Lancha Patrulha de Rio começa a operar na Tríplice Fronteira

Lancha Patrulha de Rio começa a operar na Tríplice Fronteira

60
12
SHARE

Lancha de Rio

No dia 31 de março, após uma travessia de seis dias navegando na calha do Rio Solimões, de Manaus a Tabatinga, no Amazonas, a Lancha Patrulha de Rio (LPR-01), subordinada ao Comando da Flotilha do Amazonas chegou à região de Tríplice Fronteira entre o Brasil, Colômbia e Peru.

Durante todo o percurso, a Lancha teve o apoio do Navio-Patrulha Fluvial (NPaFlu) “Raposo Tavares”, com fornecimento de combustível, água e gêneros, o que possibilitou a realização da logística inerente à região amazônica.

Em Tabatinga, a LPR será empregada nas ações de patrulha naval, sob coordenação do NPaFlu “Raposo Tavares” e atuará, também, em inspeções navais coordenadas pela Capitania Fluvial de Tabatinga (CFT).

Devido a sua blindagem completa e equipamento FLIR, instalado a bordo, a operação da LPR-01 em Tabatinga garantirá maior segurança para o pessoal a bordo, além do incremento na qualidade e quantidade das abordagens às embarcações daquela região, especialmente no período noturno.

As Lanchas Patrulhas de Rio foram adquiridas na Colômbia em decorrência do contrato firmado entre a empresa Corporacion de Ciencia y Tecnologia para El Desarrollo de La Industria Naval Maritima e Fluvial e a Marinha do Brasil.

FONTE: Marinha do Brasil

12 COMMENTS

  1. Bom mesmo estão os Avisos Patrulha que começaram a ficar confusos.

    Um colega nosso, o Henrique Ferrinho, fotografou um com o nome Barracuda (também tem noticia do CCSM com ele) e indicativo GptPNSE-03 (Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sudeste).

    O problema é que tem um outro Barracuda – GptPNNE-01 do Grupamento de Patrulha Naval do Nordeste (Natal). A pergunta: É a mesma embarcação com subordinação transferida ou é outra.

    Ta parecendo que o Ensign Osso entrou em ação novamente.

  2. Xará eu tenho as fotos deste aviso com os diferentes indicativos de costado, mas acho que é a mesma unidade que foi transferida do nordeste para o Rio.O pior é uma foto que foi postada no site da MB em que aparece a chalana balizadora “LUFADA” e encoberta por ela aparece uma unidade com o indicativo de costado H17 bem visível e ninguém da MB (e olha que mandei vários e-mails para um monte de lugares do Comando Naval) sabe informar que unidade é esta.Um abração do MENDES.

  3. Mendes…

    não vi a foto, mas por um acaso não seria uma foto
    do Caravelas H 17 pertencente à classe Paraibano
    de seis unidades.

    Provavelmente não é, pois voce mais do que ninguém
    deve conhecer …até na Enciclopédia Barsa o nome dele aparece…mas…talvez tenha dado um branco , então resolvi arriscar.

    abraços

  4. comprando mais dois – um para o Nordeste e outro para a regiao sul, acredito que estaremos prontos para defender as fronteiras… e meia duzia mais poderiam substituir as Niteroi.

  5. aldoghisolfi, infelizmente eu ainda não sei como posso colocar uma foto aqui, mas a foto em questão foi colocada por mim no meu facebook (josé Henrique mendes).Um grande abraço do MENDES.

  6. Nem eu consegui identificar esse H 17…hehehehe

    Essas unidades distritais são difíceis de acompanhar e o que acaba ajudando um pouco são os registros fotográficos, hoje mais fáceis com a popularização das câmeras digitais.

    Vou acertar a pagina da Barracuda no NGB porque daqui a alguns anos nem a MB vai saber o que aconteceu. 😉

Deixe uma resposta