domingo, setembro 19, 2021

Saab Naval

Array

Testes de aceitação marítima com fragatas colombianas da classe Almirante Padilla são bem sucedidos

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

ARC Independiente

São Paulo, 18 de março de 2014 – A Thales e a DCNS anunciaram o amplo programa de modernização das quatro fragatas da classe Almirante Padilla, da Marinha colombiana, concluindo com êxito o Teste de Aceitação Marítima do quarto navio. Assinado no inicio de 2009, o contrato tem a Thales como integradora líder de sistemas para a suíte de sistema de combate e comunicações e a DCNS como contratante principal.

A Thales e o estaleiro local, Cotecmar, instalaram e integraram nas quatro fragatas seu radar de vigilância SMART-S Mk2 e os sistemas de controle de armas eletro-óptica STING EO Mk2, de controle de armas optrônico MIRADOR, de medidas de apoio eletrônico VIGILE 200S, de comunicações e de lançamento de decoys SKWS Terma. Além disso, a Thales modernizou os sistemas de comunicação inteligente (COMINT) das embarcações Altesse.

“Este programa demonstra que a Thales é perfeitamente capaz de realizar um grande programa de modernização dentro do prazo acordado e atendendo os requerimentos do cliente. Também demonstra que modernizar plataformas existentes é uma boa maneira de ampliar consideravelmente seu ciclo de vida e melhorar substancialmente a capacidade dos navios”, afirma Aniss Aqallal, Diretor Geral da Thales na Colômbia. “Nosso êxito no programa Padilla ressalta o nosso forte comprometimento com a estratégia de Defesa da Colômbia, destacado pelo Ministro de Defesa, Juan Carlos Pinzón, durante o seu discurso na cerimônia final dos testes de aceitação”, completa.

De acordo com Pierre Legros, Vice-Presidente de Surface Naval Systems da DCNS, a bem sucedida modernização das fragatas demonstra a capacidade para dirigir a gestão geral do projeto do programa de modernização até a completa satisfação do cliente. “A DCNS se baseia na expertise do estaleiro Coctemar, que foi selecionado pela Marinha Nacional da Colômbia, e de seus parceiros, em primeiro lugar a Thales, respeitando o acordo de Governo a Governo assinado entre a França e a Colômbia”, afirma Legros.

DIVULGAÇÃO: CDN Comunicação Corporativa

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -

Últimas Notícias

Como foi feito o acordo entre a Austrália, Reino Unido e EUA para o compartilhamento da tecnologia de submarinos nucleares

The Times: ‘Como uma cena de Le Carré’: como o pacto do submarino nuclear foi o maior segredo do...
- Advertisement -