АПК "Александр Невский"

Na última semana de dezembro, a Marinha Russia recebeu de presente de Natal o cruzador submarino estratégico 955 da classe Borei, o Aleksandr Névski, com 16 mísseis estratégicos Bulava a bordo.

O cerimônia de lançamento do submarino aconteceu na fábrica da Sevmash, em Severodvinsk, com a presença do ministro da Defesa, Serguêi Choigu, do comandante-geral da Marinha Viktor Tchirkov, e do presidente da comissão estadual Igor Fiôdorov.

O presidente do país, Vladímir Pútin, foi informado da entrega do submarino ao sistema de combate da Marinha por Choigu em uma videoconferência estabelecida a partir do interior do Aleksandr Nevski. “Os testes do primeiro submarino atômico foram concluídos, confirmando todas as características de desempenho”, disse.

Pútin observou que a transferência do submarino Aleksandr Névski  para a Marinha Russa é um evento importante não só para as Forças Armadas, mas para país como um todo. “Iremos renovar por completo o componente naval das forças nucleares do país”, declarou.

Além dos oito submarinos atômicos versáteis do Projeto Iassen programados para 2020, o presidente lembrou que, em janeiro deste ano, a Marinha recebeu o submarino Iúri Dolgorúki, do projeto Borei. A construção dos segundo submarino da série, o Vladímir Monomákh, já está em fase de finalização. “No ano que vem ele também irá reforçar a força de combate”, concluiu Pútin.

Publicado originalmente pelo Nezavisimaia Gazeta

FONTE: Gazeta Russa

Tags: , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

5 Comentários para “Marinha russa lança segundo submarino da classe Borei”

  1. daltonl 6 de janeiro de 2014 at 13:43 #

    Os “Bulavas” ainda não estão a bordo, coisa que ocorrerá eventualmente quando mais testes forem realizados conforme já noticiado.

  2. Reinaldo Deprera 6 de janeiro de 2014 at 20:01 #

    Mais um “cone” russo. O que dá mais medo na tripulação de um submarino russo. Um destroyer ocidental ou o submarino em si?
    Gosto de subs, mas nesse aí eu não entraria.

  3. Ozawa 7 de janeiro de 2014 at 8:02 #

    “cruzador submarino estratégico…”

    E eu que já tinha me conformado com a miscelânia que fazem entre “fragatas e destroyers…”, com a definição eufemística dos japoneses como “destroyers de convés corrido…”, e agora esse “cruzador-submarino…”

  4. Wagner 7 de janeiro de 2014 at 9:50 #

    Os russos testaram exaustivamente essa classe de navios, são seguros.

    Eu entraria num deles com certeza ! Seria como ver o red ocotober !!

    Parabéns a Rússia, mais uma vez mostrando sua enorme capacidade técnica.

    Afinal, quantos países conseguem fazer um desses ??

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Navio-veleiro Cisne Branco aberto à visitação em Santos neste final de semana

Cisne Branco (2)

A Capitania dos Portos de São Paulo informou em nota à imprensa que o navio-veleiro Cisne Branco da Marinha do […]

Marinha peruana estuda três opções para renovar sua força de superfície

DE_LA_PENNE__5____a

  Não é só a Esquadra brasileira que necessita equacionar a renovação de sua força de superfície em um cenário […]

Cerimônia de incorporação do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ à Marinha do Brasil

Vital de Oliveira - 1

  Em uma cerimônia de batismo, mostra de armamento e transferência para o setor operativo, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico […]

Ministério da Defesa menos otimista com as chances do Prosuper em 2015

FREMM 523b

Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa e autor do livro “As Garras do Cisne” Passam os […]

Grã-Bretanha vai investir mais de R$ 1 bilhão na defesa das Ilhas Malvinas

Falkland_islands_250m

A Grã-Bretanha vai gastar £ 280 milhões (R$ 1,3 bilhão) nos próximos dez anos para reforçar a defesa das Ilhas […]