DCNS realiza verificação da catapulta de vante do porta-aviões ‘São Paulo’

    784
    134

    Passeio CCM Nikon 372a

    Les-quipes-de-DCNS-sur-le-Sao-Paulo1-300x195
    Equipes da DCNS a bordo do porta-aviões São Paulo para verificar a catapulta de vante do navio

    A pedido da Marinha do Brasil, a DCNS realizou a verificação na catapulta de vante do porta-aviões São Paulo. A catapulta a vapor, que já realizou mais de 5.000 lançamentos, é um elemento chave para a capacidade do porta-aviões. O objetivo desta intervenção foi a realização de diagnósticos e estudos para a Marinha do Brasil restaurar o potencial da catapulta.

    Os trabalhos foram realizados em novembro, nas instalações da Marinha no Rio de Janeiro. Após a intervenção da equipe, a catapulta foi disparada a seco duas vezes, demonstrando o desempenho esperado. As autoridades brasileiras manifestaram a sua satisfação.

    No porta-aviões, a catapulta é utilizada para lançar aeronaves. Ela lança os aviões a altas velocidades em uma distância muito curta.

    De Foch a São Paulo
    Irmão do Clemenceau, o porta-aviões Foch começou a ser construído em Saint- Nazaire, em 1957, e foi lançado ao mar três anos depois. Foi rebocado para o arsenal de Brest para conclusão. Ele entrou em serviço ativo em 1963 e deixou a Marinha Francesa em 2000, quando o porta-aviões com propulsão nuclear Charles de Gaulle entrou em serviço.

    Depois de um longo período de manutenção e atualização, o Foch foi transferido para a Marinha do Brasil. Em 15 de novembro de 2000, tornou-se oficialmente o porta-aviões brasileiro São Paulo.

    Com um comprimento de 265 metros e um deslocamento de cerca de 33 mil toneladas quando totalmente carregado, o São Paulo é capaz de levar a bordo 18 Skyhawks. No São Paulo, duas catapultas a vapor lançam aeronaves de 0-270 km / h em 2 segundos.

    DIVULGAÇÃO: www.dcnsgroup.com / Tradução e adaptação do Poder Naval

    Subscribe
    Notify of
    guest
    134 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    Ozawa
    Ozawa
    6 anos atrás

    É notícia, e é notícia naval. Então o PN tem que publicar/reproduzir por interesse jornalístico.

    Mas que é deprimente falar nisso é… Tentar dar sentido há algo sem sentido, não faz sentido…

    Ozawa
    Ozawa
    6 anos atrás

    p.s.: “Tentar dar sentido (a) algo sem sentido, não faz sentido…” Afundar na gramática faz menos sentido ainda…

    Alexandre Galante 26 de dezembro de 2013 at 18:14 #

    Galante… Esse é o problema “é pago com nossos impostos.”…

    Ainda que se recupere, não fará sentido…

    Mas, valeu pela notícia.

    Abs!

    wilsonc4
    wilsonc4
    6 anos atrás

    Ozawa,

    Já estive no NAe São Paulo, e garanto que o valor pago, mesmo com todos os reparos, foi correto porque o treinamento que conseguimos e conseguiremos vale muito mais do que ja gastamos.

    O Galante que me corrija, mas acho que mesmo em reparo o pessoal continuou treinando nele nesse tempo. Só não foi a mar.

    Acho que agora conseguiremos deslanchar todo!

    Wilson

    Oganza
    Oganza
    6 anos atrás

    “A catapulta a vapor, que já realizou mais de 5.000 lançamentos…”

    Lá na França… rsrsrs podemos dizer praticamente que foram 4.900 lançamentos como Foch e 100 lançamento como NA São Paulo.

    Acho que fui generoso.

    NA São Paulo para recife artificial – com direito a tiro de Exocet, só para dar uma adestrada em nossas tripulações.

    Sds.

    Oganza
    Oganza
    6 anos atrás

    Galante, meu Avô manteve um Impala 64 V8 conversível por 17 ANOS na garagem que só saia no fim de semana do aniversário dele para levar os netos a sorveteria que ficava a 4 quarteirões. Era um capricho válido de uma pessoa aposentada, octogenária e que não tinha mais obrigações com a vida, sendo uma dessas obrigações, manter o brilho impecável de sua pintura. Acho que não é caso de nenhuma marinha no mundo, ainda mais a MB, que tem pretensões de NADAR por oceanos inteiros mas NÃO FAZ NADA para APRENDER a nadar. DEPRIMENTE. Ps.: o do vovô era… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Galante,
    Mas ninguém esculacha o São Paulo por ele ser velho e feio e sim por não servir ao fim que se destina.
    O monitor Parnaíba é muito mais velho e ninguém esculacha.
    A gente fica com dó de nossas instituições mas de modo geral elas não estão nem aí para os brasileiros e não tem a mínima dó de ninguém.
    Pau que dá em Chico dá em Francisco.

    Oganza
    Oganza
    6 anos atrás

    Oh Galante, conheço o Dédalo, ele estva em um livrinho dos anos 90 – guias de Armas de Guerra, o volume era o Forças Aeronavais se não estou enganado. E se não estou enganado tambem, ele foi um navio de transporte de aeronaves americano da 2ª Guerra que foi transferido para a Espanha como porta helicópiteros ASW e que passou a operar os AV-8S Matador na metade dos anos 70. Ok Galante, mas o caso do Dédalo só se assemelha com o nosso São Paulo no fato de ambos serem embarcações antigas e de segunda mão, no resto, o caso… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Todo ano tenho que tirar o maldito alvará da vigilância sanitária já que tendo cumprir as leis e esse alvará é obrigatório no meu tipo de serviço. Todo ano acontece o mesmo. Vou até um maldito corredor do órgão, onde tem um banquinho fajuto, bato na porta, abro a porta, ponha a cara dentro da maldita sala, onde tem um bando de bossais conversando (provavelmente falando de algum direito que foi publicado no DOU), cacarejando e não raro, comendo, e todos me olham como se eu fosse o ET de Varginha, a se perguntarem “o que esse idiota tá fazendo… Read more »

    ernaniborges
    ernaniborges
    6 anos atrás

    Quando a MB conseguir recompor com o PROSUPER os escoltas do São Paulo, acho que no cenário da América do Sul, apenas o Chile e talvez a Venezuela, teriam condições de contrapor meios ante o nosso NAe.
    Opinião de um leigo.

    ernaniborges
    ernaniborges
    6 anos atrás

    ah, quase ia me esquecendo: Primeiro ele precisa estar 100% operacional.

    Marcelo Andrade
    Marcelo Andrade
    6 anos atrás

    É isso aí, Galante!!! Não é culpa da Marinha se o seu orçamento é contingenciado todos os anos e pior, só falam dos royalties para educação e nem um centavo para a Marinha que tem que defender isso tudo ai!!!

    Não acredito que a MB queira ver sua nau capitânea parada no porto o ano inteiro.

    Tinha que haver uma lei igual a do Cobre , no Chile, e destinar parte para o reequipamento das FFAA.

    No mais, FELIZ 2014 SÃO PAULO “non ducor, duco” – Não sou conduzido, conduzo.

    Oganza
    Oganza
    6 anos atrás

    Putz Bosco… que barra… Galante, o que me deixa fulo da vida (e eu não sou o único) é o modelo e o tom do discurso que é no mínimo muito pouco profissional. E me desculpe, mas até uma pessoa que não se interessa pelo assunto Defesa, ao ver o nosso glorioso Almirante Moura Neto falando percebe que o homem não sabe falar, não em público… não consegue completar uma sentença de maneira crível. E isso aconteceu de verdade, foi quando resolvi mostrar alguns vídeos dele para outras pessoas e em 90% dos casos, a percepção foi ESPONTANEAMENTE a MESMA.… Read more »

    juarezmartinez
    juarezmartinez
    6 anos atrás

    Senhores façamos um remember comparativo; A India comprou aquela tranqueira Russa o “Vidamardita”,botou mais dois bilhões de dólares naquela merd… ambulante fedorenta e o troço ainda não está operacional, e isto foram cinco ou seis anos, algúem me corrija as datas se estiver muito errado, por favor. Nós compramos este lixo flutuante chamado SP em 2001, os A 4 em 1998. Hoje estamos beirando 2014, portanto 15 anos da compra dos A 4 e mais uns 12 do SP e atéo presente momento ZERO de opração real, só vagambudex, Faz de contex, Santex, Diariex e demais operacões do mesmo naipe… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Juarez,
    É a doutrina de como deter o avanço da ferrugem.

    Galante,
    Por favor, delete meu comentário das 19:56.
    Me excedi no exemplo e ficou o cúmulo do off topic. rsrss
    Desde já agradeço!

    juarezmartinez
    juarezmartinez
    6 anos atrás

    É vero Bosco, é vero….Jesus tá vendo tudo…..

    Grande abraço

    fragatamendes
    fragatamendes
    6 anos atrás

    Prezado Galante, me lembro bem e olha que eu era bem menino, que quando a MB comprou o saudoso “MINGÃO”, existia na época também a turma da porrada que vivia metendo o pau dizendo que ele iria ficar amarrado ao cais do AMRJ até dar baixa, chegaram até chama-lo de “BELO ANTONIO”, pois era bonito mas não servia para nada.Pode estar certo que o SP ainda vai prestar bons serviços a nossa MB e deixar os “ABURES DE PLANTÃO” se roendo de raiva.Um abração do MENDES.

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Prestar bons serviços significa manter a doutrina? Só se for, porque ser uma nau de projeção de poder e defesa de frota , que é o que faz um NAe ter sentido, sinto muito mas não acredito que ocorra. Acreditava em 2001 mas até a minha paciência de Jô se esgotou e tenho sérias dúvidas que um dia ele fique plenamente operacional. Para que ele cumpra com sua função primária terá que ter pelo menos uns 3 escoltas de grande autonomia/deslocamento, de preferência com capacidade de defesa de área, terá que ter um eficaz sistema de autodefesa, tanto hard quanto… Read more »

    Oganza
    Oganza
    6 anos atrás

    “navio escola de 35 mil toneladas.”

    caro isso hein?

    Melhor recife artificial com direito a tiro de exocet, aquele com “motor brasileiro”… fica bem na foto.

    Sds.

    julio cezar barreto leite
    julio cezar barreto leite
    6 anos atrás

    Os NAe Estadunidenses atendem perfeitamente ao desejo de alguns. Na América do Sul e central somos o único país que dispõe de um navio com estas características. Nossos Navios-Aeródromos (este é o segundo) cumpriram e cumprem a missão designada para eles. Temos experiência de operação aeronaval consolidada de tal forma que a China veio ao Brasil aprender a operar um NAe. Essa experiência é mantida e aprimorada mesmo com as críticas impostas pelo estado da arte e a modernidade. Não somos os EUA nem temos verbas suficientes para manter um Grupo de Batalha como o descrito acima por alguém, mas… Read more »

    julio cezar barreto leite
    julio cezar barreto leite
    6 anos atrás

    By the Way…..
    Tem muita gente preocupada com a capacidade conquistada pelo Brasil com a remotorização dos EXOCET.
    Os críticos que se policiem, pois estão beneficiando os que não querem que essa conquista aconteça.

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    “Não somos os EUA nem temos verbas suficientes para manter um Grupo de Batalha como o descrito acima por alguém, mas não podemos é desistir de manter nosso conhecimento operacional e operativo” Manter nosso conhecimento operacional e operativo pra quê se não temos verbas para exercer este conhecimento de forma prática? A qual fim se destina este conhecimento? Serve apenas e tão somente para polir o ego de almirantes? Você disse tudo o que eu precisava ouvir (ou se preferir, ler) de alguém que defende a existência do São Paulo. Como eu sou civil, acho que o “São Paulo” é… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    O Minas Gerais era para criar a doutrina de operações aeronavais em porta-aviões. O São Paulo é para manter a doutrina em operações aeronavais em porta-aviões. Se brincar vai passar mais 10 anos mantendo a doutrina em operações aeronavais em porta-aviões. Provavelmente vamos comprar mais uma velharia dentro de uns 15 anos para manter a doutrina de operações navais em porta-aviões. E aí? Não para nunca? Quando vamos colocar em prática o conhecimento adquirido após 50 anos e colocar ao mar um ou dois grupos de batalha nucleados em porta-aviões completamente operacionais? Ou isto não está nos planos porque não… Read more »

    Oganza
    Oganza
    6 anos atrás

    julio cezar barreto leite,

    infelizmente, “o melhor doutrinador é o doutrinado”.

    Sds meu caro.

    juarezmartinez
    juarezmartinez
    6 anos atrás

    Os NAe Estadunidenses atendem perfeitamente ao desejo de alguns. Na América do Sul e central somos o único país que dispõe de um navio com estas características. discordo, a caratristica do nosso é ímpar, ou seja, enquanto lá se opera, se mantem e se moderniza, aqui não se operar e se prepara uma ala aére a da decada de 50. Nossos Navios-Aeródromos (este é o segundo) cumpriram e cumprem a missão designada para eles. Pois muito bem, qual é a missão??? Temos experiência de operação aeronaval consolidada de tal forma que a China veio ao Brasil aprender a operar um… Read more »

    Control
    Control
    6 anos atrás

    Srs Abandonando a paixão, a questão que precisa ser respondida é se precisamos de NAe. Se numa avaliação geopolítica entendermos que o Brasil precisa de uma marinha com capacidade de operar longe da costa brasileira defendendo os direitos do país em outros oceanos ou mesmo na costa da África, NAes são necessários. Se NAes são necessários, a questão seguinte é se o SP está em condições de voltar a operar adequadamente, hoje, ou em pouco tempo, com um bom trabalho de manutenção. Se isto é possível, já atendida a disponibilidade financeira para tanto, a questão seguinte é se e quando… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    O problema é que se o cidadão tiver opinião própria e não repetir a escrita é considerado abutre e é como se torcesse contra sendo visto até como traidor da Pátria. Pra ser patriota tem que achar que tá tudo certo e repetir chavões militares. O porta-aviões chinês sequer opera com catapultas e eu devo acreditar que eles aprenderam com a MB? Ora! Que eles vieram aqui eu sei. Que eles aprenderam algo conosco, não duvido. Agora, que eles aprenderam tudo com a MB no pouco tempo que ficaram eu duvido sim. E se os chineses aprenderam tudo com a… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Não temos verbas e nem há previsão de tê-la nos próximos 50 anos (depois disso nem porta-aviões deve existir mais) para termos um grupo de batalha plenamente operacional, então fazemos o que podemos e o que podemos é mandar o São Paulo armado com metralhadoras ponta 50 e um reparo de Mistral com meia dúzia de A-4 modernizados, sem escoltas, para o combate.
    Ah! Tá bom então! E eu é que sou “abutre” e ofensivo?

    aldoghisolfi
    aldoghisolfi
    6 anos atrás

    O problema não é a idade do São Paulo; fui milico e servi com as saudosas e velhinas ‘pererecas’ lá da minha querida Bagé. Elas nunca envergonharam ninguém, seus motores explodiam, giravam, esfumaceavam e lá estavam elas prontas para o serviço, inverno e verão.

    Que o São Paulo está pago e é nosso não me serve de consolo; me corrijam, mas não me lembro do saudoso Minas Gerais pagar tanto vexame como o São Paulo.

    Desculpem os ufanistas, problema é que, SMJ, na realidade, o nosso NAe não serve p’rá nada, salvo treinar os homens da manutenção.

    Blind Man's Bluff
    Blind Man's Bluff
    6 anos atrás

    Esse navio é o grande buraco negro da MB.

    Sem ele, a MB poderia montar uma marinha de guerra menor, porém de longe muito mais capaz estrategicamente.

    Do que vale, estrategicamente, manter um porta-aviões que não sai da oficina e seus pequenos caças completamente obsoletos, modernizados…

    daltonl
    daltonl
    6 anos atrás

    Boscão ! Os NAes da US Navy são construídos tendo em mente 50 anos de vida, então como o USS Ronald Reagan e o USS George Bush foram comissionados em 2003 e 2009 respectivamente, deverão dar baixa em 2053 e 2059 sem mencionar o futuro USS Gerald Ford cujo comissionamento planeja-se para 2016 + 50 anos = 2066 ! E outros 2 já estão acertados quanto à construção então durarão até 2070 e além. Com os chineses anunciando que irão construir mais NAes a serem lançados ao mar até 2020´para comissionamento ao longo da década estes então deverão durar até… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Também não creio que o conceito do NAe vá acabar, pelo menos não neste século, mas duvido muito que ele será igual ao que vemos hoje. Com a introdução dos UCAVs e do uso em larga escala de tecnologias que melhor aproveitem a energia gerada numa aeronave para o pouso e decolagem não vejo futuro para catapultas e cabos de frenagem. Aeronaves não tripuladas serão naturalmente bem mais compatíveis com recursos como o VTOL ou o SSTOL e a mim parece uma evolução lógica. Será que os caças não tripulados de 6ªG usarão catapultas e cabos? E os de 7ªG,… Read more »

    fragatamendes
    fragatamendes
    6 anos atrás

    Caros amigos, apesar do FRAGATAMENDES, que é o meu e-mail, sou um CIVIL, que desde muito novo apreendi a admirar as nossas FORÇAS ARMADAS, em especial a nossa querida e gloriosa MARINHA, fato que me levou a ser um estudioso da sua HISTÓRIA e me tornar um colecionador de fotografias dos seus meios, com um acervo de mais de 20.000 fotos e gostaria de dizer que vou continuar a bater na mesma tecla, o pessoal que só sabe meter o pau no que a MB faz só beneficia aqueles que estão na FORÇA que só pensam no dinheiro, aqueles que… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Eu até aplaudiria se nós tivéssemos feito como os indianos estão fazendo e gastado um bilhão de dólares para modernizar o São Paulo, mais uns dois bilhões para montar a ala aérea, mais uns quatro bilhões para os escoltas, e mais uns 200 milhões por ano para a manutenção. Dinheiro não falta neste país, haja vista os tributos arrecadados, que se fossem bem geridos faria nosso país ser grande, gerando emprego e com ele, dignidade e inserção social, que é um dever do Estado para com seus cidadãos. Mas o que vemos é um Estado doente, que longe de ajudar,… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Visivelmente na década de 50 os americanos se sentiram incomodados com o uso de catapultas e cabos em seus porta-aviões, e houve uma corrida aos projetos VTOL que devido à tecnologia da época não lograram êxito. Hoje sem dúvida há tecnologia para viabilizar aeronaves de grande porte/alto rendimento VTOL ou pelo menos SSTOL, mas o imobilismo decorrente da carestia dos tempos atuais, aliado ao conceito conservador de usar o que já é testado e aprovado e ao lobby agressivo da indústria aeronáutica impõe um desenvolvimento por demais lento. Na década de 50 e 60 havia um espírito muito mais empreendedor… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Pode-se até dizer que os “caças” VSTOL atuais têm performance muito inferior aos seus congêneres CTOL, mas se combinados com o conceito “não tripulado” não duvido que eles, mesmo sem nenhuma evolução, consigam se equiparar ou até mesmo superar os convencionais.
    comment image

    juarezmartinez
    juarezmartinez
    6 anos atrás

    Caros amigos, apesar do FRAGATAMENDES, que é o meu e-mail, sou um CIVIL, que desde muito novo apreendi a admirar as nossas FORÇAS ARMADAS, em especial a nossa querida e gloriosa MARINHA, fato que me levou a ser um estudioso da sua HISTÓRIA e me tornar um colecionador de fotografias dos seus meios, com um acervo de mais de 20.000 fotos e gostaria de dizer que vou continuar a bater na mesma tecla, o pessoal que só sabe meter o pau no que a MB faz só beneficia aqueles que estão na FORÇA que só pensam no dinheiro, aqueles que… Read more »

    daltonl
    daltonl
    6 anos atrás

    “Visivelmente na década de 50 os americanos se sentiram incomodados com o uso de catapultas e cabos em seus porta-aviões, e houve uma corrida aos projetos VTOL que devido à tecnologia da época não lograram êxito.” Estranho Bosco. Os bombardeiros pesados que a US Navy possuia então, exigiam catapultas e bons aparelhos de frenagem e os Forrestals e sucessores foram construidos nos anos 50 estabelecendo o padrão de 4 catapultas. Não seriam os britânicos que você quis dizer ? Afinal eles não tinham grandes NAes nem bombardeiros capazes de transportar as grandes bombas atômicas de então. Os americanos estão hoje… Read more »

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Daltão, O “incômodo visível” é de minha percepção, e era a nível intelectual e claro, essa “sensação” nunca foi suficiente para mudar na prática absolutamente nada no seio da USN, mesmo porque, desde o final da SGM os EUA nunca deixaram de estar envolvidos em algum conflito (frio ou quente) onde os porta-aviões sempre foram essenciais e jamais se imaginou que pudesse haver um gap até a chegada de hipotéticos aviões VSTOL de alta performance. Se eles tivessem esperado estariam até hoje sem porta-aviões. Mas se algum dos inúmeros projetos de aeronave VSTOL/VTOL, inclusive supersônica, tivesse vingado na década de… Read more »

    diogetsutsumi
    diogetsutsumi
    6 anos atrás

    Me lembro que um caso que representa bem o caso no NAE SP, não sei se os amigos sabem mas sou publicitário, em uma ocasião, tive um cliente (na verdade um amigo) que seu Pai acabara de perder tudo, foi a falência, e ele tinha recebido a notícia de que sua mulher estava grávida, eram recém-casados, ele desempregado, e ela não trabalhava. Um tio resolveu ajudar, e deu tudo o que tinha na poupança para que ele tivesse condições de abrir ou montar alguma coisa, pois bem esse meu amigo comprou uma kombi velha, caindo aos pedaços, confesso que no… Read more »

    fragatamendes
    fragatamendes
    6 anos atrás

    Prezado DALTONI, o DVD já chegou?

    Blind Man's Bluff
    Blind Man's Bluff
    6 anos atrás

    Prezado Diego, meu sensei uma vez me ensinou que: “cair 7 vezes e levantar 8, não!” Isso é bom e vai bem pra filme americano, com aquele teminha padrão hollywood, da segunda chance, muito bonito, muito legal, porém ser superado no caminho, 7 vezes, sempre lutando e nunca vencendo…tem que ser muito fracassado! Ou faça para ganhar ou não faça! Ou invista para ter uma aviação naval que se preze, ou não desperdice meu dinheiro. É muito legal tenta fazer limonada com o que tem, se não fosse pelo simples fato que o dinheiro não é vem Sr. Almirante Moura… Read more »

    aldoghisolfi
    aldoghisolfi
    6 anos atrás

    Honestamente, ou não somos lido por nenhuma autoridade ou nenhuma autoridade se interessa pelo que lê, porque as verdades sempre vêm à tona neste espaço e, diga-se de passagem, metemos pau nas incompetências e suspeitas.

    COMO NÃO ACONTECEU NENHUMA AUDITORIA PARA COMPROVAR ‘AS COISAS’ ATÉ AGORA? Por exemplo, a situação na MB com o São Paulo e mais R$ 200.000.000,oo por ano para manutenção? MAS QUE MANUTENÇÃO É ESSA?

    A TIPIFICAÇÃO DO CRIME DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA EXISTE E CHEGA ATÉ QUALQUER UM QUE MALVERSE VERBAS PÚBLICAS.

    CADÊ O MPF? TCU?

    Marcos
    Marcos
    6 anos atrás

    NAe São Paulo, um único NAe de cabotagem do planeta Terra.

    diogetsutsumi
    diogetsutsumi
    6 anos atrás

    Blind Man’s Bluff, É muito fácil se dizer “superior” quando se tem tudo, respeito sua opinião mais discordo, e até entendo quando todo aqui tiram sarro, pois nosso país NUNCA, sentiu na pele o sofrimento de uma pós-guerra, nem nunca precisou se reinventar como o japão da segunda guerra, ou a alemanha, que foram países completamentes destruídos e se refizeram até melhores do que eram antes, a necessidade “faz” a hora, muda e te faz mais forte, você só descobre o quanto você é forte quando passa realmente por uma situação que te faz um verdadeiro vencedor, não importa se… Read more »

    diogetsutsumi
    diogetsutsumi
    6 anos atrás

    Quanto ao problema de alistamente obrigatório, e as aposentadorias, acho que o primeiro você tem toda razão, teria que ser mudada a constituição, assim como um monte de coisas que não servem mais para a nação, tem muita coisa ultrapassada, agora quando falamos de aposentadoria, acredite, em outros países sérios, acho que fazem muito mais pelos aposentados, não só das FAs como no geral, o problema aqui é a descrepância que existe em relação ao nosso sistema previdenciário normal, acho que é uma ferida muito mais profunda e nada tem haver com o assunto do NAE SP, acho que são… Read more »

    Blind Man's Bluff
    Blind Man's Bluff
    6 anos atrás

    Legal.

    Os A-4 modernizados do São Paulo não carregam nenhum tipo de míssil anti-navio, nem qualquer armamento guiado.

    Os AMX modernizados também não receberam a homologação para operar nossos Exocets block 1, obsoletos, porém nacionais.

    Os P-3 tampouco serão armados nem com mísseis nem com torpedos.

    Para os Super Puma também não existem planos de homologação dos Exocets, como feito pela marinha do Chile.

    Mas temos o São Paulo, para treinar os pilotos, para algum dia talvez….

    joseboscojr
    joseboscojr
    6 anos atrás

    Muito bem. Deram limões e o cara fez um NAe. Tamo bem na fita! Ganhamos a expertise em relação a operações aéreas em porta-aviões a que custo? O que deixamos de aprender pra dar preferência a doutrina de porta-aviões? Meu caro Diegetsutsumi, eu particularmente não faria crítica alguma quanto ao fato da MB ficar insistindo no SP se todo o resto estivesse funcionando como um relógio, e nem precisava ser um suíço, o problema é que ao meu ver não está. Aquela máxima de que tem que aumentar o bolo pra depois dividir não me convence. Eu acho mais sensato… Read more »

    Guizmo
    Guizmo
    6 anos atrás

    Ola amigos,
    Sempre fui apaixonado por porta-avioes, motivo que me estimulou a ler sobre assuntos militares desde a infancia.

    Entretanto, creio que para as missoes as quais a MB se destina, nao se faz necessario tal nave.

    O Brasil teria uma Marinha mais eficiente, em minha opiniao, se optasse por 2 forças de combate, compostas por Fragatas e Destróieres AAW/ASW. No futuro, podemos adquirir navios de conves continuo, estilo LHD, e até poderíamos pensar numa força aeronaval de ataque.

    Não dá pra ter Submarino Nuclear e Porta Avioes, SEM termos o basico, senao estamos construindo na verdade, ALVOS.

    Abs

    diogetsutsumi
    diogetsutsumi
    6 anos atrás

    joseboscojr Quanto custou o NAE SP para o Brasil? se você acha que parar o NAE SP, tira-lo de operação vai salvar a MB Brasileira, meus parabéns! tiro meu chapéu pra você e digo que você é um expert em economia! todos sabemos das necessidades da marinha, do que ela precisa, ninguém aqui é louco de pensar ao contrário, ninguém esta dizendo que o NAE SP é a melhor coisa do mundo ou a salvação da nação, o problema todo aqui é que vocês geram uma verdadeiro dramalhão, como se todo o problema da marinha fosse o coitado do NAE… Read more »