Home Infraestrutura Obras do Núcleo do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sul-Sudeste...

Obras do Núcleo do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sul-Sudeste são iniciadas

472
22

Navio-Patrulha Guajará- P 44 - foto Nunão - Poder Naval

Estrutura pertencente ao desativado Serviço de Sinalização Náutica em Santos-SP

Em nota divulgada em 5 de outubro, a Marinha do Brasil informou que foi iniciada a primeira fase das obras que possibilitarão a ativação do Núcleo do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sul-Sudeste, subordinado ao Comando do 8º Distrito Naval, em Santos (SP). O início dessa primeira fase de obras deu-se em 26 de setembro.

Estrutura provisória para ativar núcleo do com do grup de patnav do Sul-Sudeste - foto MBA estrutura provisória será ativada em uma área de aproximadamente 600 m² adjacente ao galpão da Patromoria da Capitania dos Portos de São Paulo. A conclusão das obras está prevista para o início do ano de 2015 e se dividem nas seguintes fases: demolição da antiga estrutura do desativado Serviço de Sinalização Náutica em Santos; nivelamento de piso; construção em alvenaria e dry wall; e instalações hidráulicas e elétricas.

A ativação do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sul-Sudeste intensificará a presença da Marinha do Brasil na região do maior complexo portuário da América Latina, responsável pela movimentação de aproximadamente 25% do comércio exterior brasileiro e dotará o Comando do 8º Distrito Naval de um Grupamento Operativo capaz de realizar Patrulha Naval na região do pré-sal contígua ao estado de São Paulo.

Navio-Patrulha Guajará- P 44 - foto 2 Nunão - Poder Naval

FONTE / FOTO MENOR: Marinha do Brasil (destaque em negrito do Poder Naval)

FOTOS MAIORES (em caráter meramente ilustrativo): Poder Naval

VEJA TAMBÉM:

22 COMMENTS

  1. É comum a presença de navios-patrulha subordinados ao 1ºDN (do Rio) desdobrados em Santos, para as tarefas de Patrulha Naval.

    Creio que essa obra, somada a outras que ampliaram as instalações da Capitania dos Portos de São Paulo em Santos, na última década, signifique que em breve teremos navios-patrulha subordinados ao 8º DN permanentemente baseados em Santos.

    Será importante, para isso, que o cronograma de entregas de novas unidades da classe Macaé de 500t não atrase ainda mais porque é preciso realmente aumentar a frota atual de navios-patrulha que opera nos Distritos Navais da costa, cuja espinha-dorsal é formada por 12 navios da classe Grajaú de 200t (como o das duas fotos maiores da matéria).

    Atualmente os 12 “Gururus” são complementados por apenas 4 da classe Bracuí, pelos dois primeiros Macaé e pelas duas remanescentes Imperial Marinheiro, além dos três novos navios-patrulha oceânicos classe Amazonas e eventualmente pelos rebocadores de alto-mar – ainda é pouco quando dividimos pelos seis Distritos Navais da nada pequena costa brasileira (dá pouco menos de quatro navios-patrulha por distrito quando contamos o 8ºDN), e a classe Grajaú (sem falar nas Imperial Marinheiro) não vai durar pra sempre e sua substituta natural é a Macaé, bem atrasada.

  2. Concordo inteiramente com tudo que tu falou FERNANDO, vamos aguardar para ver o que acontece. Adorei as fotos postadas e inclusive gostaria de sugerir ao pessoal do PODER NAVAL a criação de um álbum de fotos para que todas as fotos que a equipe tivesse, mesmo aquelas que fossem publicadas nos posts pudessem ser disponibilizadas para o público que acompanha o PODER NAVAL.

  3. daltonl, boa tarde!

    Mas que bandeirinha… fotos dos dois bordos e ela não aparece… enfim, acredito no que dizes.

  4. Aldo, clique na última imagem para ampliar e conseguirá ver a bandeira. No momento exato em que tirei a foto, ela não estava “enfunada”, só isso. Mas está lá, apesar de pouco visível.

  5. Aliás, dá pra ver também na primeira imagem, mas é preciso ampliar bastante (bastante mesmo…), pois está bem escondida pelo mastro, só aparecendo um pedacinho de verde, perto do radar, mais atrás.

  6. “Augusto
    13 de outubro de 2014 at 12:23 #”

    Ótimo link e comentários caro Augusto.

    No link abaixo uma pequena amostra de um país com um litoral com cerca de 270/280 km. Tamanho, mais ou menos do estado de Sergipe.

    https://www.facebook.com/israel.navy/photos/a.283474418389654.63721.180384905365273/732263233510768/?type=1&theater

    http://www.idfblog.com/spanish/

    Aqui aposentamos nau com menos de 25 anos de uso, modernizamos naus que estão a mais de cinco anos no estaleiro, temos uma Nae para tirar fotos, mas vamos construir um Sub Nuc, sim em 2035/40 ………..

    “A estrutura provisória será ativada em uma área de aproximadamente 600 m² adjacente ao galpão da Patromoria da Capitania dos Portos de São Paulo. A conclusão das obras está prevista para o início do ano de 2015 e se dividem nas seguintes fases: demolição da antiga estrutura do desativado Serviço de Sinalização Náutica em Santos; nivelamento de piso; construção em alvenaria e dry wall; e instalações hidráulicas e elétricas.”

    Vira noticia,

    FONTE / FOTO MENOR: Marinha do Brasil (destaque em negrito do Poder Naval)

  7. Boa a noite a todos!

    “A ativação do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sul-Sudeste intensificará a presença da Marinha do Brasil na região do maior complexo portuário da América Latina, responsável pela movimentação de aproximadamente 25% do comércio exterior brasileiro e dotará o Comando do 8º Distrito Naval de um Grupamento Operativo capaz de realizar Patrulha Naval na região do pré-sal contígua ao estado de São Paulo.”

    Sinceramente, o 8º DN, há muito já deveria possuir um Grupamento operativo e também dos CFN.

    Na década de 1980, atuei na região do litoral norte de SP, na área náutica, e era lamentável os recursos e condições dos equipamentos da delegacia naval de São Sebastião, mal podendo atender e fiscalizar o esporte e recreio, quanto menos o porto e Tebar, não diferente os recursos de Santos.

    Lembro-me como hoje as reportagens sobre pirataria e contra-bando nas regiões portuárias no litoral paulista!

    Felizmente, com a desculpa do pré-sal, a MB esta conseguindo os recursos necessários para transformar o 8º DN em uma OM de fato operacional!

    Agora passaremos a contar com 06 Grupamentos de Patrulha Naval:

    – GPNN, 4º DN em Belém;
    – GPNNE, 3º DN em Natal;
    – GPNL, 2º DN em Salvador;
    – GPNSE, 1º DN no Rio de Janeiro;
    – GPNSSE 8º DN em São Paulo;
    – GPNS, 5º DN em Rio Grande;

    12 – NaPaOC – Classe Amazonas;
    36 – NaPa500 – Classe Macaé;
    24 – NPaCos – Classe Grajaú;
    24 – AvPa – Classe Marlim;
    12 – RbAM;

    Assim distribuídos em cada GPN:

    2 – NaPaOC – Classe Amazonas;
    6 – NaPa500 – Classe Macaé;
    4 – NPaCos – Classe Grajaú;
    4 – AvPa – Classe Marlim;
    2 – RbAM;

  8. MAD DOG, que susto…. ainda bem que explicou, estais apenas sonhando acordado kkkkk, 36 Napa 500 e 24 Grajaú ? Já me contento com 12 Macaé.Abraços

  9. Vamos lá, vou fazer um exercício de achismos, considerando que a MB têm que construir os Submarinos,as escoltas, os navios de patrulha fluvial, os navios de apoio (tanque), navios anfíbios,navios de minagem-varredura, colocar o São Paulo para navegar etc…A nossa patrulha oceânica vai ficar assim nos próximos 15 anos:

    3 Amazonas
    5 – 7 NpaOc de 1800 a ser selecionado pelo prosuper
    7 – 27 Napa 500 ( sonho )
    12 Grajaú

  10. nunes neto

    Pelo menos ainda não paga imposto pelo sonho! Ops, paga sim o sonho na padaria é taxado!!! Kkkk

    Mas enfim, no PEAMB da MB, lá também sonham em 12 NaPOc e 27 NaP 500t, 12 AvPa, mais 04 NaPaCos e 13 RbAMs;

    Aí, teoricamente, poderá ficar mais ou menos assim:

    12 – NaPaOC – Classe Amazonas;
    27 – NaPa500 – Classe Macaé;
    16 – NaPaCos – Classe Grajaú;
    04 – NaPaCos – Classe Bracuí;
    12 – AvPa – Classe Marlim;
    12 – RbAM;

    Assim distribuídos em cada GPN:

    2 – NaPaOC – Classe Amazonas;
    4 – NaPa500 – Classe Macaé;
    3 – NaPaCos – Classe Grajaú/ Bracuí;
    2 – AvPa – Classe Marlim;
    2 – RbAM;

    Ficando ainda sobrando, 03 NPa500, 02 NPaCos e 01 RbAM;

    E o sonho continua…!!! rs

  11. Seguindo com os sonhos:

    estaria faltando helis nesses DN… nossa capacidade de resposta e resgate é pífia.

    Quantos helis por DN?

    rs

    Sds.

  12. “…cobre três Distritos Navais ao mesmo tempo. No ultimo período de manutenção ele tava no pau da goiaba.”

    Parece que vamos precisar de mais alguns OPV, na Wikipedia em inglês “corvette”, classe “Amazonas”…

    “Vamos continuar com mísseis da década de 1980? Com a palavra, o comando da Marinha…”

    Enquanto permanecer esse viéz francês na MB, duvido que mudem algo.
    E não é por falta de modelo de míssil, p/ escolher.

  13. MAD DOG, exclui essas 4 bracuí, já está na hora de substitui=las , eu acho que das Napa 500 se chegarmos a 20 já é um sonho, tá muito enrolado a coisa.ABÇS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here