Home Reportagem Mar del Plata recebe navio oceanográfico alemão comprado pelo governo Kirchner

Mar del Plata recebe navio oceanográfico alemão comprado pelo governo Kirchner

278
4

RV Sonne

Conforme o Poder Naval adiantou aos internautas no último dia 14 de janeiro, atracou anteontem, sábado (31.01), na base naval de Mar Del Plata, o navio oceanográfico alemão “RV Sonne”, comprado em dezembro passado pelo Conselho Nacional de Investigações Científicas e Técnicas (CONICET) do Ministério da Ciência e Tecnologia argentino, à empresa germânica RF Forchungsschiffahrt GmbH.

O governo Cristina Kirchner ainda não deixou claro se a embarcação, de quase 5.000 toneladas, será operada pela Marinha ou pela Prefeitura Naval Argentina (Guarda Costeira local). Em maio de 2014, quando se encontrava ancorado em Cape Town, na África do Sul, o navio foi vistoriado por oficiais da Prefeitura e por técnicos do CONICET, mas diante das atuais dificuldades financeiras do órgão científico, o mais provável é que ele receba uma tripulação da Armada Argentina.

É certo, contudo, que o “Sonne” – que em breve será rebatizado pelos argentinos – passará por uma revisão geral, antes de ser incumbido de alguma travessia.

O navio vai integrar a mobilização de meios decretada, ano passado, pela presidenta Cristina, com o objetivo de que a Argentina realize um amplo levantamento dos recursos geológicos e biológicos das áreas marítimas a oeste e a sudoeste do arquipélago das Malvinas – iniciativa vista com desconfiança pelo governo da Grã-Bretanha, que exerce o controle sobre as Malvinas, as Ilhas Georgias do Sul e Sandwich.

Desafogo – O “Sonne” ajudará a desafogar a carga de trabalho existente hoje no navio oceanográfico “Puerto Deseado”, unidade da Marinha que tem a metade do tamanho do navio alemão, e transporta apenas 20 cientistas em cada travessia. A embarcação recém-chegada a Mar del Plata pode embarcar o dobro de cientistas.

Segundo informações obtidas pelo Poder Naval, quando o “Puerto Deseado” parte em missão dedicada a levantamentos geológicos, as eventuais pesquisas de biologia marinha ficam prejudicadas, em função da falta de espaço nos laboratórios de bordo.

O governo argentino deseja obter dados confiáveis acerca da presença de jazidas minerais submarinas defronte ao litoral patagônico, como as de cobalto, manganês e outras.

O momento político-administrativo do CONICET, porém, não é bom. O Conselho está com os salários de seus especialistas atrasados, e tem enormes dificuldades para adquirir equipamentos modernos. Na semana que passou, um de seus técnicos deixou vazar pela internet que, recentemente, uma equipe do Conselho aventurou-se numa travessia marítima a bordo de uma antiga embarcação pesqueira construída em 1925… E transportando uma aparelhagem eletrônica de pesquisas avaliada em 300 mil dólares…

4 COMMENTS

  1. Ótima aquisição dos Hermanos visando pesquisas.

    Mas infelizmente terão de comprar navios de combate chineses para protegerem seu navios de pesquisas e a rota para antártica hoje dominada pelos argh (apostatas)….Ingleses que domina as ilhas Malvinas, as Ilhas Georgias do Sul e Sandwich.

    Quero ver o dia em que os Ingleses impedirem nossa passagem para antártica?; Na década de 40 os militares Brasileiros nacionalistas já temiam que no futuro isso pudesse acontecer mas isso é outra historia!!!

  2. Soldat,

    E pq raios eles nos impediriam?

    Provavelmente nem os “argies” eles imperão, salvo se os “hermanos” adentrarem as ZEEs dos respectivos arquipélagos.

    ab

    PS. Anos 40 é uma coisa, 2015 é outra.

  3. Modernizado em 1991, 24 anos ………….

    Construído em 1969 …………

    Por ser de origem Alemã e operados por eles, pelo preço, pode ter sido uma aquisição de oportunidade.

    Veremos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here