaz na função antimíssil é a versão mais atualizada do 100 mm francês, que dispara um projétil de 13,5 kg numa cadência de 80 t/min. Na prática fica bem além do Super Rapid. O Mk-8 de… Read more »

Control
Visitante
Member
Control

Srs É necessário separar alhos de bugalhos. Uma coisa é a necessidade do país dispor de subnucs e a outra é um contrato onde o país compra um casco vazio (já dispondo da tecnologia para construir os ditos cascos), um estaleiro e 4 subs diesel elétricos. Uma coisa é buscar um investimento necessário, senão essencial, caso do desenvolvimento do reator e dos sistemas de energia e propulsão e outra é garantir o dinheiro para a construção de um estaleiro, um casco vazio e 4 subs não prioritários. Uma coisa é prestar homenagem aos cientistas, engenheiros e técnicos que, sob a… Read more »

Control
Visitante
Member
Control

Srs As questões e discussões do subnuc, das escoltas de 6000 ton, dos NAes, da Segunda Esquadra, etc; no fundo, refletem a questão básica, sem a qual não existe planejamento e nem horizonte claro: Para que e porque o Brasil deseja ou precisa de FA´s e, especificamente, da MB? Se, numa visão geopolítica, nossos líderes políticos e militares entendem que o Brasil não tem, nem terá inimigos e não sofrerá nenhum ataque, conforme defendem muitos, as FA´s, MB inclusa, são uma despesa inútil e deveriam ser extintas; Por outro lado, se existe a possibilidade de nosso país ser atacado, nos… Read more »