CV Frontin V33 - Classe Inhaúma

ClippingNEWS-PAFontes ligadas à Marinha do Brasil informaram à coluna que quatro corvetas em ótimo estado – incorporadas entre 1989 e 1994 – pertencentes à classe Inhaúma (Inhaúma, Jaceguai, Júlio de Noronha e Frontin), estão fora de operação já há algum tempo, devido à falta de recursos da Força Armada para fazer a sua manutenção e substituição de peças. Essas unidades foram construídas no Brasil, com projeto desenvolvido pela Diretoria de Engenharia Naval com consultoria técnica da empresa alemã Marine Technik através de contrato assinado em outubro de 1981.

Nessa época a Marinha mantinha estreito relacionamento com a Alemanha que, através da empresa Ferrostal, financiava a construção dos submarinos da classe Tupi e também abriu financiamento para as corvetas, inclusive para a compra de equipamentos e armas, mesmo que em empresas não alemãs. Nesta mesma época estava em andamento, em parceria com os alemães, o projeto do Submarino Nacional. Este relacionamento incluía o projeto do Snac I, que seria o primeiro submarino de projeto nacional e seria um modelo para o futuro Snac II, que seria com propulsão nuclear. A Marinha chegou a preparar uma equipe de cerca de 30 engenheiros para trabalhar neste projeto que mais tarde passaria se chamar SMB 10.

No entanto, por decisão política – o que é um direito do governo, uma vez que nada se faz em Defesa sem aprovação da Presidência da República – os franceses da DCNS, aliados à gigante Odebrecht, conseguiram vender um programa de 6,5 bilhões de euros para desenvolver e construir quatro submarinos convencionais e um casco de submarino nuclear (cujo desenvolvimento do reator depende ainda de outro programa, também vultoso). O resultado é que, com isso, não se tem recursos suficientes para colocar em operação os navios que deveriam estar patrulhando nossas águas. Não parece um contra-senso? É como se um cidadão tivesse um Santana enguiçado na garagem, mas fizesse um financiamento para comprar um Mercedes CLC 3000…

Há diversas explicações para este programa com os franceses, mas a que parece mais crível está em arranjo político do Governo Lula com o então Governo da França. O programa nuclear da Marinha ficou parado durante muitos anos não somente por falta de dinheiro, mas porque também existia uma corrente na Marinha que não concordava com os altos gastos que vinham sendo feitos, embora eles realmente tenham trazido tecnologia independente e própria para o Brasil. Foi relevante a influência do “comandante Othon” – Othon Pinheiro da Silva (hoje almirante reformado) e presidente da Eletronuclear desde 2005. A queixa de setores da Marinha é a de que o mega-projeto de submarinos (Prosub), que era do orçamento federal e passou ao da Marinha, suga recursos de outras áreas – pois não pode haver atraso no pagamento aos franceses. Com isso, ocorrem anomalias, como a falta de dinheiro para manutenção das corvetas. Todo ano, R$ 2 bilhões vão para o Prosub – enfraquecendo outros setores da Marinha.

Construídos no Arsenal da Marinha (AMRJ) e no antigo estaleiro Verolme, em Angra dos Reis – hoje Brasfels – as corvetas são dotadas de mísseis Exocet e canhões de 144 mm, além de armas anti-submarino e área para pouso de helicóptero orgânico. Hoje, esses navios estão ultrapassados, mas, ainda assim, foi o que o país construiu ou comprou de mais moderno desde a década de 1980, à exceção dos navio-patrulha classe Amazona (três unidades), que vieram novos da Inglaterra, e dos navios de patrulha de 500 toneladas classe Macaé (dois em serviço e cinco em construção no Estaleiro Eisa, do Rio), além de alguns navios menores para hidrografia e lanchas patrulhas. O porta-aviões São Paulo é muito antigo. Era o porta-aviões Foch da Marinha francesa e, como as corvetas, está sem uso.

FONTE: Monitor Mercantil / Coluna Primeira Linha, Sergio Barreto Motta

Tags: , ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

21 Responses to “Submarinos exaurem verbas da Marinha” Subscribe

  1. juarezmartinez 20 de março de 2014 at 13:11 #

    Jesuixxxxxxxxxxx, eu te suplico não traga tantas verdades a tona de uma só vez, tenha pena deles, são apenas seres desprovidos de luz.

    Buenas, cevando o mate, despacito no mas, mirando a sequência do funeral da outrora glrosa Marinha do Brasil, hoje vivendo de favor, de migalhas e servindo não ao país mas a uma ideologia, infelizmente.

    Almirante Moura Neto, se tens um pingo de vergonha cara, respeito por seus comandados e principalmente pelos contribuintes Brasileiros, peça o boné, pegue o pijama e vá para casa.

    Grande abraço

  2. edurval 20 de março de 2014 at 13:23 #

    Que texto mais mequetrefe, ri muito ao ler esse texto, quer dizer então que o Prosub e o responsável por 4 escoltas não estarem operacionais ?????

    Quer dizer que PCF São Paulo (porta coral flutuante) não tem nenhuma responsabilidade no problema, esta querendo me convencer que a marinha foi forçada pelo governo a aceitar o Prosub e pior que o nosso Almirantado tem total inocência nessa atual situação

    E pior o povo acaba formando a sua opinião com esse texto idiota.

    Senhores, sim o GF tem culpa na situação mais não é o único culpado!

  3. aldoghisolfi 20 de março de 2014 at 14:11 #

    A soma da roubalheira na Petrobrás permitiria que tivéssemos uma grande e poderosa frota de superfície, além de uma excelente flotilha de subs. convencionais. OU ISSO NÃO É VERDADE?

    AGORA, 4 corvetinhas não poderem ter sua manutenção operacional em dia, por causa dos subs é a mesma coisa que a Dilma dizer que decidiu pela compra da refinaria NA em cima de documentação incompleta e o Lula dizer que de nada sabia. É a safada incompetência debochando (demais!) de todos nós!

    SAUDADES DOS VELHOS GENERAIS E DO JEFFERSON PERES!

  4. Jackal975 20 de março de 2014 at 15:26 #

    Sempre soube que o programa de submarinos, especialmente do tal “submarino nuclear”, era um desejo antigo da Marinha brasileira. Já esse texto dá a entender que a Marinha foi obrigada a engolir os submarinos e que eles estão causando a ruína da esquadra. Vai entender.

  5. Fernando "Nunão" De Martini 20 de março de 2014 at 17:00 #

    Jackal975,

    Na verdade, o articulista faz menção a esse desejo antigo da Marinha, de desenvolver o submarino nuclear (inclusive com projetos próprios). Isso está bem claro no segundo parágrafo.

    O problema é que, deste segundo para o terceiro parágrafo, o articulista dá um salto enorme no tempo sem explicar o que deu errado no programa de projetos de submarinos já no final da década de 1980 (basicamente foi a falta de verbas que fez os projetos estacionarem, não conseguindo chegar ao comprometimento de recursos das fases detalhadas e de produção) e o contrato com os franceses neste novo século. Muita coisa aconteceu (e também, principalmente, não aconteceu) nesses 20 anos de lapso temporal.

  6. MO 20 de março de 2014 at 17:01 #

    oi Fernandinho, isso eh uma loucuuuura

    em tempo = http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2014/03/psv-bravante-v-v7yv5-retorna-ao.html

  7. Fernando "Nunão" De Martini 20 de março de 2014 at 17:06 #

    Po, MO, falando em navios em Santos, vi outro dia no seu blog que o Curintia dois já não se chama mais Curintia dois…

    Lembro do tempo em que a gente cogitou se o Ronaldo estava vindo nele!

    http://www.naval.com.br/blog/2008/12/10/sera-que-ja-vem-trazendo-o-ronaldo/

    Ainda bem que pelo menos esse ex-Curintia não foi eliminado do campeonato dos bunecos top. rsrsrsrs

    Pinico de pardaaaaal !!!

  8. Baschera 20 de março de 2014 at 18:12 #

    A matéria até começo bem… mas depois naufragou ou ficou a deriva.

    Mencionou as Inhaúma, mas não citou o sucateamento de uma F-22, do Ceará. do Rio de Janeiro…. tudos sucateados por falta de vergonha… ops… de grana.

    Não menciona que antes do negocio de pai-para-Lula entre a DCNS a “empreiteira financiadora-de-campanha-que-depois-cobra-em-dobro” era um Opalão enferrujado e podre que comia o pouco que sobrava das verbinhas que o GF destina a MB.

    Claro que hoje em dia, comparado com as verbas necessárias para tocar o estaleiro, a fabrica de cascos e a futura “panela de pressão que submerge”… é merreca.

    Noves fora, este negócio, aquele que nos entubou 51 helicópteros mancos e mais esta nova (mas que se falava desde 2006…) da refinaria que um dia foi adquirida por Us$ 40 milhões e na semana seguinte a Petrobrás comprou por US$ 1,2 bilhão…. tem muito nego esperando só a poeira baixar para sair comprando mansão, iate e condomínio inteiro em Miami.

    E o salário óooo………..

    Sds.

  9. joseboscojr 20 de março de 2014 at 18:15 #

    Falam tanto do F-35 ser mal gerido porque há 100 unidades que ainda não estão prontas para o combate, mas pelo menos estão aprendendo a voar nele, a trocar pneu, etc.
    E quanto ao nosso submarino nuclear que deve ficar pronto antes de ter uma esquadra pra operar?
    Isso sim é que é meter os pés pelas mãos.

  10. Baschera 20 de março de 2014 at 18:36 #

    Errata: “começou” e não “começo” !!

    Sds.

  11. MO 20 de março de 2014 at 18:49 #

    em tempo = http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2014/03/mv-triglav-a8nn8.html

    11 photos

  12. MO 20 de março de 2014 at 18:52 #

    eh e ta aqui o ex Go Curinthia II, sai agora 1930 h, vou la fotografar afinal eh go Curinthia mas eh 5 estrela … kkk

    isso eh coisa de penico de pardalllllll uma loucuuuuura !! kkkkkk

  13. juarezmartinez 20 de março de 2014 at 20:04 #

    E ainda quero ver quando os qutro submarinos estiverem prontos eles fazerem o mais dificil;

    MANTER E OPERAR, poque ter não siguinifica operar…..

    Grande abraço

  14. Corsario137 20 de março de 2014 at 21:08 #

    Não é de hoje que se fala aqui que o submarino nuclear brasileiro é o mais letal de todos: sozinho destruirá a esquadra inteira!

    E ainda tem sapiência falando de segunda esquadra e compra de Mistral.

    Em dez anos a MB será a esquadra esquizofrênica: submarino nuclear e NaPaOc.

  15. Corsario137 20 de março de 2014 at 21:10 #

    PS: vim pro Naval porque depois da Crimeia a Rússia invadiu o Aéreo!

  16. juarezmartinez 20 de março de 2014 at 22:12 #

    Será que esta noticia vai sair no “NAD”, ou vai ser sençurada pela “komandatura”???

    Grande abraço

  17. Colombelli 21 de março de 2014 at 2:37 #

    Conclusão: Se e quando ( 99,9% de chance que não) o sub nuclear se tornar operacional, teremos só ele e talvez alguns convencionais (tomará, mas estes está garantido no pacote da financiadora de campanha) para fazer frente as ameaças, pois o resto já terá ido pra sucata.

    Volto a questionar: a quantas anda o PROSUPER? Se há propostas entregues, quais são as ofertas? Quais os detalhes do pacote de cada oferta? Quem encaminhamento está sendo dado? Ninguem sabe de nada.

    Por ora, o que se tem de concreto é 5% milhões orçados para o projeto da futura Barroso II (orçado não necessariamente executado). Nada mais. Se eu estiver muito enganado por favor me corrijam.

  18. Chega 21 de março de 2014 at 8:27 #

    O que a matéria não diz é que a Corveta mais nova dentre as quatro, a V-33 Frontin, será desativada. As outras continuarão incorporadas em estado vegetativo.

    E o São Paulo, que nem navio consegue ser. Aeródromo já deixou de ser Há 10 anos.

    Que vergonha nacional

  19. phacsantos 21 de março de 2014 at 9:02 #

    OFFTOPIC

    Legenda de uma foto do “The Guardian”:

    “BAE Systems is making this ship for the Brazilian Navy later this year on the Clyde in Scotland.”

    http://www.theguardian.com/business/2014/mar/20/bae-warns-risk-from-scottish-independence

    Algo que não fomos avisados?

  20. daltonl 21 de março de 2014 at 10:52 #

    Não. Apenas usaram uma foto e legenda antiga para
    enaltecer o trabalho do estaleiro.

    Se de fato houvesse um quarto Amazonas em construção
    no momento não teria como não ter sido postado aqui.

    abs

  21. eduardo.pereira1 21 de março de 2014 at 10:52 #

    Do geito que está , só rolando (quando sai alguma coisa nova) notícias ruins sobre a MB até que seria bacana repentinamente se confirmar a encomenda <na surdina, da MB de mais navio (s)?? classe Amazonas, mas…..

    Sds.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]

Rússia diz que submarino ‘misterioso’ na Suécia é da Holanda, mas holandeses negam

A Rússia foi acusada de ter enviado o submarino ao local, mas negou. Porém, segundo jornal sueco, a Holanda também […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

Suecos investigam presença de submarino estrangeiro perto de sua capital

Submarino estrangeiro estaria operando no Arquipélago de Estocolmo, do qual faz parte a capital da Suécia, o que levou ao […]

Mora em Brasília ou está na cidade? Então experimente um simulador da Marinha

Simulador de Aviso de Instrução, utilizado pelos aspirantes da Escola Naval no Rio de Janeiro (RJ), além de maquete da […]