9fvbxrw670i7c67a6c3pmi20v

JULIANA DAL PIVA

Marinheiros a bordo do porta-aviões São Paulo (A-12) desde terça-feira, em exercício na Baía de Guanabara, denunciam uma situação de perigo. Os tripulantes revelaram que o navio está despejando óleo no mar devido a um vazamento.

Além disso, problemas na caldeira causaram queimaduras em três militares. Eles também alertam que existe risco de explosão e incêndio. Cerca de mil militares, entre soldados, cabos, sargentos e oficiais, estão embarcados sob o comando do contra-almirante José Renato de Oliveira. Segundo os marinheiros, o oficial se recusa a encerrar o exercício apesar do perigo oferecido à tripulação. Após o contato da reportagem com a Marinha ontem, o comando teria proibido o uso do celular pessoal, segundo denúncias.

Os embarcados não quiseram se identificar com medo de represálias, e informaram que desde terça-feira o navio também apresenta um problema em um dos dois refeitórios que servem a cabos e marinheiros — ]que alimenta a maior parte da tropa. A água do mar estaria entrando no local, que estaria interditado. Além disso, alguns marinheiros estão passando mal com as altas temperaturas no Rio de Janeiro e a ausência de ar-condicionado.

Sem previsão

A previsão inicial era de que o exercício terminasse na sexta-feira, mas o comando teria avisado à tropa ontem de que não há mais previsão de término, o que preocupa os parentes dos tripulantes.“Estamos muito apreensivos com toda essa situação”, contou um familiar que não quis se identificar.

9lkhn7zb4tt5tc53jjbq332rlO porta-aviões é a única embarcação do seu tipo no Hemisfério Sul e um dos 20 do seu modelo em atividade no mundo. A atividade desempenhada é tão específica, que só nove países operam navios semelhantes. Mas o equipamento no Brasil sofre com a infraestrutura. O navio-aeródromo foi comprado já usado da França em 2000.

Procurada, a Marinha admitiu que ocorreu um “pequeno derramamento de óleo a partir de uma tubulação” e que foram colocadas barreiras de contenção, em torno do navio. O plano de emergência foi acionado para o recolhimento do resíduo despejado. Sobre os militares feridos na caldeira, eles já foram medicados e liberados, diz a Marinha.

Quatro mortes, incêndios e cinco anos parado

Desde que foi comprado em 2000, o São Paulo já teve quatro marinheiros mortos e 13 feridos em pelo menos seis grandes incêndios. Em 2005, o navio chegou a parar por cinco anos, mas voltou a operar. Em 2012, na tragédia mais recente, o marinheiro Carlos Alexandre dos Santos Oliveira, de 19 anos, morreu durante um incêndio na antessala do alojamento em que se encontravam os militares. Além dele, ficaram gravemente feridos José de Oliveira Lima Neto e Jean Carlos Fujii de Azevedo.

Naquela ocasião, tripulantes também denunciaram para a coluna ‘Força Militar’ que os problemas iniciaram logo que a embarcação deixou o cais, mas o comando decidiu seguir viagem. Há dois anos também ocorreram focos de incêndio na caldeira, e também foram registrados problemas na chaminé e nas máquinas.

A estimativa é de o navio tenha custado U$ 12 milhões, mas só para a modernização ainda foram gastos outros US$ 90 milhões, nos últimos dez anos. Apesar dos evidentes problemas de manutenção, militares avaliam que se o navio for aposentado, o Brasil não terá mais uma esquadra — pois é necessário um porta-aviões para tal. Dessa forma, vários almirantes de esquadra teriam que ir para a reserva.

FONTE: Portal O Dia (adaptação do Poder Naval) Título original: “Três tripulantes queimados e vazamento em porta-aviões da Marinha”.

Tags: , , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

65 Responses to “Três tripulantes queimados e vazamento no porta-aviões ‘São Paulo’ (A-12)” Subscribe

  1. juarezmartinez 31 de janeiro de 2014 at 12:15 #

    Enquanto não morrer mais gente não vão parar. }}Eu, se fosse da tripulação, ao desembarcar iria diretamente para o ministério público com fotos e cococaria este irresponsavel, inconsequente, prepotente eboçal, deste CM a responder uma ação de civil e penal.

    Que tristeza para uma que já foi considerada uma das melhores marinhas de hemisfério sul.

    O bom de tudo, é que mais uam vez o tempo mostra que é senhor de todas as verdades, e Jesuixxxxxxxx avisou….

    Grande abraço

  2. Marcos 31 de janeiro de 2014 at 12:20 #

    O único PA do planeta que só faz manobras dentro de uma Baía: “vamos para lá, vamos para cá… meia volta…”

    “Apesar dos evidentes problemas de manutenção, militares avaliam que se o navio for aposentado, o Brasil não terá mais uma esquadra — pois é necessário um porta-aviões para tal. Dessa forma, vários almirantes de esquadra teriam que ir para a reserva.”

    Não sei o que dizer!!

  3. Guizmo 31 de janeiro de 2014 at 12:30 #

    É lamentável. Como a MB se deixou chegar nesse ponto, manter um navio nessas condições para justificar a ativa de alguns almirantes.

    Aliás, já não temos esquadra. Meia dúzia de navios mal armados para defender um litoral de quase 10 mil km?

    A Marinha Brasileira que já foi crucial na Guerra do Paraguai, que levou nossos pracinhas para a Itália, que fez frente aos Franceses na Guerra das Lagostas……..que melancólica situação.

  4. juarezmartinez 31 de janeiro de 2014 at 13:04 #

    Guizmo, éa realidade batendo a porta, agora eu quero ver os comentários das “loucas da Marinha brasil puthânfia”, e as desculpas daquele tresloucado e irresponsavel do CM.

    grande abraço

  5. MO 31 de janeiro de 2014 at 13:25 #

    Que fez isso tudo, virgula tem os …. a se considerar …. fez frente aos franceses eh no minimo multiplicar por 15 o que nao foi feito …, levar os pracinhas ? os AP´s eram americanos … e vai indo, segue o bonde …

  6. Oganza 31 de janeiro de 2014 at 13:31 #

    Gente, será que existe uma forma melhor de denunciarmos isso?

    Vamos dar nomes aos bois, o cidadão megalomaníaco, irresponsável que está agindo como um sociopata e futuro homicida é Julio Soares de Moura Neto. Esse senhor não tem a menor capacidade de estar a frente da MB.

    Um comandante que coloca o EGO IRRESPONSAVELMENTE na frente da tropa e da missão que a instituição que ele deveria liderar e servir como exemplo, TEM que ser punido, tem que PERDER suas estrelas, ser EXPULSO da instituição e não ser aceito em nenhum clube militar da reserva.

    Sr. Julio Soares de Moura Neto, você é uma VERGONHA, um DOENTE, você é um CRIMINOSO.

    Sds.

  7. Guizmo 31 de janeiro de 2014 at 13:34 #

    tsc tsc tsc, olha o foco meu caro, olha o foco

  8. Guizmo 31 de janeiro de 2014 at 13:39 #

    Vamos comparar as frotas de 1960 e de 2014 da MB? Levou sim meu querido, claro que teve apoio, na escolta principalmente…..melhor continuar a postar link do seu blog mesmo

  9. aldoghisolfi 31 de janeiro de 2014 at 13:40 #

    Che, do artigo fica, não só a tristeza patética de ver a MB como um cachorrão grande e agonizante, olhos baços virados para nada, que latir mais não pode, mas move as patas para lugar nenhum e rosna para ninguém… mas, fica também a tristeza de ver um CA emulando um heróico capitão que afunda com o barco… brincando com a vida dos outros.

    E, irresponsavelmente, sujando o meio ambiente.

    Lembro o Condoreiro mandando Colombo fechar as portas dos seus mares…

  10. MO 31 de janeiro de 2014 at 13:54 #

    Eh tem razao, alem de nao dar o braço a torcer, apelou, entao faz mais facil leia o artigo feito na for def (apenas uma referencia, com navios desarmados, apagando e outos mais, na IIGM tbm nao foram os AP´s americanos, eu faço isso mesmo, o meu saco pra ver Viva a Marinha acabou faz tempo, continua ai que vc vai longe, quero ver vc ficar os meus 17 anos aqui sustentando isto ..

  11. MO 31 de janeiro de 2014 at 13:57 #

    alias ratificando em poucas palavras pq vc deve saber que nao tenho o menor saco pra escrever,m foi assim mesmo, tudo como vc falou e eu retiro o que falei … (como acabei de fazer)

  12. Almeida 31 de janeiro de 2014 at 14:19 #

    Sério, até quando?

    14 (QUATORZE) anos em reformas, US$ 100 milhões em gastos, já morreu gente, está pra morrer mais gente, e até agora este navio não fez absolutamente NADA para reforçar nossa esquadra.

    Manter proficiência? Só se for de combate a incêndios e de paramédicos!

    E pra quê? Pra manter inflado o ego de meia dúzia de almirantes anacrônicos e doentes mentais! Porque todo mundo aqui sabe que a MB não tem necessidade e muito menos recursos para operar uma esquadra nucleada em porta aviões. Quanto mais duas!

    Cadê a comissão de estratégia e defesa do Congresso Nacional para pedir explicações ao CM? Cadê o MP? Num país sério, daqueles que tem porta aviões capazes e operacionais, isso jamais aconteceria!

  13. eduardo.pereira1 31 de janeiro de 2014 at 14:34 #

    puxa vida mais problemas com este troço, se nao vao tunar o bicho e ripar pra virar um super moderno Pa entao faz de alvo e sapeca Exocet mad in Brazil nele antes q morram mais pais de familia nesta jossa !!

    Sds.

  14. Oganza 31 de janeiro de 2014 at 15:02 #

    eduardo.pereira1,

    ALVO, é isso mesmo o que sempre foi e olha que muita gente já canta essa bola faz tempo aqui no Naval.

    É o MAIOR ALVO do hemisfério sul.

    É melhor que seja ALVO pra Exocet tupiniquim do que CAIXÃO de marinheiros INOCENTES, vítimas da megalomania e irresponsabilidade do almirantado e de seu Comandante Julio Soares de Moura LOUCO Neto.

    Sds.

  15. Alfredo Araujo 31 de janeiro de 2014 at 15:28 #

    Já escrevi isso aqui…
    Tenho um amigo q já me contou algumas estorias de mortes por causa de vazamentos de vapor no São Paulo. Ele é mecânico de motores…

    Nesse momento ele está embarcado…

  16. Alfredo Araujo 31 de janeiro de 2014 at 15:30 #

    Sem contar q esse mesmo cidadão que os está obrigando a navegar agora, não permitiu que os mesmos desembarcassem no final do ano, ao não conseguirem fazer o navio sair do lugar em frente ao aeroporto Santos Dumont !!!
    Ficaram 4 dias embarcados a 200 metros do porto !!!
    Triste ou engraçado ??

  17. mdanton 31 de janeiro de 2014 at 15:32 #

    PutZZ! E eu pensei que pegava pesado….que VERGONHA ALMIRANTE…QUE VERGONHA!! Quer um conselho??!! Não??!! vai assim mesmo….SAI FORA!!

  18. Colombelli 31 de janeiro de 2014 at 15:42 #

    Falávamos a poucos dias atras da desnecessidade deste elefante branco e do bom recife artificial que daria. Agora esta ai.

    So uma coisa a dizer: Fecha, fecha, fecha.

    Quando o ego vem na frente da razão alguem sempre paga e é sempre o escalão subordinado.

  19. Luiz Monteiro 31 de janeiro de 2014 at 16:10 #

    Prezados,

    Segue a Nota Oficial:

    “MARINHA DO BRASIL
    CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA
    NOTA À IMPRENSA
    Brasília, em 30 de janeiro de 2014.
    A Marinha do Brasil (MB) esclarece que o Navio-Aeródromo (NAe) “São Paulo” desatracou no dia 28 de janeiro para realizar testes no seu sistema de propulsão.
    Durante os testes (dia 30), ocorreu um pequeno derramamento de óleo a partir de uma tubulação. Imediatamente, foram instaladas barreiras de contenção, em torno do navio, e acionado o Plano de Emergência para evitar poluição do mar, o que permitiu o recolhimento do resíduo despejado.
    Houve, ainda, um vazamento de vapor do Navio (dia 29), no local onde se encontravam três integrantes da tripulação, sem consequências posteriores. Por precaução, os militares foram encaminhados para atendimento médico e liberados, posteriormente, por não apresentarem qualquer ferimento.
    Cabe ressaltar que, considerando-se os riscos operacionais inerentes a profissão militar-naval, a MB atribui elevada e permanente prioridade as condições de segurança de seu pessoal, maior patrimônio da Força.
    Destaca-se, ainda, que a MB tem se empenhado em dotar o País com um Poder Naval compatível com os inúmeros interesses brasileiros no mar, em especial na extensa área marítima conhecida como “Amazônia Azul”.”

  20. Blind Man's Bluff 31 de janeiro de 2014 at 17:46 #

    E tem gente que ainda é a favor disso.

  21. Carlos Alberto Soares 31 de janeiro de 2014 at 18:51 #

    Vejam a fala do Júlio, imperdível ….

  22. Carlos Alberto Soares 31 de janeiro de 2014 at 18:58 #

    Acabou de passar no Jornal da Band, cerca de 1.000 marinheiros ficaram retidos por três dias com a central do ar condicionado em pane a temperaturas acima de 50 graus e incomunicáveis, com ameaças a quem fizesse uso de celular.

    A âncora não subiu por defeito no sistema e ele ficou “preso” ao largo da doca.

  23. Carlos Alberto Soares 31 de janeiro de 2014 at 19:04 #

    Cadê os advogados desse calabouço, cadê ?

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-01/porta-avioes-tem-vazamento-de-oleo-e-acidente-em-caldeira-na-baia-de-guanabara

  24. Carlos Alberto Soares 31 de janeiro de 2014 at 19:09 #

    Defensores do NAe, cadê vocês ?

  25. Ozawa 31 de janeiro de 2014 at 19:43 #

    É porque o Almirantado brasileiro sabe, tem certeza, absoluta, que a MB não será chamada a nenhum conflito ou dissuasão real nos próximos anos…

    Às favas com essa história de defesa do Atlântico Sul ou das linhas de comércio marítimo com a África ou a Europa, tudo balela e joguinhos de guerra às 4 da tarde na EGN regados a canapés e coquetéis fartos…

    Se, e quando, a MB for chamada a um conflito dessa magnitude todo esse Almirantado estará em seus sepulcros caiados no São João Batista, após as salvas de tiros de praxe… E em suas lápides as inscrições ‘Missão Cumprida… Marinha !’

    Daí porque não há a menor chance de uma mudança drástica na manifesta malversação de recursos da União que ocorre à luz do dia, sobre a baía de Guanabara, com o codinome São Paulo…

    Fosse o Congresso Nacional um pouco menos leniente, menos corrompido e mais competente, transformaria o ‘São Paulo’ de NAe em CPI…, e com responsabilizações conclusivas.

  26. Ozawa 31 de janeiro de 2014 at 20:01 #

    Vejam o seleto grupo que compõem a Comissão de Defesa e Relações Exteriores do Congresso Nacional, a quem, dentre outras elevadas atribuições incube(ria) apreciar matérias referentes aos seguintes campos temáticos ou áreas de atividade: (…) g) “Forças Armadas e Auxiliares…”

    Observando um “naipe” de nomes daqueles, pode se concluir que o jogo está irremediavelmente perdido…

    http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/credn/conheca-a-comissao/membros

  27. MO 31 de janeiro de 2014 at 20:52 #

    Oia ai Guilherme, mais um, como solicitado … kkkk =
    http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2014/01/mv-lowlands-opal-ongh-descarga-de.html

    15 photos

  28. MO 31 de janeiro de 2014 at 21:17 #

    vixi, o numero de cadeiras abertas eh devido a coisa naum interessante ??

  29. GUPPY 31 de janeiro de 2014 at 21:25 #

    Eh,tá difícil. Tá difícil defender a manutenção do A12 na Marinha. Sou a favor do A12 mas funcionando e bem. Causando transtornos e ameaçando vidas, não. Já chega que mesmo plenamente operacional, carece de escoltas adequadas. Por que será que a Austrália com um litoral também bem grande e financeiramente mais saudável desde há muito abdicou de operar PAs?

    I’m sad.

  30. Ozawa 31 de janeiro de 2014 at 21:54 #

    Já que o ‘São Paulo’ não sai da Baía de Guanabara mesmo, a MB poderia lhe dar um fim mais útil, já que não se presta ao fim ao qual se destina(va)…

    http://oglobo.globo.com/rio/veiculo-anfibio-turistico-comeca-circular-nas-ruas-do-rio-na-baia-de-guanabara-11470238

  31. Carlos Alberto Soares 31 de janeiro de 2014 at 23:55 #

    Vejam o vídeo RJ: Tripulantes ficam presos em porta-aviões
    Sexta-Feira, 31 de Janeiro de 2014

    http://noticias.band.uol.com.br/jornaldaband/videos/2014/01/31/14846186-rj-tripulantes-ficam-presos-em-porta-avioes.html

  32. Corsario137 1 de fevereiro de 2014 at 0:10 #

    Jura?
    É claro que deu M. Isso é um equívoco sem precedentes!
    Esse NAe só faz fogo amigo! Quantos mais terão que perder a vida? Isso é uma vergonha para a MB.

    Alguém tem que por logo isso a pique!

  33. Augusto 1 de fevereiro de 2014 at 11:08 #

    Patético. PA-TÉ-TI-CO. É a palavra para definir o comportamento do comando da Marinha do Brasil.

    Há um histórico muito grande de conflitos mundiais que se iniciaram sem aviso e de maneiras inesperadas.

    O comando da Marinha, entretanto, vive uma realidade paralela, imaginando uma Marinha ultra-moderna nos próximos 20/30 anos. Daqui a 20/30 anos, eles jogarão a projeção de reequipamento para “daqui a 20 ou 30 anos”.

    Enquanto isso, não há meios para guerra de minas, nem fragatas. O primeiro submarinos, se der tudo certo, só para 2018!

    Se uma guerra estourar daqui a 1 ano, o que esse comando patético vai fazer com o São Paulo? M**** nenhuma!

  34. daltonl 1 de fevereiro de 2014 at 12:28 #

    Não tivesse lido o cabeçalho da matéria apostaria que estavam referindo-se ao NAe russo Kuznetsov. Este sim,
    irresponsavelmente sendo usado, só que nele os tripulantes sofrem com o frio e não com o calor além de
    muitos outros problemas.

    Mas…os russos tem a “bomba” então não faz diferença,
    certo? Então talvez o nosso problema não seja ter o NAeSP e sim, não ter a “bomba”, ou não ?

    Alguns falam que ter um é igual a nenhum, então expliquem a França que tem apenas um ,o CDG, muito criticado mundo a fora, inclusive aqui no PN e mesmo depois de alguns meses no Indico estava à mão para a campanha da Líbia onde saiu-se muito bem.

    Tres marujos ficaram feridos… mas acidentes acontecem mesmo. Em 2008 o USS George Washington sofreu um incendio, varios tripulantes ficaram feridos e o GW nem estava em combate nem perto de estar pronto para combate e há relatos de mortes em NAes da US Navy mesmo quando em manutenção.

    A carreira militar tem seus riscos, assim como muitas carreiras civis.

    Não sou ingenuo de achar que tudo está bem e também não caio nesse papo de duas esquadras, etc, se bem que planos megalomaniacos todos tem.

    Estive no RJ poucos meses atrás e a Defensora estava no mesmo lugar de dois anos antes quando lá estive e assim o Ceará, Mattoso Maia, corvetas, etc.

    Mas daí querer comparar com marinha da Coréia do Sul e outras, o grau de ameaças que sofrem etc, o fato de não termos uma Guarda Costeira ou algo semelhante ao
    Military Sealift Command a distancia é grande…temos que olhar para as muitas marinhas em piores condições
    também.

    Sim há o pré-sal e muitos acreditam que uma coalizão será formada, mas aí nem que tivessemos o NAeSP operando com hornets resolveria.

    Se a idéia é termos uma marinha de tamanho semelhante à francesa por exemplo, excluidos os SSBNs deles, então temos que começar de um ponto e errar muito até acertar.

    Cem milhões foram gastos com manutenção no NAeSP,
    mas quantas aeronaves e misseis antinavios teriam sido comprados com essa quantia, fora o que seria gasto com bases, treinamento, etc ?

    Quantas fragatas de segunda-mão teriam sido adquiridas ? Fariam diferença para enfrentar os chineses, IV Frota, Coalizão da OTAN ???

    Longe de mim querer ridicularizar pessoas que pensem assim…minha opinião aqui é tão boa quanto a de qualquer outro, apenas estou abordando o assunto de
    outro angulo.

    Também achei estranho o último paragrafo…

    “e o navio for aposentado, o Brasil não terá mais uma esquadra — pois é necessário um porta-aviões para tal. Dessa forma, vários almirantes de esquadra teriam que ir para a reserva.”

  35. daltonl 1 de fevereiro de 2014 at 12:42 #

    Guppy…

    quanto à Australia o que sei é que houve uma mudança politica na época e nem que o HMS Invincible tivesse sido oferecido antes das Falklands dificilmente teria sido comprado de qualquer forma.

    Lá também há uma proximidade muito grande com a US Navy…só para vc ter uma idéia, ano passado uma fragata australiana foi adicionada ao USS George Washington e
    seu grupo (CSG 5) durante três meses no Japão.

    abs

  36. sergiocintra 1 de fevereiro de 2014 at 13:18 #

    Falando do meio se o SP fosse prioridade estaria inteiramente funcional, mas como as modificações foram e estão sendo obras grandes, demandam tempo e muita grana -, que é pleiteada a cada ciclo orcamentário – não só para ele, mas para todos os meios – cada um deles.
    Lembramos q em 2013 foram feitos cortes de verbas -desvios funcionais- envolvendo diretamente o MD.

    O SP, assim como outros meios, possuem suas fases operativas, incluindo como fase também os periodos de PMG – fase atual, q demanda um bom tempo, com recursos fluindo – mas q já passou por docagem e aí troca-se tudo o q é possivel por baixo e alem disso teve o complicômetro do eixo desbalanceado. Trocaram-se, modernizaram e instalaram meios eletrônicos, mecânicos e de armas. Lembrar que a catapulta de vante foi novamente homologada em dez/2013 pela DCNS, fato noticiado aqui e no site da empresa, conf. link a seguir:
    http://en.dcnsgroup.com/2013/12/20/catapulte-du-porte-avions-s%C3%A3o-paulo-les-%C3%A9quipes-de-dcns-sur-le-pont-du-porte-avions-br%C3%A9silien/

    O CM em mensagem de fim de ano mencionou o aporte de verbas para o próximo ciclo orçamentário envolvendo a continuidade do PMG do SP e aí esta o calcanhar de aquiles de todo o processo, pois o meio só tem q capacitar todos os 3 turbos geradores – instalados desde a sua construção, no final dos anos 50 – ou troca-los. Esses Turbo geradores “só” movimentam todo o navio – energia (partes elétrica/ eletrônica, controle de armas, ar condicionado) e vapor. Não dá para ir muito longe da baía por enquanto devido aos mesmos, mas dá para fazer testes, inclusive de capacidades maximas de embarcados, ante ao que já foi feito.

    Falando do pessoal, é como aqui. encontramos de todos os tipos de pensamentos, só que há uma diferença entre ser servidor público e milíco – que possui treinamento específico, tem regimento próprio e se quer ser comparado a civil é só dar baixa.

    Não apoio ninguém, só resumo da seguinte forma. Deram um limão para fazer limonada, se “mer” derem açucar, ótimo!

  37. Observador 1 de fevereiro de 2014 at 16:28 #

    O problema realmente não é o NAe.

    O problema é a Administração esquizofrênica do MinDef e da cúpula da MB.

    Nem dizer que é falta de dinheiro podemos: dinheiro tem de sobra, que é torrado em absurdos. E nem estou falando em manter um PA de sessenta anos.

    Falo é em manter pagamentos de pensões para filhas solteiras de militares. Esta bobagem custa 4 bilhões de reais por ano, em pleno século XXI, quando esta mulherada devia criar vergonha na cara e ir trabalhar pelo seu sustento. A cada quatro anos, este bando de espertas consume o custo de um PROSUPER.

    E isto é só um dos exemplos. Tirando uma ou outra ilha de excelência, as nossas FAs são o retrato do funcionalismo público de hoje: é um cabide de emprego para muita gente, gente que não tem a menor vocação para uma vida militar de coragem e sacrifício.

    Está TUDO errado.

    Eu creio que, antes de lutar pelo reaparelhamento das forças, seria necessário lutar pelo sua completa reestruturação. Profissionalizar as forças armadas, diminuir o contingente de oficiais e mandar a velha cúpula botar o pijama.

    O problema é fazer isto debaixo da Administração Petista como é hoje. É capaz do tiro sair pela culatra e vermos a criação das “milícias bolivarianas”.

    A necessidade de reestruturação é especialmente aguda no tocante a MB, cuja operação é bem mais cara e complexa do que as outras forças.

    Como resultado, a MB é cada vez mais guarda-costeira e cada vez menos marinha, já que aquela é muito mais barata e fácil de manter do que a última.

    A consequência é que o único meio naval relativamente disponível é a Barroso. O resto funciona precariamente, na base do toma lá da cá entre os navios da mesma classe ou é navio de patrulha (como os NPaOc).

    A verdade é que estamos brincando de Marinha. E não falo só do NAe São Paulo.

  38. Guizmo 1 de fevereiro de 2014 at 18:54 #

    Opa Marcelo, até que esse tá legalzinho hein? kkkkk

  39. GUPPY 1 de fevereiro de 2014 at 19:58 #

    Admiral,

    Sabemos que a Austrália leva Defesa a sério e é um aliado firme desde a IIWW. Sua localização geográfica é por demais estratégica. No entanto, eles mantém os pés no chão e mantém um orçamento enchuto para as forças armadas. Operaram PAs no passado, como é do seu profundo conhecimento, mas chegaram a conclusão que poderiam se defender sem a presença de um meio desse em sua Marinha. Claro que o fato de ser um dos mais importantes aliados dos EUA pesou na decisão de abdicar de oprar um Porta-Aviões, mas que a economia gerada por essa decisão foi enorme ninguém duvida. Lá, o litoral é imenso e a proximidade da China são variáveis a serem consideradas.

    No nosso caso, eu sou um dos poucos aqui que concordo com o A12 na Marinha. Claro que com algumas ressalvas como: plenamente operacional, com uma aviação atualizada pelo menos para os padrões sulamericanos e, principalmente, com escoltas em quantidade e qualidade adequadas. Agora, com péssima manutenção, frequência de acidentes, inclusive fatais, “desdentado” como alguns aqui no PN a ele se referem, e outras cositas mais, eu sou contra mantê-lo na ativa. Na verdade, eu torço para que o longo reparo a que ele foi submetido dê frutos o mais rapidamente possível. Quero crer que o pior já foi feito e agora são os acertos finais. Imagine uma situação não imaginada agora, falo uma guerra meio que de repente, e a Marinha podendo empregar com segurança um Porta-Aviões, hem?

    Abraços

  40. bitt 2 de fevereiro de 2014 at 12:40 #

    Sérgio C,

    Obrigado pelas explicações técnicas. Acho que esclarecem mtos pontos sobre as tribulações do A12 e deveriam ser lidas com atenção por boa parte dos comentaristas que postam opiniões aqui. Resta lembrar que o militar tb é um servidor público em regime próprio, e isso esclarece a catadupa de insultos irracionais que lemos em algumas caixas – insultar servidor público sempre foi, nesta terra, argumento de debate. Paciência, costumo a dizer.

    Repito que parece existir um problema de fundo nesse debate, que é a superposição de funções atualmente acumulada pela MB. Fiz um longo comentário em outro dos posts (acho que o que se segue a este), em função da ótima linha de análise levantada por um comentarista. Quem quiser pode ir lá e ler, concordar ou discordar.

    GUPPY,

    Fico feliz em notar que minha posição é semelhante a sua: defendo que a MB pode perfeitamente ter um NAe, desde que seja definido claramente por quem tem esta função, quais seu lugar dentro de um planejamento estratégico geral. Planejamento estratégico, é, em última análise, determinado por diretrizes de estado e fica mesmo difícil de entender a ponta deles, que são eventos como esse, em função da dita falta de transparência. Sem informações tecnicamente isentas, e com as péssimas informações que obtemos através da imprensa, o debate descamba para um emocionalismo vulgar que assume até mesmo posições sexistas tipo uma expressa em um dos comentários.

    Aí mora uma parte do problema: a maior parte das opiniões apresentadas pelos comentaristas parece baseada no que estamparam os jornais impressos e a midia televisiva. Não temos nem órgãos, e mto mns jornalistas, especializados e independentes, e um relato (não opinião) como o do sergiocintra, é raríssimo. Agora surge a “informação” de q a MB está “matando pais de família”. Acho que o comentário do sergiocintra tb esclarece essa bobagem.

    Imagino q os especialistas deste site poderiam esclarecer alguns dos tópicos que tenham explicação técnica, ou, se já o tiverem feito, relacionar os links para as matérias relativas. Seria mais um gde serviço que a Trilogia prestaria ao debate de ideias q eu, pelo mns, espero daqui.

    Saudações a todos.

  41. MO 2 de fevereiro de 2014 at 13:24 #

    to me esforçando, afinal, rsssssss

    Po Guilherme, da um desconto, o último, o ‘piorzinho’ fiquei 12 h na Ponta da Praia para fazer o post, entrada e saida, 4 dias de cama depois por gripe, da um desconto, tava era lindaum, o unico pobrema era tudo isso por um porta buneco …

  42. Carlos Alberto Soares 2 de fevereiro de 2014 at 15:46 #

    Inimigos ? Para quê !

    Já temos o fogo amigo do Almirante Júlio,

    enquanto isso:

  43. juarezmartinez 2 de fevereiro de 2014 at 18:58 #

    ergiocintra 1 de fevereiro de 2014 at 13:18 #

    Caro Sergiocintra, me permita algusn comentário sobre os teus:

    Falando do meio se o SP fosse prioridade estaria inteiramente funcional, mas como as modificações foram e estão sendo obras grandes, demandam tempo e muita grana -, que é pleiteada a cada ciclo orcamentário – não só para ele, mas para todos os meios – cada um deles.
    Lembramos q em 2013 foram feitos cortes de verbas -desvios funcionais- envolvendo diretamente o MD.

    O SP, assim como outros meios, possuem suas fases operativas, incluindo como fase também os periodos de PMG – fase atual, q demanda um bom tempo, com recursos fluindo – mas q já passou por docagem e aí troca-se tudo o q é possivel por baixo e alem disso teve o complicômetro do eixo desbalanceado. Trocaram-se, modernizaram e instalaram meios eletrônicos, mecânicos e de armas. Lembrar que a catapulta de vante foi novamente homologada em dez/2013 pela DCNS, fato noticiado aqui e no site da empresa, conf. link a seguir:
    http://en.dcnsgroup.com/2013/12/20/catapulte-du-porte-avions-s%C3%A3o-paulo-les-%C3%A9quipes-de-dcns-sur-le-pont-du-porte-avions-br%C3%A9silien/

    Aí que está, vejam que ele foi adquirido em 2001 se não me engano e estamos com o navio a 13 anos em manutenção, neste meio tempo aquilo que foi revisado, reformado, hoje precisa novamente ser checado, as tripúlações que receberam o navio, com vasta experiência no MG, hoje, estão no pijama ou foram adiante.
    eu não citar as equipagens aéreas de asa fixa para não ser repetitivo.

    O CM em mensagem de fim de ano mencionou o aporte de verbas para o próximo ciclo orçamentário envolvendo a continuidade do PMG do SP e aí esta o calcanhar de aquiles de todo o processo, pois o meio só tem q capacitar todos os 3 turbos geradores – instalados desde a sua construção, no final dos anos 50 – ou troca-los. Esses Turbo geradores “só” movimentam todo o navio – energia (partes elétrica/ eletrônica, controle de armas, ar condicionado) e vapor. Não dá para ir muito longe da baía por enquanto devido aos mesmos, mas dá para fazer testes, inclusive de capacidades maximas de embarcados, ante ao que já foi feito.

    Bem, eu fiquei sabendo que o CM vai injetar mais R$ 200.000,000,00 do SP, mas enquanto isto o resto da frota de supeficie é scarpeada para manter outros meios operando, tu achas isto normal? eu não.

    Bem, sobre os turbo geradores, aqui cabe um comentário mais longo:

    Nós sabemos que as caldeiras a vapor geram energia térmica que é transofrmada e em energia mecânica pelas turbinas a vapor e que através de caixas de redução de engrenagens pllanetárias repassam esta energia como movimento nos eixos dos hélices. ainda, acoplados a estas estão os três enormes turbogeradores que geram energia para todos os sistemas que utilizam de energia elétrica do navio, e seu funcionamento, como tu bem citastes é primordial para a sua plena operacionalidade.
    Apoiando estes, o SP possui seis grupos geradores diesel de mergência que por si só não sustentam a energização necessária para toda a carga elétrica demandada pelo navio. então para que este negócio “rode” é necessário que o trinômio caldeiras, turbinas e turbogeradores esteja full, se não não dá.
    Hoje segundo informações, um TG funciona a pleno, um não funciona e o outro funciona com panes seguidas:
    Seria necessário retirar e reformar os turbos, o problema é que para fazer isto é necessário literalmente partir o navio em dois e retira-los

    Falando do pessoal, é como aqui. encontramos de todos os tipos de pensamentos, só que há uma diferença entre ser servidor público e milíco – que possui treinamento específico, tem regimento próprio e se quer ser comparado a civil é só dar baixa.

    Não apoio ninguém, só resumo da seguinte forma. Deram um limão para fazer limonada, se “mer” derem açucar, ótimo!

    Sergio! Este limão esta podre não vai dar mais nada, a não ser muita dor de barriga, porque precisa muita dinhiero, muita tecnologia e muita mão de obra qulificada e n´so sabemos que hoje a MB não tem nenhum dos três.

  44. joseboscojr 2 de fevereiro de 2014 at 19:11 #

    O SP me lembra um trator velho que meu cunhado pagou 3000 reais há 5 anos, pra ajudar ele a plantar soja lá no Tocantinhs.
    Pra cada 1000 de lucro que ele tem o infeliz gasta 1200 com o dito cujo.
    Só não é pior do que o SP porque não flutua.
    Rssss
    Ah! O nome do trator é “Esmeralda”.

  45. GUPPY 3 de fevereiro de 2014 at 2:45 #

    Prezado bitt,

    Gostaria muito de ver o São Paulo – A12 operando full, com segurança, aviação embarcada e escoltas adequadas, conforme escrevi anteriormente, cumprindo uma função específica para ele na estratégia da Marinha.
    Mas se os problemas técnicos persistirem, mostrarem-se de difícil (caríssima) solução, os perigos de explosão de caldeiras, turbogeradores meia bocas, eixos problemáticos, etc,etc, prefiro uma baixa dele o mais rápido possível, inclusive por questões de economia. Aí seria hora, caso a estratégia militar naval brasileira realmente contemple a operação de um Porta Aviões, partir para a aquisição de um novo, seja fabricado aqui com assistência técnica inglesa ou francesa ou adquirido lá fora mesmo.
    Mas ainda torço para que o A12 dê a volta por cima e cale a boca de muitos de nós aqui do PN. Só que o comment do juarezmartinez me deixou completamente desesperançoso.

    Abraços

  46. Vader 3 de fevereiro de 2014 at 6:24 #

    Ahahahahahahaha… Eu avisei há poucos dias que esta banheira ainda ia matar mais gente…

    “Vader, vc tá querendo dizer que vc é um profeta?”

    Não senhores! O Vader não é profeta: ele só usa a LÓGICA!!!

    Vou repetir: é só a lógica! O senso comum, que aquele que já está com o raciocínio comprometido com uma visão preconcebida da realidade simplesmente não consegue!

    E vou de novo me arriscar a usar essa ferramentinha básica do pensamento:

    Está coisa que a MB chama de porta-aviões ainda irá matar mais gente!

    E o que dizer disso: ““Apesar dos evidentes problemas de manutenção, militares avaliam que se o navio for aposentado, o Brasil não terá mais uma esquadra — pois é necessário um porta-aviões para tal. Dessa forma, vários almirantes de esquadra teriam que ir para a reserva.”

    O almirantado, num país sério, estaria no mínimo em cana.

    O tempo é o senhor da verdade.

  47. juarezmartinez 3 de fevereiro de 2014 at 7:29 #

    Prezado bitt,

    Gostaria muito de ver o São Paulo – A12 operando full, com segurança, aviação embarcada e escoltas adequadas, conforme escrevi anteriormente, cumprindo uma função específica para ele na estratégia da Marinha.
    Mas se os problemas técnicos persistirem, mostrarem-se de difícil (caríssima) solução, os perigos de explosão de caldeiras, turbogeradores meia bocas, eixos problemáticos, etc,etc, prefiro uma baixa dele o mais rápido possível, inclusive por questões de economia. Aí seria hora, caso a estratégia militar naval brasileira realmente contemple a operação de um Porta Aviões, partir para a aquisição de um novo, seja fabricado aqui com assistência técnica inglesa ou francesa ou adquirido lá fora mesmo.
    Mas ainda torço para que o A12 dê a volta por cima e cale a boca de muitos de nós aqui do PN. Só que o comment do juarezmartinez me deixou completamente desesperançoso.

    Abraços

    Caro Guppy! Isto que eu coloquei é menor dos problemas, porque se resolve com $$$, contratando um empresa para fetuar a manutenção, o problema maior é dinheiro do orçamento de custeio para após as reformas mantelo operacional com a ala aérea full e sistemas de combate ídem, porque digo isto:

    Porque “TER OU COMPRAR NÃO SIGUINIFICA PODER OPERAR”

    E o silêncio na fonia dos marinheiros da ativa e da reserva que frequentam este espaço corrobora com o que eu afirmei.

    Grande abraço

  48. Guizmo 3 de fevereiro de 2014 at 9:34 #

    ok ok tem razão, desculpe…….são belíssimas as imagens.

    Quando uma Fragata estiver por aí, dá um toque que eu desço a Serra pra ver.

    Abs

  49. Mauricio R. 3 de fevereiro de 2014 at 9:56 #

    OFF TOPIC…

    …mas nem tanto!!!

    A MB pelo site Think Defense:

    (http://www.thinkdefence.co.uk/2013/12/look-brazilian-navy/)

  50. Oganza 3 de fevereiro de 2014 at 13:31 #

    NAe, mais um campeão de audiência… a MB parece até a Paris Hilton, tanto dinheiro em tanta futilidade, ou será o inverso ou ambos?

    Meus caros, o trecho que Lord Vader destacou é um diagnóstico da doença do Almirantado.

    “Apesar dos evidentes problemas de manutenção, militares avaliam que se o navio for aposentado, o Brasil não terá mais uma esquadra — pois é necessário um porta-aviões para tal. Dessa forma, vários almirantes de esquadra teriam que ir para a reserva.” – Então vamos por partes:

    1 – “Apesar dos evidentes problemas de manutenção,”

    – Isso não são problemas.
    > Isso é uma FALÊNCIA GERAL DOS ORGÃOS, provocada por um VÍRUS que está infectando o resto que sobrou da esquadra. O SP precisa é de uma EUTANÁSIA antes que o resto da enfermaria sucumba.
    ___________________________________________________________________

    2 – “militares avaliam que se o navio for aposentado, o Brasil não terá mais uma esquadra”

    – QUEM disse que para se ter uma esquadra é necessário um PA?
    > ESQUADRA é a designação de uma fracção de pessoas, navios ou aeronaves, com vários significados, sobretudo no âmbito militar, mas também no civil.

    > NAS MARINHAS da maioria dos países designa-se “ESQUADRAS” o conjunto de TODOS os seus navios de guerra. Em ALGUMAS marinhas de maior dimensão, a esquadra é UMA DAS divisões da frota, sob o comando de um oficial general.

    – ESTÃO VENDENDO uma coisa que não existe meus caros, e vejo muita gente inteligente comprando essa LEBRE sem se dar conta de que é um BELO GATO PIRENTO e que se ver um rato não saberá o que fazer. ISSO É RIDÍCULO.
    ___________________________________________________________________

    2 – “Dessa forma, vários almirantes de esquadra teriam que ir para a reserva.”

    – WHAT? Que merda é essa? A MB se transformou em uma Casa de Repouso, para VELHOS barrigudos e senis ficarem BRINCANDO de Batalha Naval?

    Hora, vão pra… afff melhor não.

    O diagnóstico é:
    T.P.H. – Transtorno de personalidade histriônica é definido como um transtorno de personalidade caracterizado por um padrão de emocionalidade excessiva e necessidade de chamar atenção para si mesmo, incluindo a procura de aprovação e comportamento inapropriadamente sedutor, normalmente a partir do início da idade adulta. Tais indivíduos são vívidos, dramáticos, animados, flertadores e alternam seus estados entre entusiásticos e pessimistas.
    Podem ser também inapropriadamente provocativos sexualmente, expressarem emoções de uma forma impressionável e facilmente influenciados por outros. Entre as principais características relacionadas estão egocentrismo, desorganização egóica, auto-indulgência, anseio contínuo por admiração, e comportamento persistente e manipulativo para suprir suas próprias necessidades.

    Obs.: Tal transtorno possui traços contundentes de TOC e BIPOLARIDADE tb.

    Sds. aos apreciadores de carne de gato. Qualquer coisa, Eeeestomazil resolve.

    Aos apreciadores de uma boa culinária,
    UM GRANDE ABRAÇO.

  51. Almeida 3 de fevereiro de 2014 at 16:18 #

    Daltonl,

    US$ 100 milhões não compram muitos mísseis nem memo um navio de guerra. Mas o A12 hoje só serve pra ferir e matar marinheiros, tem ABSOLUTAMENTE ZERO VALOR MILITAR, e essa centena de milhões de dólares poderia estar sendo usada para:

    1. Dar rancho pros recrutas e marinheiros;
    2. Manter as fragatas em operação;
    3. Manter os submarinos em operação;
    4. Treinar pessoal com outras marinhas amigas;
    5. Pagar a conta atrasada do diesel dos distritos navais;
    6. Manter os helicópteros voando;
    7. Trocar a porcaria de fuzil M16A2 de todo o CFN;
    8. Reformar o Hospital Naval Marcílio Dias, que está caindo aos pedaços e com cada dia menos equipamento funcionando;
    9. Aumentar o salário do pessoal da ativa;
    10. Aumentar a minha resituição do IR.

    Tá bom pra você ou precisa de mais argumentos?

  52. Almeida 3 de fevereiro de 2014 at 16:23 #

    E olha, mesmo operando de verdade, com AF-1M, Turbo Trackers e etc, continuará tendo ZERO VALOR MILITAR.

    Um navio da década de 1960, com equiamentos e ala áerea da mesma década. Tamo brincando de Vietnã em 2014…

  53. MO 3 de fevereiro de 2014 at 19:12 #

    roger that

  54. GUPPY 3 de fevereiro de 2014 at 22:36 #

    Caro juarezmartinez,

    Se o problema maior é falta de dinheiro então eu retiro minhas esperanças de ver o A12 full porque eu não vislumbro aumentos substanciais nos aportes financeiros para a Marinha. O Guido Mantega tem outras preocupações e o cenário econômico interno e externo sinalizam dias difíceis para o país. Aumento de verbas para a Defesa é improvável.
    Poor São Paulo – A12.

    Abraços

  55. daltonl 3 de fevereiro de 2014 at 22:55 #

    Almeida…

    se vc acha que o NAeSP serve apenas para “ferir e matar marinheiros”, respeito sua opinião, só espero que você respeite a minha opinião que é contrária a sua.

    Marinheiros morrem e ficam feridos em todas as marinhas do mundo em tempo de paz também, faz parte da profissão.

    Quanto a alguns de seus argumentos…até onde sei e se estiver errado, alguém corrija-me, as fragatas estão sim em operação, tres delas revezando-se no Libano inclusive e a média historica de dias de mar continua baixa, desde décadas atrás, não acho que tenha mudado muita coisa.

    Os submarinos a mesma coisa, temos 5 deles e 4 estão em construção ou já encomendados.

    Treinamento com marinhas amigas…sim temos treinado com paises vizinhos, a Independencia esteve nos EUA
    em 2012 onde treinou com o USS Eisenhower, também participamos do programa DESI da US Navy, etc.

    Quanto a aumentar o salário do pessoal da ativa, infelizmente não é assim que as coisas funcionam e o NAeSP tem zero responsabilidade nisso.

    O que eu acho é que a Marinha Brasileira não teve muita opção no fim dos anos 90, já haviam adquirido os A-4s e não se queria perder o que havia sido ganho em 40 anos com o NAeL Minas Gerais.

    Concordo que muito já foi gasto com manutenção mas
    como a Marinha Brasileira poderia saber? Já comentei aqui que a última manutenção pela qual passou o USS Enterprise levou 8 meses a mais do que os 16 meses previstos e custou mais de 650 milhões de dólares quase 50 por cento a mais do que o previsto.

    Pode se alegar que o Big E tinha valor militar, mas, ao mesmo tempo veja as ameaças que os EUA sofrem.
    Voces devem saber algo que eu não sei, então digam-me, qual é o nosso inimigo ?? Pois não vejo o NaeSP aliás nenhum outro navio saindo para a batalha nem a longo prazo.

    Provavelmente não teremos um substituto para o nosso
    NAe ,tentou-se ao menos, mas culpar o NAeSP por todas as mazelas da nossa Marinha é algo que não concordo.

  56. Carlos Alberto Soares 3 de fevereiro de 2014 at 23:55 #

    daltoni,

    descobri o planeta em que você vive:

    http://letras.mus.br/rita-lee/82879/

  57. daltonl 4 de fevereiro de 2014 at 0:35 #

    Quando o Chile comprou o USNS Andrew Higgins foi aquela choradeira por aqui…incompetencia da marinha, oportunidade perdida, etc, etc.

    Se o Chile tivesse comprado os A-4s e em seguida o Foch, muitos estariam falando a mesma coisa.

    Nunca disse que a marinha está bem e sim que ela faz o que pode dentro de uma situação geopolitica bastante tranquila mesmo com o tal do pré-sal.

    Não perco uma noite de sono por conta de IV Frota,
    Coalizão da OTAN ou chineses.

    E já que escrevo tanta bobagem aqui, vai aí uma idéia: façam um abaixo-assinado e prometo que não escrevo mais nada :)

    E Carlos…vá ver se eu estou no B-12 lá em Yokosuka !

  58. rafael oliveira 4 de fevereiro de 2014 at 6:51 #

    Daltonl.

    Você não escreve bobagens, tampouco vive em Marte. Muito pelo contrário. Sempre tem informações confiáveis e abrangentes para compartilhar conosco.

    Ainda assim, nesse caso, discordo da sua opinião.

    A questão é, se não temos inimigos que justifiquem a existência de um NAe, porque o temos?

    Pior, mesmo que levemos em conta as especificidades do setor de defesa, o NAe SP não cumpre sua função o que o torna um desperdício de dinheiro.

    Faça um exercício de imaginação e em vez de Nae, pense que o SP fosse um hospital, que a despeito de ter milhares de médicos e enfermeiros recebendo suas remunerações em dia, consumir energia e material, não atendesse nenhum paciente desde 2005 (ainda que nesse longínquo ano fosse realmente necessário fazer uma grande reforma no hospital para que ele voltasse a funcionar). Isso não lhe revoltaria? Não seria incompetência da administração pública?

    E você pode pensar o mesmo trocando o NAe por uma escola, universidade, usina hidrelétrica, estação de tratamento de esgoto, etc. Há um claro desperdício de dinheiro. E não estou falando apenas dos 100 milhões de reais ou de dólares que gastaram com equipamentos e serviços. Estou falando do soldo dos militares que “trabalharam” no NAe em todo esse período. Esses militares poderiam fazer algo bem mais útil pelos contribuintes.

    Fora a parte que dificilmente o Brasil terá dinheiro para comprar e manter todos os equipamentos desejados. E isso se deve, principalmente, aos gastos excessivos com pessoal, resultado de escandalosas pensões diferenciadas dos militares (assunto de um outro post, no ForTe).

    Por isso, principalmente, que eu defendo a baixa do NAe SP. Ainda que o dinheiro dele não seja repassado mais a MB e que a situação não melhore muito depois disso. Pelo menos, o dinheiro poderá ser usado em algo mais útil.

  59. daltonl 4 de fevereiro de 2014 at 10:25 #

    Grato Rafael pelas palavras, mas continuo achando que estou sendo mal compreendido.

    Não sou advogado do NAeSP, apenas acho e sei que muitos concordam que a compra dos A-4s, a capacidade da marinha ter sua força aeronaval de asa fixa independente da “nojenta” Força de Aviaozinhum do Brasil, a compra de um NAe mais novo e capaz que o “Mingão” foi acertada.

    A manutenção e modernização que viria era sabida que duraria muitos anos e custaria milhões, o que não se sabia pois navio velho é uma caixa de surpresas é que o dinheiro viria em conta-gotas como por exemplo ocorreu com a CV Barroso, além de dificuldades técnicas.

    Alguns aqui talvez até por sarcasmo defendem que o
    NAeSP vire um recife artificial…algo completamente inviavel.

    Quando a modernização do NAeSP deveria ter sido interrompida ? 2009, 2010 ? Não é algo fácil de precisar.

    Provavelmente alguns dentro da Marinha ainda sonhem com um sucessor e talvez pensem que valha a pena
    sacrificar alguns combatentes de superficie/escoltas e
    tentar manter viva a doutrina.

    O Foch e os A-4s nunca foram pensados para combate e talvez seja ingenuidade minha, mas não consigo encontrar nenhum oponente futuro e mesmo a nossa “rival” Argentina que sempre nos serviu de estimulo na
    conquista da hegemonia naval, é uma sombra do que um dia foi.

    Acho um pouco “pesados” alguns comentários que pedem a eliminação do NAeSP, como se fosse fácil, a cabeça do Almirante, etc, porque vazou óleo de novo e tres tripulantes foram ligeiramente queimados.

    Não irá acontecer e pronto ! Dois terços da tripulação não darão baixa forçada e não veremos o NAeSP sendo rebocado até a India para ser desmantelado…ao menos não agora.

    Mas falta pouco…uma decisão será tomada em breve se de fato o PRONAe é uma realidade ou então, o mais provável é que abandonaremos a aviação de asa fixa embarcada.

    No mais, acho que o MO e eu não veremos duas Oliver Perry com as cores da marinha com o dinheiro que seria economizado com a baixa do NAeSP.

    Uma pena…mas acho que o “pessoal” iria criticar aquela canhãozinho de 25 mm que algumas Perrys possuem no lugar do lançador de mísseis…no caso de serem incluídos na venda :)

    grande abraço

  60. rafael oliveira 4 de fevereiro de 2014 at 11:14 #

    Almirante Daltonl.

    Eu sou a favor da MB ter aviões para defesa da frota e ataque a navios inimigos. Só acho caro demais manter um NAe, principalmente se levarmos em conta que “estamos construindo” um submarino nuclear.

    Como você mesmo disse, navio velho é uma caixa de surpresas (desagradáveis rs). Além disso, a MB já deveria estar escaldada com a falta de verbas para manutenção de seus navios, já que se trata de fato corriqueiro no Brasil. Por isso, não acho tão imprevisível assim essa situação do NAe.

    O fato de vazado óleo e ter dado um susto em 3 tripulantes não é algo tão grave. Ossos do ofício. Se os marinheiros fossem PMs ou trabalhassem em chão de fábrica veriam que a coisa, no mundo real, costuma ser bem pior que isso.

    Esse para mim, nem de longe, é o maior problema. O problema é ele não cumprir sua função. Aliás, mesmo “full” com os A-4, não conseguiria cumprir. Os únicos inimigos que ele tem condições de enfrentar, poderiam ser enfrentados com aviação em terra (veja que estou falando do SP; porta-aviões dos EUA fazem muito mais que aviação em terra).

    E acho que nem para manter doutrina ele tem servido. Se havia alguma ela já deve ter se perdido há um bom tempo. Se conseguiu se manter, é porque não precisa de um NAe para ser mantida.

    Acho que o GF e a MB deveriam ter a hombridade de reconhecer a “pouca utilidade dele” e dar baixa. Mas não sou ingênuo e concordo que isso não irá acontecer. O único jeito dele dar baixa é sofrer um acidente e afundar, algo não muito difícil dado o histórico recente da MB.

    Aliás, acho que não será tomada decisão alguma em breve, e a MB o manterá por muitos anos ainda, desse jeito aí, quem sabe conseguindo ir até Santos e fazendo algumas catapultagens.

    Eu, se fosse do GF e a MB me pressionasse para decidir o Prosuper, diria, ironicamente: mas vocês não precisam de novas escoltas. Vocês tem um porta-aviões Poucos países no mundo tem um porta-aviões para fazer frente ao SP. Estamos protegidos. Nem OPs velhas eu compraria rs.

    Grande abraço.

  61. daltonl 4 de fevereiro de 2014 at 12:04 #

    Oi Rafael….

    a razão pela qual acho que uma decisão será tomada em breve é que o NAeSP não poderá aguentar-se além de 2025.

    Sei que sou um dos poucos que acreditam que o NAeSP ainda tem alguma utilidade e que a doutrina não foi perdida e necessariamente não precisariamos que um hipotetico sucessor estivesse pronto em 2025, mas seria ideal que ao menos já tivesse sido lançado ao mar.

    Fiz uma brincadeira alguns dias atrás, onde o contrato seria assinado em 2015, a construção de fato começaria em 2018, lançamento em 2022 e entrega a Marinha em 2025.

    Agora andam flutuando por aí, outra data mistica:2028!

    Here comes again: contrato assinado em 2018, construção iniciada para valer em 2021, lançamento em 2025 e entrega em 2028.

    No papel tudo é fácil…assim como a END…que não passa de uma orientação, um estudo, algo que já foi feito antes com outros nomes e que acabou rendendo
    muito menos que o esperado.

    Ou seja, ou se decidem pela construção do “Rio de Janeiro”, A 13, um toque criativo da minha parte, logo,
    ou então o NAeSP será retirado de serviço muito antes
    do sucessor estar terminado.

    grande abraço

  62. juarezmartinez 4 de fevereiro de 2014 at 12:10 #

    Dalton! Tu és o nosso “Admiral” aqui no PN, eu, tenho imenso respeito pela tua pessoa, mesmo sem te conhecer pessoalmente, e se tem dois textos que eu unca deixo de ler são os teus e os do Bosco, sempre norteadoado pela amparo técnico e bom senso. Agora meu irmão este troço do SP já deu o que tinha que tinha que dar. Amigão a MB não tem gente qualificada para manter e operar, o GF não vai botar dinheiro no orçamento de custeio e com o temporal que se avizinha na nossa economia, as coisas vão apertar muito mais.
    Penso, acredito, acho que seria melhor repensar a missão e partir apara lgo menor, mais polivalente, mais moderno e menos oneroso.

    Caro Dalton, a MB tem que olhar para marinhas modernas que fazer chover com orçamentos similares a nossa, mas prezam pela padronização de todos os meios, limitam a quantidade de pessoal ao nível que seja possível mante-los remunerados com dignidade e coma importãncia da missão deles e lhes dá´condições de tabalho, a MB, infelizmente vai no caminho contrário.

    Dá uma olhada quantidade almirantes da RAN, da RCN, da Real marinha Espanhola e por aí vai, e agora veja a MB….

    Amigo, tuas opiniões aqui sempre serão respeitadas e ouvidas com muita atenção.

    Grande abraço

  63. daltonl 4 de fevereiro de 2014 at 13:08 #

    Grato Juarez…

    faço minhas suas palavras. As vezes na “correria” nem sempre conseguimos dizer o que pensamos na hora da escrita.

    O que tentei fazer de uma maneira muito frágil admito foi tentar compreender o que se passa na Marinha e escrever aqui, que é um de meus hobbies nada mais que isso, já que gente lá de dentro e com o devido conhecimento não pode manifestar-se.

    Não trata-se aqui de preferencia pessoal ou conhecimento do que é melhor ou pior e sim tentar colocar-se no lugar de quem toma as decisões e porque as toma.

    Como costumo dizer…minha marinha preferida é a US Navy…a MB é hors concours e não trata-se de ufanismo,
    nacionalismo ou outros ismos, é coisa do coração mesmo
    e as vezes até por conta disso posso exprimir-me mal.

    abraços

  64. sergiocintra 7 de fevereiro de 2014 at 11:24 #

    juarezmartinez 2 de fevereiro de 2014 at 18:58 #

    Meu amigo!

    Só um novo!
    E não é só o A-12, é uma geração nova.
    Até q a terra é boa.

    Abraços.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Submarino alemão é encontrado afundado na costa dos EUA

  Pesquisadores informaram nesta terça-feira (21) a descoberta de um submarino alemão e de um cargueiro nicaraguense que afundaram na […]

Fotos do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ em construção na China

Confira as fotos do lançamento ao mar do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico “Vital de Oliveira” em Xinhui, na China. O […]

Baixe 7 edições da revista Forças de Defesa e doe quanto quiser

Agora você poderá baixar para o seu computador, tablet ou smartphone as melhores reportagens da nossa revista impressa Forças de […]

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]

Rússia diz que submarino ‘misterioso’ na Suécia é da Holanda, mas holandeses negam

A Rússia foi acusada de ter enviado o submarino ao local, mas negou. Porém, segundo jornal sueco, a Holanda também […]