186878428

O estaleiro Sevmash divulgou comunicado oficial na última sexta-feira anunciando o início da reforma e manutenção do Admiral Nakhimov, um dos quatro cruzadores pesados de propulsão nuclear da Marinha russa. O processo está atrasado em anos.

Os trabalhos devem reforçar o poder de fogo do navio e revitalizar o antigo navio-capitânia da Marinha, que não passava por atualizações desde o fim da União Soviética. Antes chamado de Kalinin, o navio é um dos quatro cruzadores da classe Kirov, os maiores meios de superfície operando atualmente na Rússia. Atualmente, apenas o Pyotr Veliky se encontra operacional, mas o governo russo planeja colocar os demais de volta em serviço, começando pelo Admiral Nakhimov, em 2018.

No comunicado, o Sevmash informa ainda que o cronograma deste ano para a reforma do cruzador. Os equipamentos pesados estão sendo removidos a fim de reduzir o peso da embarcação para retirá-la da doca. O estaleiro declarou em outra ocasião que o cruzador seria equipado com mísseis anti-navio P-800 Oniks (SS-N-26), sistemas antiaéreos baseados no S-400 Triumf (SA-21 Growler), além de armamentos de curto alcance em caso de aproximação de mísseis e aeronaves.

A reforma do Admiral Nakhimov vem logo após o desafio de modernizar o navio-aeródromo Baku, da classe Kiev, comissionado à Índia como Vikramaditya. A nova empreitada, porém, é mais complexa, pois o navio indiano não era de propulsão nuclear e contava com menos sistemas de armas.

O Admiral Nakhimov, primeiro cruzador da classe Kirov, teve a quilha batida em 1982, foi comissionado em 1989, e e está aguardado a reforma nas instalações do estaleiro Sevmash desde 1999.

FONTE: RIA Novosti (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

Tags: , , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

13 Responses to “Estaleiro anuncia reforma do cruzador ‘Admiral Nakhimov’” Subscribe

  1. CVN76 28 de janeiro de 2014 at 14:20 #

    Na realidade o “Admiral Nakhimov” é o terceiro navio da classe e não o primeiro.

    O primeiro, “Admiral Ushakov” ex-Kirov e o segundo “Admiral Lazarev” ex-Frunze estão em péssimas condições…….duvido que voltem a ativa……

    Tanto que o nome “Admiral Ushakov” é usado por um destróier da classe Sovremenny……

  2. Marcos 28 de janeiro de 2014 at 15:36 #

    Bem que a gente poderia ter uns cinco contra torpedeiros nucleares “!” (modo irônico)

  3. Guilherme Poggio 29 de janeiro de 2014 at 3:27 #

    E eu fui consultar meus alfarrábios e a quilha do Kalinin (atual Nakhimov) foi batida em 1983 e não em 1982 como dito no texto do a RIA Novost. Alguém confirma?

    E como o Franz disse acima é muito difícil que os outros dois voltem a a operar. Mesmo porque durante anos eles forneceram peças para os outros dois continuarem flutuando.

  4. juarezmartinez 29 de janeiro de 2014 at 6:57 #

    Bem se os Russos não conseguem dar informação correta de seu próprio equipamento militar, de sua própria Marinha, imaginem fazendo comentários de outras forças, a quantidade de asneiras que saem.

    Grande abraço

  5. GUPPY 2 de fevereiro de 2014 at 0:10 #

    Admiral Nakhimov, Admiral Ushakov, Admiral Lazarev, Admiral Dalton, …

    Agora sério, hoje em dia não é mais negócio investir em destroyers e fragatas do que em cruzadores?

  6. daltonl 2 de fevereiro de 2014 at 8:50 #

    Guppy…

    a grande maioria compreensivelmente até, ignora o fator
    “prestigio”. Não que esses cruzadores não tenham potencial, mas como não há nada de concreto a respeito de novos destroyers o jeito é modernizar e reativar o que se tem, pois a marinha russa é extremamente pobre em grandes navios de guerra.

    O nosso NAeSP em parte cumpre essa função também e mesmo você, eu e todos no PN saberem que ele solta fumaça demais, não tem aeronaves, é perigoso para a tripulação e para o meio ambiente , seria mais útil como “recife artificial” , alvo para exocets, etc, etc, etc…a maioria da população não sabe nem quer saber e lá na Russia é assim também.

    O NAe deles o Kuznetsov por exemplo não está em boas condições e sua modernização de meia vida foi outra vez adiada.

    Quatro dos NAes da US Navy são mais antigos que o
    Kuznetov, porém já foram modernizados e a menos que os EUA cortem mais profundamente seus gastos e reduzam sua força de NAes, o USS Nimitz, poderá continuar em serviço até 2024…o Kuznetsov não.

    A estória de que os russos não precisam ou não querem uma grande marinha é b a l e l a. Eles não podem e apesar de progressos, a expectativa é que acabem com uma marinha ainda menor…talvez mais eficiente, mas
    é aquela coisa…um navio não pode estar em dois lugares ao mesmo tempo.

    abraços

  7. GUPPY 2 de fevereiro de 2014 at 10:23 #

    Entendido, Admiral. Obrigado.

    Apenas fico surpreso com o fato da população russa não se interessar pelo estado/situação de sua marinha, já que sabidamente o nível educacional/cultural deles é sabidamente bem superior ao nosso, mas…

    Abraços

  8. daltonl 2 de fevereiro de 2014 at 11:15 #

    Guppy…

    como brasileiro não tenho moral para falar de outros países, mas entre nós aqui, a situação educacional/cultural da população russa não é isso tudo não.

    Uma grande parcela da população tem um diploma universitário, mas, a maioria são idosos, ou seja graduaram-se ainda nos tempos da União Soviética e
    também não há nenhuma Universidade russa entre as cem melhores do mundo.

    Verdade que não é preciso muita coisa para nos superar como você sabe, mas, mesmo nos EUA o conhecimento sobre a própria História é sofrivel ainda mais sobre
    assuntos militares.

    Em várias ocasiões presenciei isso nas poucas vezes que estive nos EUA. Uma que lembro envolvendo marinha, foi quando estava em uma longa fila para visitar
    o USS Kearsarge, um LHD.

    Dois casais de americanos muito simpáticos entraram na fila logo atrás de mim e ouvi os homens falarem que visitariam um “aircraft carrier”.

    No meu inglês macarronico expliquei a eles o que de fato o Kearsarge era e eles riram muito inclusive um dos homens contou-me que havia servido o exercito e nada entendia de navios mesmo da marinha do país deles :)

  9. CVN76 2 de fevereiro de 2014 at 11:24 #

    Guppy

    O nível cultural e educacional deles é realmente superior ao brasileiro….

    Porém, existe algo no Brasil que não existe por lá…..é a chamada liberdade da imprenssa.

    Todos os rádios, jornais e canais de TV que não são fiéis ao regime do Putin já foram fechados ou comprados pelos que são fiéis a ele.

    Vários jornalistas nos últimos anos morreram em circunstâncias misteriosas, foram brutalmente espancados, presos, tiveram que mudar de profissão e alguns foram “suicidados”…..

    Acontecem todos os anos muitos acidentes nas forças armadas russas…….casos de maltratos, estupros, roubos, corrupção e etc….

    Para não falar dos gigantescos depósitos de material radiotivo e nuclear simplesmente ao céu aberto……vários navios e submarinos nucleares apodrecendo nos portos…

    A desgraça meio-ambiental só não é maior devido ao forte apoio financeiro de países como Japão, Noruega, Alemanha, EUA entre outros que estão pagando os trabalhos de remover todo esse lixo atômico.

    Resumindo, a população russa não sabe de tudo que acontece por lá….e não me refiro somente a assuntos militares….

    Mas voltando ao tema; eles fizeram progressos….mas ainda existe muito trabalho a ser feito…..:-)

  10. MO 2 de fevereiro de 2014 at 13:22 #

    Viu Dalto, la como aqui = ah os aviaozinhuns …. kkkk e a eresposta dele = nada entendo sobre navios, sera que estamos transferindo tecnologia de entusiasta ? kkkkk

  11. CVN76 2 de fevereiro de 2014 at 13:59 #

    MO

    Pois é…..uma vêz eu estava em San Diego quando o USS Nimitz CVN 68 estava atracando….

    Um americano me perguntou que navio era; eu expliquei, quando um outro se meteu na conversa e lascou:
    “é o USS Enterprise!!”

    Eu expliquei que não era o CVN 65 por esse e outros motivos…..ele falou: “passei 6 anos na Navy, sei do que estou falando!”….

    Fazer o quê?? Achei melhor ficar quieto….

  12. MO 2 de fevereiro de 2014 at 14:45 #

    rsss Franz, como falei tranferindo TO pros cara … kkkkkk

  13. mdanton 3 de fevereiro de 2014 at 9:15 #

    Entre a bravura, a criatividade e a inteligência. Quais vocês escolheriam na Guerra??

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

China pretende estreitar laços militares com Irã, diz mídia chinesa

PEQUIM (Reuters) – A China quer ter laços militares mais estreitos com o Irã, disse o ministro da Defesa chinês […]

Submarino alemão é encontrado afundado na costa dos EUA

  Pesquisadores informaram nesta terça-feira (21) a descoberta de um submarino alemão e de um cargueiro nicaraguense que afundaram na […]

Fotos do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ em construção na China

Confira as fotos do lançamento ao mar do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico “Vital de Oliveira” em Xinhui, na China. O […]

Baixe 7 edições da revista Forças de Defesa e doe quanto quiser

Agora você poderá baixar para o seu computador, tablet ou smartphone as melhores reportagens da nossa revista impressa Forças de […]

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]