Borei class submarine

Até 2016, os submarinos da Marinha russa serão revestidos com uma cobertura feita de materiais compósitos, que permite evitar a sua deteção por sonares inimigos. A tecnologia teria capacidade de  diminuir em até três vezes o ruído emitido atualmente pelos submarinos de 4ª geração, como os da classe Borei (Projeto 955).

O novo material é “salpicado” de sensores e placas piezopolímeras, capazes de neutralizar os sinais dos sonares, estabelecendo sua frequência e devolvendo os sinais com o faseamento oposto.

FONTE: Voz da Rússia (adaptação do Poder Naval)

NOTA DA EDITORA: Este post é sugestão do leitor Luis Reis.

Tags: , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

3 Responses to “Submarinos russos terão revestimento “stealth”” Subscribe

  1. Oganza 29 de janeiro de 2014 at 16:34 #

    Piezopolímeras?

    Da onde eles tiraram essa nomenclatura?

    existe um sistema patenteado pela Roland conhecido como piezoeletric ou piezoelétrico mas é de impressão, onde a tinta é fixada por meio de uma micro descargar de eletricidade estática promovendo uma fixação e secagem em milisegundos. O sistema é bem antigo e 9 entre 10 banners de propaganda impressos no mundo foi impresso com esse sistema.

    Será que esse sistema russo é como uma espécie de “impressão” sobre o antigo revestimento anecóico (essencialmente composto de polímeros) dos submarinos, sem necessáriamente ter que troca-los?UAU, se for isso, é uma BAITA invenção e se funcionar, é uma MEGA invenção.

    Obs.: O sistema da Roland só é possível pelo fato das tintas terem composição ferrosa (precisam ter alguma condutividade). Pergunto:

    SE o novo tal revestimento russo de MATERIAIS COMPÓSITOS for uma “impressão piezo” e eles tiverem que ter alguma condutividade para serem aplicados, isso não aumentaria sua detecção radar quando na superfície?

  2. juarezmartinez 29 de janeiro de 2014 at 20:03 #

    Caro Oganza! A nossa experiência com as famosas técnicas plug and play e invento snuca antes vistos na face da terra que vem da Rússia e ainda por cima comentados pela voz da Russia devem ser lidos sempre com um ou dois pés atrás.

    Grande abraço

  3. justin.case 30 de janeiro de 2014 at 22:56 #

    Amigos,

    Este é um link para um artigo acadêmico sobre o assunto:
    http://www.dissertationtopic.net/doc/784836
    Apesar de ser chinês, está disponível em Inglês.
    Abraços,

    Justin

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Programa ‘Artémis’: início das entregas de torpedos F21 em 2016

Programa contratado à DCNS deverá equipar 10 submarinos da Marinha Francesa com o torpedo de nova geração F21, substituto do […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

Quiz Naval: identifique as classes dos navios que aparecem na foto, se for capaz…

Essa é para os bons de História Naval. Clique na foto para ampliar e identifique as classes dos navios que […]

Euronaval 2014: informe da DCNS sobre a entrega do navio da classe ‘Mistral’ à Rússia

Em resposta à informação publicada anteriormente sobre a entrega potencial do primeiro navio porta-helicópteros de desembarque (BPC) para a Federação […]

Euronaval 2014: características das corvetas ‘Tamandaré’ e do NPaOc-BR

Seguem as informações divulgadas sobre as corvetas da classe “Tamandaré” e sobre o NPaOc-BR: Corvetas Tamandaré: Deslocamento: aproximadamente 2.700 toneladas […]

Marinha do Brasil compra mísseis AM39 e SM39 Exocet da MBDA

A Marinha do Brasil adiquiriu diversos sistemas de armas da MBDA France. Dentre estes sistemas, estão os mísseis antinavio AM39 […]